Esquizofrenia social


Por padre Gabriel Vila Verde

VIVEMOS NUMA ÉPOCA em que querem que os padres se casem e que os casados se divorciem.

Querem que os héteros tenham relacionamentos líquidos sem compromisso, mas que os gays se casem na Igreja.

Que as mulheres tenham corpos masculinizados, vistam-se como homens e assumam papéis masculinos; querem que os homens se tornem “frágeis” e delicados (com trejeitos afetados, melhor ainda) como se fossem mulheres.

Uma criança de apenas cinco ou seis anos de vida já tem o direito de decidir se será homem ou mulher pelo resto da vida, mas um menor de dezoito anos, não pode responder pelos seus crimes.

Não há vagas para os doentes nos hospitais, mas há o incentivo e o patrocínio do SUS para quem quiser fazer "mudança de sexo" ou (ainda que não assumidamente) um aborto.

Há acompanhamento psicológico gratuito para quem deseja deixar a heterossexualidade e viver a homossexualidade, mas não existe nenhum apoio deste mesmo SUS para quem deseja sair da homossexualidade e viver a sua heterossexualidade. Aliás, se algum doutor o tentar fazer, é crime.

Ser à favor da família e da religião é "ditadura", mas urinar em cima de crucifixos é "liberdade de expressão".

Se isso não for o fim dos tempos, deve ser o ensaio.

____________
[Formularíamos, nós, ainda apenas mais algumas perguntas:
Quando, além de tudo, perdem-se nossos escassos pontos de referência, que farremos?
Quando a bússola antes muito confiável, agora já não aponta sempre e infalivelmente o Norte, como nos guiaremos?
Quando a rocha antes sólida, aquele ponto de apoio que outrora fora nossa sólida firmeza, agora mostra-se movediça e estável, onde nos apoiaremos?
Quando a boia de salvação dos náufragos também afunda, junto com o navio, de que modo escaparemos nós de perecer no fundo deste oceano de treva?
]
www.ofielcatolico.com.br

9 comentários:

  1. Este texto é do Padre GABRIEL VILA VERDE,OK.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom este artigo. É o que todos os católicos de verdade sentem. Não podemos ficar de mãos atadas. Os padres tem dever moral de falar nas homilias sobre estes assuntos.

    ResponderExcluir
  3. Olá, queria informar que esse texto é de autoria do Padre Gabriel Vila Verde... E não de Almir e ainda não é somente o nome dele que está sendo usado como autor do texto, mas, o nome do Padre Fabio de Melo também... Tanto que o Padre Gabriel chegou postar em suas redes sociais sobre esse caso, caso duvidem só conferir.. PAZ E BEM..

    ResponderExcluir
  4. A autoria do artigo está incorreta, não foi o Padre Vila Verde que a criou e sim o Teólogo e Psicanalista Almir Favarin.

    Favor corrigir a autoria do mesmo.

    A paz para Todos!

    ResponderExcluir
  5. Não estou encontrando o nome do autor do texto. Esse texto é do Teólogo e Psicanalista Almir Favarim. Gostaria de pedir para corrigir por gentileza. No inicio esta informando que o artigo é do Padre Gabriel Vila Verde

    ResponderExcluir
  6. Seja lá quem for o autor, o que esta escrito no artigo é pura verdade. Uma minoria barulhenta querendo causar grande confusão.

    ResponderExcluir
  7. Finalmente conseguimos esclarecer a polêmica sobre a autoria do texto, que é mesmo do padre Gabriel Vila Verde, ou pelo menos ele foi o primeiro a postá-lo publicamente.

    Enviamos mensagens tanto para ele quanto para o Almir Favarin (a quem é atribuída a autoria em algumas fontes) e nenhum dos dois nos respondeu para assumir esse "filho" tão belo.

    A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

    Apostolado Fiel Católico

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$9,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail