Cristo ressuscitou! Mas alguma coisa realmente mudou para nós?

RECENTEMENTE, OCORREU-ME QUE estávamos no auge do Tempo Pascal, e tive que me perguntar: alguma coisa realmente mudou para nós – ou a vida continua como sempre?


    Às vezes me pergunto se muitos de nós não somos um pouco como os dois discípulos no caminho de Emaús: eles tinham ouvido falar do túmulo vazio; na verdade, era o assunto da conversa. Talvez eles quisessem acreditar que Jesus havia ressuscitado, mas não podiam deixar de se sentir céticos – tanto que isso pode ter influenciado no fato de nem terem reconhecido Jesus quando Ele passou a caminhar ao lado deles. Pois no Evangelho, São Lucas diz que “os olhos deles os impediam de reconhecê-lo”.

14/4/2024 | Atualização sobre o estado de saúde de meu filho Victor

No último dia que passou no hospital, Victor recebeu a visita de um músico,
que tocou ao violino uma música especialmente para ele


Por Henrique Sebastião, editor


VENHO TRAZER A TODOS, especialmente aos que rezaram e intercederam pelo pequeno Victor e por minha família, notícias felizes.

Rezem por meu filho! Um testemunho pessoal


Venho compartilhar uma experiência dolorosa, que estou vivendo agora, nestes últimos dias – desde a sexta-feira, dia 6, para ser exato, que me fez reaprender algumas coisas fundamentais para a vida de toda pessoa de fé, mas que tendemos a esquecer quando tudo vai bem. Creio que a minha história possa ser útil para mais pessoas, por isso a apresento aqui. Deus vos ilumine e salve!

Boas notícias: Instituto Cultural São João Batista de La Salle e colégio Domus Aurea

Por Prof. Igor Andrade – FLSP

O INSTITUTO CULTURAL São João Batista de La Salle é um instituto católico laico dedicado à propagação da Fé através de iniciativas de educação e cultura. Surgiu na cidade de Taubaté - SP, após o encontro de famílias católicas, ao final do ano 2022, que após se reunirem assumiram o objetivo de fundar um colégio de matriz católica para resguardar seus numerosos filhos das insídias deste mundo cada vez mais desordenado.

"Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes?" Jesus experimentou a dor do Inferno?

CARÍSSIMOS LEITORES, VENHO compartilhar convosco a resposta que dei a um aluno de nossa Formação Teológica que nos perguntou sobre a terrível frase de Nosso Senhor dita na Cruz: "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes?". Queria saber ele se isso significa que o Cristo experimentou a dor do Inferno nesse momento de treva. Segue.

Adoração a Deus no Islã, no protestantismo e no catolicismo: reflexões de uma ex-muçulmana


Adaptado de texto de Derya Little,
autora de "From Islam to Christ" (Ignatius Press, 2017)


TODA MESQUITA TEM uma fonte no seu quintal, para que o adorador possa cumprir os requisitos das abluções rituais antes de entrar onde consideram ser Casa de Deus. Há uma ordem para lavar as mãos, o rosto, a boca, o nariz, o pescoço e os pés. Cada ação de lavagem física é acompanhada por uma oração...

Segunda-feira do Anjo: primeira segunda do Tempo Pascal


HOJE, PRIMEIRO DIA do Tempo Pascal, nesta segunda-feira da Páscoa, a Igreja celebra a chamada “Segunda-feira do Anjo”, assim chamada porque foi precisamente um Anjo que, no Santo Sepulcro, anunciou às mulheres que vinham ao túmulo que Jesus não estava ali, mas tinha ressuscitado como havia dito.

    As mulheres que foram ao sepulcro e o encontraram vazio (ali estava somente o pano do sudário, a mortalha usada para envolver o Corpo do Cristo morto) não puderam – porque realmente não podiam –, dizer "ressuscitou"; com honestidade, elas só afirmaram que o sepulcro estava vazio. Mas o Anjo disse: "Ele não está aqui, ressuscitou como havia dito” (Mt 28,6s).

Chegou o Tempo Pascal!


O TEMPO PASCAL compreende cinquenta dias (do grego Πεντηκοστή = pentēkostḗ = pentecostes), que são vividos e celebrados como um só dia – o grande Domingo de Páscoa, e compreende justamente "os cinquenta dias entre o domingo da Ressurreição até o domingo de Pentecostes. Devem ser celebrados com alegria e grande júbilo, como se se tratasse de um só e único dia festivo, como um grande Domingo" (Normas Universais do Ano Litúrgico, n. 22).
Subir