Bento XVI e a Comunhão na língua, de joelhos

[Nota do editor: essa postagem tem por objetivo incentivar os fiéis católicos a realizarem cada vez mais comunhões dignas e permeadas de autêntica adoração. É, claro, de nosso conhecimento, que a administração da Comunhão na mão é aceita pela Igreja, ainda que esse não seja o modo ideal de se receber a Nosso Senhor.]



EM 2010, SENDO BENTO XVI o Papa reinante, o Ofício das Celebrações Litúrgicas do Sumo Pontífice emitiu um documento no qual defende a Comunhão seja recebida sempre de joelhos e na boca. Elencamos, a seguir, algumas das partes mais relevantes desse texto. 

Desde o tempo dos Padres da Igreja, existiu uma tendência que foi sendo consolidada: a preferência de distribuir a Sagrada Comunhão na língua ao invés de distribui-la na mão. São duas as motivações para esta prática: 

1) para evitar, tanto quanto possível, que partículas Eucarísticas possam perder-se (por ex: ficarem na mão depois de comungar, e até mesmo caírem no chão); 

2) aumentar a devoção entre os fiéis na Presença Real de Nosso Senhor no Sacramento da Eucaristia. 

Sto. Tomás de Aquino também se refere à prática de receber a Sagrada Comunhão apenas na língua. Ele afirma que tocar no Corpo do Senhor é próprio, apenas, para o sacerdote ordenado. Portanto, por vários motivos, entre os quais o Doutor Angélico cita o respeito pelo sacramento, escreve: 
...como forma de reverência para com este Sacramento, nada o toque, apenas o que é consagrado (o sacerdote), uma vez que o corpo e o cálice são consagrados, também as mãos do sacerdote (o foram) para que tocasse nesse Sacramento. Por isso, não é lícito a ninguém tocá-lo, excepto por necessidade, por exemplo, se fosse cair sobre o chão, ou então em algum outro caso de urgência."
(Summa Theologiae, III, 82, 3) 

Ao longo dos séculos, o momento da Santa Comunhão sempre foi marcado com sacralidade e profundo respeito, esforçando-se os bispos para constantemente desenvolver os melhores sinais externos que poderiam promover a compreensão deste grande Mistério sacramental.

Na sua solicitude amorosa e pastoral, a Igreja tem a certeza de que os fiéis recebem a Santa Comunhão tendo no seu interior corretas disposições, entre as quais se destacam a disposição e a necessidade de compreenderem a Presença Real d'Aquele que estão para receber. (vide Catecismo do Papa Pio X, nn. 628 e 636).

A Igreja no Ocidente estabeleceu o ato de ajoelhar-se como um dos sinais de devoção adequado para os que vão comungar. Um ditado célebre de Sto. Agostinho, citado pelo Papa Bento XVI no n. 66 da sua Encíclica Sacramentum Caritatis, ('Sacramento de Amor'), ensina: "Ninguém come desta Carne sem primeiro adorá-la, podemos pecar se não a adoramos" (Enarrationes in Psalmos 98, 9).

Ajoelhar-se, neste caso, mostra e promove a adoração necessárias antes de receber Cristo Eucarístico. A partir desta perspectiva, o então Cardeal Ratzinger assegurou que "a comunhão só atinge a sua verdadeira profundidade quando é apoiada e rodeada por adoração" ['The Spirit of the Liturgy', Ignatius Press, 2000, p. 90]. Por esta razão, afirmou ainda que "a prática de se ajoelhar para a Santa Comunhão tem em seu favor uma tradição já antiga, e é um sinal particularmente expressivo de adoração, completamente apropriado, à luz da Presença verdadeira, real e substancial de Nosso Senhor Jesus Cristo sob as espécies consagradas" [carta 'This Congregation' of the Congregation for Divine Worship and the Discipline of the Sacraments, 1 de Julho de 2002]. 

** Assine a revista O FIEL CATÓLICO e tenha acesso a muito mais!

___
Ref.:

Senza Pagare, disp. em:
http://senzapagare.blogspot.com.br/2017/12/o-papa-bento-apenas-distribuia-comunhao.html?m=1

Acesso 6/1/018
www.ofielcatolico.com.br

3 comentários:

  1. Concordo plenamente. Porém não é divulgado pelos Padres na Igreja. Ao contrario os Padres ensinam comungar na mão. a CNBB deveria orientar os Padres e Fies

    ResponderExcluir
  2. É triste ver que esta vontade de Bento xvi nao é cumprida em tantos lugares!

    ResponderExcluir
  3. O Sagrado virou profano, o povo acha que o padre e os ministros da eucaristia purificão a mão por higiene, nao sabe que é por Respeito ao Sagrado, assim devemos também ter respeito, comungar na boca é um dever de todos os que amam verdadeiramente Jesus na Eucaristia.

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$13,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail