Michael Voris sobre o Papa Francisco e seus críticos imprudentes

O APOSTOLADO NORTE-AMERICANO "Churrch Militant – Vortex", do jornalista e apologista Michael Voris, publicou um vídeo bastante interessante que trata de um tema fundamental nos nossos tempos. Ele chama de "indústria de explodir o Papa". Assista abaixo:

www.ofielcatolico.com.br

10 comentários:

  1. Este vídeo traz um ponto de vista diferente daqueles que eu tenho visto ultimamente, mas faz sentido. Sempre pensei que a vontade de um papa, desde que conforme a fé e doutrina, era a uma lei inapelável dentro da Igreja. Mas vendo este vídeo, posso dizer dentro dos limites da minha diocese em que eu atuo, que há também um certo grau de desobediência, um sentimento de independência de alguns padres e até de lideranças leigas em relação ao bispo. Exemplo: A diocese proibiu a venda de bebidas alcoólicas em festas religiosas, mas, não só continuam as vendas em certos lugares, como montam-se barracas no carnaval pra venda de bebidas. São instruções da diocese que são apenas arquivadas nas secretarias das paróquias sem qualquer tomada de providência.

    A paz de Cristo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não quero ser implicante mas se o papa falar as coisas claramente que ele tem que falar, pelo menos ficaria claro o que é certo -o que é errado, e os bispos desobedientes seriam desmascarados. Se o papa manda e o bispo não obedece é um outro problema mas pelo menos o povo católico não vai se sentir perdido.
      O Bento 16 era mais claro e eu me sentia bem mais seguro do que agora. O problema é que agora o papa parece que ajuda mais na confusão do que pra esclarecer.

      Luis Antonio

      Excluir
    2. Concordo Luís Antônio. Creio que o mais correto a falar seria que o problema não é APENAS o Papa.

      Excluir
    3. Concordo com o Tiago Agi.A desobediência, infelizmente, está em todos os lugares. E mesmo que o papa seja claro em suas palavras, sempre haverão bispos prontos para desobedecer determinada ordem. Isso acontece de uma forma geral, em todos os lugares, portanto, na igreja não seria diferente. Por isso concordo com o conteúdo do vídeo; o problema não é apenas o papa, ele é apenas um "alvo fácil".

      Excluir
  2. Muito bom esse vídeo! Realmente, é mais incomum ver críticas à atitudes de bispos locais do que ao Papa. É algo a se pensar...

    ResponderExcluir
  3. O ESPÍRITO SANTO É INFALÍVEL e ele escolhe uma vez pois escolheu BENTO XVI, que continua PAPA,portanto Francisco foi escolhido horizontalmente e se auto intitulou bispo recusando as vestes do papa e mantendo seu anel de bispo portanto ele não vem DA escolha de DEUS.Por isso meu PAPA É BENTO XVI que está a sofrer muito com seu sucessor herético.

    ResponderExcluir
  4. Concordo em partes. Que existem Bispos desobedientes e maus, isso é notório. No entanto, 'SE' o Papa fosse mais claro em suas declarações com certeza a probabilidade de ocorrências de interpretações equivocadas seria menor, e consequentemente nós leigos estaríamos mais cientes das posturas adotadas (ou omitidas) por cada Bispo.

    Rezemos pela Santificação do Clero!

    São João Maria Vianney, rogai por nossos sacerdotes!

    ResponderExcluir
  5. Papa Francisco recorda: Todos morreremos algum dia e responderemos ante Deus

    O site ACI Digital informou ontem (22/11/2016) que o Papa Francisco convidou a levar a sério a vida e a ser conscientes de que a morte chegará para todos.
    Assim, na última semana antes de começar o tempo litúrgico de Advento, disse: “Não gosta de pensar nessas coisas”, mas “ali está a verdade”. “E quando um de nós terá ido embora, passarão anos e quase ninguém se lembrará”, disse na homilia da Missa matutina da Casa Santa Marta.
    Francisco revelou que tem uma “agenda” na qual escreve “quando uma pessoa morre” e todos os dias vê “como o tempo passou”. “E isso nos obriga” a observar o “rastro” da nossa vida.
    “E nos fará bem pensar: Mas como será o dia em que eu estarei diante de Jesus? Quando Ele me perguntará sobre os talentos que me deu, que uso fiz deles; quando ele me perguntará como estava o meu coração quando a semente caiu, como foi o caminho, os espinhos: essas Parábolas do Reino de Deus. Como recebi a Palavra? Com coração aberto? Eu a fiz germinar para o bem de todos ou a escondi?”.
    O Pontífice sublinhou que cada um estará diante de Jesus no dia do juízo e pediu aos fiéis que não se deixem “enganar”. É um engano que tem a ver com a “alienação”, a enganação de “viver como se jamais fôssemos morrer”.
    “Quando vier o Senhor, como me encontrará? Esperando ou em meio a tantas alienações da vida?”.
    “Eu me lembro de quando era criança e fazia catecismo, nos ensinavam quatro coisas: morte, juízo, inferno ou glória. Depois do juízo havia esta possibilidade”, comentou.
    “Mas padre, isto é para nos assustar…”. “Não, é a verdade! Porque se não cuidares do coração para que o Senhor esteja contigo e vives afastado sempre do Senhor, talvez haja o perigo, o risco de continuar afastado da eternidade do Senhor. É horrível isso!”.
    Francisco recordou as palavras da Escritura: “Seja fiel até a morte e te darei a coroa da vida”. “A fidelidade ao Senhor não desilude. Se cada um de nós for fiel ao Senhor, quando a morte chegar, diremos como São Francisco: ‘vinde, irmã morte’… Ela não nos assustará”.
    “E quando for o dia do juízo, diremos ao Senhor: ‘Senhor, tenho tantos pecados, mas tentei ser fiel’. E o Senhor é bom. Este é o conselho que lhes dou: ‘Sejam fiéis até a morte e lhes darei a coroa da vida’. Com esta fidelidade não teremos medo no fim, não teremos medo no dia do juízo”.
    Leituras comentadas pelo Papa:
    Ap 14,14-19
    Evangelho
    Lc 21,5-11
    Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/papa-francisco-recorda-todos-morreremos-algum-dia-e-responderemos-ante-deus-23591/

    ResponderExcluir
  6. O problema não é o que o Papa faz, diz e deixa de dizer. O problema é que as pessoas gostam e querem que ele vá ainda mais além, talvez até rezem por isso!

    Deus é justo e dá a cada geração os Papas que merecem.

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail