Só os católicos se salvam? – Há ou não há salvação fora da Igreja?


Recebemos do leitor que se identifica como "Rafael", em nosso post "Réplicas da Arca da Antiga Aliança e outras insanidades", os comentários que reproduzimos abaixo:

Henrique, uma duvida, se eu não for católico, eu não tenho salvação, é isso?? (...) Realmente está complexo essa linha de pensamento, porque isso é muito "limitado" você representar Cristo à Igreja Católica, acredito sim que você precisa da Igreja de Cristo, precisa estar no corpo, unidos, mas logo vocês falam q a unica Igreja de Cristo é a Católica, falo com amor e respeito, "muito complicado, egoísta essa linha de pensamento, dizer: "pra salvar, eu preciso estar ligado a Igreja, a unica Igreja de Cristo, a Igreja Católica. Penso muito naquela passagem de Mateus 12:30 - Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha. Somos de Jesus, acreditamos em Cristo, como nosso Senhor e Salvador, então fico triste com essas jargões, sou da Igreja Batista, e sou muito amado, muito bem cuidado, ali aprendo, escuto a palavra de Deus, aumento minha fé, porque a fé vem pelo ouvir, faço parte do Corpo de Cristo, e não sou "Católico", a Salvação é Dom de Deus, Efésios 2:8 - Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Efésios 2:8 - Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus."

HONESTAMENTE, RAFAEL, não entendo suas críticas. Você me pegou num dia em que estava completamente sem tempo e, como eu não gosto de fazer nada mal feito ou pela metade e não poderia lhe responder como se deve naquele momento, para não deixá-lo sem resposta, tentei indicar outras fontes confiáveis onde você pudesse esclarecer suas dúvidas. Vejo, porém, que você não se aquieta, – continua insistindo e repetindo em vários comentários seguidos que somos egoístas, que achamos que só nós é que seremos salvos, que isso não combina com o Amor de Jesus, e mimimimi (como diz meu filho de 15 anos, não leve a mal, é uma brincadeira)... Bem, você conseguiu: vou responder aos seus comentários em forma de post, tentando deixar as coisas bem fáceis.

Em primeiro lugar, você me pergunta se fora da Igreja existe salvação. Bem, sendo este aqui um site católico – e creio que isso esteja bem claro –, se você vem aqui fazer essa pergunta, evidentemente está buscando a resposta católica. Muito bem. A resposta católica para esta pergunta, a qual ninguém é obrigado a adotar, porque cada indivíduo está obrigado a observar, antes de tudo, à sua própria consciência (e isso é parte da própria doutrina católica), é a seguinte: sim e não. Isso mesmo. Por isso eu disse que essa questão, apesar de simples, é de complexa explicação. Vou tentar esclarecer em poucas palavras:

1. Imagine um índio que nasceu e viveu toda a sua vida numa tribo isolada, que nunca teve contato com a civilização. Ele nunca ouviu falar em Jesus Cristo, nem na Igreja, nas Escrituras, em Batismo ou qualquer outro Sacramento. Será que ele está condenado ao inferno, por não pertencer à Igreja? O que a doutrina católica diz é que este homem não será condenado por sua ignorância e por não pertencer à Igreja, já que não haveria como ser diferente. Este homem será julgado por sua boa ou má vontade, pela sua disposição interior. Ele poderá, sim, ser salvo, por meios que só Deus conhece. Ponto.

Até aqui, sem dificuldades; demonstramos um lado da questão. Mas há um "porém" muito importante. A outra face da mesma questão é que, enquanto cristãos, cremos que mesmo aquela pessoa, que nunca ouviu falar em Jesus ou na sua Igreja, se for salvo, será mediante o Sacrifício de Nosso Senhor, ainda que, por assim dizer, de modo indireto. Por quê? Porque foi o Cristo e exclusivamente o Cristo quem possibilitou esta religação (religare/religião) a Deus, esta remissão, este resgate da alma humana ferida pelo Pecado original, para retornar à Casa do Pai e à Comunhão com seu Criador.

A esta situação muito específica, das pessoas que não tiveram a possibilidade de conhecer a Igreja, a Teologia chama “ignorância invencível”. Como o próprio nome diz, é um desconhecimento a respeito dos meios que propiciam a salvação, que o indivíduo simplesmente não tem condições de superar. Em certos casos (embora aqui estejamos tratando de uma questão muito delicada, com desdobramentos muito próprios e que precisaria de uma análise mais apurada), poderíamos aplicar esta mesma condição a uma série de outros casos, como o das pessoas que foram induzidas desde a infância a crer em falsas doutrinas, e o dos simplórios, que por sua incapacidade intelectual não conseguem discernir o certo e o errado, e outros ainda.

Claro até aqui? Cremos que, para alguém que se define como "cristão", não é tão complicado aceitar que todo aquele que chega a se salvar, é sempre por meio do Sacrifício Redentor de Nosso Senhor Jesus Cristo. Muito bem, vamos então ao segundo ponto:

2. A grande dificuldade que você encontra, que transparece nos seus comentários, está no ato de diferenciar o Cristo e a sua Igreja. Assim, se eu digo que a salvação só é possível por Jesus Cristo, você por certo concordará comigo. O problema é que você não identifica Cristo à sua Igreja. Para você, basta ler a Bíblia, interpretá-la de modo particular, ouvir uma pregação aqui, cantar um louvor e fazer as suas orações ali, e pronto: você já se considera "cristão" e membro do Corpo de Cristo.

Nós católicos, não entendemos assim. Nós cremos, muito concretamente, que a Igreja é a continuidade histórica do Mistério da Encarnação de Jesus Cristo no mundo. Falando de modo mais simples, a Igreja é a continuação de Jesus Cristo no mundo. Jesus está no Céu, mas continua no mundo, em sua Igreja.

Deus tomou forma humana e veio nos salvar. Por isso – atenção –, não é pela pregação, por mais bela que seja, que somos salvos. Também não é por meio de alguma "fórmula mágica" que Jesus ensinou, ou algum poder especial que Ele nos dá. Não. A salvação se dá pela Pessoa de Jesus Cristo, Deus Filho, Senhor, Redentor e Salvador nosso. Sendo assim, nós, católicos, não cremos que toda religião salva, que toda religião é igual ou que todas tem o mesmo valor, como dizem por aí. O homem não é capaz de alcançar Deus por seus próprios esforços. E, no entanto, é isso que todas as outras religiões representam: o esforço humano para alcançar Deus.

Essa tentativa dos seres humanos de alcançar Deus por seus próprios esforços vem desde a Antiguidade e a história da Torre de Babel o revela, quando mostra os homens que (metaforicamente ou não) tentaram erguer uma torre alta o suficiente para alcançar o céu, onde imaginavam que Deus habitava. Pois desde aqueles tempos antiquíssimos o homem não aprendeu a lição: ele ainda acha que pode chegar até Deus pelos seus méritos, seja estudando muito, conversando com "espíritos" ou lendo e interpretando a Sagrada Escritura por conta própria. Mas tudo isso é inútil! Só Jesus salva! E este mesmo Jesus nos deixou a sua Igreja, una e indivisível, que é seu próprio Corpo, sendo Ele mesmo a Cabeça, para a nossa salvação.


Pacino Di Bonaguida – 'A Árvore da Vida'

Mas, muita atenção, estamos falando de uma Igreja –, a Igreja –, e não de "muitas igrejas" inventadas por homens, cada qual seguindo as diferentes interpretações particulares que os seus "pastores" e "pastoras" fazem das Escrituras, cada uma ensinando doutrina diferente das outras. O Espírito Santo não se contradiz a si mesmo, então, como poderia estar em todas as "igrejas" – se umas creem em coisas completamente diferentes das outras?

Por exemplo, umas ensinam que o batismo é necessário para a salvação, outras ensinam o contrário; umas admitem o batismo de crianças, outras dizem que isso é um absurdo; umas admitem o divórcio, outras dizem que Deus não o admite; umas guardam o sábado e ensinam que isso é muito importante, outras guardam o domingo e outras não guardam dia nenhum; umas são adeptas das orações barulhentas, com altos berros e pesados instrumentos musicais nos seus louvores, outras dizem que isso é contrário à Bíblia, que prescreve que tudo no culto a Deus deve ser feito com ordem e decência (1Cor 14,40), etc, etc...

E já que você se declara batista, veja neste link do que estou falando, ou então faça uma rápida pesquisa na internet e descubra as opiniões das outras "igrejas" sobre os batistas. São críticas pesadíssimas! Mas se consultarmos os próprios batistas, estes terão também severas críticas a fazer às outras denominações. Neste ponto, então, eu é que lhe faço uma pergunta: como é que Deus poderia estar em todas as diferentes "igrejas", se umas contrariam as outras, se cada uma tem a sua própria doutrina, e umas consideram as outras como heréticas? Se o Apóstolo nos garantiu que a Igreja de Cristo tem um só Senhor, uma só Fé e um só Batismo (Ef 4,5)? Você não percebe que alguma coisa está muito errada, aí?

Esse desencontro entre denominações protestantes ou ditas "evangélicas" sempre aconteceu, acontece e vai continuar acontecendo, e você consegue compreender o porquê? Ora, isso acontece porque todas elas caem no mesmo erro primordial, que é observar somente a Bíblia como única regra de fé e prática. Porque a Bíblia, mesmo sendo o Livro sagrado dos cristãos, mesmo sendo Palavra de Deus por escrito (já que os seus textos foram divinamente inspirados), assim como todo livro, para ser compreendido, depende de uma correta interpretação. Evidentemente existe uma interpretação correta das Sagradas Escrituras e muitas interpretações erradas –, algumas simplesmente equivocadas, outras completamente absurdas –; por isso é que a própria Bíblia, em passagem alguma, se declara como a única e exclusiva regra dos cristãos, mas elege a Igreja como “a Casa do Deus Vivo” e “a coluna e o sustentáculo da Verdade” (1Tm 3,15). Por isso é que Jesus jamais nos orientou a observar exclusivamente a Bíblia, mas disse claramente que não adianta apenas examinar as Escrituras para se chegar a Ele (João 5,39-40). E é por isso que o Senhor deu autoridade a Pedro e aos outros Apóstolos, conferindo-lhes autoridade sobre a sua Igreja e até mesmo o poder para perdoar ou reter os nossos pecados. 

Retomando o nosso raciocínio central, nós sabemos e entendemos que só Jesus salva, e por quê? Porque somente Ele é Deus, que se fez homem e uniu, nEle mesmo, a humanidade a Deus. Ele é a Ponte entre Deus e os homens, porque Ele é a um só tempo as duas coisas: em uma Pessoa, estão a divindade e a humanidade. Assim, só há um modo de o homem ser salvo, que é morrer e nascer novamente em Cristo, e viver em Cristo, ser em Cristo, comungar com Cristo, ser parte do Corpo de Cristo... Que é a Igreja!

Ora, a Igreja é o próprio Corpo de Cristo! Quando S. Paulo Apóstolo teve a visão do Senhor, ouviu a sua voz, que lhe dizia “Por que me persegues?”. – Mas a quem Paulo estava perseguindo? A Jesus? Sim! Mas como isso seria possível, se Jesus já havia sido crucificado e morto, se já estava no Céu, à Direita do Pai, em Glória inacessível? Como Paulo podia perseguir Jesus? Ele podia fazê-lo porque Jesus, mesmo estando no Céu, estava ao mesmo tempo aqui na Terra: Paulo perseguia a Igreja, o Corpo do Senhor, cuja Cabeça é Ele próprio; Igreja que á a continuidade de Cristo no mundo. Por isso, ao perseguir a Igreja, Paulo perseguia o próprio Jesus. Por isso, o Senhor não lhe disse: “Por que persegues os meus servos?”, ou “Por que persegues os meus seguidores?”. Não. O Senhor diz: “Por que ME persegues?”. Perseguir a Igreja é perseguir Jesus, porque a Igreja É Jesus.

Sendo assim, não se trata de frequentar a comunidade batista, calvinista, luterana, presbiteriana, anglicana, adventista, universal, mundial, internacional, quadrangular, etc, etc, etc... Trata-se de pertencer à única Igreja que foi instituída por Nosso Senhor Jesus Cristo, Filho de Maria virgem, Filho de Deus e Deus, Senhor e Salvador de todos.

Você participa dos cultos na “igreja” batista, ouve as pregações do "pastor", estuda a Bíblia por lá e se sente muito bem e acolhido? Sinto muito, mas a "sua igreja" foi fundada por John Smyth, em 1604, na Holanda, que já começou errado: estudando a Sagrada Escritura por conta própria, sendo que a própria Escritura diz que, antes de tudo, devemos saber que “nenhuma profecia da Escritura é de interpretação particular” (2Pd 1,20).

E então, qual será a Igreja chamada pela própria Escritura de "Noiva do Senhor" (Ap 21,9), "Corpo de Cristo" (1Cor 10,16), “Casa do Deus Vivo” e “coluna e o fundamento da Verdade” (1Tim 3,15)? Ora, que Igreja existia no tempo em que estas palavras foram escritas, sob a inspiração do Espírito Santo? A única, una e indivisível Igreja fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo, que é católica (universal), apostólica (guarda a Tradição dos Apóstolos) e hoje romana (porque sua sede primacial está em Roma).

Então, se você aceita e confessa que sem Jesus não há salvação, você está a meio caminho de compreender porque para nós, católicos, sem a Igreja não há salvação. E que só pode haver uma Igreja, e não "muitas igrejas" com muitas doutrinas, que se contradizem e disputam entre si. A IGREJA DE CRISTO não é instituição humana,  não é empresa, não é salão alugado ali na esquina, não é um nome criativo numa placa. Sim, a Igreja é composta por homens, e os homens que a compõem são sempre falhos, e desde os Apóstolos sempre houve problemas. Mas a Igreja é, igualmente, o próprio Senhor Jesus Cristo que continua conosco hoje, agora, no mundo. É neste sentido, fundamentalmente, que cremos que "fora da Igreja não há salvação"; simplesmente porque fora de Cristo não há salvação.

Finalizando, quando você diz que acha "egoísta essa linha de pensamento", eu lhe respondo: se é egoísmo crer em Nosso Senhor e integrar a sua Igreja, ser membro do seu Corpo, como acabei de demonstrar, então continuarei sendo egoísta com muita alegria, entrega e amor. E também continuarei respeitando quem pensa diferente, quem não adota a mesma fé, porque é Deus mesmo quem nos dá o direito de escolher o que quisermos para as nossas vidas: o bem ou o mal, a luz ou as trevas, a vida ou a morte. Não tenho e nem posso ter a pretensão de privar alguém da dádiva divina da liberdade. Mas continuarei trabalhando para que todos entendam que respeitar não é o mesmo que abdicar da obrigação que temos, enquanto cristãos, de defender a verdade. Deus o ilumine e salve!
www.ofielcatolico.com.br

44 comentários:

  1. cada dia que passa gosto mais do blog....
    Que Deus o Proteja...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei porque aprendi muito sobre as escrituras. Jesus também disse: um Reino não pode estar dividido entre si. O diabo trabalha por meio de divisão; Deus trabalha por meio de Unidade. Eis a diferença.

      Excluir
  2. Cheguei a conclusão que devemos parar com qualquer dialogo com protestantes, não tem como continuar dialogar com gente que pela frente nos chamam de irmãos e por trás nos soltam os cachorros. Ontem (12/06/2014) estava passeando pelos canais de TV, e parei na RIT, TV do pastor R.R. Soares, e estava passando um debate entre dois pastores que estavam discutindo sobre a marca da besta, um era da Assembleia de DEUS e outro era Metodista. O pastor da Assembleia de DEUS defendia que a besta, o anti cristo ainda viria, ao passo que o pastor Metodista, com uma interpretação bem semelhante da Igreja Católica, colocou que a besta já venho e foi o imperador Nero e depois Domiciano. Até aí tudo bem, porém, como em todo debate protestante, em que mesmo entre dois pastores discordantes em um assunto, sempre sobra uma indireta um tapa com luva de pelica contra a Igreja Católica, pois no grande finale, o pastor Metodista que foi bem na exposição em dizer que a besta o anti cristo que o Livro do Apocalipse identifica, foram os imperadores Nero e Domiciano, venho com aquele estória em dizer que como a história continua, foram surgindo outras bestas, outro anti cristos, e por final colocou que os papas da época de Lutero, o qual este foi até condenado pela terrível inquisição, também foram de uma certa forma bestas e anti cristos descritos no livro do Apocalipse por condenar Lutero e perseguir os cristãos. Diante destas palavras deste tal pastor metodista, fiquei indignado, é sabido que os papas daquela época não eram santos, tanto que o pessoal do Catequista esta trazendo algumas matérias e respeito dos papas daquela época como Alexandre VI, Julio II, Leão X, e apor aí afora, agora,compara eles com a besta e o ati cristo do Apocalipse já é passar dos limites. Estes papas mesmo com seus erros , no entanto, ficam longe de muitas bestas e anti cristos que surgiram aos longo da história como Hitler, Stalin ou Mao Tsetung, que muito maus fizeram a humanidade do que estes papas todos juntos, e é incrível que este pastor esqueceu que o doce Lutero também escreveu uma obra chamada: “Contra os judeus” o qual influenciou para que uma besta e anti cristo chamada de Adolf Hitler viesse perseguir e matar cerca de 6 milhões de judeus , isto este senhor pastor não cita, faz de cego, surdo e mudo e finge que isto nunca aconteceu, fora também as perseguições e mortes apoiadas pelos reformadores daquela época, como Lutero e Calvino, havendo de uma certa forma, também uma inquisição protestante. Frequentava o blog do Julio Severo, o único blog protestante que colocava os pés para ler as matérias que lá eram postadas, porém, desde setembro do ano passado deixei de frequentar aquele blog, por justamente o Sr. Julio Severo ter mostrado suas garras e dentes após ter colocado uma matéria atacando a Igreja Católica por causa da inquisição. Por isto os católicos deveriam deixar de frequentar blogs e sites protestantes, porque, mais se frequentam estes ambientes protestantes, mais ibope eles ganham, e ibope de católicos é o que eles menos merecem. Deixemos os protestantes de lado , cuidemos de nossa igreja, das ovelhinhas que ficaram por aqui, aquelas que forma embora, que fique por lá, apenas que oremos para que eles voltem para kA, e quando eles quiserem voltar, as igrejas tem normalmente de 5 a 7 portas abertas para eles voltarem, e se não quiserem , que fique por lá mesmo.

    Anonimo Sidnei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça e Paz!

      Sidnei, já fui no Blog do Severo e não gostei muito de lá não. Temos blogs melhores entre os protestantes. Claro que eventualmente haverá críticas à Igreja Católica, mas esse não é o foco de um blog sério. Aqui mesmo, há críticas à Igrejas Evangélicas, muitas inclusive eu concordo. Mesmo que eu não concorde, aprecio o modo como as ideias são expostas. Eu não preciso concordar com tudo para aprender mais, conhecer melhor o pensamento do outro e até reavaliar conceitos. Tudo isso fiz por aqui. Até porque são explicados os motivos da discordância, passo a passo e de forma respeitosa.
      Eu até comecei um blog, mas faz meses que não posto mais nada. Tenho falta de tempo e até de conhecimento para as postagens que eu gostaria de fazer. Mas pretendo retomar a ideia e te convido a participar! E ao Henrique também!


      Excluir
  3. "Sim e não, não e sim." Na verdade é só sim. Só se salva quem indieretamente ou diretamente, pertence à Igreja. Pois assim como todos se salva, por Cristo , quem está com Cristo está com a Igreja. Mesmo que disto não tenha consciencia ou quando não tem culpa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi exatamente o que eu tentei dizer, de um outro modo.

      Ora, aquele que não tem entendimento nem culpa não vai à Igreja, não se declara católico, não se batiza, não comunga Corpo e Sangue do Senhor, não recebe os Sacramentos. E mesmo assim poderá ser salvo, Nesta perspectiva é que a resposta, em um certo sentido, pode ser não. – Mas não é, de fato. – Como você disse, no mais profundo a resposta para a pergunta é sempre sim.

      Abraço fraterno e a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  4. Se eu lesse esse texto em outro blog jamais apostaria que um católico quem o escreveu.
    Por quê?
    Porque apesar de não gostar de definir denominações, sempre tive forte inclinação à visão "evangélica", e estou acostumada com as reclamações de sempre contra os católicos.
    Ainda não tinha parado pra imaginar que a mesma acusação seria uma via de mão dupla - ou seja, é possível que dois extremos julguem um ao outro exatamente pelas mesmas razões.
    Confesso que fico extremamente feliz ao ler isso, pois não estou tão preocupada com nome da igreja (quatro paredes), mas sim se existe A Igreja (maiúsculo mesmo, o corpo de Cristo).Me consola ver que o nome de Cristo foi glorificado, e incremento minha simpatia pelos católicos.
    Tem católico que não sabe de nada (inocente)? Sim. Mas tem evangélico deturpando o Evangelho de maneiras horrendas por ai..
    Ainda bem que no Reino não tem divisão ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flávia França,

      Fico muito feliz e dou graças a Deus pela dádiva de poder ter participado, de algum modo, no processo de abertura da sua consciência.

      Tem católico que não sabe de nada (sobre sua própria religião), sim, assim como tem "evangélico", espírita, umbandista e etc que não sabe exatamente em que crê. – Mas eu percebo que você, assim como muitos milhares de pessoas, hoje em dia, estão sendo doutrinadas na cultura protestante que toma conta da nossa sociedade, e vem alimentando uma série de preconceitos contra a Igreja Católica. Preconceitos que são tomados como verdades; e o mais triste é que essas pessoas nem tentam aprender, não buscam a verdade dos fatos antes de formar opinião.

      Hoje existe muita deturpação dentro da própria Igreja Católica também, sendo praticada inclusive por padres e até bispos. Mas o grande Santo Atanásio já havia solucionado esse mistério lá no longínquo século IV:

      "Ainda que os católicos fiéis a Tradição se reduzam a um pequeno punhado, serão estes a verdadeira Igreja de Cristo."

      O que você lê aqui é simplesmente a doutrina eterna da Igreja Católica, que vem sendo mantida e observada desde o tempo dos Apóstolos, como diz a Escritura:

      "Então, irmãos, estai firmes e guardai a Tradição que vos foi ensinada, seja por palavra (Tradição), seja por epístola nossa (Bíblia).” (2 Tessalonicenses 2, 15)

      “Em Nome de nosso Senhor Jesus Cristo, apartai-vos de todo irmão que não anda segundo a Tradição que de nós recebeu.” (2 Tessalonicenses 3,6)

      Traições e heresias sempre existiram na Igreja, desde o começo, e por certo sempre existirão. – E o próprio Senhor Jesus nos advertiu sobre isso. Já no primeiro grupo de cristãos, com apenas doze homens, já existia a covardia, que levou Pedro a renegar o Senhor; a incredulidade, de Tomé que precisou ver para crer, e um traidor completo, Judas. Tudo isso entre apenas doze, que foram escolhidos pelo próprio Salvador! Imagine hoje, entre os mais de 1 bilhão de católicos?

      Mas o Cristo também prometeu que estaria com a sua Igreja até o fim dos tempos, e que o inferno não prevaleceria contra ela.

      Se você visitar a nossa página de sites referência para pesquisa católica, verá que não somos os únicos. Há abundante material ali para consulta e estudo, para aprender o que é a Igreja de fato. Endereço abaixo:

      http://www.ofielcatolico.com.br/2001/01/lista-de-websites-referencia-para.html

      Abraço fraterno e a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. Olá Henrique.
      A Paz do Senhor e a Sabedoria Divina esteja sempre contigo.
      Por acaso você já estudou e/ou até escreveu sobre o pequeno número dos que se salvam?

      Excluir
  5. Este daqui é um daqueles estudos que só o Henrique escreve, eu só leio neste site. Tenho outros bons sites católicos nos meus favoritos mas o Fiel Católico é o melhor , pelo menos é o que tem as explicações melhores que da pra entender com clareza.
    Este daqui é um daqueles que a pessoa só não entende se não quizer entender. !

    P.E.D.

    ResponderExcluir
  6. HENRIQUE, o PARACLITO leu sua explanaçao.O ESPIRITO SANTO,ungiu os APOSTOLOS com o selo de DEUS, no evento de Pentecostes,que continua na Igreja CATOLICA, a Igreja de JESUS CRISTO VIVO. Quem crer e for batizado sera salvo. (Todo aquele que cre, tem fe ,e, se tem fe aceita o batismo). A virgem MARIA, a MAE SANTISSIMA aceitou o ESPIRITO SANTO de DEUS, DEUS confirmou JESUS CRISTO VIVO como seu FILHO, com ESPIRITO SANTO,e o PARACLITO,tambem e o agente do ESPIRITO SANTO,da PARTE do PAI, em nome de JESUS CRISTO VIVO.. Autor,capitulos e versiculos fica por conta de voces.Quando se procura pelo pote da verdade,sempre,absorve-se mais,fazendo por si mesmo,a partir de uma ou mais indicaçoes.A Paz de JESUS CRISTO desça sobre Vos.

    ResponderExcluir
  7. Belíssima explicação e fiquem na Paz do Cristo.

    ResponderExcluir
  8. Gostei do post e concordo com a mensagem. É como dizia o Santo padre Pio: Fora da Igreja Católica não há salvação.

    ResponderExcluir
  9. Ao longo dos dois mil anos de historia da Santa Igreja Católica, sempre houve dogmas confirmando, que só há uma Igreja de Cristo, uma Igreja verdadeira, que fora dele não há salvação.
    No século III da era cristã São Cipriano já dizia: “Não há salvação fora de Igreja”. Já no próximo século (século IV), a Igreja Católica rezava no Credo de Santo Anastácio: “Todo aquele queira se salvar, antes de tudo é preciso que mantenha a fé católica” (...); e aquele que não a guardar íntegra e inviolada, sem dúvida perecerá para sempre (...) está é a fé católica e aquele que não crer fiel e firmemente, não poderá se salvar".
    Estamos falando de uma só Igreja, aquela a quem Nosso Senhor Jesus Cristo fundou e confio as chaves, deu o poder de ligar e desligar, perdoar ou não perdoar os pecados, apascentar as suas ovelhas, e o Discípulo escolhido por Ele para chefiar a Sua única e verdadeira Igreja, respondeu ao Mestre: “Senhor, a quem iremos? Tu tens palavras de vida eterna”.
    Se queres ter a Vida Eterna, encontrarás da Igreja Católica Apostólica Romana!

    ResponderExcluir
  10. Lindo, adorei toda a explicação, é difícil dialogar com um evangélico, certa vez um frase franciscano falou que aqueles que discutem com um evangélico são loucos, mas o que devemos é fazer isso como o rapaz escreveu acima, com respeito, dialogar, mostrar a verdade, mesmo que doa a outra pessoa, mas é tão difícil, com certeza precisamos do Espírito Santo a nos iluminar pra que falemos como Deus quer e foi isso que vi aqui, graças a Deus.. Eu particulamernte tenho perdido muito a paciência com os evangélicos que só sabem nos ofender, ao Papa, aos santos, e a Nossa Senhora, por isso obrigada, pois me ajudou muito assim como o professor Felipe Aquino sempre ajuda a gente a compreender melhor tudo isso!

    ResponderExcluir
  11. Conheci seu blog ontem e gosto muito de ler textos apologéticos....Parabéns.
    Gostaria de utilizar seu texto para postar no meu face, porém com algumas alterações para tirar daí uma resposta direta a alguém tornando-se assim um estudo Católico muito bom por sinal. Queria saber se você tem algum objeção a isso. Deus te Abençoe e te de paciência rsrs...Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Assis,

      Pode usar o texto, desde que acrescente um link para a nossa página. Se vai fazer alterações, cite a fonte apenas como referência, ou então diga "Adaptado do artigo...".

      Agradecemos pelos elogios e palavras de incentivo.

      Abraço fraterno e a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo por essas palavras e esse post, Henrique cada dia admiro mais o seu trabalho e sua fidelidade a Doutrina Católica Apostólica Romana, Parabéns !

      Excluir
  12. Olá Henrique, seu brog e seu post me ajudaram a tirar muitas dúvidas e gostaria que em outra postagem você explicasse o capítulo 12 vers. 1 ao 6 do livro de Apocalipse pois não entendo quem é aquela mulher que está dizendo nesse texto pois muitas pessoas dizem que essa mulher é Nossa Senhora e se for possível gostaria que você explicasse também o capítulo 19 ao 22 do livro de Apocalipse e me expicasse o que seria a marca da Besta que diz ter a pessoa no livro de Apocalipse se puder me ajudar desde já agradecido. Que Deus te abençoe e Nossa Senhora o proteja.

    ResponderExcluir
  13. Prezado Henrique, há algum tempo, li no Catecismo da Igreja Católica os parágrafos transcritos abaixo (extraído da página
    http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p1s2cap3_683-1065_po.html) em que, pelo meu pouco entendimento, me pareceu que os integrantes de outras igrejas cristãs, batizados, também serão salvos. Fiquei em dúvida se a interpretação é essa mesmo. Como a dúvida é pertinente a essa post, peço encarecidamente sua ajuda para entender esse ponto. Segue a transcrição:

    818. Os que hoje nascem em comunidades provenientes de tais rupturas, «e que vivem a fé de Cristo, não podem ser acusados do pecado da divisão. A Igreja Católica abraça-os com respeito e caridade fraterna [...]. Justificados pela fé recebida no Baptismo, incorporados em Cristo, é a justo título que se honram com o nome de cristãos e os filhos da Igreja Católica reconhecem-nos legitimamente como irmãos no Senhor» (278).

    819. Além disso, existem fora das fronteiras visíveis da Igreja Católica, «muitos elementos de santificação e de verdade» (279): «a Palavra de Deus escrita, a vida da graça, a fé, a esperança e a caridade, outros dons interiores do Espírito Santo e outros elementos visíveis» (280). O Espírito de Cristo serve-Se destas Igrejas e comunidades eclesiais como meios de salvação, cuja força vem da plenitude da graça e da verdade que Cristo confiou à Igreja Católica. Todos estes bens provêm de Cristo e a Ele conduzem (281) e por si mesmos reclamam «a unidade católica» (282).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que você está fazendo comigo, agora, revela falta de caridade, anônimo. Põe-me, deliberadamente, numa situação mais do que difícil...

      Brincadeiras à parte, de fato a questão que você traz é complicadíssima, e espero que saiba que não vai obter uma resposta completa ou satisfatória num comentário de um espaço tão exíguo quanto este.

      Ocorre que esta nova postura da Igreja com relação às comunidades separadas é motivo de muita confusão e das maiores polêmicas envolvendo o Concílio Vaticano II. Por causa destes parágrafos, católicos conservadores mais radicais repudiam todo o novo Catecismo. – Não se pode negar que tais parágrafos revelam uma profundíssima caridade para com aqueles outros que professam a fé em Nosso Senhor Jesus Cristo, e também um devotadíssimo desejo de busca de uma unidade que, se vista sob olhar racional, (infelizmente) se revelará nada mais que utópica.

      É importante notar, entretanto, que exatamente no meio destes parágrafos (§817) há a seguinte observação entre parênteses: "Parágrafo relacionado: 2089".

      Então, para se compreender o sentido do que está se afirmando aí, é preciso contemplar o que diz o Catecismo sobre este mesmo tema mais adiante, como sequência lógica e necessária, a saber:

      "O primeiro mandamento manda-nos alimentar e guardar com prudência e vigilância
      nossa fé e rejeitar tudo o que se lhe opõe
      . Há diversas maneiras de pecar contra a fé.

      A dúvida voluntária sobre a fé negligencia ou recusa ter como verdadeiro o que Deus revelou e que a Igreja propõe para crer. A dúvida involuntária designa a hesitação em crer, a dificuldade de superar as objeções ligadas à fé ou, ainda, a ansiedade suscitada pela obscuridade da fé. Se for deliberadamente cultivada, a dúvida pode levar à cegueira do espírito.

      A incredulidade é a negligência da verdade revelada ou a recusa voluntária de lhe dar o próprio assentimento. 'Chama-se heresia a negação pertinaz, após a recepção do Batismo, de qualquer verdade que se deve crer com fé divina e católica, ou a dúvida pertinaz a respeito dessa verdade; apostasia, o repúdio total da fé cristã; cisma, a recusa de sujeição ao Sumo Pontífice ou da comunhão com os membros da Igreja a ele sujeitos'."
      (CIC §2088/2089)

      Se simplesmente analisarmos o parágrafo que o próprio Catecismo cita como complemento às primeiras afirmações, as coisas ficam um pouco mais claras.

      Vemos que os parágrafos que você apresenta se referem àquilo que em Teologia se chama "ignorância invencível" (e que por si já daria tema para um longo estudo).

      Basicamente, ignorância invencível indica uma condição de falta de conhecimento com respeito a Cristo, à Igreja e à fé que não pode ser superada com um ato de vontade.

      A pessoa está bloqueada, impossibilitada de chegar ao "sim" da fé. Como bem sabemos, as razões pelas quais muitas pessoas dizem não à Igreja de Cristo são múltiplas: desilusões, incompreensões, má catequese, má vontade daqueles que deveriam dar o exemplo, condicionamento cultural/social, etc.

      Pio IX admitiu a dificuldade de delimitar os casos de ignorância invencível, perguntando-se «quem terá o poder de determinar os limites dessa ignorância segundo a índole e a variedade dos povos, das regiões, dos espíritos e de tantos outros elementos? ».

      Sim. Pio IX ensina uma grande prudência e um grande respeito por quem não tem o dom da fé. No fim, não somos capazes de compreender até o fim as razões de uma rejeição da fé, nem podemos saber com certeza se quem aparentemente parece não ter fé, na realidade possui uma forma imperfeita de fé.

      (continua...)

      Excluir
    2. (...conclusão)

      Em todo caso, se heresia é "a negação pertinaz de qualquer verdade que se deve crer com fé divina e católica, ou a dúvida pertinaz a respeito dessa verdade" e cisma é "a recusa de sujeição ao Sumo Pontífice ou da comunhão com os membros da Igreja a ele sujeitos", como é que podemos considerar "irmãos" àqueles membros de certas comunidades que consideram a Eucaristia "apenas um símbolo" (ou 'idolatria a um pedaço de pão') e Maria "uma mulher como qualquer outra", ou, ainda, entre os mais radicais, a Igreja como a "prostituta do Apocalipse" e o Papa "o anticristo"?!

      Claro que nem todas as comunidades separadas proclamam todas estas blasfêmias, mas a verdade flagrante é que a maioria parece admiti-las ao menos em parte ou compactuar com pelo menos uma ou algumas destas.

      Claríssimo que há uma série de graves complicações, aí. Trata-se de uma questão de solução realmente muito, muito difícil, e não há consenso na Igreja quanto a esta problemática.

      Espero ter ajudado a ao menos lançar uma luz inicial sobre tema tão complicado. Encerro com um trecho da Encíclica "Mystici Corporis" (Pio XII):

      "14. Que a Igreja é um Corpo, ensinam-nos muitos passos da sagrada Escritura: 'Cristo, diz o Apóstolo, é a cabeça do corpo da Igreja' (Cl 1,18). Ora, se a Igreja é um Corpo, deve necessariamente ser um todo sem divisão, segundo aquela sentença de Paulo: 'Nós, muitos, somos um só Corpo em Cristo' (Rm 12,5). E não só deve ser um todo sem divisão, mas também algo concreto e visível, como afirma nosso predecessor de feliz memória Leão XIII, na encíclica 'Satis Cognitum': 'Pelo fato mesmo que é um Corpo, a Igreja torna-se visível aos olhos'. Estão, pois, longe da Verdade revelada os que imaginam a Igreja por forma, que não se pode tocar nem ver, mas apenas uma coisa pneumática (apenas espiritual) que une entre si com vínculo invisível muitas comunidades cristãs, embora separadas na fé."

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    3. Igreja Católica Apostólica Romana, instrumento e sacramento universal da salvação!
      “Como sacramento, a Igreja (QUE É CATOLICA, APOSTOLICA E ROMANA) é instrumento de Cristo. "Nas mãos dele, ela é o instrumento da Redenção de todos os homens" o sacramento universal da salvação" pelo qual Cristo "manifesta e atualiza o amor de Deus pelos homens". Ela "é o projeto visível do amor de Deus pela humanidade" que quer que o "gênero humano inteiro constitua o único povo de Deus, se congregue no único Corpo de Cristo, seja construído no único templo do Espírito Santo". (CIC §776)
      “A Igreja é no mundo presente o sacramento da salvação, o sinal e o instrumento da comunhão de Deus e dos homens”. (CIC §780)
      Veja, dois parágrafos antes dos que foram transcritos no seu comentário, do CIC, reza que:
      "A única Igreja de Cristo (...) é aquela que nosso Salvador depois de sua Ressurreição, entregou a Pedro para que fosse seu pastor e confiou a ele e aos demais Apóstolos para propagá-la e regê-la... Esta Igreja, constituída e organizada neste mundo como uma sociedade, subsiste na ( "subsistit in") Igreja Católica governada pelo sucessor de Pedro e pelos Bispos em comunhão com ele":
      O Decreto sobre o Ecumenismo, do Concílio Vaticano II, explicita: "Pois somente por meio da Igreja católica de Cristo, 'a qual é meio geral de salvação', pode ser atingida toda a plenitude dos meios de salvação. Cremos que o Senhor confiou todos os bens da Nova Aliança somente ao Colégio Apostólico, do qual Pedro é o chefe, a fim de constituir na terra um só Corpo de Cristo, ao qual é necessário que se incorporem plenamente todos os que, de que alguma forma, já pertencem ao Povo de Deus". (§816)
      Portando, os que não estão em comunhão com o Corpo Místico de Nosso Senhor Jesus Cristo, não atingiram a PLENITUDE dos meios de Salvação.
      No parágrafo 830 o CIC fala mais sobre os Meios de Salvação:
      A palavra "católico" significa "universal" no sentido de “segundo a totalidade” ou "segundo a integralidade". A Igreja é católica em duplo sentido. Ela é católica porque nela Cristo está presente. "Onde está Cristo Jesus, está a Igreja católica." Nela subsiste a plenitude do Corpo de Cristo unido à sua Cabeça o que implica que ela recebe dele "a plenitude dos meios de salvação" que ele quis: confissão de fé correta e completa, vida sacramental integral e ministério ordenado na sucessão apostólica. Neste sentido fundamental, a Igreja era católica no dia de Pentecostes e o será sempre, até o dia da Parusia.
      Continua...

      Excluir
    4. Continuação...
      A Constituição Dogmática “Lumen Gentium” (sobre a Igreja), do CV II, faz uma belíssima explanação sobre o Colégio dos doze Apóstolos e vínculos da Igreja com os cristãos não-católicos:
      “O Senhor Jesus, depois de ter orado ao Pai, chamando a Si os que Ele quis, elegeu doze para estarem com Ele e para os enviar a pregar o Reino de Deus (cfr. Mc. 3, 13-19; Mt. 10, 1-42); e a estes Apóstolos (cfr. Luc. 6,13) constituiu-os em colégio ou grupo estável e deu-lhes como chefe a Pedro, escolhido de entre eles (cfr. Jo. 21, 15-17). Enviou-os primeiro aos filhos de Israel e, depois, a todos os povos (cfr. Rom. 1,16), para que, participando do Seu poder, fizessem de todas as gentes discípulos seus e as santificassem e governassem (cfr. Mt. 28, 16-20; Mc. 16,15; Luc. 24, 45-8; Jo. 20, 21-23) e deste modo propagassem e apascentarem a Igreja, servindo-a, sob a direção do Senhor, todos os dias até ao fim dos tempos (cfr. Mt. 28,20). No dia de Pentecostes foram plenamente confirmados nesta missão (cfr. At. 2, 1-26) segundo a promessa do Senhor: «recebereis a força do Espírito Santo que descerá sobre vós e sereis minhas testemunhas em Jerusalém e em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra (Act. 1,8). E os Apóstolos, pregando por toda a parte o Evangelho (cfr. Mc. 16,20), recebido pelos ouvintes graças à ação do Espírito Santo, reúnem a Igreja universal que o Senhor fundou sobre os Apóstolos e levantou sobre o bem-aventurado Pedro seu chefe, sendo Jesus Cristo a suma pedra angular (cfr. Apoc. 21,14; Mt. 16,18; Ef. 2,20) (39)”. (Nr 19)
      “A Igreja vê-se ainda unida, por muitos títulos, com os batizados que têm o nome de cristãos, embora não professem integralmente a fé ou não guardem a unidade de comunhão com o sucessor de Pedro (28). Muitos há, com efeito, que têm e prezam a Sagrada Escritura como norma de fé e de vida, manifestam sincero zelo religioso, crêem de coração em Deus Pai omnipotente e em Cristo, Filho de Deus Salvador (29), são marcados pelo Batismo que os une a Cristo e reconhecem e recebem mesmo outros sacramentos nas suas próprias igrejas ou comunidades eclesiásticas. Muitos de entre eles têm mesmo um episcopado, celebram a sagrada Eucaristia e cultivam a devoção para com a Virgem Mãe de Deus (30). Acrescenta-se a isto a comunhão de orações e outros bens espirituais; mais ainda, existe uma certa união verdadeira no Espírito Santo, o qual neles atua com os dons e graças do Seu poder santificador, chegando a fortalecer alguns deles até ao martírio. Deste modo, o Espírito suscita em todos os discípulos de Cristo o desejo e a prática efetiva em vista de que todos, segundo o modo estabelecido por Cristo, se unam pacificamente num só rebanho sob um só pastor (31). Para alcançar este fim, não deixa nossa mãe a Igreja de orar, esperar e agir, e exorta os seus filhos a que se purifiquem e renovem, para que o sinal de Cristo brilhe mais claramente no seu rosto”. (Nr 15)

      Seja louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!

      Trabalhai para vossa salvação com temor e tremor, pois é Deus quem, segundo a sua vontade, realiza em vós o querer e o fazer (Fl 2,12-13).

      Excluir
    5. Caro Henrique, honestamente, não vejo nenhuma complicação ou mistério nesta questão. O catecismo fala que algumas seitas cismáticas possuem elementos de santificação e verdade, MAS NÃO QUE ELAS PODEM SALVAR ALGUÉM. O Espírito Santo se serve dessas seitas para levar seus membros à única Igreja de NSJC, fora da qual não há salvação. É nesse sentido que pode-se dizer que elas são meio de salvação.
      Como você falou, a ignorância invencível se aplica àqueles que têm uma condição de falta de conhecimento que não pode ser superada com um ato de vontade, ou seja, uma ignorância que não pode ser vencida, a pessoa simplesmente não pode chegar à Igreja. É o caso, por exemplo, de um índio de uma tribo isolada na floresta que nunca ouviu falar de cristianismo. Agora, um protestante, que firmemente crê que Cristo mentiu ao dizer que as portas do inferno não prevaleceriam sobre a sua Igreja não se converte ao catolicismo porque não quer, e não porque não pode.
      A meu ver, os protestantes e heterodoxos orientais são nossos irmãos sim, porque somos todos filhos do mesmo Deus. Agora, os que dentre eles têm firme adesão em suas heresias, ou seja, mentem, renunciam à sua condição de filhos de Deus e tornam-se filhos do demônio, querendo fazer o desejo de seu pai (São João 8,44). A paz de NSJC!

      Excluir
    6. Então, Petrivalinci, mas o problema é que não é isso que você disse que o catecismo diz nesse trecho que o anônimo citou. Eu acho que é muito complicado, sim, a pessoa abrir o catecismo e ler o seguinte: "
      "Os que hoje nascem em comunidades provenientes de tais rupturas não podem ser acusados do pecado da divisão. A Igreja Católica abraça-os com respeito e caridade fraterna. Justificados pela fé recebida no Batismo, incorporados em Cristo, é a justo título que se honram com o nome de cristãos e os filhos da Igreja Católica reconhecem-nos legitimamente como irmãos no Senhor".........

      Essa parte confunde qualquer um! Está dando a entender que o pessoal que vai na universal ou na mundial ou na renascer ou na "bola de neve" é tão "cristão" quanto o católico e que são nossos "irmãos" em Cristo!?!? Aí não dá!!!

      Aí quando vc vai ver o complemento que o Henrique colocou, estuda melhor o que está sendo dito, beleza, a gente entende melhor. Mas que a coisa é complicada, é sim.
      E também eu não sou de polêmica mas gosto de estudar um pouco e vejo que o Papa Leão XIII na encíclica Satis cognitum disse:
      "“A prática da Igreja tem sido sempre a mesma, apoiada pelo juízo unânime dos Santos Padres, que sempre consideraram como EXCLUÍDOS DA COMUNHÃO CATÓLICA E FORA DA IGREJA QUALQUER UM QUE SE DESVIE, NO MENOR GRAU QUE SEJA, DE QUALQUER PONTO DE DOUTRINA PROPOSTA PELO SEU MAGISTÉRIO AUTÊNTICO.”

      Então qual igreja está certa? A Igreja de antes do VII ou a Igreja que inventaram depois do VII??
      É complicado isso aí, sim, meu irmão!

      Excluir
    7. Caro Luis, OS QUE NASCEM em comunidades provenientes de rupturas não podem ser acusados do pecado da divisão. Só podem ser acusados de cometer esse pecado quando passam a aderir por completo aos ideais heréticos de suas seitas, rejeitando abertamente a Sã Doutrina da Coluna e Fundamento da Verdade, a Santa Igreja Católica Apostólica Romana. O texto diz que eles são cristãos sim, mas não que são tão cristãos quanto os católicos. Como falei no meu comentário anterior, os que apenas nascem nessas seitas podem sim ser chamados de nossos irmãos, por serem filhos de Deus. Agora, a partir do momento que eles rejeitam Nossa Senhora, se tornam nossos meio-irmãos e quando crêem em suas heresias com plena consciência do que estão fazendo, deixam de ter qualquer "parentesco" conosco, pelos motivos expostos no meu outro comentário.
      O texto do catecismo que você citou não diz que os cismáticos estão dentro da Igreja. Portanto, não contradiz o que o papa Leão XIII falou em sua encíclica. A Igreja de Cristo é uma só, em todos os lugares e em todas as épocas. Aliás, é justamente por essas catolicidade e apostolicidade que somos chamados de CATÓLICOS APOSTÓLICOS romanos. Do contrário, seríamos sedevacantistas e creríamos que as portas do inferno derrotaram a Igreja de Nosso Senhor (o que inclusive é algo que os próprios protestantes crêem) no CVII. Entrou a fumaça de Satanás, sim, sem dúvida, mas essa fumaça não derrotou o Espírito Santo. A paz de NSJC!

      Excluir
  14. Prezado Henrique, não consegui agradecer antes, mas obrigado pelos esclarecimentos! Não queria te deixar em situação de aperto, mas tenho pesquisado sobre o tema e considero sua opinião muito importante, pois sempre bem fundamentada. Concordo com você, o tema é difícil. Em minhas pesquisas, encontrei muitas diferenças entre as posições mais modernas e as mais conservadoras. Sem dúvida, você ajudou bastante a avançar no entendimento desse tema. Muito grato pela atenção.

    ResponderExcluir
  15. Caro Petrivalianici, o seu comentário me suscitou uma dúvida: na sua opinião, aquele que é apenas cristão, mas não é cristão católico, também será salvo, caso permaneça nessa posição? Ele não é tão cristão quanto o cristão católico, mas mesmo nessa situação, poderá ser salvo? Esse ponto, parece ser o ponto central dessa parte do Catecismo, e por vezes, parece conflitar com tudo o que acontecia antes do Vaticano II. O que você acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caríssimo, a minha opinião, que é a mesma do Corpo Místico de NSJC, a Santa Igreja Católica Apostólica Romana, é a seguinte: o cristão não-católico só poderá se salvar se converter-se ao catolicismo e se tornar membro da Igreja, exceto em caso de ignorância invencível, que foi explicada nos comentários anteriores. Na verdade, o Magistério da Igreja não se contradiz, como também não se contradizem as Sagradas Escrituras e a Sagrada Tradição. Peço que você leia o que eu e os outros leitores debatemos sobre este polêmico trecho do catecismo, que em nada nega os dogmas da Igreja. A paz de NSJC!

      Excluir
  16. "A Igreja não é instituição humana". Não? É o que, então?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma instituição divina, embora formada por seres humanos. A Paz de NSJC!

      Excluir
    2. Como cristãos, cremos que A IGREJA foi instituída pelo próprio Cristo, Filho de Deus e Deus. Mais ainda, cremos que esta Igreja é o Corpo do mesmo Cristo, cuja Cabeça é Ele próprio. É portanto, uma instituição divina e não meramente humana. O post explica tudo isso muito bem, mas pelo jeito você não o leu na íntegra.

      Note bem que estamos falando dA IGREJA instituída por Nosso Senhor, e não de alguma seita criada por alguém que simplesmente leu a Bíblia e a interpretou por conta própria.

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  17. Gostaria de mais uma vez parabenizar o blog!
    Apesar de não estar convencido sobre muitas coisas, eu nunca aprendi tanto sobre o católicismo!

    ResponderExcluir
  18. Gostaria de saber qual é a situação dos que se dizem católicos, uma vez que são batizados, crismados, assistem às Missas, mas que também frequentam cultos protestantes e até já participaram de palestras em centros espíritas. Eles ainda são considerados membros da Igreja ou já são considerados hereges? Podem comungar? Estão em pecado grave? Estão em risco de perderem a salvação? Para mim, são falsos católicos e traidores da Igreja, mas eles não se consideram em pecado e dizem estar felizes do modo que agem, pois se sentem bem nestes cultos. Aproveito a oportunidade para parabenizar o blog, que tem sido um meio importante de evangelização e aperfeiçoamento da FÉ de todos nós católicos.

    ResponderExcluir
  19. Conheci este site a pouco e estou gostando demais, sempre fui católico convicto tenho boas contestações contra os erros das interpretações protestantes, mas lendo suas explicações tenho que admitir aprendo demais só não vê que as explicações estão certa quem quer deixar o orgulho tomar conta, continue dando estas explicações claras e que Jesus te abençoe e que O Espírito Santo continue sempre te iluminando.

    ResponderExcluir
  20. Por favor, dono do Blog, estou com bastante dúvida sobre o que você disse em relação aos Apóstolo Pedro e aos demais, "Por isso que o Senhor deu autoridade a Pedro e aos apóstolos, conferindo lhe autoridade sobre a sua igreja (até aí eu concordo) e até mesmo o poder para perdoar e reter os nossos pecados". Por gentileza poderia me mostrar biblicamente uma passagem que apóie a ideia de que Jesus conferiu autoridade para Pedro ou a qualquer outro apóstolo perdoar o meu e o seu pecado ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Pedro
      Não sou o dono do Blog, mas, acredito que este não tem um dono, e sim, um Apostolado Católico, dirigido por leigos orientados por sacerdotes da Santa Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, que é Católica, Apostólica e Romana.

      Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João 20, 21-23

      Reza:
      “Disse-lhes outra vez: A paz esteja convosco! Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio a vós. Depois dessas palavras, soprou sobre eles dizendo-lhes: Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos”.
      E ainda:
      “E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus”. (Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus 16, 18-19)
      “Em verdade vos digo: tudo o que ligardes sobre a terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes sobre a terra será também desligado no céu.” (São Mateus 18, 18)
      Seja louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!



      Excluir
    2. A passagem de Mateus 16, 18-19, o qual Jesus entrega o poder da chaves, nominal e indiviudalmente a Pedro, de tudo que viesse Pedro a ligar na terra seria ligado no céu, e tudo que a Pedro desligasse na terra seria desligado no céu, e depois Jesus expande este poder a toda a Igreja, mas, como submetida a Pedro, haja vista, que foi somente a Pedro que foi entregue nominal e individualmente tal poder e por isto, que se entende que todos na Igreja só poderão utilizar de tal poder em conformidade com Pedro. E neste poder de ligar e desligar, que São Pedro e toda a Igreja receberão de exercer, está incluído também o perdão dos pecados que recebemos pelo Sacramento da Penitência. Estas passagens (Mat. 16, 18-19; 18,18) com relação ao perdão dos pecados, está mais clara ainda em João 20, 21-23, o qual Jesus diz aos Apóstolos reunidos no senáculo, naquela tarde do primeiro dia da semana, em que Ele ressuscitou dos mortos, que os pecados que os Apóstolos viessem a perdoar, tais pecados seriam perdoados, e os que eles não viessem perdoar, tais pecados não seriam perdoados, e nisto conclui-se toda a temática do poder que Cristo conferiu a sua Igreja, mas especificamente, ao ministros da Igreja, a começar por São Pedro e seus sucessores o Papa e todos os demais Apóstolos e hoje Bispos e Presbíteros o poder de conferir o perdão dos pecados em nome de Jesus, pelo Sacramento da Penitência.

      Existe uma outra passagem que ao meu ver reforça a isto tudo, é a passagem de Mateus 9, 1-8 que diz:

      "1.Jesus tomou de novo a barca, passou o lago e veio para a sua cidade.

      2.Eis que lhe apresentaram um paralítico estendido numa padiola. Jesus, vendo a fé daquela gente, disse ao paralítico: "Meu filho, coragem! Teus pecados te são perdoados."

      3.Ouvindo isto, alguns escribas murmuraram entre si: "Este homem blasfema."

      4.Jesus, penetrando-lhes os pensamentos, perguntou-lhes: "Por que pensais mal em vossos corações?

      5.Que é mais fácil dizer: Teus pecados te são perdoados, ou: Levanta-te e anda?

      6.Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra o poder de perdoar os pecados: Levanta-te - disse ele ao paralítico -, toma a tua maca e volta para tua casa."

      7.Levantou-se aquele homem e foi para sua casa.

      8.Vendo isto, a multidão encheu-se de medo e glorificou a Deus por ter dado tal poder aos homens."

      Jesus nesta passagem, antes de realizar o milagre de fazer o paralitico anda, Ele perdoa os pecados do paralítico, e os escribas ao questionar o poder de Jesus perdoar os pecados, Jesus então realiza o milagre, para demonstrar que Ele tinha o poder de perdoar os pecados, e no final o texto diz que o povo dava glorias a Deus por ter dado tal poder aos homens, mas, que poder é estes que Deus deu aos homens para o povo dar glórias?, o poder de perdoar os pecados ou de realizar os milagres?, e depois antes de o povo dar glorias, somente Jesus perdoou os pecados do paralítico e o fez andar, então o povo deveria ter dado glórias somente por Jesus e não aos homens como finaliza o texto. Muitos veem nesta passagem, que o povo deu glórias a Deus não tanto pelo poder do milagre, mas, a do perdão dos pecados, e o homens aí são os Santos Apóstolos que por mandato de Jesus e pelo poder que Ele conferiu aos Apóstolos, estes perdoavam os pecados e se fosse preciso, para confirmar tal poder, realizavam milagres, mas nisto tudo vemos, que o pode de perdoar os pecados conferidos por Cristo aos seus Apóstolos e seus sucessores, esta bem fundamentado, pois tal poder não acabou com os Apóstolos mas seguiu em frente e chega hoje até nós pelo Sacramento da Penitência administrados pelos sacerdotes, que pelo Sacramento da Ordem recebem tal poder de maneira ininterrupta desde Jesus Cristo e de seus Santos Apóstolos.

      Sidnei.

      Excluir
  21. Irmãos, essa discussão é desnecessária, pois Jesus Disse apenas que nos amássemos (Mateus 22:34-40). Nem "igreja" tinha a seu tempo. A "igreja" é construção dos homens, portanto, IMPERFEITA. O verdadeiro reino de Deus, é construção divina, no coração dos Homens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesus disse "apenas" que nos amássemos?? Com todo o respeito, anônimo, por acaso você só tem uma página dos Evangelhos? Ou só um pequeno pedaço de uma página dos Evangelhos?

      O Jesus Cristo real disse que nos amássemos, sim, mas também disse:

      "Quem crer e for batizado será salvo" (Mc 16,16);

      "Quem se alimenta da minha Carne e bebe do meu Sangue permanece em Mim, e Eu nele." (Jo 6, 56-57);

      "Isto é o meu Corpo, que por vós é dado; fazei isto em memória de Mim.” (Lc 22,19)";

      "É necessário que vos empenheis não para obter esse alimento perecível, mas o Alimento que permanece para a vida eterna, o qual o Filho do homem vos dará." (Jo 6, 27);

      E disse aos Apóstolos, que foram os primeiros bispos e presbíteros da sua Igreja: "Aqueles a quem perdoardes os pecados ser-lhes-ão perdoados; aqueles aos quais mantiverdes ser-lhes-ão mantidos" (Jo 20,23);

      E mais uma série de outras coisas muitíssimo importantes, que não podemos simplesmente deixar para lá, como se nada mais importasse além desta única passagem de Mateus que você está citando.

      A Igreja realmente não existia ante de Cristo, é claro, porque foi Ele mesmo, Jesus Cristo, Quem instituiu a sua Igreja sobre Pedro Apóstolo, dizendo com toda a clareza: "Tu és Pedra, e sobre essa Pedra edifico a minha Igreja (...). Eu te darei as Chaves do Reino dos Céus; e tudo o que ligares na Terra será ligado nos Céus, e tudo o que desligares na Terra será desligado nos Céus.” (Mt 16, 18).

      Logo, existe, sim a Igreja una de Cristo, que a Bíblia Sagrada define em diversas passagens como o próprio Corpo de Cristo, com a qual Cristo se identifica totalmente (como quando diz a Paulo na estrada de Damasco: 'Por que ME persegues?', referindo-se à sua Igreja) e que as mesmas Escrituras chamam de "Coluna e sustentáculo da Verdade" (1Tim 3,15).

      Ser membro desta Igreja e ser batizado nesta Igreja é ser membro do Corpo de Cristo e uma condição importantíssima para a salvação das nossas almas. É sendo membro da Igreja que aprendemos, inclusive, o sentido e o valor do verdadeiro amor cristão, que é o Mandamento maior de Nosso Senhor. Aliás, pregar a Verdade é uma das maiores provas de amor que podemos dar neste mundo.


      A Luz de Nosso Senhor Jesus Cristo o ilumine e o conduza à Casa do Pai

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  22. Simplesmente brilhante a resposta!

    ResponderExcluir
  23. Esse blog é maravilhoso! Deus abençoe a todos.


    Efésios 3.10
    [10]Assim, de ora em diante, as dominações e as potestades celestes podem conhecer, pela Igreja, a infinita diversidade da sabedoria divina,


    ResponderExcluir
  24. Muito bom seu texto Henrique! Seu blog é muito esclarecedor. Ja faz um bom tempo que acompanho esse blog, leio todos os dias e acho muito rico. Quero te parabenizar e rezo por ti, para que O Senhor te use cada vez mais. Shalom

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail