Heresia no livro de Rodrigo Alvarez é apresentada como 'dogma católico'



HÁ CERCA DE 3 anos, alertei (veja aqui) quanto a um erro gravíssimo contido no livro de grande sucesso do jornalista Rodrigo Alvarez (foto), intitulado “Aparecida, a biografia da Santa que perdeu a cabeça, ficou negra, foi roubada, cobiçada pelos políticos e conquistou o Brasil” (Globo, 2014) e que à época do seu lançamento foi amplamente divulgado e promovido também em ambientes católicos.

Apesar de conter boa quantidade de informações interessantes e bem fundamentadas sobre os três séculos de história da padroeira do Brasil, a obra contém um erro teológico fundamental e gravíssimo. Na realidade, afirma-se ali uma grossa heresia.

À época, entrei em contato tanto com a editora quanto com o autor, mas não obtive nenhuma resposta. Agora, o mesmo livro está sendo relançado "em edição revista e ampliada". Hoje, na livraria, diante dessas palavrinhas ('edição revista'), imaginei que o erro talvez, quem sabe, tivesse sido corrigido. Folheei um exemplar, e... surpresa! O mesmo erro continua lá, saltando aos olhos de todo católico minimamente formado (embora até agora eu tenha a impressão de que só eu notei o Boeing 747 atravessando a avenida). 

À página 81 do referido livro, no seu capítulo 10 ('Maria da Conceição'), o autor afirma que o dogma da Imaculada Conceição da Virgem Maria quer dizer que Nossa Senhora foi concebida de modo milagroso e supranatural assim como seu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo. Reproduzimos o trecho abaixo:


Clique sobre a imagem para vê-la ampliada


O trecho destacado na imagem em amarelo diz:
...um dogma que o Vaticano só reconheceria em definitivo mais de duzentos anos depois: a Imaculada Conceição de Maria, a suposição de que a mãe de Jesus teria sido concebida por um desejo divino, sem que sua mãe tivesse relações sexuais com seu pai.

Sim, um completo e tremendo absurdo teológico! Uma informação completamente falsa e, mais do que isso, para a doutrina católica, herética. Se o jornalista não tem conhecimento teológico a respeito do dogma, deveria silenciar ou, no mínimo, procurar informar-se corretamente. O dogma da Imaculada Conceição diz algo bem diferente, como já vimos por aqui:

A Santíssima Virgem Maria, no primeiro instante de sua conceição, foi, por singular Graça e Privilégio de Deus Onipotente, em previsão dos Méritos de Cristo Jesus, Salvador do gênero humano, preservada imune de toda mancha de culpa original. (...) [Pois] era preciso que a Mãe do Senhor, o Tabernáculo da Nova e Eterna Aliança, fosse imaculada, assim como era intocável e feita do ouro mais puro a Arca da Antiga Aliança (veja o texto integral).

Deixo claro que nossa fraternidade e eu mesmo não temos nada contra Rodrigo Alvarez. Pelo contrário, como já disse no início, ele empreendeu um bom trabalho de pesquisa para este livro. Suas outras obras que tratam de temas católicos eu nunca li. Mas consideramos importante esclarecer este assunto, afinal está sendo apregoada uma informação falsa e perigosa sobre um dogma de nossa fé. Por coisas deste tipo é que somos acusados por protestantes de idólatras e hereges. Se a Igreja Católica ensinasse o que se afirma no livro em questão, então, sim, seríamos dignos de censura.

Assim sendo, estamos agora encaminhando carta aos Revmos. Cardeais Arcebispos de São Paulo (sede do nosso apostolado) e Rio de Janeiro (cidade do autor do livro e da referida editora) solicitando alguma atitude. Seria de grande utilidade para a defesa da Sã Doutrina da Igreja Católica Apostólica Romana que nossos leitores – e tantos católicos quanto possível – fizessem o mesmo.
www.ofielcatolico.com.br

13 comentários:

  1. Ele tem a mamãe Globo que o coloca no colo. Gente incompetente que inventa de fazer as coisas sem cultura religiosa nenhuma. Bestial.
    Ainda bem que temos O FIEL CATÓLICO!!!!!!!!!
    Beijo fraterno.

    ResponderExcluir
  2. Li essa obra e o que se extrai de interessante são as informações históricas. Apesar disso não tive alegria alguma nessa obra por conta da grande quantidade de expressões bobas e equivocadas que o autor utiliza. Por vários momentos da leitura tive vontade de jogar o livro fora diante da falta de respeito e imparcialidade do autor com muitas das pessoas citadas no livro. Tenho minhas dúvidas se esse jornalista é católico ou um oportunista modernista que acha que pode influenciar uma "mudança de mentalidade" nos fiéis.

    ResponderExcluir
  3. Perdoem-me a ignorância, mas eu não sei o que este dogma realmente significa. Sinceramente, pensei que fosse algo muito semelhante ao que foi escrito por Rodrigo Alvarez.
    Paz e bem.

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde Samuel, também sou ignorante quanto os dogmas da igreja, mas pela forma que foi escrito pelo jornalista ficou sugestivo que Nossa Senhora teve uma vida de esposa normal após o parto.
    Essa colocação usada no livro deixou um vazio na pureza vivida por nossa Mãezinha.
    Não comprei e não tenho vontade de comprá-lo.
    Obrigada a todos pela matéria!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samuel Rx e Luciane Santos,

      Não, não é nada disso que vocês estão pensando. Exatamente por isso é que eu digo que uma afirmação desse tipo, contida num livro de grande penetração como esse, precisa ser corrigida. São exatamente as pessoas que não possuem bom conhecimento a respeito dos dogmas (infelizmente a maioria), que acabam sendo prejudicadas, porque aprendem tudo errado.

      Estou elaborando uma postagem para esclarecer o assunto.

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. Oi, Henrique, Salve Maria!Tudo bem? Peço desculpas por fugir um pouco do tema, mas tenho uma dúvida: Se eu pequei por pensamento me imaginando numa ocasião de pecado, como dizia Santo Afonso, mas sem estar pecando propriamente,e rapidamente parei e pedi perdão no Ato Penitencial da Missa, estou em pecado grave ou não? Digo isso porque não sei se comunguei em pecado grave ou não, eu sei que me imaginei numa ocasião que poderia levar ao pecado, mas na qual eu não pecava, e depois me arrependi, você pode me dar uma luz nisso? Li o post sobre pecados graves e veniais mas não encontrei uma resposta satisfatória sobre essa questão específica do pensamento em ocasiões de pecado. A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo!

      Excluir
    3. Boa noite Alexandre e a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo! Esse é outro tema fundamental do qual muito se fala sem, entretanto, a objetividade necessária para se ter uma compreensão rápida e inequívoca.
      Ofielcatolico.com tem uma matéria que aborda o tema da natureza dos pecados e como distinguí-los: http://www.ofielcatolico.com.br/2002/03/pecado-mortal-e-pecado-venial.html?m=1
      Caso esteja muito atarefado, busque no texto a passagem do Catecismo. Acredito que já responda a sua questão. De antemão, diria para não se preocupar.
      Aos moderadores: prometo moderar nos comentários, não sou um floodador profissional!

      Excluir
    4. Oi, Samuel. Então, eu já havia lido a matéria em questão, apenas não havia conseguido entender se o pensamento em uma ocasião de pecado configurava pecado grave ou não, pois se não fosse já estaria perdoado no Ato Penitencial da Santa Missa, mas de qualquer forma, decidi me confessar antes de comungar da próxima vez por via das dúvidas. A Paz de NSJC!

      Excluir
  5. Samuel, a Imaculada Conceição de Maria significa que a Virgem, gerada de forma natural por seus pais não nasceu com o pecado original que a a ausência da graça Santificante ou seja a vida de Deus em nós. E isto pelos merecimentos de Jesus que morreu na cruz para nos reinserir nesta graça que Adão e Eva perderam. Nada tem a ver com ausência do ato sexual. Talvez o equivoco se dê pelo terno concebida pois entendemos como gerada e pela confusão que se faz entre pecado original e o sexo biológico querido por Deus. Mas concebida ou Conceição neste caso quer dizer apenas criada no sentido de que alma de Maria foi criada livre do pecado original em vista da morte futura de Cristo. E infundida no corpo gerado de foram natural por seus pais.
    Quanto ao livro ele foi corrigido neste aspecto,p. 85; na versão dos 300 anos que eu comprei. Mas recreacional sua forma de escrever é em muitos aspectos desrespeitosa e no mínimo equivocada com esta frase "...imagens que simbolizassem a mãe de Jesus, sem o seu menino,e o mais importante virgem. Pois assim acabava de DECRETAR o rei de Portugal e também do Brasil." p 83 Como se a virgindade de Maria fosse criada pelo rei de Portugal bem com a concepção virginal de Jesus. Enfim uma redação não tão católica da história de nossa senhora da Conceição Aparecida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve Maria Imaculada!
      Agora entendo melhor o que o adjetivo "imaculada" significa graças aos comentários acima, principalmente por causa do seu, Prof. Francisco Castro.
      Muito grato. Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

      Excluir
  6. PARA QUAL ENDEREÇO PODEMOS MANDAR UMA CARTA PEDINDO,QUE OS RESPONSÁVEIS SE RETRATEM?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Av. 9 de Julho, 5229 – 7º andar – Jd. Paulista
      01407-907 – São Paulo – SP
      Tel.: (11) 3767-7514

      Ou mandar mensagem para acessando:

      http://globolivros.globo.com/contato

      Endereçar mensagens ao autor ou editores da GloboLivros

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. Complementando, os e-mails de contato da editora são:

      globolivros@edglobo.com.br

      imprensaglobolivros@edglobo.com.br

      Eu mesmo, antes de procurar a autoridade eclesiástica, voltei a enviar mensagens para a editora e o autor. Vou aguardar uma resposta por mais uma semana (7 dias) a partir do envio e então procurar outras instâncias. Não é possível que um autor consagrado e com um imenso patrocínio permaneça ensinando uma heresia, num livro de grande penetração como este, como se fosse dogma católico.

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$9,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail