Debate sobre as privatizações

NESTE MOMENTO de "ressaca eleitoral" e forte interesse popular nas propostas e sistemas políticos para o Brasil, vale a pena (re)assistir o esclarecedor debate entre os economistas Rodrigo Constantino e Allan Mesentier sobre a obra do primeiro, o livro "Privatize Já" (Leya).

ofielcatolico.com.br

3 comentários:


  1. Magnífico debate!
    Parabéns ao jovem Rodrigo Constantino, que de modo prático, verdadeiro e sem teorias artificiosas, consegue mostrar as necessidades que o nosso Brasil precisa para sair da corrupção da máquina estatal.
    Só que o outro debatedor não mostrou qual país do mundo vive bem com as teorias marxistas e outras do gênero.
    Bem, para quem quer baixar o livro Privatize já, eis um link em PDF:
    http://minhateca.com.br/adrielss_ba/Documentos/Livros/Google+Play/Privatize+J*c3*a1+-+Rodrigo+Constantino,81947505.pdf

    A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo!
    Salve Maria!

    ResponderExcluir
  2. Engº Frederico de Souza Aleixo28 de outubro de 2014 11:52

    VERÁS QUE UM FILHO TEU NÃO FOGE À LUTA?

    "Respondeu Jesus: Não terias poder algum sobre Mim, se de cima não te fora dado. Por isso, quem me entregou a ti tem pecado maior." (Jo 19,11)

    O Brasil, de certa forma, acordou ontem de luto! Luto pelo maçom que perdeu as eleições? Não. Aécio Neves não é nem de longe um herói nacional. Não obstante, este cidadão representava um “mal menor”, uma possível desaceleração do processo autofágico de toda uma sociedade, em termos econômicos e, principalmente, morais.

    O que se espera doravante deste governo que se mantém incólume no poder é a destruição sistemática da família Brasileira, quer pelo aborto, quer pela agenda homossexual em curso, e as consequências também econômicas deste fato só podem ser negadas por quem nega a realidade, ou seja, pelos loucos! Os dados do IBGE indicam o envelhecimento da população e a redução da taxa de natalidade, que, por conseguinte, reduz a parcela ativa da população e o volume de impostos necessários para se manter a previdência, os investimentos em infraestrutura, saúde, educação, segurança… Enfim, preparemo-nos para impostos cada vez mais altos! O Japão já vem sofrendo este golpe, ao lado dos países europeus. As crises tendem a multiplicar-se!

    Infelizmente, embora sendo eu Católico, devo admitir que a reeleição de Dilma Roussef passou pelo apoio da CNBB e da maioria dos Bispos brasileiros, e porque não mundiais, haja vista o que assistimos no último Sínodo “contra a família”! Assistindo ao discurso da vitória de nossa “Presidenta”, a semelhança dos termos por ela utilizados com o do "Espírito do Concílio Vaticano II", Concílio este no qual Comunismo e Maçonaria desfilaram de mãos dadas pela Nave de São Pedro, foi impressionante: “Diálogo, complementaridade dos opostos, energia construtiva que surge do debate…”. Hegel, Karl Marx e Gramsci, do inferno, comemoraram a perpetuação de suas ideias! Kasper, cá da terra, também deve ter dado seus sorrisinhos. Quem promove os ideais do Concílio Vaticano II não pode, por força de estar sendo incoerente, discordar da eleição de Dilma!

    A crise na Igreja, infelizmente, tem suas consequências políticas, e os atuais governos latino-americanos são apenas algumas delas. A vitória de Dilma é a vitória do Concílio Vaticano II, é a vitória da Teologia da Libertação, da Renovação Carismática e seu “amoooooor” sem medidas a tudo e a todos, sem exceção.

    Há quem espere, em vão, uma solução política para os problemas atuais. Mas a verdade é que a solução passará pela nossa conversão verdadeira, pela conversão de nossos pastores e pela negação de todas as novidades oriundas do espírito sessentista que embalou nossos pais, fisiológicos ou espirituais! Portanto, não esperemos o surgimento de uma liderança que nos conduza à vitória, ademais porque toda vitória aqui é fugaz, hoje mais do que noutros tempos, feitos de homens, escudos e espadas. Noutros tempos, nos quais um Godofredo de Bulhões negava-se a usar coroa na terra onde Cristo foi coroado de espinhos, quando da reconquista de Jerusalém.

    Hoje, vivemos os tempos onde a Coroa de Cristo, não a de espinhos, é invejada por qualquer rebento de seminário, usando calças Jeans e estampas de Che Guevara. Os Levitas negam-se a servir a Cristo, a posicionar-se contra todos, menos contra Deus, e esta omissão produz os nefastos frutos que vimos nos últimos anos. Pecados que bradam aos Céus, como o aborto e o homossexualismo, bem como a perseguição aos Cristãos no Oriente Médio, são todos assuntos impronunciáveis em nome do Diálogo! Do debate!

    Creio que de todos os defeitos de um homem, o mais repugnante é a covardia. Pior ainda ser lembrado na história como covarde!

    Parabéns CNBB! Parabéns, Excelências, pelo silêncio! Parabéns, Eminências, pela iminência de desaparecimento da Fé Cristã a que nos submeteram há 40 anos! Dilma e o PT agradecem!

    Ad Maiorem Dei Gloriam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Eis por que sinto alegria nas fraquezas, nas afrontas, nas necessidades, nas perseguições, no profundo desgosto sofrido por amor de Cristo. Porque quando me sinto fraco, então é que sou forte". (II Cor 12, 10)

      Excluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail