Breve biografia de Allan Kardec e as origens do espiritismo

Fotogênico, seus retratos parecem mostrar um homem importante...
Já a sua biografia aponta para uma outra realidade.

HIPPOLYTE LÉON Denizard Rivail era seu nome verdadeiro. No seu país de origem, a França, assim como em todo o resto do mundo, é praticamente um completo desconhecido. Apenas no Brasil é tido, por uma parcela da população, como um grande personagem da História, um "mestre" da humanidade...

'Confortare esto vir!' – Seja homem!


Por Felipe Marques, Fraternidade Laical São Próspero


“CONFORTARE ESTO VIR”
 significa: “Sê corajoso, porta-te como homem (1Rs 2,2).”

Bertrand Russell
Bertrand Russell, membro da Escola de Frankfurt, é autor de uma observação que vale ser citada aqui, para que se saiba desde o início o que é que enfrentamos: “Usando técnicas psicológicas para ensinar às crianças, seremos capazes de produzir a convicção de que a neve é preta!”[1]

    Faz-se necessário salientar que a Escola de Frankfurt foi um mecanismo criado por marxistas para a realização de pesquisas na área da psicologia, com vistas a melhor aplicar o marxismo na cultura e, então, facilitar a destruição dessa mesma cultura desde o seu núcleo, sem que os cidadãos se apercebessem do processo.

    A masculinidade é um dos principais alvos desses ataques de subversão, porque justamente o homem é que foi constituído para o combate e para doar sua vida pelos outros. Longe dessa realidade, o homem se torna um ser egoísta e autoritário que visa somente o seu bem estar e a busca por prazer, esquecendo-se da justiça e da sua vocação magna ao sacrifício. Dessa forma, com uma masculinidade frouxa e pusilânime, os tiranos conseguem solapar os direitos da civilização, abusando de mulheres e crianças e colocando-se no lugar de Deus.

Que deve fazer o fiel católico nestes tempos de crise e apostasia? – parte 9 | RR e Sedevacantismo em debate


TEMOS RECEBIDO MENSAGENS de leitores solicitando uma previsão de prazo para a continuidade da nossa série especial sobre as posições possíveis aos fiéis católicos perante a crise/grande apostasia que reina na Igreja dos nossos tempos, intitulada "Que deve fazer o fiel católico nestes tempos de crise e apostasia?" (acesse) e pausada em sua parte n. 8.

Jesus e a Religião


UM LEITOR QUE se identifica como “Volnei” enviou-nos a seguinte mensagem:

Mais uma vez [vejo neste site] as intriguinhas religiosas, que me enojam cada vez mais... Deus não tem religião. Deus não criou nenhuma religião. E a prova de que a religião não salva ninguém é Jesus Cristo, que nasceu no meio de uma família judaica, e e sendo judeu, por tradição familiar, Jesus nos ensinou que o caminho da salvação está nele. O problema de católicos, protestantes, espíritas, etc, é que colocam a religião acima de Deus. Fé cega faca amolada. Ficam uns falando mal dos outros, e todos estão errados. Os católicos acham que a igreja foi fundada pelos católicos, mas se estudassem um pouco de história, descobririam que ela na verdade foi fundada pelo imperador romano Constantino, que queria apenas o poder, já que não conseguiu destruir os seguidores de Cristo, 'juntou-se' a eles, com o único objetivo de ganhar poder.

Com relação à adoração de imagens, a Bíblia é bem clara com relação a isso, e mostra que Deus não admite adoração às imagens. E outra, que sentido teria Deus enviar seu filho ao mundo para morrer? Os católicos não acreditam que Jesus tem poder suficiente para nos ajudar? Por que pedir a Santos, se eu posso pedir a Jesus? Ele mesmo disse que tudo que pedires em meu nome eu atenderei! Essa adoração à Maria tb, não consigo entender, não há na Bíblia uma razão sequer para endeusá-la, pois é assim que ela é tratada pelos católicos, como uma Deusa, e pior ainda, mãe de Deus. Como ela pode ser mãe de Deus se foi Deus quem a criou? Só existe um caminho, cuja porta é estreita, e esse caminho é Jesus Cristo. Pertencer a essa ou aquela religião, não vai te salvar.

A religião causa desavenças, guerras, confusão... Quantas mortes, guerras, foram causadas pela igreja católica, quantos índios foram mortos,quantas crianças estupradas, quantos escravos foram feitos em nome da 'igreja'. Quantas pessoas são roubadas todos os dias por pastores, padres e falsos lideres religiosos? E ainda tem gente que defende essas igrejas a ponto de brigar com o próximo, ignorando o mandamento maior: O Amor! A religião é o mal do mundo! A religião é uma tentativa criada pelo homem de se chegar até Deus. Aqueles que adoram a religião, poem Deus em segundo plano e ficam cegas! Jesus é o caminho, a religião é um falso atalho!

Relação entre a Páscoa de Moisés e a Paixão de Cristo Jesus



Por Lorenzo Lazzarotto
(Canal História e Fé Católica e colaborador regular da FLSP)


A PÁSCOA CONSTITUI o fundamento da Fé Católica. E sabemos que antes de Cristo os judeus já comemoravam a Páscoa, lembrando sua libertação da escravidão no Egito durante o Êxodo. Mas qual a relação profunda entre a Páscoa de Moisés e a de Jesus Cristo? 

Chegou o Tempo Pascal!


O TEMPO PASCAL compreende cinquenta dias (do grego Πεντηκοστή = pentēkostḗ = pentecostes), que são vividos e celebrados como um só dia – o grande Domingo de Páscoa, e compreende justamente "os cinquenta dias entre o domingo da Ressurreição até o domingo de Pentecostes. Devem ser celebrados com alegria e grande júbilo, como se se tratasse de um só e único dia festivo, como um grande Domingo" (Normas Universais do Ano Litúrgico, n. 22).

Jesus, nossa Páscoa!


LUZ QUE IRROMPE na escuridão, Luz que vence todas as mortes, que ilumina todos os caminhos! Na beleza de uma igreja às escuras na celebração da vigília do Sábado Santo, que começa do lado de fora, com a Benção do Fogo e o acender do Círio Pascal, cuja luz passa de vela em vela, nas mãos dos irmãos de fé; afinal, depois de um longo período de recolhimento e penitência, a Igreja toda se ilumina! É chegada a hora de celebrar a Ressurreição e a Vida!

Santo Sábado de Aleluia


NO SÁBADO SANTO honra-se a sepultura de Jesus Cristo e sua descida à mansão dos mortos; depois do sinal do Glória, começa-se a honrar sua gloriosa Ressurreição...

Vivência da Semana Santa, o Tríduo Pascal e o ápice do Ano Litúrgico, a Páscoa da Ressurreição


Por Felipe Marques – Frat. Laical São Próspero

A LITURGIA É TODO culto público da Igreja, dado a Deus. A Liturgia é a forma que Deus escolheu para agir na História (perpetuar na História o Mistério da salvação) desde Pentecostes até a Parusia (fim do tempo da Igreja e fim da História). Estas definições estão carregadas de significado, principalmente neste tempo oportuno de conversão que é a Semana Santa, tempo propício para a volta para Deus...

Meditar a Paixão de Cristo nesta Semana Santa: por que Cristo veio ao mundo?


Por Lorenzo Lazzarotto
(Canal História e Fé Católica e colaborador regular da FLSP)


A PAIXÃO DE CRISTO é o tema central da Religião Católica, e o principal assunto a ser meditado pelos fiéis católicos. Mas a grande maioria das pregações que encontramos é incapaz de inspirar afetos sobrenaturais para com Nosso Senhor.

Como o fiel católico aproveita bem o 'Feriadão' da Semana Santa

QUE BOM SERIA se os cristãos católicos entendessem que a Semana Santa, em especial a Sexta-feira da Paixão e o santo Sábado de Aleluia, seguidos pelo Domingo da Ressurreição, não são apenas mais uma oportunidade para o lazer, nem para reuniões festivas com muita comilança e bebedeira!..

A celebração do Domingo de Ramos: o início da Semana Santa


COM O DOMINGO DE RAMOS inicia-se a Semana Santa. Neste dia é recordada a entrada triunfal de Jesus Cristo em Jerusalém, em meio à multidão que o aclama Messias e Rei. Este acontecimento pode ser lido no santo Evangelho segundo São Mateus, como prenúncio da Paixão.

Importante vitória dos fiéis católicos contra revolucionários infiltrados na Igreja em Niterói!




Santa Brígida e suas profecias para os nossos tempos


Com informações biográficas e sobre profecias retiradas da obra de Beppe Amico

SANTA BRÍGIDA nasceu no ano 1302, na majestosa província de Uppsala (Suécia), no Castelo de Finsta, em Norrtälje. Seus pais pertenciam a uma Família Real de cristãos fervorosos e piedosos; em tudo conciliavam a fé e a vida. Era uma família admirada por toda a corte e até em outros reinos...
Subir