Por que criticam tanto o comunismo, se o liberalismo, a maçonaria e outras doutrinas também são condenadas pela Igreja?

A imagem acima circula pela web. Alguns se apressam em dizer que se trata de 'montagem', mas não é. São duas imagens, de eventos diferentes, em uma. O objetivo é demonstrar quão grande absurdo é que padres apoiem um partido comprometido com a promoção do aborto, um pecado gravíssimo que acarreta, ao fim, excomunhão e perda das Ordens.

O nosso leitor Enildo Luiz Gouveia enviou-nos um comentário bastante oportuno para o momento que estamos vivendo, e que representa bem o pensamento de uma parcela importante de católicos que andam confusos, especialmente em nosso país. O comentário foi postado como resposta ao nosso artigo "Cristianismo, capitalismo e comunismo", que pode ser lido aqui. Resolvemos responder às questões citadas em forma de postagem, pelo interesse comum que estas contém. Rogamos a Deus para que seja útil. Segue.

Quer dizer que o capitalismo pode ser humanizado e o comunismo não. Por que não citar também, as diversas condenações que a Igreja fez e faz ao Capitalismo?..

VEIO A CALHAR ESTE seu comentário, Enildo, porque tenho visto muito esse tipo de argumento por aí, nas conversas e nas redes sociais, e queria mesmo publicar um esclarecimento aqui no site. É para isso que O FIEL CATÓLICO serve: para ser um instrumento no esclarecimento das coisas que concernem à Fé cristã e católica.

Antes de entrar no assunto principal, vamos dizer o óbvio: o artigo que o leitor está comentando fala do comunismo –, e não do capitalismo –, simplesmente porque é a resposta a um outro leitor que veio nos propor uma suposta similaridade entre a doutrina comunista e aquilo que vemos na Igreja primitiva segundo o Livro dos Atos dos Apóstolos (o que se traduz em um completo absurdo, como o próprio artigo demonstra). 

Se a questão é sobre comunismo, não teria sentido responder falando de capitalismo, certo? Esta, aliás, é uma tática típica dos defensores de criminosos esquerdistas; se alguém questiona Lula, eles respondem dizendo: "E o Aécio?", ou: "E o Fernando Henrique?"... É como se os crimes de um automaticamente justificassem todos os crimes do outro. Como se todos aqueles que criticam "A" necessariamente fossem eleitores de "B", o que não é verdade em muitos casos. No fim, é só uma estratégia para tirar o foco da questão principal, mudando de assunto e de personagem.

Mas a outra questão, implícita no comentário de Enildo, é a principal e mais importante. Representa aquele citado argumento, que temos ouvido muito, uma espécie de esquiva sofista semelhante à que acabei de expor, e tem a mesma finalidade: tirar o foco de uma questão, desviando o assunto para um outro problema: "Por que tantas críticas ao comunismo, se o liberalismo também é condenado pela Igreja?". Além do capitalismo e do liberalismo, também há aqueles que mencionam a maçonaria, o sionismo e outras doutrinas imanentes e materialistas.

Antes de entrar na questão, é importante esclarecer: quem procurar vai encontrar, com facilidade e em diversas páginas católicas, muitos artigos com severas (e justas) críticas ao liberalismo, ao dito "capitalismo selvagem", à maçonaria, ao sionismo, etc.

Por outro lado, se nos canais católicos as críticas ao comunismo são mais frequentes e talvez mais contundentes, isso tem uma razão bastante simples e mais do que evidente: está no fato de termos agora, diante de nós, um verdadeiro batalhão de padres e bispos que apoiam partidos e políticos socialistas/comunistas.

Ora, nós não vemos padres e bispos por aí fazendo apologia do liberalismo. Eu, pelo menos, nunca vi, nem ao vivo, nem em vídeo, nem por escrito ou em qualquer outro canal. Mas quem de nós ainda não ouviu falar da herética "'teologia' da libertação"? Nossos pastores não promovem descaradamente a maçonaria, o sionismo ou o liberalismo, ainda que estas possam ter influência entre alguns, mas há uma multidão deles que aderiu à pior heresia da História segundo Bento XVI!

É simples assim o motivo porque se critica mais o comunismo: este é que foi infiltrado na Igreja, travestido de catolicismo, e que como um câncer corrói os seus alicerces, a partir de dentro, fazendo-se passar por doutrina da Igreja. Quando vemos padres e bispos defendendo abertamente um criminoso condenado, e alguns mesmo comparando-o a um santo mártir (quando não ao próprio Cristo!), não há como não haver escândalo. E graças a Deus que os fiéis católicos se escandalizam! É sinal de que o zelo pela Casa de Deus ainda nos consome, como a Nosso Senhor (Sl 68,10), que queremos imitar.

Devo dizer também que o leitor comete um outro equívoco infelizmente comum: achar que nós deveríamos tentar "humanizar" algum sistema político econômico para adotá-lo de maneira cristã. Não, nós não precisamos disso, nem de comunismo e nem de capitalismo "humanizados". Nós não precisamos "humanizar" nada porque já temos a Doutrina Social da Igreja (que inclusive trata do comunismo e do liberalismo), que se fosse posta em prática funcionaria muito bem.

Desgraçadamente, a esquerda conseguiu ludibriar muita gente com essa grande tolice, essa mentira dita e repetida um milhão vezes, que afirma que só os comunistas é que se preocupam com causas sociais, que comunismo é sinônimo de compaixão pelo próximo, enquanto que todos os outros sistemas são fascistas e opressores.

Vá tentar convencê-los de uma verdade já comprovada por diversos estudos: que um Estado menos invasivo, a proteção da propriedade privada e a promoção da livre iniciativa são muitíssimo mais eficazes na erradicação da pobreza do que essa ideia fantasiosa, porém sedutora, de um grande bolo que precisa ser igualmente repartido (nunca dizem que a fatia realmente grande fica sempre com o governo e seus agregados). Aí está uma tarefa praticamente impossível, porque o esquerdismo torna-se uma espécie de seita de fanáticos cegos, que simplesmente não querem enxergar a verdade dos fatos, quando lhes contraria.

Eu mesmo posso testemunhar –, com imensa tristeza –, que já ouvi pessoalmente, da boca de um bispo, que quem não vota no Lula é porque "não tem amor no coração"... 

"Ora, mas o PT promove publicamente o aborto, o aborto está no programa de governo oficial do partido, e também a promoção da ideologia de gênero, a luta de classes e muitos outros elementos que são diretamente contrários à doutrina da Igreja! Como é que um católico pode votar nesse partido?", argumentei, ansioso por uma resposta objetiva, mas só recebi de volta um sorriso amarelo e, como de costume, as mesmas evasivas e artifícios para mudar o foco do assunto.

A mais simples verdade é que, no caso do PT, os crimes de corrupção representam uma questão secundária para nós, enquanto católicos. Bastam dois fatos insofismáveis para que possamos chegar ao cerne da questão toda:

1) Sim, existem outras doutrinas e ideologias condenadas pela Igreja. Mas a Igreja não se encontra infiltrada e praticamente tomada, em alguns casos, por simpatizantes dessas outras doutrinas. Temos, ao contrário, uma quantidade imensa de clérigos simpáticos (para dizer o mínimo) ao comunismo. Por isso é que é muitíssimo mais urgente combater este, e demonstrar aos fiéis católicos a incompatibilidade deste com a verdadeira Doutrina católica.

2) Uma questão pontual: o PT promove o aborto. Ponto. / Padres e bispos apoiam o PT. Ponto. / O Código de Direito Canônico vigente1 prevê excomunhão automática (latae sententiae, conf. Cân. 1398) e perda das Ordens (Cân. 1041, item 4º), para quem pratica ou promove o aborto. Ponto final. Ou será preciso dizer mais?


*
*     *

Resumo: se a bronca maior recai sobre o comunismo, a razão é mais do que óbvia: a Casa de Deus está em chamas, e quem lhe toca fogo são esses maus pastores que – seja por má  vontade ou por ingenuidade (ignorância pura e simples) – promovem esse grande mal. A urgência maior em condenar o comunismo, enfim, comprova-se até mesmo pela mensagem da própria Mãe de Deus dada em Fátima. Será que alguém quer perguntar à Nossa Senhora por que ela quis nos advertir tão especialmente contra o comunismo?

** A edição 26 da revista O FIEL CATÓLICO traz um estudo completo sobre o Decreto contra o Comunismo, seus termos, sua validade ou não e suas implicações

__________
1. De 25 de janeiro de 1983 sob o pontificado de S. João Paulo II, e atualizado com a Carta Apostólica sob forma de Motu Próprio Ad Tuendam Fidem, de 18 de maio de 1998.
www.ofielcatolico.com.br

8 comentários:

  1. A imagem que aparece é a montagem de duas fotos distintas que envolve a Marcha pelas Mulheres, que quando vi fiquei horrorizado, e pesquisei, mas isso não diminui em nada o que foi dito, concordo, é que eu não entendi se o post pretendia ou não passar a imagem como uma imagem, mais é sim uma explicação do que prega a marcha pelas mulheres que estava abaixo, que Nossa Senhora interceda pela Igreja.

    Henrique

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na realidade não se trata de "montagem", Henrique, e sim de uma imagem que mostra as duas faces do problema. Os padres e bispos que apoiam o PT e seus aliados indiretamente apoiam o aborto, que é um compromisso assumido publicamente por esses partidos. É isso que a imagem tenta mostrar, unido as duas fotos.

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  2. Graças a Deus muitos padres e bispos estão se levantando contra essa ala da esquerda dentro da Igreja de Cristo ! Doeu no coração vê um bispo da Igreja ao lado de um condenado pela justiça tipo Lula e o defendendo! Doeu mais ainda vê esse mesmo bispo e padres distribuindo o corpo santo de Cristo a pessoas que não crêem nele e até combatem a sua Igreja! Isso tem que ter um fim ! A igreja é Cristo continuado na história e não um partido político!

    ResponderExcluir
  3. Artigo muito esclarecedor! Parabéns, Henrique Sebastião! Que Jesus continue te iluminando a fazer esse belíssimo trabalho de nos evangelizar e nos informar sobre a nossa Santa Igreja Católica.
    Tenho uma pergunta e dúvida que se você podesse me responder ficaria grato. No resumo temos a afirmação:
    "...ou por ingenuidade (ignorância pura e simples) – promovem esse grande mal."
    Fico me perguntando como isso é possível (ingenuidade, ignorância) para padres e bispos, mesmo depois de anos de estudos e convivio na Igreja. Não estou discordando da sua afirmação, só queria entender como isso seria possível. Desde já agradeço sua atenção.
    A paz de Cristo a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como pode imaginar, Daniel, este é um assunto delicado, mas convivendo com padres e bispos por muitos anos, e tendo estudado Teologia e Filosofia em classes de seminaristas, percebe-se o quanto caiu o nível e a qualidade do ensino que recebem, hoje. Além disso, o mais grave é a nefasta influência do marxismo cultural – que é realmente muito, muito grande, muito maior do que o leigo comum possa sequer imaginar – nos ambientes de formação, o que resulta nesse quadro trágico.

      Não há dúvida de que muitas vocações genuínas estão sendo agora corrompidas. São professores padres ateus (!) e histórias "do arco da velha", que nem convém mencionar. Parece exagero dizer, mas estão verdadeiramente trocando o Evangelho pelo manifesto comunista.

      Mesmo diante deste cenário desolador, porém, o verdadeiro cristão católico mantém a fé nas palavras da Santíssima Virgem, que advertiu em Fátima contra "os erros da Rússia", e as de Nosso Senhor, que nos prometeu que "os portais do Inferno não triunfarão" contra a sua Igreja.

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. Muito obrigado pela oportunidade e pela atenção, Henrique Sebastião. É de ficar estarrecido, mas ainda bem que temos excelentes padres, bispos e leigos estudiosos que estão nessa batalha. Abraço fraterno e a paz de Cristo.

      Excluir
    3. Henrique, como isso foi se alastrar dessa forma na Igreja Católica aqui no Brasil? será que não teria uma forma de levar isso até a Santa Sé de Roma? haver uma denuncia do que está acontecendo por aqui e ter uma reformulação nos seminários para formação dos futuros sacerdotes? Parece que a coisa só vai piorando e nada acontece para mudar.

      Excluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$9,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail