10 maneiras simples de aproximar os seus filhos de Deus


Por Nory Camargo
Tradução e adaptação: Henrique Sebastião


OS PAIS SÃO responsáveis por proteger, cuidar, criar e educar os seus filhos, desde o momento da concepção – e são responsáveis também pela sua educação espiritual, obrigação esta que vem sendo bastante negligenciada nos últimos tempos. Por esse motivo, gostaríamos de apresentar 10 jeitos simples de aproximar as nossas crianças de Deus, já desde o momento em que ficamos sabendo que seremos pais.

Procuramos entender ‘onde’ estão deveras os filhos no seu caminho? Sabemos onde realmente está a sua alma? E sobretudo: queremos sabê-lo? Estamos convictos de que eles, na realidade, não estão à espera de algo mais?
(Papa Francisco, audiência geral, 20/5/015)


1. Rezar em voz alta durante a gravidez

Diversos estudos apontam que os bebês sempre escutam a nossa voz (já desde antes do nascimento), por isso é importante que nossos momentos de oração sejam frequentes, regulares e tão serenos quanto possível. Escolha um lugar confortável, sem interrupção ou distração. Se não tiver, você pode constuir um pequeno oratório ou rezar enquanto contempla uma imagem de Nosso Senhor, da Santíssima Virgem ou de algum santo de devoção, para que os seus pensamentos permaneçam focados na oração. Deixe o seu bebê sentir que aquele é um momento único e especial para ambos. Escolha um horário do dia, para fazer daquilo uma rotina. Enquanto rezar, acaricie a sua barriga. E o bebê irá sentir que a oração também é feita por ele e com ele.


2. Levar os filhos à Missa

Alguns se incomodam com crianças pequenas na Missa, pois elas muitas vezes choram alto, fazem barulho, deixam as pessoas desconfortáveis e não ficam paradas. E, sem hipocrisia, reconheçamos: às vezes elas acabam mesmo atrapalhando a nossa concentração e a dos outros. Porém, a nossa recomendação é que você leve seu filho à Missa todos os domingos, como fazia antes dele nascer. Se ele ainda é pequeno e chora, a amamentação pode acalmá-lo (a mãe certamente conhece o melhor jeito de serenar os ânimos do seu pimpolho). Se ele for maiorzinho e já souber engatinhar ou caminhar, e fazer birra durante a celebração, leve-o para fora da igreja, repreenda-o com muita suavidade, passeie com ele até que se acalme, e então volte para a Missa. Porém, se o seu filho já tem consciência de que domingo é dia de Missa, mas não consegue ficar parado, chora alto ou se joga no chão? Nesse caso, claramente, o problema é outro (mais de educação, que deve ser cuidadosamente dada em casa, do que qualquer outra coisa), mesmo assim é possível resolver. Leve-o para fora da igreja, agache-se na altura dele e explique, olhando nos olhos, de um devagar e tranquilamente, porque vocês estão ali e porque os bons modos são muito importantes durante a Missa.

Importante: se você for muito duro, castigar o seu filho quando ele fizer birra ou arrastá-lo abruptamente para a saída, se “fuzilá-lo” com o olhar ou gritar com ele fora da igreja, isso é muito perigoso, porque então será grande a chance de que ele passe a odiar os domingos e o momento de ir à igreja. Com o tempo, vai associar a Missa e as coisas de Deus com coisas "chatas", penosas, tediosas e que se faz por pura obrigação. Na cabecinha dele, ir à Missa será um castigo; isso provocará um grande estrago para a sua alma, que ele poderá arrastar por toda a vida. Assim que se sentir independente, vai querer se livrar da penosa obrigação. Deixando as coisas bem claras, com muito diálogo, fale para ele sobre as coisas do Céu, sobre Deus, Jesus Cristo, Nossa Mãe do Céu e nossos irmãos os santos e anjos de Deus. Adquira um exemplar de algum bom catecismo infantil e leia para ele. 

Na medida do possível, tente se colocar no lugar das crianças. Nessa idade, você também não conseguia ficar parado ou prestar atenção em algo por mais que 15 ou 20 minutos de cada vez. Sempre que vou à Missa, tenho que sair e acalmar o meu filho pelo menos umas 10 vezes, para depois retornarmos. Não desista, pois apesar de serem pequenos, eles sabem muito bem como nos manipular. A coisa importante é que as crianças percebam que, não importa quantas vezes tenhamos que sair da Igreja, nós sempre retornaremos, até a Missa acabar.

* Uma dica extra de O Fiel Católico: se você tem filho(s) pequeno(s) que costumam fazer muito barulho e distrair as outras pessoas, evite sentar-se nos primeiros bancos da igreja, por uma questão de consideração e respeito ao próximo. Se o seu filho fala, grita ou chora muito, se anda pela igreja e você tem que sair com ele com frequência, é claro que vai incomodar muito mais se você for se acomodar na frente de todos. Procure acomodar-se nas últimas fileiras, onde o ruído será menor e a movimentação não vai interferir tanto na concentração dos outros.


3. Rezar com eles antes de dormir

Pode ser ao lado da cama ou do berço, mas ponham-se de joelhos e rezem. Quando as crianças são pequenas, tudo as fascina e as provoca curiosidade. Elas são capazes de imitar o que é bom e, infelizmente, também o que é ruim. Ensine o seu filho a fazer o sinal da cruz. Mas tente não prolongar demais esse momento, senão a criança vai querer fazer outra coisa. Se o seu filho ainda é um bebê, pegue a mãozinha dele para fazer o sinal da cruz, e depois rezem juntos. É provável que elas tentem chamar a sua atenção enquanto estiver rezando: vão conversar, cantar, vão pegar os brinquedos ou puxar a sua blusa. Aproveite essa oportunidade para explicar o que vocês estão fazendo, porque é importante, e convide o seu filho a rezar também. Peça que ele repita as suas palavras, ou então pergunte: "Por que você gostaria de agradecer a Deus hoje?", ou "Você quer mandar uma mensagem comigo para a Virgem Maria?". Repare como perguntas desse tipo vão surpreendê-lo.


4. Acostumar as crianças com imagens de Jesus e de Maria


Todo católico deveria ter um oratório em casa. Não é necessário que seja grande, mas deve ficar num lugar especial, visível e acessível a todos os membros da família. É muito importante que nossas crianças sejam expostas às imagens sagradas de Jesus, de Maria, dos santos e dos anjos de Deus. Ensinamos o meu filho de 15 meses a mandar beijos para a santíssima Virgem. Sempre que ele vê uma imagem de Nossa Senhora, não importa onde esteja, manda um beijinho para ela, e meu coração se derrete...

Crianças aprendem depressa; é fundamental que, nos seus 5 primeiros anos de vida, nós as ensinemos tudo o que for possível. Certo dia, meu filho achou o chaveiro de minha mãe numa bolsa. Quando viu que ali havia uma imagem de Nossa Senhora de Guadalupe, sem que ninguém dissesse nada (fez uma cara de surpresa), ele nos olhou por um segundo e depois a beijou. Você pode colocar um crucifixo no quarto do seu filho e, na cabeceira da cama, a imagem da Virgem Maria ou do Anjo da Guarda.



5. Deixar que escolham filmes e livros sobre Deus

Aproveite o gosto do seu filho pelos filmes e pelas histórias. Compre filmes como “A Arca de Noé”, “Davi e Golias”, “O Bom Samaritano”, “O Filho Pródigo”, “A História de José e seus Irmãos”, “Os Milagres de Jesus”, “O Príncipe do Egito”, “José: O Rei dos Sonhos”, etc. Também há vários livros que, com ilustrações e de um jeito divertido, ensinam as histórias da Bíblia para as crianças. Você pode comprar livros bíblicos infantis para colorir, disponíveis em muitas livrarias ou bibliotecas (cuidado com os que trazem pregações protestantes e interpretações equivocadas dos textos bíblicos).

Assim, você dará aos seus filhos opções de escolha. Jamais os obrigue ou castigue caso não queiram praticar uma atividade. Você pode oferecer uma opção diferente a cada final de semana, e convidá-los a ir comprar com você o livro ou o filme que preferem. Esse é um jeito simples e divertido para que nossos filhos aprendam, desde muito pequenos, sobre a vida de Jesus, da Virgem Maria e dos santos.


6. Deixar que participem de atividades ligadas à igreja

Se na escola dos seus filhos existe um grupo missionário infantil, incentive-os e deixe que se tornem membros. Se eles gostam de teatro, deixe que participem de peças religiosas. Se eles gostam de cantar, incentive-os a participarem do coral da igreja. Se a escola recolhe roupas ou alimentos para os necessitados, explique porque devemos ajudar o próximo. Nunca proíba o seu filho de participar dessas atividades se ele tiver interesse. Deixe que ele tenha essa experiência e sempre mantenha uma atitude positiva em relação às suas conquistas e aventuras. Faça com que ele saiba o quanto Deus aprecia o seu bom comportamento e solidariedade, e o quanto você se orgulha de tê-lo como filho.


7. Deixar que vejam que há crianças que não têm tudo

Levar nossos filhos a fundações ou instituições de assistência infantil é uma linda experiência para todos os envolvidos: para as crianças que visitamos, para nossos filhos e para nós mesmos. Ajudá-los a ver que o mundo não é um lugar ideal, e que nem todas as crianças têm um lar com um papai e uma mamãe, é algo que lhes abrirá os corações. Você pode ir visitar uma fundação para a adoção de crianças, ou um hospital infantil. Todas as crianças merecem ser amadas e ouvidas. Os seus filhos podem passar por essa experiência pelo menos duas vezes por ano. Organize um jogo de futebol, uma tarde no cinema, uma confraternização com uma entidade de sua escolha. O seu filho entenderá que nem todas as crianças possuem os mesmos privilégios que ele. Ele aprenderá a dividir, verá os outros como iguais. Não havendo diferenciações durante essas atividades, ele se tornará uma criança consciente, disposta a sempre ajudar o próximo.


8. Ensinar os filhos a apreciar a natureza

Não é necessário viajar a países distantes para que o seu filho aprenda a admirar paisagens impressionantes. Uma flor já basta para falar da Presença de Deus em cada uma de suas menores criaturas, no céu, no mar, nas estrelas, na lua, nas árvores, nas montanhas. Tente perguntar ao seu filho o quanto ele acha que Deus o ama (a resposta pode te comover), mas você pode lhe dar algumas dicas. Desafie-o a contar as estrelas ou a adivinhar a profundidade do oceano. E diga que assim é o amor de Deus: infinito, maior que a quantidade de estrelas no céu, ou dos grãos de areia na praia. É importante que nossos filhos saibam que tudo o que nos cerca foi criado por Deus. Viajar pode ser também uma oportunidade perfeita para que você converse sobre Deus com os seus filhos.


9. Ensinar que dar é melhor que receber

A época do Natal é perfeita para essa atividade. Há duas maneiras de agir: a primeira é comprar brinquedos ou roupas para crianças carentes, para que elas também possam celebrar. A outra opção é pedir aos seus filhos para doar brinquedos que estejam em boas condições e que eles já não utilizem. Devemos incluir as crianças em todas as fases do processo, desde a compra ou a escolha dos brinquedos, passando pela embalagem, até chegar na entrega final em pessoa. 

Assim, elas entenderão que possuir coisas não é fácil para todo mundo, e que nem todas as crianças têm o privilégio de terem pais provedores. Esse ato de generosidade pode acontecer em qualquer época do ano, pois o importante é transmitir para as crianças o amor por aqueles que mais precisam. Ao final da atividade, podemos perguntar como eles se sentiram levando presentes para outras crianças, ou o que eles mais gostaram em tudo aquilo. Podemos encontrar Deus de muitas maneiras, e devemos ensiná-los que a caridade traz enorme felicidade.


10. Ensinar a fazer ação de graças

O café da manhã, o almoço e o jantar podem ser ocasiões perfeitas para ensinar aos nossos filhos que devemos agradecer a Deus por tudo que Ele nos dá, inclusive a comida em nossa mesa. Lembre-se de que o seu exemplo é a melhor ferramenta, torne-se um exemplo para os seus filhos, e faça ação de graças onde você estiver. Peça aos seus filhos para repetir as suas palavras, e eles aprenderão a fazer o mesmo por conta própria.

____
Fonte:
'10 Simple Ways to Bring Your Children Closer to God', disp. em:
http://catholic-link.org/2016/11/01/10-children-closer-god/
Acesso 14/11/016
www.ofielcatolico.com.br

2 comentários:

  1. Muito importante isso, e como faltam famílias de Deus! Que Deus nos abençoe!

    ResponderExcluir
  2. Nossa. Se toda família tivesse isto como exemplo

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail