Invasão islâmica mundial


O QUE ACONTECERIA se o bebê George, futuro rei da Inglaterra, se convertesse um dia a uma religião não cristã? O arcebispo da Cantuária, líder anglicano que celebrou o batismo do menino, disse que não se importaria se isso acontecesse (conf.: Daily Mail). Os próprios pais do menino, aliás, raramente vão à igreja, assim como seu avô, o Príncipe Charles. Essa é a família real perfeita para representar a fé, – ou a falta dela, – no Reino Unido, em que apenas 8% das pessoas entre 30 e 50 anos frequentam a igreja anglicana assiduamente.

A igreja anglicana [que teve origem num ato de adultério], fundada graças aos caprichos de um rei lascivo, oferece ao povo britânico um cristianismo aguado, afundado em heresia e relativismo. Não surpreende que essa caricatura triste e vazia do catolicismo já não convença mais quase ninguém. E é neste vácuo espiritual que o islamismo, uma religião de fortes convicções, está encontrando espaço e criando raízes.

Muitos pensam que o radicalismo islâmico ameaça o mundo somente por meio da ação de grupos armados. Grande engano! A jihad ganha força e se espalha no Ocidente especialmente por meio da dominação cultural. Essa realidade medonha já se delineia com traços fortes em toda a Europa, e de modo especial na Grã-Bretanha, onde a minoria muçulmana faz pressão constante para impor suas crenças e costumes.



Os britânicos carregam uma forte culpa pelo seu passado imperialista. Agora, pendendo para o outro extremo da mentalidade de dominação, estão dispostos a renunciar a seus valores e cultura em nome do multiculturalismo. Essa é uma ideologia de esquerda que prega que todas as culturas devem ser igualmente valorizadas, promovidas e protegidas pelo Estado. Assim, em vez de o imigrante se adaptar à cultura do país que o acolhe, o Estado e os nativos desse país é que devem se desdobrar para assimilar a cultura do imigrante.

Na mente dos britânicos está inculcada a ideia de que, se for preciso, os seus costumes podem e devem ser solapados, só para não ofender os “coitadinhos” imigrantes. O problema é que muitos imigrantes ignoram que o respeito é uma via de mão dupla. E ocorrem aberrações como as cenas mostradas no vídeo abaixo, em que uma cidadã britânica assiste pelas ruas de sua cidade, estarrecida, uma marcha de centenas de muçulmanos gritando “Reino Unido, vá para o inferno” e dizendo que mulheres sem burca são um bando de sem-vergonhas. A moça britânica, pau da vida e muita corajosa, tenta explicar aos manifestantes que é inaceitável que estrangeiros insultem os nativos daquela forma.


"Não a democracia! Queremos somente o islam!"

Mas o "mundo fofo" dos multiculturalistas está começando a desabar. Em junho deste ano, o ministro da Educação britânico, Michael Gove, denunciou um esquema armado por muçulmanos para impor o islamismo nas escolas e controlar a rede de ensino. Eles vêm infiltrando professores e diretores nas escolas. Quando conseguem isso, passam a perseguir os alunos e professores não-muçulmanos, até que eles sejam expulsos ou peçam demissão.

Esse desastre já vem ocorrendo há mais e dez anos, mas o governo, de modo intrigante, fazia vista grossa (conf.: Diário Digital e The Telegraph).

Na Escócia, 30 crianças não-muçulmanas da Parkview Primary School tiveram que visitar uma mesquita (conf.: Gatestone Institute). Chegando lá, foram instruídas [constrangidas] a recitar a declaração de fé maometana: “Não há deus senão Alá e Maomé é seu mensageiro” (vídeo abaixo). Tudo isso sob a desculpa politicamente correta de conhecer os valores e crenças diferentes para poder melhor respeitá-los. Agora imaginem o alvoroço que os muçulmanos fariam se soubessem que trinta crianças maometanas haviam sido levadas para uma igreja e instruídas a recitar o Credo.



Em Londres, no distrito de Tower Hamlets, 85 das 90 escolas proibiram o consumo de carne de porco, apenas para atender ao desejo da minoria muçulmana, que considera pecado consumir esse alimento. Em Nottingham, uma escola primária, – a Greenwood Primary School, – cancelou a peça de Natal para que não interferisse em um festival maometano (Daily Mail)!

Ainda em Tower Hamlets, os muçulmanos ameaçam com morte mulheres sem véu e gays. Nos postes e outros locais de evidência do bairro, eles chegaram a fixar cartazes com o seguinte aviso: “Você está entrando em uma zona controlada pela Shária. Regras islâmicas são aplicadas” (Daily Mail).

Tudo isso já parecia suficientemente absurdo, até que… Neste mês, vieram à tona os casos (atenção) de 1.400 menores brancas britânicas abusadas sexualmente e traficadas para prostituição por muçulmanos, pelo país inteiro. De 1997 a 2013, – por longos e inacreditáveis dezesseis anos, – as autoridades da cidade de Rotherham nada fizeram para deter os criminosos!

Muitas das vítimas foram à polícia denunciar os agressores (entre elas, meninas de 11 anos que haviam sido estupradas por vários homens), mas as autoridades fizeram corpo mole com as investigações e não tomaram nenhuma providência! O problema era, simplesmente, que os suspeitos eram quase todos muçulmanos paquistaneses! E aquilo que um cidadão britânico teme mais que o inferno é ser acusado de racismo; se isso acontecer, ele pode perder o emprego, a guarda dos filhos, a respeitabilidade.

...E tal medo não é exagerado. Tudo lá naquelas bandas [qualquer semelhança com cultura de classes marxista impetrada no Brasil pelo governo PT não é mera coincidência] é motivo para alguém ser chamado de “racista”. Recentemente, uma menina inglesa foi denunciada por sua própria professora por crime de racismo (!) apenas porque pediu para se sentar do lado de outra colega de classe, já que a menina ao seu lado não falava a sua língua e ela tinha dificuldades para se comunicar com ela.

Não querendo "arrumar sarna para se coçar", as autoridades de Rotherham se omitiram, para não serem acusadas de associar a escravidão sexual de menores a uma etnia específica. Como bem disse o escritor português João Pereira Coutinho, a lógica dessa gente é: “Melhor pedófilo que racista”.

Ainda sobre a islamização do Reino Unido, o blog “Islamidades” tem um post muito interessante sobre a forte ligação do Príncipe Charles com o Islã (veja aqui).

O gravíssimo problema, porém, – que por certo é a concretização de um grande castigo divino sobre a humanidade inteira, – não é só da Inglaterra; é mundial. É, sim, mais grave na Europa, mas o objetivo islâmico é, declaradamente, a conquista mundial; o Brasil não fica de fora. Há alguns anos, a justiça brasileira retirou do YouTube um vídeo sobre islamização da Europa. O grupo "Comunidade Eclesial" e uma igreja batista de São Paulo foram judicialmente notificados e obrigados a retirar de circulação um vídeo sobre a islamização da Europa (saiba mais). Como a internet, ao menos por enquanto, é indomável (o governo já se move com ações concretas para controlar a rede, também, num curto prazo), você pode assistir o referido vídeo abaixo (até que nós também sejamos amordaçados). Assista com atenção, e trema:



Enquanto isso, os líderes da Igreja de Cristo estão muito ocupados promovendo ações em prol do ecumenismo, do diálogo fraterno com todas as religiões, da abertura cada vez mais ampla e irrestrita para o mundo, na garantia do direito de liberdade religiosa do indivíduo... Oremos, irmãos, porque algo grande está para acontecer, e não será nada fácil suportar os anos que estão por vir.

____
Fonte:
Artigo "Da Rainha ao Califa: a islamização do Reino Unido", do site "O Catequista", disponível em:
http://ocatequista.com.br/archives/13943
Acesso 18/9/014
ofielcatolico.com.br

12 comentários:

  1. Realmente, o perigo é gravíssimo. O parágrafo final traduz toda a minha perplexidade e indignação com esses filhos ingratos que estão dirigindo a Igreja hoje........... Confesso que tenho medo!

    ResponderExcluir
  2. Será que é apenas o início das dores? Pobre Igreja! De Mestra das Nações, autoridade dada pelo próprio Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo para ensinar tudo que Ele havia ordenado e fazer discípulos em todo mundo, inventou de aggiornar, de ser simpática, de contemporizar tanto com o homem moderno que hoje se encontra "refém" desse mesmo homem. Acho que a Santa Ira de Deus está começando a gotejar sobre nós. O atual líder da nossa Igreja já beijou pezão de mulçumano, não acha necessário a conversão dos hereges, sente que um dos maiores problemas do jovem é o desemprego e o dos idosos é a solidão e por aí vai...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana Maria, eu sinto no mais profundo do meu ser que a resposta à sua pergunta é sim: tudo isto é apenas o início das grandes dores.

      A tendência de todo este estado de coisas, lamentavelmente, é piorar, e muito. Estamos como que à deriva, numa tempestade que só faz enfurecer-se, mais e mais, e vai se tornando insuportável para os verdadeiros fiéis católicos. Agora não temos mais a destra de Pedro, que deveria apascentar o rebanho do Senhor.

      Não devemos desanimar, porém, porque aquele que perseverar até o fim será salvo. Pedro dorme, mas nosso Senhor, jamais, e Ele tudo pode! Rezemos mais, façamos penitência, recorramos ao confessionário e à Sagrada Comunhão, porque é o único caminho.

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  3. O primeiro vídeo, que mostra as crianças sendo constrangidas a recitar a declaração islâmica, acaba de ser retirado do ar pelo Youtube, "devido a várias notificações de terceiros sobre a violação de direitos autorais"...

    Aí está, meus irmãos.

    Apostolado Fiel Católico

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se alguém obtiver o vídeo em outra fonte, queira por gentileza no enviar, para que o atualizemos.

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  4. Graça e Paz!

    Perseguições são esperadas. Aqueles que carregam o nome de Cristo devem estar preparados, pois sempre podem ser alvo da ação do Maligno.
    No entanto, Cristo voltará! A vitória é certa, e Deus está no controle da história. O povo separado e santo permanecerá vitorioso e herdará o paraíso.
    Resumindo: não tenham medo, pois Deus está no controle de tudo! Ele não permitirá que sejamos tentados além do que podemos suportar.
    E lembremos que foram nas perseguições que se manifestaram os verdadeiros servos do Senhor.

    ResponderExcluir
  5. Pessoal, alguém aí sabe de alguma coisa sobre essas apavorantes aparições de sinais nos céus do mundo inteiro, em que as pessoas estão vendo dois sóis? Não é píada, existem alguns vídeos no youtube realmente impressionates, com pessoas que em uma luz no céu semelhante a um segundo sol. Vi um vídeo no face fiquei muito assustado, proque dá pra perceber que não é fake.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Digo PESSOAS QUE VEEM UMA LUZ NO CÉU SEMELHANTE A UM SEGUNDO SOL.

      Excluir
  6. Vocês já leram as revelações de Nossa Senhora ao Padre Stefano Gobbi?
    Tem tudo a ver com as notícias atuais.
    Antonio Carlos
    Araras-SP.

    ResponderExcluir
  7. Ah se um maometano conversar fiado pra cima de mim contra Jesus Cristo, ao vê-lo sozinho vou socar a mão e o pontapé no pé dos ouvido até por a merda pra boca.
    GERALDÃO O GALÃO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é bem assim Geraldão, cuidado!, tomemos cuidado para não se anivelar na mesma pocilga em que eles se encontram. Violência, somente se estamos em perigo de morte, ou se atentarem contra a vida de inocentes como estão fazendo no Iraque, aí sim, tem que responder a altura.

      Anonimo Sidnei.

      Excluir
  8. ISLAMISMO – UMA FEROZ IDEOLOGIA TOTALITARISTA SOB FORMA DE RELIGIÃO!
    O Islã não é apenas uma suposta religião, no entanto muito mais sistema político e social integrados e fortemente opressor, pois seu fundador Maomé não era só um líder "espiritual" mas um governante e implacável conquistador que exterminava os opositores e se propagou exclusivamente à força.
    Os que alegam que o Islã é uma religião estão muito desinformados e propagam um mito islâmico, inclusive de uma fé que traz a paz, o que totalmente falso.
    No islamismo não há distinção entre as leis de Alah e as leis do Estado: fundem-se, apesar de o deus dessa religião, Alah ser desconhecido e inacessível, mesmo assim “criou” o Alcorão e as leis políticas que governam as sociedades islâmicas, com o “sucesso” que todos sabemos, como os países islâmicos de estarem tão adiantados como em 2.000 anos atrás...
    Daí, o perigo de um Islã disfarçado de religião, como a imigração islâmica dos que vivem nos países ocidentais terem a obrigação de se tornarem mudjahedeens ou heróis da causa, e lutarem para que o país anfitrião se sujeitar à sharia – leis islâmicas – ou seja, é uma "religião" integrada a uma feroz ideologia criada por Maomé pretendendo dominar o mundo, não passando de ideologia totalitarista sob disfarce religioso, parecendo-se com a esquerdista TL com sua doutrina "muy católica".
    Dilma, recentemente disse que apoia os terroristas do Estado Islâmico que trucidam e desterram sem cessar dezenas de milhares de cristãos na Siria e Iraque, além dos terroristas do Hamas; daí, o católico, mesmo os protestantes que votam nela e no PT concordam, apesar de ela ser inimiga de quaisquer cristãos - deles só quer o voto e que explodam - além de sabermos que comunistas e muçulmanos são aliados!”
    V católico, mesmo evangélico votaria em sua declarada inimiga?

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail