O Jesus do Corão

Por Igor Andrade de Maria, Assoc. S. Próspero

HÁ UM CERTO tempo, enquanto conversava com meu dileto amigo Moisés Lima, – grande especialista no assunto, – sobre a visão islâmica com relação a Nosso Senhor Jesus Cristo, deparei-me com o aterrorizante óbvio: cristianismo e islamismo não são a mesma religião. Não são religiões tão próximas assim. Especificamente quanto a visão sobre o Cristo há muitas diferenças que, se não forem distinguidas (nestes tempos em que muito se fala em igualdade ou, pelo menos igual dignidade de todas as religiões) confundirão o Povo de Deus, que não mais saberá diferenciar cristianismo de paganismo.




A grande maioria da nossa população não se dá conta, mas há um forte e gradativo processo de islamização do Brasil em pleno curso, inclusive com extremistas utilizando nosso país como base para operações internacionais e recrutando militantes para ações terroristas, como foi denunciado pela revista Veja há pouco tempo. Entre as táticas de arrebanhamento está a disseminação de mensagens como "Islam é paz"...

Começo dizendo que sim, sou a favor do diálogo inter-religioso. Creio, sobretudo, que os muçulmanos precisam de conversão; conversão essa que não se dará simplesmente lembrando-os de que não adoram o Deus verdadeiro, mas apresentando-os ao Deus Verdadeiro. Não há diálogo sem que as duas partes conheçam a si mesmas: antes de nós, cristãos, simplesmente nos curvarmos às doutrinas corânicas, devemos conhecermo-nos a nós mesmos, além de sermos capazes de não confundir certos pontos “comuns” entre nós e o outro (que também, é necessário lembrar, é participante na comunidade de entes racionais e dotados de dignidade).

Comecemos, pois, falando da diferente visão que maometanos têm acerca de Nosso Senhor. No Corão, Jesus é visto apenas como um profeta que tinha uma missão específica para um determinado povo. Essa missão não foi cumprida em sua totalidade porque seus seguidores distorceram sua mensagem, de modo especial o apóstolo Paulo de Tarso, acusado por eles de ser o maior detrator da mensagem de Cristo.

Para eles, o Cristo não ressuscitou (por conseguinte não salvou ninguém); "Alá" só teria feito as pessoas pensarem que ele ressuscitou. Ele, Jesus, sria só um homem comum e, apesar de nascer da Santíssima Virgem Maria¹ (os maometanos a consideram virgem), quando Muhammad (Maomé) visita os sete céus, o Patriarca Abraão e Moisés estão num lugar bastante privilegiado, mas Nosso Senhor Jesus é posto num dos últimos patamares (porque é considerado um profeta muito inferior a Muhammad).

Eles pregam que Nosso Senhor veio para uma missão angélica, ou seja, os ensinamentos do Cristo são ensinamentos para anjos e impraticáveis por homens (sabe aquele mandamento 'amai-vos uns aos outros'? Então, para os muçulmanos um homem não pode seguir isso! Essa é a chamada 'religião da Paz...'), porque é uma ordem para anjos. Por isso o homem não consegue seguir o ensinamento cristão. Por isso, o Corão é o ensinamento certo, que deve ser seguido para que o homem siga as leis do deus Alá.

O interessante é que Muhammad autentica a Bíblia. Na surata 10,94 ele pede que os muçulmanos procurem os seguidores do Livro, que são os cristãos e os judeus, para testarem o Corão. Porém, a Bíblia do século VI dC. é a mesma que utilizamos hoje (a vulgata de São Jerônimo foi concluída por volta do ano 406 dC.). Ou seja, Muhammad reconhece a autenticidade das Sagradas Escrituras. O problema é que os muçulmanos de hoje afirmam que os cristãos adulteraram as Escrituras Santas, e por isso não dá para seguir o Evangelho como está agora.

Em linhas gerais, é isso que maometanos veem sobre Jesus, O Deus Humanado, “Issam” ou “Isam”, como eles O chamam. Como disse meu grande amigo Moisés Lima, “se os muçulmanos não falassem de Jesus no Corão, seria melhor para a aproximação entre as religiões”.

_________
¹A Santíssima Virgem Maria, Mãe do Senhor é a única mulher citada no Corão, inclusive sarracenos e muitos cristãos insensatos ou bajuladores utilizam desse fato para tentar aproximar o islamismo da Religião Católica (o que é como misturar água e óleo). O problema é que omitem que a doutrina islâmica prega que a Santa Virgem das Virgens está prometida a Muhammad como uma de suas mulheres(!).
www.ofielcatolico.com.br

10 comentários:

  1. Eis um grande tema oportuno que deveria ser tratado na Campanha da Fraternidade deste ano de 2016.

    Caros irmãos, o texto que consta do link abaixo, do Padre da Paróquia Sagrada Família de Bagé, RS, carece nossa reflexão por se tratar de um assunto sobre a CF/2016, da CNBB:

    Acesse o link: https://www.facebook.com/PadreCleberESDias/posts/10206813073019363

    Seja Louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!

    ResponderExcluir
  2. Definitivamente o Islamismo não prega a paz. Muitos defendem que o problema está somente nos radicais, mas a questão é visivelmente doutrinária, segue um exemplo:

    Ó fiéis, não tomeis por amigos (confidentes) os judeus nem os cristãos; que sejam amigos entre si. Porém, quem dentre vós os tomar por amigos, certamente será um deles; e Alá não encaminha os iníquos.
    Surata 5,51

    Há um tempo atrás descobri um padre Jesuíta (Islamólogo) muito bom chamado Samir Khalil, que fez estudos aprofundados sobre essa religião.

    Graça e paz em Cristo a todos !
    Max

    ResponderExcluir
  3. "O problema é que omitem que a doutrina islâmica prega que a Santa Virgem das Virgens está prometida a Muhammad como uma de suas mulheres(!)." Na verdade, Muhammad está prometido sim à Santíssima Virgem, mas como a serpente cuja cabeça será esmagada por ela.
    A deusa da lua árabe que faça as suas provocações, no fim estará debaixo dos pés da mãe do Cordeiro, como Nossa Senhora é muitas vezes retratada em imagens (com a lua debaixo dos pés).
    "Este, então, se irritou contra a Mulher e foi fazer guerra ao resto de sua descendência, aos que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus" (Ap 12,17). A paz de NSJC!

    ResponderExcluir
  4. As portas do inferno nao prevalecerao contra ela ...
    O demonio esta investindo mas nao prevalecera . A paz de NSJC.

    ResponderExcluir
  5. A Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo
    A respeito do nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, este foi seu nome verdadeiro? Se não, qual seria seu verdadeiro nome?
    Creio eu que na prática Deus não se importa quando chamamos Ele de Jesus, Emanuel, Yeshua, e de tantas outras denominações. E sei também que a bíblia é clara em relação a este tipo de coisa, como você mesmo escreveu em uma de suas postagens:
    “Esses tais demonstram um interesse doentio por controvérsias e contendas acerca das palavras, que resulta em inveja, brigas e atritos constantes...” (1Tm 6, 4)
    Mas gostaria de que pudesse ter uma boa resposta à cerca deste assunto, pois o que não faltam é argumentos e acusações a respeito o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo.

    PS: Desculpe meu comentário não ser a respeito da sua postagem. E por insistir na pergunta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caríssimo Welliton Moreira, leia o abalizado estudo lingüística e teologia do saudoso Dom Estêvão Bettencourt, sobre o assunto.

      Acesse o link:
      http://www.pr.gonet.biz/kb_read.php?pref=htm&num=872

      Seja louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!

      Excluir
  6. E o pior de tudo é que já vi padres e bispos defendendo o islam como " religião da paz e irmãos nossos pois adoram omesmo Deus que nós só muda o nome.

    ResponderExcluir
  7. Uma vez, num debate no Youtube, um muçulmano respondeu assim a um usuário: ''(...) e os Cristãos (Cristões, para você) são, na realidade PAULINOS, uma vez que seguem exatamente as orientações de Saulo de Tarso, que modificou as orientações de Jesus. (...)''

    No que eu interpelei: Essa diatribe não cola! Não, São Paulo Apóstolo não modificou as orientações de Jesus, mas CUMPRIU-AS! São Paulo Apóstolo, um fariseu que antes perseguiu a Igreja de Deus (1 Cor 15,9/ Gl 1,13-22/ Fp 3,4-7/ 1 Tm 1,12-13), tornou-se, para a Glória de Deus e de Jesus Cristo, um vaso de eleição (At 9,15). Mudou da água para o vinho. São Paulo Apóstolo não modificou nada, tanto que ele foi ter com os santos apóstolos (Gl 1,18) — encontrando-se com o principal dos apóstolos, São Pedro (Mt 16,18/ Jo 1,42; 21,15-17/ At 15,7) — que foram designados pelo próprio Jesus Cristo (Jo 15,16).

    São Paulo Apóstolo nos falou sobre a importância da castidade (1 Cor 7,8-40), como fez Jesus (Mt 19,3-12/ Mc 10,2-12), porque São Paulo era um imitador de Jesus (1 Cor 11,1), por isso não é verdade que São Paulo Apóstolo tenha distorcido Jesus ou que os cristãos seriam ''Paulinos'' e não cristãos. São Paulo Apóstolo nos ensinou sobre a caridade (1 Cor 13), sobre a bem-aventurança de dar do que receber (At 10,35), tal como falou Jesus (Mt 10,8). Falou sobre a fé (Rm 1,17/ Gl 3,11), nos ensinou a abençoar aqueles que nos perseguem (Rm 12,9-21), tal como Jesus nos ensinou (Mt 5,44/ Lc 6,27-28). E a receber dignamente o Santíssimo Sacramento da Eucaristia (1 Cor 11,24-34) como ordenou nosso Senhor Jesus Cristo (Mt 26,26-29/ Mc 14,22-25/ Lc 22,17-20/ Jo 6,32-35; 48,66).

    São Paulo Apóstolo realmente foi inspirado por Deus, ele que foi um vaso de eleição (At 9,5). Já no Alcorão não vemos versos assim inspirados por Deus, sobre o amor e abençoar os que nos perseguem, muito pelo contrário, há os versos da espada que mandam matar os ''infiéis'' em nome de Alá [1], e versos que contrapõem-se radicalmente a Romanos 12,9-21, que nos ensina a abençoar aqueles que nos perseguem, como esse aqui: ''Sejam misericordiosos uns com os outros, mas sejam sem perdão com os não-muçulmanos [Alcorão 48:29]'' [2]. São Paulo Apóstolo disse, já no fim, que combateu o bom combate, isto é, guardou a fé e perseverou na justiça e vontade de Deus (2 Tm 4,7-8). Já o falso profeta Maomé disse, no fim: ''E fui feito vitorioso através do terror'' (Bukhari, 52:220).

    ☩ O DEUS DA PAZ em breve não tardará a esmagar Satanás debaixo dos vossos pés. A GRAÇA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO ESTEJA CONVOSCO! (Rm 16,20) ☩

    ____________

    NOTAS:

    [1] ''164 versos de Jihad no Alcorão, Compilado por Yoel Natan'', Answering-Islam.

    [2] ''A verdade sobre Maomé: Conquistador e Primeiro Soberano da Arábia – Parte 1: A Ideologia do Islã'', Infiel Atento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade o Islã está mais entrelaçado dentro do judaísmo, com a abolida lei mosaica (Hb 7,18), que dizem ser cumpridores, provocando agora a Deus, impondo aos discípulos um jugo que nem nossos pais nem nós pudemos suportar
      (At 15,10), rejeitando o jugo suave e peso leve que é a doutrina de Cristo (Mt 11,30). O Concílio de Jerusalém (At 15,6-29) terminou a questão dos judaizantes, mas o que mais temos hoje são judaizantes, os da circuncisão etc.

      Muitos apologistas islâmicos discutem estas questões judaizantes (circuncisão e alimentos), perguntas há milênios atrás resolvidas. Por isso a implicância deles com São Paulo Apóstolo, que diz para termos cuidado com esses mutilados (Fp 3,2-3) e que ninguém nos julgasse por causa de comida ou bebidas etc. (Cl 2,16-17). Mas tudo isso, que para São Paulo eram vantagens, considerou perda por Cristo (Fp 3,7).

      São homens de dura cerviz, e de corações e ouvidos incircuncisos (At 7,51), quando sabemos que a verdadeira circuncisão é a do coração (Rm 2,29), porque onde estiver o nosso tesouro, lá estará o nosso coração (Mt 6,21), e isso é duro para as falsas testemunhas que blasfemam o nome de Cristo (cf. At 6,13-14).

      A anátema do islamismo enquadra-se perfeitamente na profecia de Gálatas 1,8 [1]. O islamismo é um ramo torto que alega ser a última e mais perfeita revelação, renegando todas as revelações anteriores. Portanto, Maomé deve ser obedecido ao invés dos “ignorantes” anteriores. Qualquer pessoa que não sabia disto tudo, portanto, estava vivendo em jahiliyyah [ignorância] até este momento [2].

      O diálogo com eles é possível, para convertê-los e libertá-los pela Verdade, que é Cristo (Jo 8,32), mas o ecumenismo (irenismo, rezar junto, mas não ao verdadeiro Deus), como vem sendo erroneamente promovido inclusive pelo Vaticano, INFELIZMENTE, é um erro fatal e uma blasfêmia. São Tomás de Aquino ensinou [que] ''se alguém fosse orar na tumba de Maomé, ele seria considerado um apóstata''.

      Eu vos envio como ovelhas no meio de lobos. Sede, pois, prudentes como as serpentes, mas simples como as pombas (Mt 10,16).
      _______

      NOTAS:

      [1] http://perigoislamico.blogspot.com.br/2014/02/foi-maome-possesso-por-demonios.html

      [2] http://sensoincomum.org/2015/11/15/islamismo-religiao-paz/

      Excluir
  8. QUEM TIVER DISCERNIMENTO, DISCIRNA!

    O ISLAMISMO PREGA:

    "Ó adeptos do Livro, não EXAGEREIS(*) em VOSSA RELIGIÃO e não digais de Deus senão a verdade. O Messias, Jesus, filho de Maria, FOI TÃO-SOMENTE um mensageiro de Deus e Seu Verbo, com o qual Ele agraciou Maria por intermédio do Seu Espírito. Crede, pois, em Deus e em Seus mensageiros e digais: Trindade! Abstende-vos disso, que será melhor para vós; sabei que Deus é Uno. Glorificado seja! LONGE ESTÁ A HIPÓTESE DE TER TIDO UM FILHO. A Ele pertence tudo quanto há nos céus e na terra, e Deus é mais do que suficiente Guardião." (As Mulheres, 4:171)

    (*) Note que o Cristianismo é restrito em muitos países islâmicos, e esse ''não exagereis em vossa religião'' deixa a coisa clara. O ''Longe está a hipótese de ter tido um filho'' é uma BLASFÊMIA!
    ______

    O CRISTIANISMO PREGA:

    ''Quem é MENTIROSO senão aquele que NEGA que Jesus é o Cristo? Esse é o ANTICRISTO, que NEGA o PAI e o FILHO. TODO AQUELE que NEGA o FILHO NÃO TEM O PAI. TODO AQUELE QUE PROCLAMA O FILHO TEM TAMBÉM O PAI. Que permaneça em vós o que tendes ouvido desde o princípio. Se permanecer em vós o que ouvistes desde o princípio, permanecereis também vós no FILHO e no PAI. Eis a promessa que ele nos fez: a VIDA ETERNA. Era isto o que eu vos tinha a escrever a respeito dos que vos SEDUZEM.'' (1 João 2,22-26)

    CONFERIR TAMBÉM:

    Isaías 5,20
    --> Mateus 7,15-20
    --> Mateus 16,16
    --> Mateus 28,18
    João 1,1-14
    João 3,15-18
    João 10,30
    João 14,6-11
    João 17,5
    --> Atos 4,12
    Romanos 5,17
    1 Coríntios 15,21-26
    Colossenses 1,15
    Colossenses 2,9
    Hebreus 1,3
    1 João 4,6
    1 João 5,1-20
    Apocalipse 1,7
    _______

    O MAOMETISMO ESTÁ ENQUADRADO EM JOÃO 10,10:

    http://ascruzadas.blogspot.com.br/2014/10/sao-tomas-de-aquino-no-islamismo.html
    _______

    Cristianismo e Islamismo são, portanto, duas religiões INCONCILIÁVEIS (cf. 2 Cor 6,14) e TOTALMENTE CONTRÁRIAS uma à outra. Creio que com esse pouco já deu para discernir o bastante.

    ☩ Christus Vincit, Christus Regnat, Christus Imperat ☩

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail