Existe algum partido político que representa de verdade os católicos?

Na Itália, não existia nenhum. Mas surgiu o 'Popolo della Famiglia', para 'oferecer representação a quem foi traído pelos parlamentares'



Por Francisco Vêneto – Aleteia

MASSIVAS, HISTÓRICAS e decididas manifestações pró-família tomaram conta das ruas da Itália ao longo de 2015 e 2016 em reação aos avanços da chamada ideologia de gênero nas escolas do país.

Como acontece frequentemente no universo paralelo da política, porém, o clamor das ruas foi solenemente ignorado e desprezado pelo senado da Itália, que, pressionado por lobbies, decidiu equiparar as uniões civis homossexuais ao Matrimônio natural entre um homem e uma mulher que, indissoluvelmente e por amor, se comprometem entre si e com a abertura de si mesmos à concepção e à criação dos próprios filhos.

Imediatamente após este passo, os lobbies ideológicos já avançaram para as suas próximas metas: legalizar a adoção de crianças por qualquer um dos assim chamados “arranjos familiares”, incluindo pessoas solteiras e parceiros do mesmo sexo; agilizar mais ainda o divórcio, tornando o compromisso matrimonial cada vez mais superficial e inconsequente; e levar adiante nada menos que quatro projetos de lei para liberalizar a eutanásia.

O clamoroso desprezo político pela vontade popular, no entanto, levou a uma reação católica.

Gianfranco Amato, presidente dos Juristas pela Vida e um dos organizadores das manifestações pró-família no país, e Mario Adinolfi, redator-chefe do jornal católico “La Croce” ('A Cruz'), anunciaram o nascimento do partido político “Povo da Família” – em italiano, “Popolo della Famiglia”.

Adinolfi é explícito: “A Itália precisa dos católicos”.

Ele diz que o Popolo della Famiglia, porém, vai além dos limites confessionais e pretende “oferecer representação a todos aqueles que são constantemente traídos no parlamento pelo voto de ‘representantes’ que ignoram as exigências concretas manifestadas com clareza pela população”. E exemplifica, entre essas manifestações, o protesto massivo de 30 de janeiro de 2016, em Roma, contra a equiparação entre as uniões civis e o matrimônio natural. Adinolfi ainda aproveita para desmascarar hipocrisias: “Alguns [dos políticos que depois votaram a favor dessa equiparação] tinham até estado presentes na manifestação…”.

O comunicado de lançamento do Popolo della Famiglia faz aberta referência à “ajuda de Deus e ao olhar benevolente de Nossa Senhora”. Adinolfi reafirma que o partido não quer esconder a sua “clara inspiração” nem a sua evidente “raiz cultural” católica. E destaca, diante de uma sociedade laicista e intolerante, disfarçada justamente de “tolerante”: “Nós não temos vergonha de pedir a ajuda de Deus. Eu espero que isto não escandalize as pessoas!”.

A propósito de “tolerância”, Mario Adinolfi avisou que “cada insulto aumenta dez vezes as nossas energias” e relatou: “Pessoalmente, eu recebo milhares [de insultos] por dia, já que decidi me expor nas redes sociais sem filtros e aceitando toda crítica e ataque. E vieram ataques pesadíssimos, inclusive contra a minha família, contra a minha filhinha que só tem cinco anos!”.

Por outro lado, quando o Popolo della Famiglia tornou público e oficial o seu compromisso político, “as ofensas recebidas foram até menores”, conta ele. “Já os incentivos vieram de milhares de pessoas, que já se disseram decididas a colaborar”.

Trata-se, afinal, de algo raro, talvez inexistente, no cenário político atual: um partido com uma proposta católica explícita. Adinolfi confirma: o fato é “único na paisagem política dos partidos de hoje, todos sem entusiasmo. Nós despertamos muitíssimo entusiasmo em poucas horas (…) Eu acredito que [nas eleições de junho na Itália] nós vamos sorrir por ter dado esperança e futuro a um povo que não tem nenhuma vontade de se resignar”.

_____
Fonte:
Portal 'Aleteia', disp. em:
http://pt.aleteia.org/2016/03/17/existe-algum-partido-politico-que-representa-de-verdade-os-catolicos/
Acesso 25/9/016
www.ofielcatolico.com.br

6 comentários:

  1. EXCOMUNHÃO AUTOMÁTICA A TODOS OS CATÓLICOS QUE VOTAM EM PARTIDOS COMUNISTAS E ALIADOS DELES, COMO OS LISTADOS ABAIXO, SABENDO DO RISCO DE APOIAREM MATERIAL-ATEÍSTAS E ABORTISTAS, AJUDANDO A IMPLANTAR O REINO DE SATÃ NESSA TERRA, AO SE ASSOCIAREM A ELES EM SEUS INFINDOS CRIMES, DELINQUENCIAS E PERVERSÃO, DEVASSOS COM SÃO!
    13 – PT - O DRAGÃO VERMELHO
    65 – PC do B
    50 – PSOL – do Jean Wyllys, que veio do esgoto do BBB da GRobo
    21 – PCB
    16 – PSTU
    40 – PCB
    12 – PDT
    29 – PCO
    18 – Rede de Sustentabilidade(dos comunistas no poder),o partideco VERMELHO da Marina MELANCIA Silva, que ficou apenas 25 anos no PT compartilhando com a mafia, refugio seguro dos que saem do PT ou doutros partidos comunistas!
    10 - Partido PRB do abortista e aliado dos comunistas do PT, o "bispo" Edir Macedo-IURD é de uma seita pentecostalista protestante RELATIVISTA e sedizente evangélica".

    ResponderExcluir
  2. Católicos, continua a pesquisa pública no senado sobre o "ABORTO", votem a favor da VIDA, logo, votem CONTRA a pertinência do projeto!

    Repetindo, nós que somos católicos e defendemos a vida, devemos votar no CONTRA (opção vermelha) cuidado pra não confundir, muita gente pode não ler, ter uma intenção, e votar na outra que não queria.

    O voto é "CONTRAAAAAA" (VERMELHO)

    Segue o link:

    https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaomateria?id=119431&voto

    Salve Maria Imaculada!

    A Paz de Cristo!

    André

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente o padre da minha paróquia é de esquerda e deixa isso claro em suas redes sociais.... inclusive atacando o Sergio Moro, que é o homem que está mexendo no vespeiro.

    A Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo.

    ResponderExcluir
  4. Assisti há pouco o video da homilia de Dom Angelico Sandalo Bernardino, Bispo de SC, na Catedral de Nossa Senhora Aparecida. Isso ocorreu o ano passado. Achei a pregação num tom bastante comunista. Henrique, vc assistiu ao video? Este Bispo não deveria estar EXCOMUNGADO??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excomunhão eu não diria, porque ele não fala diretamente em comunismo, apenas nas entrelinhas. Aliás, este é o modus operandi dos comunistas desde sempre: não dizem o que pensam às claras, não se apresentam, não assumem o que são e o que querem. Exatamente por isso são tão perigosos.

      Conheço bem Dom Angélico, é meu conterrâneo. Esqueceram de dizer a ele que Nosso Senhor Jesus Cristo jamais fomentou a luta de classes, aliás fez o exato oposto disso. O que acontece, hoje, no Sul do Brasil, é um claro exemplo da competência maléfica dos adeptos da “'teologia (heresia)' da libertação". Um povo conservador, ordeiro e trabalhador, que preserva os bons costumes e valores cristãos, a Igreja e a família –, e, mesmo assim, as dioceses de SC e do RS estão completamente dominadas por padres e bispos hereges.

      Hereges, sim senhor, pois a tal heresia da libertação já foi condenada com toda a clareza pelos últimos Papas. São perigosíssimos justamente porque são dissimulados, travestem-se de pastores mas não passam de inimigos infiltrados no seio da Igreja. Profundamente lamentável, e todo verdadeiro fiel católico tem obrigação de combater este verdadeiro câncer, ou melhor, esta síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS) eclesial.

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. Uma verdade incontornável que muitos temem não ouvir.Mas o bom combate não se faz com o inimigo mas ao "inimigo".O que me preocupa não são nestes tempos os heréticos, os apóstatas, os inimigos em geral da Igreja.O que me preocupa são os indiferentes, os que pecam por omissão.O bom combate é ser participante, activo,é rezar, evangelizar,aprofundar os Sacramentos,estudar,pensar e agir.A descristianização do mundo ocidental não é por acaso.

      Excluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail