Nunca antes na história deste país houve manifestação cívica de tamanhas proporções


15 de março de 2015 – AMIGOS LEITORES e irmãos em Cristo, é muito difícil, e seria até hipócrita de minha parte, não falar do palpitante momento político e histórico que vivemos hoje. A situação atual é mais do que apenas importante, e mais do que apenas tensa. Vemos a ameaça do ex-presidente Lula, líder do partido governista, ameaçando convocar o "exército do MST" caso seja preciso, e discursos do presidente-ditador da Venezuela insinuando intervir caso ocorra, de fato, o impeachment da presidente Dilma.

Por todo lado, a cada minuto pipocam novos escândalos de corrupção envolvendo o partido do governo e diversos jornalistas (não de hoje) vem denunciando que grupos do MST vêm sendo militarmente treinados palas FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).

Magníficos, tremendos, maciços protestos, que não são "contra tudo e contra nada", como aqueles de 2013, e nem "contra a corrupção", genericamente falando, mas sim contra o PT, contra Lula, contra Dilma e seus sequazes, explodem hoje em todo o Brasil. Só na Avenida Paulista, mais de um milhão e duzentos mil, segundo as estimativas conservadoras da Polícia Militar. Estamos falando, simplesmente, da maior manifestação cívica popular da história do Brasil. Foram registrados em 25 Estados do Brasil e no Distrito Federal, alcançando desde pequenos municípios até as grandes metrópoles, como Salvador, Curitiba, Rio e São Paulo (onde foi quebrado o recorde histórico de pessoas nas ruas em manifestações populares). Surpreendente para muitos, também por todo o Norte e Nordeste grandes multidões marcharam, desde a manhã e durante todo o dia, até a noite, contra o atual governo.

Logo no início da manhã, as principais emissoras tentavam convencer o espectador incauto de que estas espetaculares manifestações não eram contra o partido do governo, e sim, simplesmente "contra a corrupção". Já no início da tarde, porém, não era mais possível querer tampar o sol com a peneira, e os gritos de "fora PT" já não podiam mais ser abafados.

A grande mídia fez de tudo para tentar salvar a pele do governo. Esforçaram-se para negar o que é mais do que nítido. Alguns pseudo-jornalistas chegaram a dizer que não havia pedido de impeachment(!) nas ruas, num esforço patético que se viu completamente frustrado diante das impressionantes dimensões do movimento, e da consciência dessa gente de bem que está nas ruas, a partir de hoje, – insisto, – bem diferente do que ocorria nos protestos de 2013.

Pois bem. O impeachment ou não de Dilma já não é mais a questão principal. O mais importante e fundamental desse protesto é que as pessoas não querem mais saber do PT e, especialmente, não aceitam mais a sua ideologia político-social que elege e beneficia criminosos (incluindo os de colarinho branco que engrossam suas próprias fileiras) como vítimas, e pune quem só quer trabalhar e produzir. Que divide a sociedade em classes (nós contra eles, negros contra brancos, gays contra heterossexuais, mulheres contra homens) para poder conquistar.

O impeachment, se acontecer, será uma consequência natural deste repúdio. Claro e evidente que apenas a queda de Dilma não resolve a gigantesca crise em que o PT mergulhou o Brasil. Por isso, o principal resultado deste mega-protesto que cresce avassaladoramente e se espalha por todo o Brasil é a proscrição do PT e de todos os partidos de viés comunista e/ou dito socialista bolivariano. Haverão de ser, com a Graça do Bom Deus, todos dissolvidos. – Os brasileiros estão gritando, hoje, nas ruas, que não aceitarão mais que psicopatas, histéricos e tarados ideológicos vermelhos lancem o Brasil no fundo do poço como fez o Foro de São Paulo na Venezuela.

Demorou, mas este povo brasileiro caiu na realidade. Foi quebrado o feitiço "petralha". Já não adianta mais que jornalistas vendidos tentem negar a tão simples realidade dos fatos. Não adianta mais tentar mudar o foco do assunto, por exemplo falando da inépcia de Alckmin em prevenir a crise hídrica. 

Mesmo assim, é claro, ainda existem grupos que defendem o governo deste partido, cujo líder ameaça convocar o "exército do MST" se for preciso. Um partido que traz as FARC para dar treinamento militar a esses criminosos. Pessoas que não se indignam ao ver os discursos de Nicolás Maduro com sutis ameaças à soberania do Brasil caso aconteça o impeachment de Dilma. Sim, ainda existem pessoas favoráveis a todo esse caos. A diferença é que agora eles já não são mais os únicos a se mobilizar, a se reunir, a se organizar em defesa de seus ideais. O microfone e a pena, geralmente, ainda estão em suas mãos; porém, cada vez mais, isso deixa de fazer toda a diferença.  O brasileiro, finalmente, está aprendendo a pensar por si próprio. Laus tibi, Domine!
www.ofielcatolico.com.br

6 comentários:

  1. Caro Henrique, irmão em Cristo Jesus!
    Belas palavras acerca da vergonhosa situação atual do nosso amado Brasil.
    Sinceramente, eu não imaginava que as manifestações fossem chegar a este ponto tão grandioso. Está sendo bonito ver em todo pais belas manifestações ordeiras, Só esperamos que o partido do governo, e principalmente a Presidente, tomem vergonha na cara e peça a sua renuncia. Será mais lucrativo para o Brasil e menos dolorido.

    RENUNCIA JÁ!

    Laus tibi, Domine!

    ResponderExcluir
  2. Começo a pensar que o maior inimigo é a imprensa, viu pessoal..... Acabei e ver a jornalista Ana Paula Araújo, do Bom Dia SP, dizendo na maior cara de pau que "algumas pessoas" nas manifestações pediam o impeachment. FALA SÉRIO! ALGUMAS PESSOAS????, será que só as emissoras de televisão não viram o povo gritando fora PT do começo ao fim? Aqui onde eu moro teve panelaço na hora do pronunciamento da presidente e só se escutava fora Dilma, era emocionante e assustador ao mesmo tempo. O povo não aguenta mais! A luta está só no começo, vamos ter que tirar essa quadrilha do poder na marra!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ACABEI DE VER a jornalista Ana Paula Araújo..........

      Excluir
  3. Estive na Paulista ontem! Foi impressionante o protesto.

    ResponderExcluir
  4. Como eu falei, a imprensa é vendida. A Folha está dizendo que tinha 250 mil na Paulista, sendo que a PM e outros institutos dizem que foram mais de um milhão. Na televisão a gente viu que a Paulista estava inteirinha tomada, não cabia nem uma agulha naquele lugar todo e nas ruas adjacentes. Como esses caras podem mentir assim descaradamente? Não dá!
    Luis Antonio

    ResponderExcluir
  5. Querem abafar o caso! Temos que intervi com apoio das forças armadas se preciso for, o que não dá é pra ficar como está.

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail