As Regras de São Bento servem para o seu tempo de estudos

QUEREMOS HOJE EXORTAR aos nossos diletos leitores e/ou estudantes de nossas formações quanto a certos conselhos utilíssimos do gigante São Bento de Núrsia, ao lado de Santo Antão Eremita o exemplo maior de todos os monges e o grande organizador das atividades da vida monástica. Esses conselhos, retirados de sua Regra, servem também e muito bem para nos auxiliar em nossos piedosos estudos.

    O primeiro auxílio de São Bento dá conta de que é preciso ter ordem e ritmo em nossa rotina de estudos, assim como precisamos dessas coisas para a própria vida. Em um mosteiro, a Regra impõe um tempo bem definido para cada coisa: oração, trabalho, leitura, meditação, descanso. Esse princípio que alguns julgam “antigo”, na realidade é atemporal e continua sendo ensinado como parte das habilidades de administração do tempo em escolas de negócios e livros de autoajuda, porque afinal descobriram que se trata de uma verdade inquestionável, de validade perpétua: estabelecer horários fixos para o início e o fim de cada tarefa ajuda e muito na sua eficiência.

Israel vs Ramas segundo Lula (Hipócritas)

O que a Igreja Católica ensina sobre aparições e revelações particulares


EPIFANIAS
SÃO ACONTECIMENTOS inexplicáveis e raros. São aparições através das quais a Graça de Deus se manifesta, invariavelmente para fortalecer a Fé dos fiéis, ou para os exortar a permanecer no Caminho, que é Cristo, e guardar a mesma Fé, ou para nos advertir quanto a perigos iminentes. Quanto a este assunto, as aparições da Virgem Maria reconhecidas pela Igreja ao redor do mundo constituem um fascinante capítulo, mas um estudo cuidadoso a respeito se faz necessário, porque o lidar com tais ocorrências tanto pode nos ajudar e fortalecer em nossa jornada neste mundo quanto, se mal interpretadas, induzir ao erro.

    Achamos conveniente, portanto, publicar alguns esclarecimentos a respeito de como a Igreja Católica vê as revelações e aparições chamadas particulares.

Centro Dom Bosco e a Campanha da Fraternidade (mais uma vez)

COMO TODOS OS ANOS, mantendo aquilo que já se tornou uma desgraçada tradição nacional, lá vem a CNBB com mais uma esdrúxula "campanha da fraternidade" que visa qualquer coisa menos a santificação e a salvação das almas. Na realidade, os temas propostos deturpam o sentido da Quaresma e desviam os fiéis do sentido da oração, da penitência e da conversão que são a razão de ser deste tempo, redirecionando tudo para alguma causa meramente social, sempre a partir de uma visão ideológica esquerdista.

    Os bravos leigos do Centro Dom Bosco, mais uma vez, levantam-se para combater o mal e exortar aos outros leigos que façam o mesmo. De fato, como já dissemos por aqui muitas vezes, ao contrário do que se imagina os leigos sempre tiveram papel fundamental em todas as grandes crises que a Igreja enfrentou, inclusive quando os clérigos hesitaram. Que agora os leigos têm que resistir a esses maus pastores, não dar dinheiro a eles, não colaborar com eles de modo algum, são fatos insofismáveis. Mas "frequentar a missa tradicional mais próxima" e buscar "paróquias verdadeiramente católicas" para ajudar, como sugere o vídeo (abaixo), convenhamos, isso está cada vez mais difícil, para não dizer impossível, na medida em que o próprio papa (?) vem tratando de afastar – e o faz com assombrosa competência – qualquer padre ou bispo que insista em preservar a Tradição ou se manter fiel ao Evangelho recebido de Nosso Senhor. Cada vez mais, essa solução simples vai se tornando inviável.

    Como este trabalho existe para servir de auxílio aos fiéis católicos, gostaríamos de conhecer a sua opinião a respeito, fiel leitor: sirva-se do espaço para comentários logo abaixo deste post e compartilhe conosco o seu pensamento. 

Cair e voltar a cair em pecado é nossa sina: é possível vencer este ciclo maldito e se tornar mais santo após cada queda?


PARA O CRISTÃO, não existe mal maior do que o pecado. Nenhuma provação ou dificuldade pode ser comparada com a gravidade do pecado, porque é esta a única coisa que pode ferir ou até mesmo romper a nossa Comunhão com Deus.

    Entretanto, sejamos francos: todos nós pecamos. Quantas vezes ao longo de nossa jornada, voltamos as costas para Deus e o traímos, em troca dos deleites enganadores e vãos do pecado?

    Cientes disso, percebemos que é fundamental aprender como agir diante do pecado já cometido. Pois, quantas vezes, mesmo após uma santa Confissão, nós não conseguimos nos perdoar pelo mal que cometemos e, como a mulher de Ló, ficamos paralisados contemplando o passado.

    Nosso Senhor quer nos ver arrependidos pelos nossos pecados, e também fazendo tudo ao nosso alcance para nunca mais cairmos em tentação. Porém, esse arrependimento jamais deve vir acompanhado de ansiedades, perturbações e desconfianças na Misericórdia divina.

    O segredo da relação do cristão com seu pecado é que ele precisa ter uma atitude dupla: por um lado, compreender que NADA deve ser tão detestado e evitado quanto o pecado. Por outro, infelizmente, nós precisamos lembrar que teremos quedas ao longo de nossa jornada. E precisamos conviver com elas, para que consigamos perseverar até o fim.

    Como fazer isso? Lorenzo Lazzarotto explica no vídeo, com base nos ensinamentos de São Francisco de Sales! 


— ÍNDICE DO VÍDEO 

00:00 — O mal supremo: o pecado.
01:06 — "Venci o pecado"
03:45 — A arte de aproveitar as próprias faltas.
05:50 — Mansidão para consigo mesmo.
07:58 — Jesus quer nos salvar.
10:19 — Nossos pecados e a humildade.
13:48 — Um erro muito comum.
16:32 — Mais Santos do que antes da queda.

Indicações de leitura católica para a Quaresma e para o ano todo — livros excelentes com desconto

A EDITORA E LIVRARIA SANTA CRUZ está com uma bela campanha, de livros excelentes voltados às práticas de devoção nesta Quaresma. Somos clientes deles há tempos e sempre os recomendamos, sem ganhar nada em troca, porque gostamos do serviço que prestam: são justos nos preços, pontuais na entrega e, principalmente, muito felizes na escolha dos seus títulos. 

    Além do frete grátis para compras a partir de R$89,00 (para Sul, Sudeste e Centro-Oeste) e R$149,00 (para Norte e Nordeste), para os nossos leitores e alunos conseguimos agora um desconto especial para a aquisição de qualquer obra na loja da livraria, que já tem preços realmente muito bons: www.editorasantacruz.com.br

    Os títulos escolhidos para a leitura na Quaresma são todos indicadíssimos (veja aqui a lista completa), com destaque para "O Combate Espiritual e o Caminho do Paraíso", do Padre Lourenço Scupoli , mas, além desses, recomendamos especialmente o clássico "O Combate da Pureza", escrito pelo Padre Hoornaert na década de 1920, quando a linguagem da Igreja era clara (e que continua hoje mais atual do que nunca): uma obra necessária para os nossos dias, que trata de um assunto sobre o qual muitos jovens (e não só eles, infelizmente) nos consultam: como guardar a virtude da castidade em uma sociedade cada vez mais erotizada, que eleva a gratificação sexual ao nível de sinônimo de felicidade, com infinitos estímulos que se traduzem em tentação constante?



    Outra indicação realmente muito especial é a obra 
"A República Maçônica: Como Produzir a Corrupção Universal", um compilado de documentos reunidos pela Editora em forma de livro, que tem como finalidade principal alertar o fiel católico sobre os grandes males das sociedades secretas, em particular a Franco-Maçonaria. Esta obra se divide em três partes: na primeira trata sobre a Alta Venda e o Carbonarismo, duas das mais tenebrosas lojas maçônicas do início do século XIX. Na segunda parte, estão reunidos os documentos que procedem da Suprema Alta Venda, que no ano 1846 foram apreendidos pela polícia dos Estados Pontifícios e, mais tarde, publicados com a expressa aprovação do Papa Pio IX: são documentos que demonstram os planos verdadeiramente diabólicos contra a Igreja Católica, a Cúria Romana, os padres, as famílias cristãs e a juventude. Na terceira e última parte, constam os documentos pontifícios que condenam sem cessar a Maçonaria e suas ramificações, sendo o primeiro publicado já em 1738, por Clemente XII. 

     Há ainda duas últimas indicações especiais que fazemos questão de compartilhar, e com estas, de  certo modo, retornamos a este tempo santo da Quaresma, mas são livros úteis para todo o ano e para toda a vida do cristão: um é o "Devocionário: Alimento da Alma Devota", que é um dos mais vendidos da editora, pela sua qualidade e precisão (o sumário com as orações e devoções pode ser consultado aqui), o outro é a "Coleção de Novenas", que não traz só uma série de novenas reunidas, mas uma seleção muito particular de Santos de predileção e que é um testemunho vibrante da nossa herança portuguesa, que venera Sto. Antônio e S. Sebastião como heróis nacionais. Provavelmente compilada com a ajuda do próprio Bispo de Mariana, D. Silvério Pimenta, que a aprovou em 1897, é um instrumento ímpar para conhecer melhor não só a história de alguns Santos, como também melhor compreender o espírito católico que formou a nação brasileira. As meditações propostas em cada uma das 45 novenas do livro são, além de inspiradoras, formativas.


    Teríamos ainda muito para indicar, porque a loja inteira está repleta de títulos excelentes, tanto para uso próprio quanto para presentear alguém, e os livros têm ótima qualidade tanto nos projetos gráficos quanto na revisão e nos materiais de capa e miolo. Vale a pena fazer uma visita: www.editorasantacruz.com.br. Para obter o desconto exclusivo, no ato do fechamento da sua compra, é só usar o cupom OFIELCATOLICO10.



Fato novo no caso do "padre" Júlio Lancellotti: ex-coroinha denuncia mais um crime

Quaresma: um tempo único para a conversão

A Quaresma é um grande tesouro da Tradição Cristã: oportunidade para renovar a experiência de conversão e do Amor de Deus em nós

A PALAVRA QUARESMA vem do latim Quadragesima. Essa prática, que vem desde o século IV, designa o período de 40 dias que antecedem a Festa maior do cristianismo: a Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, celebrada na Páscoa Cristã.

Quarta-feira de Cinzas e início da Quaresma

NESTE INÍCIO de Quaresma, procuremos, mais ainda do que a mortificação corporal, aceitar o convite que a Liturgia sabiamente nos faz, de combater o amor próprio com todas as nossas forças.

O mistério da iniquidade referido por São Paulo Apóstolo

 “SE FOR DEMONSTRADO que todas as “novidades” que hoje perturbam a Igreja não passam de erros antigos e constantemente condenados por Roma, pode-se concluir que a Igreja do final do século XX foi ocupada por uma seita estrangeira, exatamente como um país pode ser ocupado por um exército estrangeiro.”
(Jacques Ploncard d'Assac: L’Église occupée, Chiré-en Montreuil, 1975, 2ª edição 1983, p.7)


Nesta guerra de ideias, os pensadores católicos têm o dever de soar o alarme. A cooperação dos leigos pareceu aos Padres do Concílio Vaticano I tão oportuna e fecunda que eles acreditaram ser um dever reivindicá-la formalmente: “Portanto, cumprindo o dever do Nosso supremo ofício pastoral, pelas entranhas de Jesus Cristo, conjuramos todos os fiéis de Cristo, especialmente aqueles que presidem ou têm o ofício de ensinar, aliás, nós os ordenamos, com a autoridade do mesmo Deus e Salvador nosso, que dediquem seu estudo e seu trabalho para afastar e eliminar os erros da Santa Igreja e difundir a luz da mais pura Fé” (Const. Dogmática Dei Filius).

    Espere um pouco o leitor, neste ponto. É que isso foi maravilhoso demais, vindo de um documento dogmático do Magistério perene da santa Igreja, e que toca diretamente o nosso trabalho por aqui. Por isso vou repetir mais uma vez, com destaque, caso não tenha lido com atenção:

...do Nosso supremo ofício pastoral, pelas entranhas de Jesus Cristo, conjuramos todos os fiéis de Cristo, especialmente aqueles que presidem ou têm o ofício de ensinar, aliás, nós os ordenamos, com a autoridade do mesmo Deus e Salvador nosso, que dediquem seu estudo e seu trabalho para afastar e eliminar os erros da Santa Igreja e difundir a luz da mais pura Fé.”
(Constituição Dogmática Dei Filius IV, SS. Pio IX, De Fide et Ratione, conc. fin.)


    Mas tem muito mais de onde veio esse:

Não se pode duvidar que deveres mais numerosos e de maior importância recaem sobre os católicos do que sobre aqueles que não são suficientemente esclarecidos em relação à Fé, ou que são desconhecedores da sua doutrina. Considerando que imediatamente após a salvação ser trazida à humanidade, Jesus Cristo colocou sobre Seus Apóstolos a injunção de 'pregar o Evangelho a toda criatura', Ele impôs, é evidente, a todos os homens o dever de aprender completamente e acreditar no que lhes foi ensinado'. Este dever está intimamente ligado à obtenção da salvação eterna: 'Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado”. Mas o homem que abraçou a fé cristã é, por esse mesmo fato, como um dever vinculado, um súdito da Igreja como um dos filhos dela nascidos, e torna-se membro daquele maior e mais santo Corpo, que é a incumbência especial do Romano Pontífice governar com poder supremo, sob sua Cabeça invisível, Jesus Cristo.

A todos os cristãos fiéis, mas principalmente àqueles que estão em posição de destaque, ou engajados no ensino, imploramos, pela compaixão de Jesus Cristo, e ordenamos pela autoridade do mesmo Deus e Salvador, que tragam ajuda para afastar e eliminar os erros da santa Igreja e contribuam com sua zelosa ajuda para difundir a luz da Fé imaculada, pela autoridade do seu exemplo e pela profissão aberta e constante das obrigações que esta impõe. No que diz respeito, consequentemente, aos deveres que nos ligam a Deus e à Igreja, deve-se ter seriamente em mente que, na propagação da verdade cristã e na prevenção dos erros, o zelo dos leigos deve, na medida do possível, ser ativo com todas as capacidades possíveis.
(Litterae Encyclicae SAPIENTIAE CHRISTIANAE, SS. Leão XIII, n.4)


    O presente estudo, portanto, foi produzido em espírito de obediência e reverência: pretende ser unicamente um "eco" do Magistério, a repetição fiel do que foi ensinado pelo conjunto dos documentos da Igreja Una, Santa, Católica, Apostólica e Romana.


*
*                 *

    “O mistério da iniquidade”, escreve o Apóstolo São Paulo, “já está em ação, apenas esperando o desaparecimento daquele que o detém” (2Ts 2,7). Quando a fé tiver desaparecido quase totalmente, quando a apostasia geral chegar, o Anticristo se manifestará. Segundo São Paulo, o Anticristo “se assentará no Templo de Deus” (2Ts 2,4). Comentando essa passagem paulina, Santo Agostinho ensina que o Anticristo será um homem individual, mas que o nome de “Anticristo” pode igualmente ser aplicado, em sentido figurado, a uma sociedade anticristã como um todo. Este Anticristo coletivo, que deve preparar o caminho para o Anticristo individual, se assentará “in templo Dei”. Em latim, observa Santo Agostinho, a preposição – in, pode ser traduzida como “intro” ou como “ao invés de”. A  expressão “in templo Dei” pode ser corretamente interpretada de forma literal ou figurativa:

    – Em um sentido literal, como um homem que entrará no templo para ser adorado como um ser divino.

    – Em sentido figurado, como uma sociedade apóstata, uma falsa Igreja que usurpará o lugar da verdadeira Igreja. Uma sociedade de apóstatas erigida no “Templo de Deus”, um grande bando de infiltrados que alegarão representar a Igreja de Cristo.

    Essa passagem que se refere ao Anticristo pode ser entendida não apenas como tratando do príncipe dos ímpios, mas de alguma forma de tudo que faz corpo com ele, quer dizer, tudo e todos os que se associam a ele, como a multidão que pertence a ele.” É necessário também interpretar melhor "no Templo de Deus", que nada mais é do que a Igreja” (Santo Agostinho: Cidade de Deus, livro XX, c. 19).

    Assim, é bastante provável considerar que o Anticristo será (ou já é?) uma seita herética e apóstata que pretende representar a Igreja Católica.

    Santo Agostinho relata como se desenrolará o triunfo no dia do mistério da iniquidade. Outros pensam que as palavras: "Agora, sabeis perfeitamente que algo o detém" (2Ts 2,6) e “o mistério da iniquidade já está em ação” (2,7) se referem apenas aos ímpios e aos simuladores que estão na Igreja, trabalhando nas sombras, incansavelmente, até o momento em que, multiplicando-se, terão chegado a um número suficiente para formar o grande povo do Anticristo. É dito "mistério" da iniquidade porque é oculto. não age às claras. As palavras do Apóstolo seriam então uma exortação aos fiéis a permanecerem firmes na fé ... "até que isso se manifeste saindo do caminho", isto é, até que o mistério da iniquidade, até então escondido, surja do meio da Igreja” (Cidade de Deus, livro XX, c. 19).

    Outra interpretação da 2ª Carta aos Tessalonicenses merece ser mencionada, mesmo que venha de um exegeta muito pouco conhecido. Este exegeta é um monge francês que viveu de 1092 a 1156, chamado Pedro, o Venerável. É um Santo canonizado (festa em 25 de dezembro), outrora famoso por sua  erudição, mas hoje caiu no esquecimento. E é uma pena, porque este autor parece ter tido luzes especiais para expor a Sagrada Escritura. Aqui, com efeito, está seu comentário sobre a Epístola aos  Tessalonicenses, comentário que ilumina de forma única nossa época:

“Cristo permitiu isto: que o Anticristo, cabeça de todos os cismáticos, se estabeleça no Templo de Deus, que os seus sejam exilados, e que aqueles que não são de sua própria vontade um dia ocupem a Sé de Pedro”
(São Pedro, o Venerável: De miraculis libri duo, livro II, c. 16).


________
Baseado na obra "O Mistério da iniquidade. Investigação teológica, histórica e canônica", do Padre Paul Schoonbroodt.

A Igreja e o carnaval: o cristão pode "cair na folia"?

O CRISTÃO PODE participar das festas do carnaval? Muitos o perguntam, todos os anos, e há muita confusão a respeito do assunto. A dificuldade está no fato de que a Igreja não tem prescrição formal a respeito, ao menos não há um documento que trate textualmente do carnaval propriamente dito. Ou será que a realidade não é bem essa?

    Antes de tudo, precisamos reconhecer que ainda podem existir festejos e grupos carnavalescos, principalmente em cidades interioranas, que comemoram o carnaval de maneira tranquila e saudável, e que talvez não seja impossível encontrar ambientes onde se toque música decente e se encontrem pessoas que querem apenas descontrair, sem necessariamente cair nos abusos. Claro que não há pecado em se reunir com amigos e festejar o feriado, ou mesmo em procurar algum clube familiar para se divertir um pouco. Este artigo procura tratar o carnaval a partir de um ponto de vista mais genérico. Estamos falando daquilo que mais comumente se entende por carnaval, de suas origens e suas consequências.

Precisamos falar sobre sedevacantismo




JÁ TRATAMOS POR AQUI a respeito deste assunto que assume cada vez maior importância, em uma série específica (veja). Mas com o agravamento da crise e o aumento dos escândalos da “nova igreja”, também chamada “igreja conciliar”, e diante da situação de mais e mais pessoas que vêm perdendo a fé nos últimos tempos, penso que realmente é preciso retomá-lo.

6/2/2024 | Será que vai dar em alguma coisa?

JÁ FALAMOS AQUI (veja) sobre o caso do "padre" Júlio Lancellotti e a inacreditável desfaçatez da esquerda em tentar nos fazer acreditar que tudo não passou de uma montagem com efeitos especiais incrivelmente perfeitos – de dar inveja às maiores produções de Hollywood –, produzida e lançada sabe-se lá por quem, talvez algum bilionário que não tenha mais nada para fazer e que tenha um ódio tão grande e gratuito por um pobre padre inocente, a ponto de promover essa farsa grotesca só para desmoralizá-lo. Mas parece que a coisa toda continua escalando...




Uma reveladora entrevista de Mons. Williamsom


NESTA ENTREVISTA CONCEDIDA já há algum tempo (2021) a Marco Cosmo, D. Richard Williamson teceu comentários acerca do cenário atual do mundo, sua relação com a Tradição Católica e o futuro da Igreja. Em dado momento, ele firma não saber se Bergoglio é ou não é o Papa, porém se refere a ele como se não fosse o papa durante toda a conversa. 

Semana Santa 2024 | "O Cristo de Sevilha" não só nos ultraja: lança-nos em face a dura verdade dos nossos tempos

SURGIU UM COMENTÁRIO neste site, uma mensagem anônima dizendo que, por não termos comentado o repugnante caso do "Cristo de Sevilha 2024", isto seria um sinal de que não somos mais tão "fiéis católicos" quanto um dia fomos, isto é, estaríamos deixando passar a oportunidade de falar sobre um grande escândalo na Igreja; algo que, num passado recente, dificilmente aconteceria... Ora, sempre fomos combativos e rápidos em denunciar escândalos como este, e agora? Afrouxamos? Perdemos o zelo? Bem, acho que esse comentário me dá a oportunidade de esclarecer muita coisa, há muitos desdobramentos que surgem. Vou tentar explicar...

Por mais que tentassem provar a ele, continuou firme na convicção de que tudo é relativo...


 

'Onde estiverem dois ou três reunidos em meu Nome'... Há salvação fora da Igreja?

O LEITOR BRUNO Queiroz enviou-nos a seguinte pergunta:
Henrique poderia me esclarecer um duvida, a palavra diz que .Jesus disse onde houver dois ou tres reunidos em meu nome ali eu estarei presente, é possível afirmar que jesus esta presente também nos cultos protestantes ou não?


Olá, Bruno, Salve Maria!

Em primeiro lugar, eu gostaria de alertá-lo para que tome cuidado com premissas protestantizadas. Observe bem que você já inicia o seu comentário dizendo "...a palavra diz que...". Vejo aí a insinuação de uma premissa 100% protestante/"evangélica". Não que esteja errado o que você disse; o problema está no fato de que muitas vezes, querendo encontrar a solução para alguma questão, alguns católicos de hoje dizem: "A palavra diz isso e aquilo", usando a expressão "a palavra" assim, de modo absoluto, no singular, referindo-se à Bíblia Sagrada. – Quando o fazem, estão, inconscientemente, elevando as Escrituras à "única regra de fé e prática". E assim, sem perceber, caem na heresia do sola scriptura, possivelmente o mais mortal dos erros introduzidos por Lutero, Calvino e companhia.

Compareça e prestigie o trabalho de um novo autor, católico e digno!


DIA 11 DE FEVEREIRO acontece, em São Paulo, capital, o lançamento presencial do primeiro livro escrito por Lorenzo Lazzarotto, nosso parceiro de apostolado e colaborador regular da FLSP. Aos que moram ou estarão por perto nesse dia, instamos que compareçam e incentivem o trabalho deste jovem exemplar a quem Deus nos concedeu a honra de conhecer.

O problema do mal interpõe-se entre nós e Deus?

Por Pe. Jean-Michel Gleize para o "La Porte Latine"

UM DOS PRINCIPAIS argumentos que se pode apresentar contra a existência de Deus é o fato de haver o mal no mundo. Esta objeção está sempre presente no pensamento contemporâneo dos militantes do ateísmo”, disse Charles Morerod[1].


    EM 2005, o Tratado de ateologia de Michel Onfray difundiu amplamente (cem mil cópias vendidas) ideias demasiado superficiais[2]. O sucesso dessa publicação mostra apenas uma coisa: a fraqueza cultural do catolicismo na França contemporânea. Muito mais sutilmente, André Comte-Sponville oferece uma "espiritualidade ateísta"[3]. No mundo anglo-saxão, um sucesso considerável foi alcançado pelo ateísmo virulento de Richard Dawkins, biólogo professor na Universidade de Oxford[4]. Também em Oxford, Sir Anthony Kenny, ex-padre católico que se apresenta como especialista em Santo Tomás de Aquino, publicou diversos trabalhos em favor do agnosticismo[5]. Um trabalho próximo ao de Dawkins, menos polêmico, foi publicado por seu amigo americano Daniel Dennett[6]. De um modo mais filosófico, Robin Le Poidevin, professor de filosofia da religião na Universidade de Leeds, empreende uma refutação sistemática dos argumentos a favor da existência de Deus[7].

O mínimo para se rezar diariamente


A SEGUIR, DISPONIBILIZAMOS um breve roteiro de oração que sugerimos aos membros de nossa Fraternidade para rezarem todos os dias, que visa ser breve e muito prático nestes nossos tempos em que todos vivem sobrecarregados com muitas tarefas e em que o tempo se torna escasso (cada seção – para a manhã, tarde e noite – não demora mais do que 10 minutos) e que pode ser observado por todos. Trata-se, por óbvio, de uma sugestão, fundamentada nas práticas mais tradicionais da Santa Igreja, com fórmulas consagradas e recomendadas por Santos. Pode-se, claro, acrescentar outras a estas, mas aqui temos um ordinário básico e muito funcional para todos os dias.

Ainda mais poder para "dom Tucho"...

FRANCISCO NOMEOU O CARDEAL Víctor Fernández, o escandaloso Dom "Tucho", que já é o prefeito do Dicastério para a Doutrina da Fé (DDF), como novo membro do Dicastério para a Promoção da Unidade dos Cristãos (DPUC). Da mesma forma, também Dom Armando Matteo foi nomeado para o mesmo Dicastério, dedicado ao compromisso dito "ecumênico" da "igreja conciliar". Fernández e Matteo são os principais autores da famigerada Fiducia supplicans, a declaração do DDF que autorizou que bênçãos sejam concedidas a duplas do mesmo sexo que vivam como casais, e a casais e em situações irregulares, mesmo sem nenhuma intenção de conversão ou de mudança de vida.

    O Cardeal Kurt Koch, prefeito do DPUC, indicou numa entrevista recente à EWTN que recebeu reações negativas à declaração Fiducia suplicans: “Recebi uma longa carta [também] de todas as igrejas ortodoxas orientais. Eles querem alguma explicação e esclarecimento sobre este documento”, disse o cardeal Koch à EWTN, transmitida no domingo, 21 de janeiro, no programa “Vaticano”. Da mesma forma, lembrou a “grande divisão” que surgiu no mundo anglicano, quando a Igreja da Inglaterra introduziu a possibilidade de bênçãos para duplas homossexuais...

26/1/2024 | O caso Júlio Lancellotti – muito além do escândalo



MAIS UM ESCÂNDALO, MAIS uma prova dos dois pesos e duas medidas dos quais têm se servido as autoridades eclesiásticas em todos os casos: por um lado, rigor extremo contra os bons, contra aqueles que buscam a fidelidade à Tradição e a santidade; por outro, brandura total para os que provocam escândalos, os que blasfemam, os traidores da fé, os pedófilos, os criminosos de todo tipo. Igualmente impressionante é o nível da situação em que chegamos no nosso país: foi construída uma gigantesca e assustadora máquina de desinformação em massa a favor da situação, que funciona a todo vapor para nos fazer crer que o que é fato é mentira, e que só pode ser verdade aquilo que eles definem. Mesmo que se prove por a + b que algo aconteceu, se for do interesse dessa hoste do mal, eles encontrarão meios de dizer o contrário, e vão convencer a muitos de que não, a grama não é verde.

Estamos vivendo já os tempos da grande apostasia? Apontamentos e algumas reflexões

NOSSO SENHOR JESUS CRISTO avisou-nos que, nos últimos dias, a verdadeira Fé seria quase extinta no mundo. Ele nos disse que no próprio “lugar santo” se instalaria a “abominação da desolação”  (Mt 24,15) predita pelo Profeta Daniel, e que haveria um engano tão profundo que, se fosse possível, até os eleitos se perderiam (Mt 24,24).

Matrimônio e feminismo

Por Karlos Guedes para o Pela Fé Católica

A REFLEXÃO QUE EXPOREI neste texto foi concebida depois que, recentemente, fui a dois casamentos, culminando numa pequena tertúlia que também, por coincidência, teve como temática a mesma perícope de São Paulo aos efésios.


    Evidentemente, como se deverá imaginar, o texto diverge diametralmente do senso comum da sociedade (ou daquilo que querem reformar nela): a ideologia feminista que destrói a distinção no seio familiar entre homem e mulher, distinção essa concretizada no papel de ambos dentro do Matrimônio. Eis o polêmico texto sagrado:


As mulheres sejam submissas a seus maridos, como ao Senhor (…) Ora, assim como a Igreja está sujeita a Cristo, assim estejam também as mulheres a seus maridos em tudo [o que não é contra a Lei de Deus] (Ef 5,22ss).


Errata

INFORMAMOS E ESCLARECEMOS A TODOS que o nosso artigo sobre os catecismos de São Pio X (acesse) originalmente continha uma informação equivocada a respeito do Catecismo de São Pio X – ilustrado e comentado publicado pela editora do Centro Dom Bosco: disséramos que se tratava da versão resumida intitulada como “Primi Elementi della Dottrina Cristiana”, de 1913, a qual originalmente continha 184 perguntas e respostas sobre os pontos mais importantes ao ensino elementar da Doutrina católica. 

    A antiga obra intitulada "Na Escola de Jesus" era uma tradução do Pe. Eugênio Fornasari, com as perguntas e respostas deste Catecismo de 1913, motivo pelo qual houve a confusão da parte de nossa fonte. Como o próprio CDB esclareceu em mensagem a nós envidada, inicialmente, essa edição deles seria realmente essa das 184 perguntas e respostas, "mas, antes da impressão, descobrimos que nos baseávamos em uma edição menor ('Primi Elementi della Dottrina Cristiana') e traduzimos todas as outras perguntas e respostas do "Catechismo della Dottrina Cristiana" (1912), depois do que as colocamos na mesma ordem que nele aparecem". 

Pio XII confirmou que o Segredo de Fátima prevenia sobre a apostasia na Igreja, mas foi ignorado por seus sucessores

UM TESTEMUNHO NOTÁVEL, embora de relevância indireta, é o do Cardeal Eugenio Pacelli – antes de se tornar o Papa Pio XII – quando era Secretário de Estado do Vaticano durante o reinado de Pio XI.

    Falando ainda antes de a Irmã Lúcia ter escrito o Terceiro Segredo, o futuro Pio XII fez uma profecia espantosa sobre uma futura convulsão na Igreja:


As mensagens da Santíssima Virgem a Lúcia de Fátima me preocupam. Essa persistência de Maria sobre os perigos que ameaçam a Igreja é um aviso do Céu contra o suicídio de se alterar a Fé na Sua liturgia, na Sua teologia e na Sua alma. (...) Ouço à minha volta inovadores que querem desmantelar a Capela-Mor, destruir a chama universal da Igreja, rejeitar os Seus ornamentos, fazê-la ter remorsos do Seu passado histórico.[1]


Francisco elogia Klaus Schwab e o Fórum Económico Mundial de Davos 2024 em mensagem. Viganò reage.

PAPA FRANCISCO ENVIOU UMA mensagem de louvor ao Fórum Económico Mundial e ao seu fundador, Klaus Schwab, dizendo que a reunião anual do grupo em Davos, Suíça, é uma "oportunidade importante" na tentativa mais ampla de "explorar formas inovadoras e eficazes de construir um mundo melhor".


    Francisco não mencionou o nome de Cristo, o catolicismo ou o papel da Igreja na sua mensagem, mas destacou o papel do Fórum Económico Mundial no futuro do mundo e "o processo de globalização"(!!).

A confusão dos catecismos ditos "de São Pio X"

ULTIMAMENTE TEMOS CONSTATADO que há um crescente interesse pelo Catecismo da Doutrina Cristã de São Pio X, publicado no ano 1912. Parece que mais e mais pessoas estão descobrindo que o mais conhecido dito "Catecismo Maior de São Pio X", de 1905 (editora Permanência), de fato não é um "catecismo maior" (no sentido que este título dado posteriormente faz parecer) e nem é da autoria de São Pio X. Mais do que isso, o uso desse catecismo chegou a ser indiretamente proibido por este Santo Papa, tendo sido substituído, justamente, pelo Catecismo da Doutrina Cristã de 1912. Para os que não conhecem essa história, explico...

Da Caridade e da Justiça de Deus: nós não devemos tratar os lobos como ovelhas


A DOUTRINA DE NOSSO Senhor Jesus Cristo está repleta de verdades que aos desavisados podem às vezes parecer antagônicas, mas que, entretanto, examinadas com atenção, longe de se desmentirem umas às outras, completam-se reciprocamente, formando uma harmonia maravilhosa. É este o caso, por exemplo, da aparente contradição entre a Justiça e a Caridade divinas.

Constituição Dogmática PASTOR AETERNUS – de SS. o Bem-Aventurado Papa Pio IX

VIVEMOS TEMPOS DE APOSTASIA generalizada e grande confusão na Igreja, com ações e pregações aberrantes da parte daqueles que deveriam ser os nossos fidelíssimos pastores, mas que ao invés disso nos desnorteiam. Nestes tempos em que os leigos católicos, querendo se manter fiéis à "Roma Eterna" e à Sã Doutrina cristã e católica, desprovidos de uma autoridade confiável que os guie em segurança, dividem-se em grupos que sustentam posições diversas e opiniões conflitantes (como vimos em nossa série especial – acesse), identificamos que a grande dificuldade para se encontrar alguma solução está na questão da infalibilidade papal, mais do que em qualquer outra coisa.

    Todos concordam (e todo católico está obrigado a isso) que a infalibilidade do Papa é uma verdade de Fé, porém muitos não compreendem que essa infalibilidade não se restringe exclusivamente ao que é definido solenemente, mas também se aplica à condução da Igreja pelo Romano Pontífice em tudo que toca à doutrina e a moral: esta segunda verdade é constantemente posta em xeque nos nossos dias, justamente porque alguns não encontram essa definição da Igreja, ao menos exposta assim literalmente. Mas será que ela não existe?

8/1/2024 | Do beijo erótico ao ato sexual explícito: descoberto outro livro oculto do Cardeal "Tucho"

"Se os teus olhos forem sãos, todo o teu corpo terá luz; se, porém, os teus olhos forem doentes, todo o teu corpo estará em trevas. Pois, se a luz que há em ti são trevas, quão espessas trevas serão!" (Mt 6,23)


A JORNALISTA VATICANISTA DIANE Montana acaba de divulgar a redescoberta de um livro praticamente pornográfico escrito pelo cardeal "Tucho" Fernández, publicado no México, em 1998, sob o título "A Paixão Mística. Espiritualidade e sensualidade", reencontrado agora por um blog argentino e replicado em diversos meios de comunicação.

    
Como aconteceu no caso de "Cura-me com a tua boca. A arte de beijar", publicado pelo então Pe. Víctor Fernández em 1995 na Argentina, "A Paixão Mística" não consta da lista de obras divulgada pela Sala de Imprensa do Vaticano em 1º de julho de 2023, quando de sua nomeação como novo prefeito do Dicastério para a Doutrina da Fé, num claro caso de acobertamento.

    Os três últimos capítulos desse livro são os de conteúdo mais polêmico: em “Orgasmo masculino e feminino”, "Tucho" apresenta a sua análise de “como homens e mulheres experimentam o orgasmo e qual é a diferença entre um orgasmo masculino e um orgasmo feminino”, com todos os detalhes eróticos e mesmo ginecológicos que seria de se esperar em uma obra pornográfica, os quais nos recusamos a replicar aqui por respeito aos nossos leitores, mas que podem ser encontrados mediante uma breve pesquisa na internet.

    Há uma pressão internacional, especialmente da parte de grupos laicos, pela renúncia de Fernández. Seja como for, a situação dos famosos "passadores de pano" deste catastrófico pontificado fica cada vez mais complicada...



_____
Fonte:
Davi Ramos, "Reaparece polémico libro sobre “espiritualidad y sensualidad” del hoy Cardenal Víctor Fernández", para a ACI Digital, disp. em:
https://aciprensa.com/noticias/102636/reaparece-libro-la-pasion-mistica-espiritualidad-y-sensuali/dad-del-hoy-cardenal-victor-fernandez/
Acesso 8/1/2024.

Ainda sobre o caso do raio que tirou a Chave da mão de Pedro: aos que insistem em duvidar da autenticidade do fato

ENTENDO PERFEITAMENTE A DIFICULDADE que muitos experimentam para crer numa notícia assim tão impressionante, porque se trata de algo que traz uma mensagem tão clara – e que muitos não querem de modo algum admitir – que de fato é muito custoso acreditar. Eu também recalcitrei em aceitar que tal coisa pudesse mesmo ser verdade; mas realmente sabemos agora que não existe a menor possibilidade de a notícia não ser verdadeira. Nós o checamos exaustivamente e, sim, entramos em contato diretamente com o Santuário, que, na realidade, responde com uma mensagem padrão (genérica e escorregadia) que os padres redigiram para a Imprensa, admitindo o fato mas negando comungar das interpretações simbólicas que lhe estão sendo atribuídas. Nada além do esperado.

Atualizado em 5/1/2024 | Raio cai do céu e destitui da estátua de São Pedro a Chave-símbolo da autoridade papal: na terra de Francisco, no dia do seu aniversário, um dia antes do seu maior escândalo!


NOTA PRÉVIA: Dadas certas reações em nossas redes sociais, lembramos a todos que somos uma fraternidade composta por profissionais de comunicação e professores responsáveis, e que não divulgamos nada antes de confirmar toda informação que nos chega. Estamos há 15 anos em atividade e prezamos pela idoneidade do nosso trabalho. Nós entramos em contato diretamente com o Santuário, que pelo seu canal de atendimento confirmou em nome dos padres a notícia, embora não compactuem da interpretação que lhe está sendo dada. De fato, os sacerdotes do Santuário emitiram um comunicado público que rejeita a interpretação simbólica do fato, mas confirma o fato em si. Além disso, nossas fontes são o jornalista Andrea Cionci (autor do livro 'Código Ratzinger'), que tem a confirmação do Revmo. Pe. Justo Lofeudo e do clero do próprio Santuário, além do Dr. Taylor Marshall (vídeo abaixo) e do portal Novus Ordo Watch e o Life Site News, com o Instituto Lepanto e a CatholicVote, além de um grande e crescente número de outras agências de notícias que a divulgaram.

    Acrescentamos que surgiram variações da notícia, sendo a principal a do blog "The Reproach of Christ", de Ron Conte, dando conta de que a auréola em forma de coroa havia sido removida antes do raio – mas este também confirma a ocorrência do raio que fulminou da mão de Pedro a chave, na data e da forma como noticiamos (leia o artigo de Conte, atualizado, aqui). As chaves, como todos sabemos, são o símbolo máximo da autoridade de Pedro sobre a Igreja, com a qual o Apóstolo recebeu de Cristo a autoridade para ligar e desligar na Terra o que seria ligado e desligado no Céu (Mt 16,18-19).   

    Um fato novo e muito importante (e que não tive tempo de informar ao Lorenzo antes de ele finalizar a edição do seu vídeo): o comentarista católico Anthony Stine (site 'Return to Tradition') publicou na segunda-feira que, como vimos, de acordo com pesquisadores independentes, embora um raio tenha realmente atingido a chave e a mão direita da estátua em 17 de dezembro, a auréola da estátua já estava "desaparecida" desde setembro de 2018. Um "desaparecimento" muito estranho, não? Vejamos isso melhor…

    O Life Site News noticiou que "fotos anteriores a setembro de 2018 mostram a estátua com a auréola. Mas as fotos do final de setembro de 2018 mostram-na sem ela, conforme relatou Stine. O mesmo Stine sugeriu que "o momento da destruição [??] da auréola é significativo, porque em 18 de setembro de 2018 Francisco promulgou a Constituição Apostólica Episcopalis Communio, que 'anunciava a intenção de destruir a Igreja Católica tal como até então existia, e substituí-la pela dita 'igreja sinodal".

    Stine notou ainda que "alguns observadores descreveram a Episcopalis Communio como uma implementação da exortação apostólica Evangelii gaudium por Francisco, na qual expressou a sua intenção de remodelar profundamente todas as estruturas eclesiais, para que se tornem mais missionárias”.

    Um fato realmente intrigante, para dizer o mínimo, e que não para de adquirir novos contornos, todos os dias. Em tempo: soubemos desta notícia apenas dois dias depois do ocorrido, mas não a publicamos na ocasião, porque considerávamos que se tratasse de algo falso, inventado, já que fomos postos diante de algo quase inacreditável e que nos parecia muito suspeito, dada a clareza da mensagem que um fato assim estaria dando ao mundo. Agora, porém, vemos que ainda mais incrível é a postura de alguns negacionistas que, inconformados com o ensejo que nos traz tão preocupante acontecimento, querendo desesperadamente negar a realidade que os desagrada, insistem em teorias ridículas, dizendo até que os padres do Santuário estariam mentindo a respeito. Estes nos fazem lembrar do que sempre aconteceu nos casos das aparições marianas, por exemplo, com a ação desses grupos que queriam a todo custo negá-las, dizer que era tudo falso, delírio dos videntes, etc. Os sinais do Céu são sempre negados pelos que não têm verdadeira Fé: aos que simplesmente não querem crer, nada os convencerá. 

    Mas se o caso em questão não passar de apenas mera coincidência (sim, sempre temos que considerar todas as possibilidades), bem, temos que dizer então que terá sido uma das maiores coincidências da História.  


Esta mensagem é a declaração padrão dos padres dada à Imprensa sobre o ocorrido.

NO DOMINGO, 17 de DEZEMBRO de 2023 – DIA do aniversário de Bergoglio/Papa Francisco –, um raio atingiu o Santuário de Nossa Senhora do Rosário de São Nicolau, ao norte de Buenos Aires, Argentina  – terra natal de Bergoglio/Papa Francisco –, e atingiu em cheio a estátua de São Pedro localizada na fachada do prédio. A imagem, todavia, permaneceu praticamente intacta (á exceção da mão direita), mas literalmente retirou das mãos de Pedro as Chaves que ostentava. Inicialmente a notícia dava conta de que também a auréola em forma de coroa havia sido também destruída pelo raio, mas novas informações dizem que esta havia sido removida antes da ocorrência. Isso aconteceu um dia antes da publicação do documento assinado por Bergoglio/Papa Francisco que autoriza as bênçãos a duplas homossexuais, decretando, na prática, que a santa Igreja abençoe o pecado. Um observador atento destacou em redes sociais que a mão direita, usada para as bênçãos, é a mão que na estátua de São Pedro foi pulverizada. 

    Ainda outro detalhe importante de se observar é que a localização da imagem no edifício torna praticamente impossível que um raio naturalmente a atingisse: a estátua se localiza numa área baixa, e bem acima dela o prédio conta com não um, mas três para-raios que protegem o entorno: diversas matérias publicadas recentemente o demonstram e podemos vê-lo com clareza na imagem abaixo. Um sinal do Céu? Parece praticamente impossível não associar as coisas e não entender o claro sentido que pode haver por trás do fato. Impressionante que a imagem não tenha sido destruída, mas que exata e exclusivamente o símbolo da autoridade papal sobre a Igreja tenha sido retirado dela por um raio. Mais impressionante é que isso tenha acontecido na pátria de Francisco. Ainda mais impressionante é que isso tenha se dado no dia do seu aniversário e um dia antes do seu maior escândalo até aqui.

As setas em amarelo apontam os para-raios; a seta em vermelho indica a localização da imagem atingida. A possibilidade de algo assim acontecer "naturalmente", tanto pela localização da estátua quanto pela proteção tão próxima e muito mais elevada, é quase zero (clique sobre a imagem para ampliá-la).

Para continuar a leitura, com informações extras e ter acesso às fontes confiáveis dessa notícia,
acesse aqui nossa plataforma exclusiva






4/1/2023 | "Tucho" Fernandez, em nota, tenta esclarecer a Fiducia Supplicans: "Calma..."

APÓS A GRANDE COMOÇÃO gerada pela publicação do documento Fiducia Supplicans, e por conta da enorme crise por este gerada, inclusive com a reação maciça de bispos e muitas conferências episcopais em diversas partes do mundo (veja), o Dicastério para a Doutrina da Fé publica agora supostos "esclarecimentos" (em 5 páginas!) sobre o inexplicável documento. 

Missa de Sempre ou Missa do Século XVI? – História da santa Missa dita 'Tridentina'


VEIO EM BOM MOMENTO o prof. Lucas Lancaster nos oferecer uma palestra de esclarecimento, em vídeo, a respeito deste tema sobre o qual já nos debruçamos e esclarecemos por aqui, há algum tempo. Afinal, em termos históricos e de história da liturgia, é correto dizer que a Missa dita tridentina é a Missa de Sempre, como sempre foi entendia e celebrada pela Igreja, ou essa Missa remonta ao século XVI? É correto afirmar que se trata um rito já em uso na Igreja desde os seus primórdios ou foi elaborada pelo Papa São Pio V?

    Para aprofundar esta questão, com indicação de fontes e farta referência bibliográfica, leia o nosso artigo "'Missa de Sempre' – Faz sentido essa expressão?", acessando este link. Segue abaixo o vídeo do prof. Lancaster.

    
Subir