Ecumenismo ou negação da Fé cristã?

'Negação de S. Pedro', por Caravaggio (1610)


O ECUMENISMO, EM SI mesmo, não precisa representar um mal ou uma traição à Fé cristã verdadeira. Mas para que quaisquer esforços em prol do ecumenismo e de uma fraternidade universal sejam viáveis para os católicos, é preciso que tais suponham a unidade e a exclusividade da Verdade. O que passar disso, ainda que se chame confusamente de "ecumenismo", não passaria de uma outra forma para expressar o velho e herético sincretismo de sempre.


Todo católico pode e até deve procurar uma convivência fraterna com todas as pessoas, na medida do possível; não há nada de errado em que a Igreja empenhe bons esforços em prol da paz mundial. Mas é impossível falar de ecumenismo, se para tanto a Igreja tiver que deixar de ser clara naquilo que ensina. Os primeiros Padres viam-no com absoluta clareza: São Justino, por exemplo, explicava que em muitas religiões existem “germes de verdade” (spermata aletheias)[1]; referia-se ao logos spermaticos, isto é, a alguma parte incompleta, algo que permite um pequeno vislumbre do Logos. Todavia, conclui dizendo que todos necessitam alcançar o conhecimento e à contemplação do Logos Pantos, que é Cristo, a plenitude da Verdade[2], e esta só se revela na única e una Igreja instituída pelo mesmo Cristo.


A infinita distância entre as sementes de Verdade (da única Verdade), que pugnam no campo da ordem natural, e a Revelação do Logos total, somente pode ser vencida por Cristo Redentor, único Mediador entre Deus e os homens, que confiou à única Igreja, sua Esposa imaculada, o sagrado Depósito. Qualquer coisa que suprima ou ignore esta verdade fundamental constitui-se em expressão falsa do ecumenismo.


O falso ecumenismo supõe a "evolução" essencial do dogma (que São Pio X condenou em sua Pascendi) e ignora o desenvolvimento homogêneo efetuado por conclusão teológica, o qual Santo Tomás chama explicatio fidei, que sempre mostra um “crescimento” no mesmo sentido[3].


É falso “ecumenismo” o que insiste em querer unir aquilo que é incompatível, dissimulando a Verdade, suprimindo a integridade da Doutrina. É falso todo tipo de “ecumenismo” que ensine serem irrestritamente irmãos todos os homens, tanto os católicos quanto os seguidores de seitas, os pagãos, os pecadores públicos e todos os que não estão unidos, como membros, ao Corpo Místico de Cristo. As muitas “igrejas” que se formaram fora da única Igreja verdadeira (com o agravante de a renegarem e blasfemarem continuamente contra esta) constituem comunidades imperfeitas, que não são a Igreja, conforme explica a Dominus Iesus (nº 17). Esta carência abismal só se pode curar pela conversão.


Tenhamos, pois, muito cuidado com as pregações que hoje ouvimos no seio da própria Igreja, as quais afirmam o contrário – tantas vezes, desgraçadamente, saindo da boca do próprio Papa reinante. Toda a Tradição e o Magistério da Igreja, em seus ensinamentos perenes e por dois mil anos (assim como os próprios Catecismos da Igreja desde a Didaqué), sempre foram claríssimos em afirmar e esclarecer que somente os batizados são, em sentido integral, "filhos de Deus". No Catecismo Maior de São Pio X, por exemplo, temos sobre o Batismo as seguintes verdades imutáveis de nossa Fé:

287) Por que podemos dizer que somos filhos de Deus?

Somos filhos de Deus:

1º porque Ele nos criou à sua imagem e nos conserva e governa com a sua providência;

porque, por especial benevolência, Ele nos adotou no Batismo como irmãos de Jesus Cristo e co-herdeiros, juntamente com Ele, da eterna glória.


553) Quais são os efeitos do Sacramento do Batismo?

O Sacramento do Batismo confere a primeira graça santificante, que apaga o pecado original e também o atual se houver; perdoa toda a pena devida por eles; imprime o caráter de cristão; torna-nos filhos de Deus, membros da Igreja e herdeiros do Paraíso, e torna-nos capazes de receber os outros Sacramentos.


Também o Catecismo mais recente, de São João Paulo II, reafirma exatamente o mesmo sobre o Batismo:

1213. O santo Batismo é o fundamento de toda a vida cristã, o pórtico da vida no Espírito («vitae spiritualis ianua – porta da vida espiritual») e a porta que dá acesso aos outros sacramentos. Pelo Batismo é que somos libertos do pecado e regenerados como filhos de Deus: tornamo-nos membros de Cristo e somos incorporados na Igreja e tornados participantes na sua missão.


Logo, a verdade é que para nós, católicos, aqueles a quem podemos chamar efetivamente de "irmãos" são os que, tendo recebido o Batismo, professam a mesma Fé e mantém-se unidos nos seguimento da mesma Doutrina como membros da Igreja de Cristo.

Não se pode ocultar a Verdade revelada por Nosso Senhor, para a nossa salvação, por medo de "ofender" a quem não tem a verdadeira Fé ou a quem crê de modo contrário. Ora se cremos que aquilo que pregamos é a única Doutrina integralmente verdadeira, é absurdo abdicar dela em nome do "respeito" e da "tolerância". Tal coisa, aliás, se configura em grave pecado, o pecado do respeito humano, que ocorre quanto tememos ou respeitamos mais aos homens do que a Deus; quando ficamos mais preocupados com o que outras pessoas pensem de nós do que com o que Deus vê em nós. Este pecado, de fato, pode originar muitos outros pecados graves, tanto de obras quanto de omissão. Mais ainda do que isso, tal prática se configura em negação da Fé e apostasia geral para com o próprio Cristo (saiba mais).

Pio XII já alertava contra o perigo do irenismo, que costuma se ocultar “sob a capa de virtude”, querendo passar por cima das “questões que dividem os homens” para então “reconciliar opiniões contrárias, mesmo no campo dogmático”. De modo profético, advertiu a Igreja do perigo dos que, já no seu tempo, queriam reformar “a Teologia e seu método”, e, conquistados por imprudente irenismo, queriam “restabelecer a unidade fraterna conduzindo à ruína a integridade da Fé”[4]. No fundo, tanto o irenismo quanto o sincretismo são provas de falta de Fé; são formas de ceticismo quanto ao poder e ao conteúdo da Palavra de Deus, que temos o dever de pregar para a conversão de todos os povos, conforme nos ordenou expressamente Nosso Senhor[5].


Temos visto e ouvido muitas notícias sobre assembleias, encontros, reuniões, congressos e sínodos “ecumênicos”, que claramente se configuram em sincretismos. Mas não há, como nunca houve, na verdadeira Igreja Católica, lugar para acomodações e "jeitinhos", para compromissos ou alianças com os que renegam a Verdade da Fé, menos ainda para o pecado do respeito humano apresentado como virtude. Não importa quem diga o contrário, ainda que seja o Papa ou um anjo descido do Céu: se alguém pregar um Evangelho diferente daquele dos Apóstolos, seja anátema (cf. Gl 1,8). Não foi um Papa que o ordenou, mas o próprio Senhor Jesus Cristo:

Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.
(Mc 16,15s)


_____
[1] Apologia I, 44, 10.

[2] Apologia II, 7, 3.

[3] Cf. Pe. Fco. Marín Solá, O.P., La evolución homogénea del dogma católico, 2ª ed., Bibl. de Autores Cristianos, Madri, 1963.

[4] Humani Generis, I, nº 6, II, nº 20.

[5] Ecclesiam Suam, II nº 93.

[6] Ut Unum Sint, nº 36 in fine, nº 38, 42, 79.

[7] Ap 22,20.


Divulgue nosso trabalho em suas redes!

4 comentários:

  1. Exclente artigo, muito esclarecedor! confio muito no trabalho de vocês

    L.A.

    ResponderExcluir
  2. O FRAUDULENTO ECUMENISMO APREGOADO HOJE EM DIA, A PARTIR DO TOPO DA IGREJA, É O DE SACRIFICAR ALGUNS DOGMAS E ENSINAMENTOS MAGISTERIAIS BI MILENARES DA IGREJA CATÓLICA, INTOCÁVEIS E DIGNOS DE FÉ, EM NOME DO FAVORECIMENTO DO SINCRETISMO RELIGIOSO E PERVERSOR DOS DESPREVENIDOS, NIVELANDO N SENHOR JESUS CRISTO A HUMANO BUDA, À SATÂNICA DEUSA LUA ALAH E A OUTROS FUNDADORES DE RELIGIÕES PAGÃS - ISSO SIM, MAIS QUE LÓGICO, O ATUAL PROPAGADO ECUMENISMO!
    Desde quando podemos nomear os heréticos e relativistas protestantes com suas mais de 30 000 seitas independentes entre si - fora as de fundo de quintal - cada qual entre si disputando ser uma mais verdadeira que a outra? Além de que muitos espertalhões e negociantes de supostos milagres, usam-nas para iludir os ignorantes, como os católicos de S Missas de 7º dia e comparecentes esporadicamente a algumas festas importantes, subverteram-nos a essas seitas, compostas por falsas denominações religiosas, com interpretações de textos por conveniências, por auto nomeados pastores e "bispos", ávido$ por auferirem recursos financeiros - de forma alguma engoliremos uma dessas trapaças e tramóias desses falsários e os chefões das seitas acusam-se reciprocamente de pertencerem à Maçonaria, mais que sabido e visto em certas redes!
    O "bispo" Edir Macedo é um desses, aliado dos comunistas-maçonaria PT quando estavam no poder via fraudes e reside em Manhattan num ap de apenas R$9 500 000 00!
    Poucos sabem disso, que a maçonaria e a NOM prestigiam as seitas, pois nada melhor que um povo sem fé definida, ou crendo num certo e indeterminado deus subjetivista, como eles, inseridos no idem deus subjetivista, arquiteto do universo, o G,A D. U.
    Só mesmo o papa Francisco com coragem para prestigiar os alienados na fé protestantes e a outros pagãos - como aos muçulmanos do incoerente Alcorão e comunistas do PCchinês - não sei se comunistas nem se por escrito respeitam - sendo aqueles sem magistério definido, sacramentos e interpretações das SS Escrituras segundo as consciências individuais, algumas bíblias havendo sido até reengenhadas para favorecerem os GLBTQ+, enquanto isso, os filhotes do arqui heresiarca Lutero, cada qual com sua bíblia apropriada à seita a que pertencem, como os TJs mesclados de AT com NT, os quais estão, sem exceção, excomungados e idem seus asseclas pela bula do Concilio de Trento EXSURGE DOMINE!
    Esse tal de ecumenismo apregoado até por alguns da Igreja desde a Alta Hierarquia seriam compostos de infiltrados na Igreja católica do comunismo, protestantismo e especialmente da Maçonaria-NOM-anticristo, cujo intuito principal é implodi-la para o advento desse e instalação da sua tirania - ai dos que cederem às pressões desses inescrupulosos e anti católicos de todos os arquétipos - o diabo os espera!

    ResponderExcluir
  3. São Lutero, digo, São João Paulo II... muito boa!

    ResponderExcluir
  4. A paz de Cristo.

    Texto excelente, como sempre vejo aqui, comentários, idem.

    Ecumenismo. Não sei porquê, mas essa palavra sempre me lembra "comunismo", claro, deve ser pela fonética quase idêntica, mas também, penso eu, pois as duas frases são irmãs de antanho ( isso me lembrou o meu avô, antanho...), logo, Ecumenismo não existe nem nunca existiu.

    Isso me faz lembrar as cercas entre as casas, que separam as casas, quintais, quando existiam muitos quintais. E cerca é para lembrar que cada um fica no seu lado, sem se misturar. Então, a pessoa cumprimenta o vizinho educadamente, mas não vai na casa dela, come, bebe e divide as mesmas ideias.

    Logo, se relacionar civilizadamente com os nossos vizinhos, é uma obrigação ( desde que eles não ataquem a gente, não é mesmo, protestantes radicais e muçulmanos, idem? ), mas dizer que somos irmãos de fé, que tudo é a mesma coisa, é uma distância daqui até Andrômeda!

    Católicos seguem a ÚNICA Igreja fundada por Cristo, tendo Pedro como primeiro Papa. Protestantes, fazem o oposto do que Cristo ensinou e mandou ( sim, Cristo mandava as pessoas fazer, como o Pai fez com o povo hebreu. Não é "pedir", mas sim, mandar, pois Deus tudo criou, Ele não pede, manda, claro; quem não quiser, não obedece, mas que este, prepare a sua longa estadia no Inferno....), o mesmo acontece com muçulmanos, hindus, budistas, espíritas, etc.

    Quando um papa, como Francisco, começa a repetir o velho chavão de "Ecumenismo", claro, isso não começou com ele, mas se intensificou no seu pontificado; é sinal que a Igreja está contaminada pela Maçonaria, pela esquerda, toda ela, pois não existe esquerda "moderada", isso é apenas mais um artifício do Maligno.

    Tenho discutindo com muitos protestantes que teimam em dizer que a Igreja Católica é repleta de males, todos os males. Sempre digo a eles que a Bíblia não caiu na cabeça de Lutero, durante um forte vendaval ( acho que vi aqui, essa expressão...), mas que foram monges católicos em mosteiros católicos que copiavam/copilavam as Sagradas Escrituras, até os anos 1500, quando Gutenberg inventou a prensa técnica. Ou seja, se não fosse o clero Católico, protestante não teria Bíblia para estudar. Claro, também falo que erros, males, existem em todas as religiões e fora dela.

    Isso sempre me leva a pensar que Ecumenismo, é igual a pessoa que apanha todo o dia, mas continua abraçando e beijando o seu algoz: é prazer em apanhar, nada mais.

    Quando vemos uma Campanha da Fraternidade entregue a uma "pastora" protestante, abortista, feminista, pro aborto, nós vemos que no mínimo, a "Igreja" de Francisco, gosta de apanhar dos inimigos, que aliás, são declarados, nem disfarçam. Sim, já conversei com Reformistas conscientes, que respeitam a Igreja Católica, mas sabemos que é uma minoria, nada além disso.

    Fico muito triste com essa atual situação em que vivemos. Que Jesus nos dê forças para seguir lutando e mantendo a Fé, como nos ensinou o querido Paulo em suas Cartas.

    Abraços,

    Salve Maria!

    ResponderExcluir

** Inscreva-se para o Curso Livre de Teologia da Frat. Laical São Próspero e receba livros digitais de altíssima qualidade todos os meses, além de áudio-aulas exclusivas e canal para tirar suas dúvidas, tudo por R$29,00/mês. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Subir