ONU deve parar de promover a cultura da morte, afirma Arcebispo



O EXMO. E REVMO. SR. ARCEBISPO de Assunção, Dom Edmundo Valenzeula (foto), em comunicado, emitiu admirável declaração ao Secretário Geral da ONU, Ban Ki Moon, em visita ao Paraguai durante a semana passada (25-26/2/015), trecho da qual reproduzimos abaixo:

“Não podemos omitir a nossa preocupação com a pressão exercida constantemente sobre o Paraguai, que é um Estado livre e soberano, pelos assim chamados 'especialistas da ONU', muitos dos quais aderem a ideologias obscuras que contradizem abertamente nossos valores humanos e cristãos. A força moral de uma nação é encontrada em suas crenças e valores, que devem estar em harmonia com uma educação integral e saudável, que leve em conta todas as dimensões da pessoa humana e não deve rejeitar a fé, que é uma dimensão fundamental da estrutura psico-social e espiritual do ser humano. Infelizmente, várias recomendações da ONU sobre direitos humanos para o Paraguai e outros países incluem supostos 'novos direitos', como os proclamados por grupos radicais que se dedicam a promover a legalização do aborto, a eutanásia, as uniões homossexuais com a possibilidade de estas duplas poderem adotar crianças.

É papel da Igreja ser defensora das crianças, especialmente aquelas com algum tipo de deficiência e/ou as que ainda estão no ventre de suas mães, e agora corremos o sério risco de sermos expulsos da sociedade, se os novos cânones da cultura da morte, promovidas por agentes internacionais em nível global, forem aceitos, o que seria legalizar o mal sob os auspícios do Estado. (...) Enquanto nós compartilhamos alguns bons objetivos comuns propostos pela ONU, estamos contudo vigilantes na salvaguarda dos valores humanos e cristãos do nosso povo, para que o desenvolvimento se concentre em promover uma vida plena e digna para os nossos cidadãos.”

Segundo o Arcebispo, essa pressão incide sobre áreas sensíveis como “a constituição natural da família, à contracepção, o aborto e a proteção total e integral da vida humana desde a concepção até a morte natural”. Para o Arcebispo, a ONU deve respeitar os valores e crenças dos povos e aceitar que “o papel de guiar espiritualmente e moralmente pertence à família e à religião”.
___
Fonte:
CNA, em
http://www.catholicnewsagency.com/news/paraguay-archbishop-to-un-stop-pushing-abortion-gay-marriage-65002/
Acesso 9/3/014
www.ofielcatolico.com.br

3 comentários:

  1. A mídia global não adere às colocações do O Exmo e Revmo Sr Arcebispo de Assunção, Dom Edmundo Valenzeula, por ser contra as “ideologias obscuras que contradizem abertamente nossos valores humanos e cristãos”. E, em consequência, tão pouco a atual Cúria Vaticana, infelizmente!
    Creio, com isto, o bem intencionado Bispo está com os seus dias contados à frente da Arquidiocese de Assunção.

    Rezemos pelo Santo Padre!

    Seja Louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!

    ResponderExcluir
  2. Que exemplo! Que inspire nosso cardeal arcebispo de São Paulo!

    ResponderExcluir
  3. Excelente mensagem essa do senhor arcebispo, seria tão bom que o nosso clero e o nosso episcopado tivesse essa mesma compreensão e agisse assim na defesa da família e da vida.

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail