Análises do nome de S. Pedro Apóstolo e da passagem de Mateus 16,18




NO ARAMAICO, temos duas palavras que designam os materiais rochosos:

1. Evna = Pedra;

2. Kepha ou, transliterado para o grego, Cefas = Rocha.


Em grego, assim como no aramaico, temos também duas palavras:

1. Lithos (λίθος), = Uma pedra pequena;

2. Petra (πέτρᾳ) = Rocha maciça; grande pedra (que é o equivalente de kepha).


Na Sagrada Escritura lemos como Jesus deu um nome novo ao pescador que se chamava Simão, e este nome foi Kepha (no aramaico original, em que Jesus e seus discípulos se comunicavam, e no qual certamente foi escrito originalmente o Evangelho segundo Mateus), transliterado como Cefas, que na tradução para o grego ficou Petrus, como podemos ver no Evangelho segundo João 1,42:

“Levou-o a Jesus, e Jesus, fixando nele o olhar, disse: 'Tu és Simão, filho de Jonas; serás chamado Cefas' (que quer dizer Pedro).”

É importante saber que em aramaico não há gênero, mas em grego sim. Por isso a palavra Petra, que é o equivalente a Kepha (Cefas) foi masculinizada para dar nome a um homem, o que deu origem a Petrus (e por fim a 'Pedro', no português), – mas o significado do nome, evidentemente, permaneceu o mesmo (rocha ou pedra grande); se uma tradução alterasse o significado do que foi dito, isto seria uma deturpação fundamental do sentido da fala do Senhor Jesus Cristo.

Esta realidade muito básica é atestada em todo o estudo formal e acadêmico das Sagradas Escrituras, inclusive nos principais léxicos protestantes, como podemos ver abaixo (grifos nossos).

• Concordância Strong:

"4074 – πετρος – Petros; Pedro = uma rocha ou uma pedra; 1) um dos doze discípulos de Jesus."

• Friberg, Analytical Greek Lexicon

Πέτρος, ου, ὁ – Pedro, nome próprio masculino dado como um título descritivo para Simão, um dos apóstolos (Mc 3,16); o significado do nome, 'a pedra', é provavelmente o equivalente grego de uma palavra aramaica transliterada como Κηφᾶς [Kephas – João 1,42].”

• Thayer, Greek Lexicon of NT

Πέτρος, Πέτρου, ὁ – Um nome próprio apelativo, o que significa 'uma pedra'; 'uma rocha'; 'rochedo'.”


Estamos tratando de um fato claríssimo. Não há polêmica ou discordância, ao menos entre estudiosos sérios, até aqui.

Outra nuance a ser observada é que na tradução para a língua portuguesa, a diferença entre "Pedro" (nome próprio) e "Pedra" (substantivo) não permite acentuar a força do original aramaico ou da tradução para o grego, nas quais são usadas palavras, tanto para o nome quanto para o objeto, que designam explicitamente a materialidade da rocha. O Concordância Strong, que é um dos léxicos bíblicos mais utilizados pelos protestantes brasileiros, define expressamente que Cefas ou Kepha significa "Rocha". Vejamos a citação literal (a tradução entre colchetes é nossa):

“03710 כף (Keph) – Procedente de 3721, grego 2786 – κηφας [Cefas]; DITAT – 1017; n m; – 1) Rocha; cavidade duma rocha.”


Mais uma vez, portanto, comprovamos que todos os principais especialistas, – católicos e não católicos, – confirmam que o nome de Pedro significa “Rocha” ou “Pedra” (com sentido genérico, sem definição de tamanho), sendo que na Bíblia Sagrada abundam as passagens que dão a Pedro o nome “Cefas”:

"Seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, seja o presente, seja o futuro; tudo é vosso," (1Cor 3,22)

"Acaso não temos nós direito de deixar que nos acompanhe uma mulher irmã, a exemplo dos outros Apóstolos e dos irmãos do Senhor e de Cefas?" (1Cor 9,5)

"E conhecendo Tiago, Cefas e João, que eram considerados como as colunas, a Graça que me havia sido dada, deram-nos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão;" (Gl 2,9)


Entretanto, para a confusão e o desespero dos "evangélicos" mais radicais, que sustentam a estapafúrdia ideia de que na passagem de Mateus 16,18 Jesus teria se afirmado a si mesmo como Rocha e a Pedro como "pedrinha", – e, mais além, que essa suposta diferença conteria em si um importante significado teológico, – o texto literal da Bíblia também chama o próprio Senhor e Deus, Jesus Cristo em Pessoa, de “Lithos”; – a mesma palavra em gênero, número, grau e declinação que é usada para chamar as pedras que seriam arremessadas contra a mulher adúltera (cf. Jo 8,7) e das pedras que tomaram os incrédulos para atirar (pequenas, portanto) contra Jesus (cf. Jo 8,59):

Ὡς δὲ ἐπέμενον ἐρωτῶντες αὐτόν, ἀνακύψας εἶπεν πρὸς αὐτούς, Ὁ ἀναμάρτητος ὑμῶν, πρῶτον ἐπ᾽ αὐτὴν τὸν λίθον βαλέτω." (Jo 8,7)

Na tradução:

“Como insistissem na pergunta, Jesus se levantou e lhes disse: Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra.”


E novamente a mesma palavra, com o mesmo significado (aqui no plural):

"Ἦραν οὖν λίθους ἵνα βάλωσιν ἐπ᾽ αὐτόν· Ἰησοῦς δὲ ἐκρύβη, καὶ ἐξῆλθεν ἐκ τοῦ ἱεροῦ, διελθὼν διὰ μέσου αὐτῶν·" (João 8, 59)

Na tradução:

“Então pegaram em pedras para lhe atirarem; mas Jesus ocultou-se, e saiu do templo, passando pelo meio deles, e assim se retirou.”


Por fim, vemos a mesmíssima palavra sendo usada com sentido completamente diferente:

“Ὡς δὲ ἐπέμενον ἐρωτῶντες αὐτόν, ἀνακύψας εἶπεν πρὸς αὐτούς, Ὁ ἀναμάρτητος ὑμῶν, πρῶτον ἐπ᾽ αὐτὴν τὸν λίθον βαλέτω” (1Pd 2,4)

Na tradução:

“Achegai-vos a ele, Pedra viva que os homens rejeitaram, mas escolhida e preciosa aos olhos de Deus.”


Seria também Jesus uma "pedrinha", e não a grande Rocha da Salvação? Ou será que os fariseus e incrédulos tomaram rochas enorme para atirar contra a mulher adúltera e contra Jesus? A Bíblia não diz que eles tinham superforça...

O que fica inquestionavelmente demonstrado é que o texto sagrado usa a palavra traduzida como pedra sem distinção de tamanho ou de importância, como querem fazer parecer alguns. Não existe base ou sustentação alguma para se afirmar que “Petrus” signifique “pedra pequena”, pelo contrário: para especificar o tamanho a Bíblia utiliza outra palavra (a saber, lithos ou lithon), e mesmo assim isso não designa maior ou menor importância. A Primeira Carta de Pedro revela ainda mais:

"καὶ αὐτοὶ ὡς λίθοι ζῶντες οἰκοδομεῖσθε οἶκος πνευματικός, ἱεράτευμα ἅγιον, ἀνενέγκαι πνευματικὰς θυσίας εὐπροσδέκτους τῷ θεῷ διὰ Ἰησοῦ χριστοῦ" (1Pd 2,5)

Na tradução:

"Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo."


Mais uma vez, vemos que a mesma palavra, lithos, usada para Jesus (em 1Pd 2,4), é utilizada (no mesmo grau e gênero) para os demais cristãos. E, por incrível que pareça, mesmo assim, ainda existem "pastores" que insistem em alegar que o termo "rocha" ou "pedra" só pode ser utilizado para Jesus! São estes os grandes conhecedores da Bíblia que muitos andam seguindo...



Em outras passagens das Sagradas Escrituras, Jesus igualmente é chamado Petra, assim como Pedro (Petrus). Isto, entretanto, não tira a magnitude nem a exclusividade do Cristo como nossa única e maior Rocha da Salvação, – e nem da especial função de Pedro como Rocha da Unidade da Igreja, como reflexo ou imitação daquele que é seu Deus, Senhor e Mestre. Afinal, é isto que todo cristão deve ser: reflexo e imitação de Cristo. Tanto mais aquele que foi escolhido diretamente pelo Senhor para guiar o seu rebanho (cf. Jo 21, 15-17).

Aqui finalizamos a explicação sobre o nome de Pedro, e partimos para a apreciação aprofundada da passagem do Evangelho de Mateus (16,18) que é o tema central deste estudo e que, vista assim de perto, talvez surpreenda a muitos.


A tradução literal e fiel de Mateus 16,18: palavras que fazem toda a diferença

Com variações mínimas entre versões e edições, o que Nosso Senhor Jesus Cristo diz a Simão filho de Jonas, traduzido para o português (atenção para o trecho em negrito), é:

“Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta Pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.”


Em Grego, o texto é o que segue abaixo, com as mesmas palavras destacadas em negrito:

“κἀγὼ δέ σοι λέγω ὅτι σὺ εἶ Πέτρος, καὶἐπὶ ταύτῃ τῇ πέτρᾳοἰκοδομήσω μου τὴν ἐκκλησίαν καὶ πύλαι ᾅδου οὐ κατισχύσουσιν αὐτῆς”


Vejamos no aramaico, – a língua original e primária deste Evangelho, – este mesmo trecho que destacamos em negrito (cf. Bíblia Peshita, tradução do grego para o aramaico do séc. V – lê-se da direita para a esquerda):


Veja que em aramaico não há diferença entre "Pedra" ou "Rocha" e o nome de Pedro


Agora analisaremos de modo especial duas palavras nesta frase, as quais fazem toda a diferença no sentido da expressão e que são literalmente o que chamamos de palavras-chave. Trataremos, a partir daqui, do que vai encerrar definitivamente a questão. Voltemos ao mesmo trecho escrito em grego:

“κἀγὼ δέ σοι λέγω ὅτι σὺ εἶ Πέτρος, καὶἐπὶ ταύτῃ τῇ πέτρᾳοἰκοδομήσω μου τὴν ἐκκλησίαν καὶ πύλαι ᾅδου οὐ κατισχύσουσιν αὐτῆς”

Note bem as duas palavras em negrito (ταύτῃ τῇ) que praticamente todas as versões (tanto católicas quanto protestantes) traduzem simplesmente pelo pronome demonstrativo “esta”. – O que não é errado, mas pode ser insuficiente para que os homens de mente fraca ou má vontade compreendam, no português, exatamente o que está sendo dito no idioma original, especialmente quando em torno do assunto se procura criar polêmica. Vejamos...

ταύτῃ (tauth) é o dativo feminino de οὗτος (outós), e sua tradução mais simples realmente seria “esta”, neste caso servindo para dar ênfase a algo previamente mencionado. τῇ (th) é também dativo feminino e o artigo da frase, ou seja, sua tradução seria “a”, como quando se diz "a" pedra, que não é o mesmo que dizer "uma" pedra. Se eu digo "a" pedra, estou me referindo a uma pedra específica, e se digo "uma" ou "alguma" pedra, estou me referindo a uma pedra qualquer, não específica. Ocorre, então, que as duas palavras juntas (ταύτῃτῇ) conferem o sentido de “esta mesma”; “esta própria”.

Sim... Então, juntando o nome de Pedro, que foi previamente confirmado como Petra (Pedra ou Rocha, conforme atestado também nos léxicos protestantes, como vimos) podemos e, de fato, deveríamos, traduzir Mateus 16,18 da seguinte forma:

“Tu és Pedra e sobre esta mesma Pedra Eu edificarei a minha Igreja.”

Ou, ainda:

“Tu és Rocha e sobre esta mesma Rocha Eu edificarei a minha Igreja.”


Percebe agora, caro leitor, como a questão não é tão complexa como alguns querem fazer parecer? Como é perfeitamente possível comprovar o sentido real e insofismável do que a Bíblia realmente diz no Evangelho segundo Mateus, simplesmente prestando atenção ao que ali está escrito?


O Príncipe dos Apóstolos com as Chaves, Basílica de S. Pedro, Vaticano

A Pesca Milagrosa, por Rafael Sanzio (1483-1520)

Libertação de S. Pedro, por Bartolomé Esteban Murillo (1617 - 1682)

Aqui, uma pergunta que se poderia fazer, com certa justiça, seria: “Por que as Bíblias (especialmente as católicas) não trazem a tradução dada acima, que seria mais precisa e fiel ao texto original?”. E a resposta muito, muito simples, é esta: porque na tradução culta (e uma tradução da Bíblia precisa ser culta), o artigo (τῇ – th), do grego, depois de um pronome demonstrativo não precisa ser traduzido, pois está subentendido. Logo se traduz, comumente, somente o “esta”, e o sentido continua o mesmo.

Exemplificando, seria exatamente o mesmo caso, prezado leitor, se eu lhe dissesse: "você está usando gravata, e eu lhe digo que esta gravata é azul". Evidentemente, a gravata azul tem que ser a que você está usando, que eu mencionei antes, na mesma frase, e o complemento "mesma" é totalmente desnecessário numa asserção assim. Mais do que desnecessário, tornaria a frase até estranha: "você está usando uma gravata, e eu lhe digo que esta mesma gravata é azul".

Mesmo assim, São Jerônimo traduziu a passagem em questão, para o latim, com os seguintes termos: "Tu es Petrus et super hanc Petram aedificabo Ecclesiam meam”: o trecho em negrito seria igualmente traduzido por “sobre esta mesma Rocha", pois o "hanc" no latim tem igualmente o sentido de “esta mesma” ou “esta própria”. São Jerônimo, que falava fluentemente o grego koiné (bíblico), sabia muito bem o sentido real da passagem. Quando ele traduziu a vulgata, o koiné ainda era uma língua viva.

Finalizando, para que não fique realmente nenhuma dúvida a respeito das duas palavras que fazem toda a diferença, demonstraremos o fato de que ταύτῃ + τῇ têm o sentido literal de “esta mesma” usando a tradução protestante de João Ferreira de Almeida. – Como vimos, a maioria das passagens que contém estas duas palavras juntas não são assim traduzidas, simplesmente porque usando-se somente o pronome demonstrativo "esta" o sentido fica já claro, como no exemplo da gravata acima.

Então, abaixo, utilizamos a tradução de João Ferreira de Almeida, apenas para esgotar definitivamente a questão. O texto a ser analisado é o do versículo 23 do capítulo 27 do Livro dos Atos dos Apóstolos:

No grego:

"παρέστη γάρ μοι ταύτῃ τῇ νυκτὶ τοῦ θεοῦ, οὗ εἰμι [ἐγώ] ᾧ καὶ λατρεύω, ἄγγελος" (Atos 27,23)

Aí estão, novamente destacadas em negrito, exatamente as mesmas duas palavrinhas usadas por Jesus Cristo em Mateus 16,18. Pois bem, vamos à tradução de João Ferreira de Almeida ('Corrigida e revisada fiel') desta passagem:

"Porque esta mesma noite o anjo de Deus, de quem eu sou e a quem sirvo, esteve comigo." (Atos 27,23)


Aqui está o link para conferência. Por tudo o que vimos até aqui, podemos dizer com toda a clareza, cabeça erguida, em alto e bom tom e sem nenhum medo de errar, a quem quiser ouvir: PEDRO É A ROCHA sobre a qual o Senhor Jesus Cristo edificou a sua Igreja (e não 'as suas igrejas'), porque foi a este Apóstolo, e somente a ele, a quem o Senhor pessoalmente disse, exatamente nestes termos:

“TU ÉS ROCHA E SOBRE ESTA MESMA ROCHA EU EDIFICAREI A MINHA IGREJA.” (Mt 16,18)


Encerro este estudo em duas partes com um convite a uma breve reflexão. O fato simples, óbvio e concreto, para todo homem e mulher de boa vontade, é que não é preciso se perder em estudos linguísticos complexos nem em traduções de línguas estrangeiras antigas para compreender toda a questão. Além de toda a evidência gramatical, linguística e filológica, a própria estrutura da narração do Evangelho segundo Mateus (no cap. 16, vs. de 15 a 19) não permite uma diminuição do papel de Pedro na Igreja, de modo algum. Para confirmá-lo basta observar a forma na qual se estrutura o texto! Haveria algum sentido em Jesus dizer uma frase mais ou menos assim: “Bendito és tu, Simão, pois não foi a carne nem o sangue que te revelaram este Mistério, mas meu Pai, que está nos Céus. Por isso, eu te digo: és uma pedrinha insignificante, e sobre esta Pedra, que sou Eu mesmo, edificarei a minha Igreja... Eu te darei as chaves do Reino dos Céus, e tudo o que ligares na Terra será ligado no Céu, e tudo o que desligares na Terra será desligado no Céu”!?..

Querido leitor protestante/evangélico, será que isso realmente faz algum sentido para você?

Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. E quem tem entendimento para entender, entenda. Deus Pai, Filho e Espírito Santo nos guarde e salve no último dia.


________
Bibliografia:

• MALZONI, Cláudio Vianney. 25 Lições de Iniciação ao Grego do Novo Testamento, São Paulo: Paulinas, 2009.

• RUSCONI, Carlo. Dicionário de Grego do Novo Testamento, São Paulo: Paulus 2003.

• STRONG, James. Exaustiva Concordância – Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong, São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 2002.

• FRIBERG, Analytical Greek Lexicon.

• THAYER, Greek Lexicon Of NT.

Com RODRIGUES, Rafael. Apologistas Católicos: Pedro, a Rocha. (Parte I). Disponível em: 
http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/apologetica/papado/483-pedro-a-rocha-parte-i
Acesso: 17/8/014
ofielcatolico.com.br

24 comentários:

  1. Excelente, Henrique, como sempre. Eu já tinha lido o artigo dos apologistas católicos, mas você rrealmente consegue reescrever e reexplicar de um jeito mais claro e mais completo, acrescentando informações e aprofundando toda a pesquisa. PARABÉNS!

    ResponderExcluir
  2. simplesmente fantástico!!!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns!Mais uma vez vocês deram uma aula para nós leigos,tenho aprendido muito e fico cada vez mais orgulhosa da minha religião sou muito abençoada por estar no caminho que jesus nos deixou aqui na terra que verdadeiramente é o caminho certo!!!

    ResponderExcluir
  4. Henrique, com relação ao estudo de Mat. 16,18 o qual identifica aí Pedro como a Pedra o qual JESUS iria construir sua Igreja e não o próprio JESUS esta mais que esclarecida, porém, os protestantes sempre vem com uma carta na maga, dizendo que se não é assim mas é assado, ou seja, alguns alegam que a pedra o qual CRISTO, ira construir sua Igreja não era Pedro, mas a profissão de fé de Pedro o qual este no vers. 16. Eu sei a resposta, mas gostaria que você trouxesse aqui a sua opinião, os seus estudos para esclarecer mais esta disparidade que os protestantes fazem com este texto, para diminuir a figura de São Pedro anular totalmente a autoridade do Papa. Fique com DEUS e que o ESPIRITO SANTO te ilumine sempre nesta sua empreitadas que esta ótima.

    Anonimo Sidnei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Honestamente, não acho necessário, Sidnei. Posso acrescentar um breve esclarecimento para mais esta bobagem no estudo, quando tiver um tempo, mas qualquer um pode perceber que o raciocínio e a lógica são as mesmas:

      Se a pedra (meu Deus!) fosse a confissão, e não Pedro, Jesus simplesmente diria:

      "Esta verdade que dissestes, Simão, é a Pedra sobre a qual edificarei a minha Igreja..."

      ou

      "Isto que te foi revelado, Simão, é a Pedra sobre a qual..."

      Mas é claro, claríssimo, que não é o caso. Pela milionésima vez, basta observar que Jesus mudou o nome de Simão para Pedra, deu-lhe as Chaves do Reino dos Céus e, mais adiante, lhe pediu que apascentasse o seu rebanho (a Igreja), e confirmasse os seus irmãos (o Magistério, cf. Lc 22,32). Em Atos dos Apóstolos, o próprio Pedro vai confirmar a sua missão, dizendo a todos os Apóstolos e lideranças da Igreja primitiva reunidos: "Bem sabeis que o Senhor me escolheu dentre vós..." (At 15,7).

      Se a Pedra fosse a profissão de fé, Simão não seria chamado, ele próprio (como vimos exaustivamente neste estudo) de "A Pedra".

      Então, são absurdos tão tremendos que me parece desnecessário sequer mencioná-los. Em todo caso, agradeço pela dica, e assim que puder vou acrescentar o esclarecimento de mais este sofisma ao texto.

      Abraço fraterno e a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  5. Parabéns pelo estudo está ótimo.

    ResponderExcluir
  6. Está mesma Igreja edificada sobre a rocha que é São Pedro, para a maior glória de Deus, mais a frente é chamada por São Paulo de coluna e sustentáculo da verdade, (1Tm 3,15). CREDO IN ÚNAM, SÁNCTAM, CATHÓLICAM ET APOSTÓLICAM ECCLÉSIAM.

    ResponderExcluir
  7. Prezado Henrique Sebastião,

    Belíssimo estudo,pediria que você explicasse de que Pedra è a Papisa Joana,fato confirmado pela História secular e Cristã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. [Gargalhadas...]

      Por favor, alguém responda por mim a este anônimo. As gargalhadas me impedem de digitar...

      Excluir
    2. Deixa comigo, Henrique! Caro Anônimo, a papisa Joana pertence à pedra da imaginação, na qual você e outros péssimos historiadores que ainda não sabem que A PAPISA JOANA É UM MITO residem. Sugiro que você vá ler o código Da Vinci e inventar outros tipos de mentiras, como as da relação entre Nosso Senhor e Santa Maria Madalena, pois esta já tá ultrapassada. A paz de NSJC!

      Excluir
    3. Prezado Anônimo,
      Fico feliz que esteja gostando dos artigos do Henrique. A escrita dele é realmente muito concisa e clara.
      Tendo em vista que este site tem me ajudado a conhecer mais profundamente a minha fé e que o Henrique está impedido de explicar sobre a lenda da "papisa" Joana, pelos motivos já por ele expostos, eu vou indicar que você leia dois artigos escritos por D. Estêvão Bettencourt. Neles você encontrará dois belíssimos estudos. Eles estão disponíveis em:
      1) http://www.pr.gonet.biz/kb_read.php?pref=htm&num=1995
      2) http://www.pr.gonet.biz/kb_read.php?pref=htm&num=1544
      Quando lê-los não deixe de voltar aqui e nos deixar sua opinião.
      Você também poderá ler outros ótimos artigos no site onde estão os estudos indicados. Tem uma ferramenta de busca muito legal onde você pode escrever palavras/expressões chaves como: "imagens"; "protestantismo"; "devoção mariana"; "tradição apostólica" etc., e aparecerão vários textos explicando a fé católica. Não deixe passar está oportunidade de estudo. É sempre bom agaranhar conhecimento. Ah, é bom se identificar quando for iniciar um diálogo, fica mais educado e demonstra que se está aberto ao debate.
      Anônimo, fique com Deus e com a intercessão da Virgem Maria. Ops, a palavra “intercessão” também é ótima para se procurar no site indicado.
      Henrique, não tenho a sua competência e conhecimento apologético, mas fiz o que eu pude para ajudá-lo.

      Excluir
    4. Fez muito, querida Elaine Aparecida, e com paciência, virtude na qual geralmente sou falho, digo sem nenhum orgulho.

      Obrigado também, Petrivalianici.

      Agora que a crise de risos se abrandou (não cessou ainda, e volta sempre que leio o trecho 'fato confirmado pela História secular e Cristã'), diria que seria interessante que nosso leitor começasse nos dizendo quais são as fontes históricas e cristãs que confirmam a existência da tal papisa...

      E, ainda, finalizaria dizendo que, ainda que tal personagem tivesse existido, não teria sido de modo algum uma "papisa". Não seria nem mesmo um antipapa, seria apenas um blefe, já que os códigos da Igreja não permitem a ordenação de mulheres, e menos ainda, claro, que uma mulher ocupe o trono do Sumo Pontífice.

      Mas eu não posso deixar de agradecer pelo momento de descontração e pelas terapêuticas e relaxantes gargalhadas.

      Abraço fraterno e a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  8. Com certeza o apóstolo Pedro e os seus sucessores, os papas, são as pedras que Jesus Cristo construiu e constrói a sua igreja por isso aproveitemos para rezar pelo papa.

    ResponderExcluir
  9. Só uma dúvida: o texto original do evangelho é em grego ou aramaico? Entre parênteses constou que tradução do séc. V foi do grego para o aramaico, e não o contrário. Só para esclarecer esse ponto. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No caso em questão, anônimo, a tradução está sendo feita no sentido inverso, do grego para a língua falada (aramaico), que provavelmente é também a da forma primária do texto, com o objetivo de se recuperar o sentido da expressão original.

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  10. A paz do Senhor, irmãos!

    Quero mais uma vez parabenizar toda a equipe, pois esse estudo é magnifico! Aprendo muito com vocês, sobre nossa Igreja e as Sagradas Escrituras.

    ResponderExcluir
  11. κἀγὼ δέ σοι λέγω ὅτι σὺ εἶ Πέτρος, καὶ ἐπὶ ταύτῃ τῇ πέτρᾳ οἰκοδομήσω μου τὴν ἐκκλησίαν καὶ πύλαι ᾅδου οὐ κατισχύσουσιν αὐτῆς. Mateus 16:18

    Existem duas revelações pertinentes no contexto de Mateus 16:15-19, pois o texto ao usar o termo “também”, evidencia que Jesus, de igual maneira, revelou:

    Tu és Pedro e em cima de, para esta a massa rochosa, construirei de mim, a assembleia.

    κἀγὼ Eu δέ porém σοι a ti λέγω estou dizendo ὅτι que σὺ tu εἶ estas sendo Πέτρος Pedro, καὶ e ἐπὶ em cima de ταύτῃ para esta τῇ a πέτρᾳ massa rochosa οἰκοδομήσω construirei μου de mim τὴν a ἐκκλησίαν assembleia καὶ e πύλαι portas ᾅδου de hades οὐ não κατισχύσουσιν exerceram força abaixo αὐτῆς dela. Mateus 16:18

    O pronome αὐτῆς (dela) no Genitivo, Singular, Feminino que está no final do verso, pode estar referindo-se a ἐκκλησίαν (assembleia) no Acusativo, Singular, Feminino ou a πέτρᾳ (massa rochosa) no Dativo, Singular, Feminino, porém, desde que a assembleia está sobre a massa rochosa, entendemos que o pronome αὐτῆς (dela) refere-se a πέτρᾳ (massa rochosa), o alicerce da assembleia.

    A construção ἐπὶ ταύτῃ τῇ é única em toda a Bíblia, sendo a padrão ἐν ταύτῃ τῇ (Josué 5:11, 1 Samuel 12:5 1 Samuel 17:46 Mateus 26:34, Lucas 23:7 Atos 16:12 2 Coríntios 8:7 2 Coríntios 11:17). Esta padrão, comporta-se geralmente conforme o entendimento alcançando em Mateus 26:34, em que significa “em esta noite”, como sendo um semi-período do dia judaico que começava as 18hs de um dia e ia até as 18hs do dia seguinte, desta forma, o autor em Mateus 16:18 não deseja passar a ideia de que “esta massa rochosa” é um lugar especifico de Pedro.

    No ínterim, o termo massa rochosa, que pode ser escavada conforme se lê em Mateus 27:60 e outras referências, também servia de lugar de habitação para os aflitos, perseguidos e excluídos. 2 Crônicas 26:7, Jo 24:8, Isaías 42:11, Jeremias 4:29 da Septuaginta, Apocalipse 6:15,18.

    Análise do comportamento da construção ἐπὶ ταύτῃ τῇ na literatura clássica:

    1) Descrição da Grécia, Livro I, cap. 28, [4] de Pausânias. οὗτος este μὲν de fato οὖν portanto ὁ a θεὸς dinvidade ἐπὶ em cima de ταύτῃ para esta τῇ a ἀγγελίᾳ mensagem τετίμηται honrada
    Portanto, este de fato, a divindade em cima de, para esta mensagem honrada.
    Portanto, a divindade de fato, para esta mensagem honrada, esteve acima, na montanha. Philippides passou a dizer que intercedeu ao redor da Mount Parthenius, que ele havia sido respondido por Pan, que lhe falou que era simpático aos Atenienses e viria a Marathon, para lutar por eles. Portanto, este de fato, o Deus sobre, para esta mensagem honrada.
    Mount Parthenion ( "Monte para a Virgem") é uma montanha na fronteira da Arcadia e Argolis, no Peloponeso, na Grécia. Sua elevação é 1.215 m. [1] Ela está situada entre as aldeias Achladokampos à nordeste e Partheni para o sudoeste, à 16 km a leste de Trípoli. Sendo um deus rústico, Pan não era adorado em templos ou outros edifícios construídos, mas em ambientes naturais, geralmente cavernas ou grutas , como a da encosta norte dos Acrópole de Atenas. Estas são muitas vezes referidos como a Caverna do Pan. No caso, estamos supondo que foi, provavelmente, que Pan estava no alto da Mt Parthenon e Pheidippides estava ao pé desta montanha.

    ResponderExcluir
  12. 2) Descrição da Grécia Livro IX, cap. 19, [1], de Pausânias.
    ἐπὶ ταύτῃ τῇ λεωφόρῳ χωρίον ἐστὶ Τευμησσός

    ἐπὶ Em cima de ταύτῃ para esta τῇ a λεωφόρῳ estrada χωρίον campo pequeno ἐστὶ chamado Τευμησσός Teumessus

    Em cima de, para esta a estrada, campo pequeno chamado Teumessus. Para esta estrada, acima está uma montanha, um campo pequeno chamado Teumessus.
    TEUMESSUS ( Τευμησσός :. Eth Τευμήσσιος ), uma aldeia na Beócia, situado na planície de Tebas, em cima de uma colina baixa rochosa de mesmo nome. O nome deste monte parece ter sido também dada à cadeia de montanhas que separa a planície de Tebas do vale do Asopus. [Beócia, pp. 413, 414.] Teumessus estava sobre a estrada de Tebas para Chalcis ( Paus. 9.19.1 ), a uma distância de 100 estádios da primeira. (Schol. Ad Eurip. Phoen. 1105.) Sobre esta estrada, é um lugar chamado Teumessus, onde é dito que a Europa estava escondido por Zeus.

    3) República, de Platão, Livro X, Seção 600d (iv)
    IV - Sócrates — E isso o que se diz. Mas achas, Glauco, que se Homero tivesse estado mesmo em condições de instruir os homens e torná-los melhores, possuindo o poder de conhecer, e não o de imitar, não teria feito muitos discípulos que o teriam honrado e estimado? Ora! Protágoras de Abdera, Pródico de Cós e muitos outros chegam a persuadir os seus contemporâneos, em conversas privadas, de que não poderão administrar nem a sua casa nem a sua cidade, se eles mesmos não presidirem à sua educação, e em cima de, para esta sabedoria, desta forma, fazem-se amar tanto que os seus discípulos os levariam sobre os ombros quase em triunfo. Se Homero tivesse sido capaz de ajudar os homens de seu tempo a serem virtuosos, tê-lo-iam deixado, a ele ou a Hesíodo, errar de cidade em cidade recitando os seus versos? Não os amariam mais do que a todo o ouro do mundo? Não os teriam forçado a ficar junto deles, no seu país ou, se não tivessem podido convencê-los, não o teriam seguido por toda parte, até que recebessem uma educação suficiente? Glauco — O que dizes, Sócrates, parece-me a pura verdade.
    [600δ]
    ...καὶ ἐπὶ ταύτῃ τῇ σοφίᾳ οὕτω σφόδρα φιλοῦνται, ...
    ...καὶ E ἐπὶ em cima de ταύτῃ para esta τῇ a σοφίᾳ Sabedoria οὕτω desta forma σφόδρα excessivamente φιλοῦνται tendo carinho, ...

    ... Para esta Sabedoria, estando elevados nos ombros, desta forma, tendo excessivamente carinho, ...

    4) Salmos 77 da Septuaginta (78) – Homilia de Orígenes, descoberta em 2012, Alemanha.
    Ὧν Está sendo τῇ a συμβουλίᾳ orientação χρησάμενος havendo sido usada, ἀπεκρίνατο respondeu τοῖς a os/as πεμφθεῖσιν enviar οὕτως deste modo• ή ou/que μικρότης pequenez μου de mim παχυτέρα espesso της da όσφύος lombo του do πατρός Pai μου de mim. Ό o πατήρ Pai μου de mim έπαιδευσεν treinou/puniu υμάς a vós έν em μάστιξιν chicote, έγώ Eu δέ porém παιδεύσω treinarei/punirei ύμάς a vós έν em σκορπίοις escorpiões. Καὶ E ἐπὶ em cima de ταύτῃ para esta τῇ a σκληρότητι dureza ἀπέστησαν se puseram a parte de pé δέκα a dez φυλαί tribos, ἡγησαμένου dos havendo sido conduzido/julgado αὐτῶν deles Ἱεροβοὰμ Jeroboão υἱοῦ filho Ναβάτ de Nebate, ὃς quem ἐξήμαρτε fez pecar τὸν o Ἰσραήλ Israel.

    Está sendo a orientação havendo sido usada, respondeu a os enviar deste modo• ou/que pequenez de mim, mais espesso do que o lombo do Pai de mim. O Pai de mim treinou/puniu a vós em chicote, Eu porém treinarei/punirei a vós em escorpiões. E em cima de, para esta a dureza, se puseram a parte, de pé (se revoltaram), a dez tribos, dos havendo sido conduzido/julgado deles, Jeroboão filho de Nebate, quem fez pecar o Israel.

    ResponderExcluir
  13. Veio, pois, Jeroboão e todo o povo, ao terceiro dia, a Roboão, como o rei havia ordenado, dizendo: Voltai a mim ao terceiro dia. E o rei respondeu ao povo duramente; porque deixara o conselho que os anciãos lhe haviam dado. E lhe falou conforme ao conselho dos jovens, dizendo: Meu pai agravou o vosso jugo, porém eu ainda aumentarei o vosso jugo; meu pai vos castigou com açoites, porém eu vos castigarei com escorpiões. O rei, pois, não deu ouvidos ao povo; porque esta revolta vinha do SENHOR, para confirmar a palavra que o SENHOR tinha falado pelo ministério de Aías, o silonita, a Jeroboão, filho de Nebate. Vendo, pois, todo o Israel que o rei não lhe dava ouvidos, tornou-lhe o povo a responder, dizendo: Que parte temos nós com Davi? Não há para nós herança no filho de Jessé. Às tuas tendas, ó Israel! Provê agora a tua casa, ó Davi. Então Israel se foi às suas tendas. No tocante, porém, aos filhos de Israel que habitavam nas cidades de Judá, também sobre eles reinou Roboão. Então o rei Roboão enviou a Adorão, que estava sobre os tributos; e todo o Israel o apedrejou, e ele morreu; mas o rei Roboão se animou a subir ao carro para fugir para Jerusalém. Assim se rebelaram os israelitas contra a casa de Davi, até ao dia de hoje. E sucedeu que, ouvindo todo o Israel que Jeroboão tinha voltado, enviaram, e o chamaram para a congregação, e o fizeram rei sobre todo o Israel; e ninguém seguiu a casa de Davi senão somente a tribo de Judá. 1 Reis 12:12-20 ACF 2007.

    Para a frase rígida e pesada, como uma rocha, dita pelo Rei, se puseram a parte, de pé e em cima dela, como não querendo suporta-la, as dez tribos de Israel.
    Conclusão: Em todos os casos anteriores, a preposição ἐπὶ na frase ἐπὶ ταύτῃ τῇ significa uma tomada de posição elevada e apoiada, para com o assunto da oração ταύτῃ τῇ que se desenvolve por seguir.
    Levando-se em conta todos os parâmetros estudados, podemos entender o que Jesus revelou em Mateus 16:18:
    κἀγὼ Eu δέ porém σοι a ti λέγω estou dizendo ὅτι que σὺ tu εἶ estas sendo Πέτρος Pedro, καὶ e ἐπὶ em cima de ταύτῃ para esta τῇ a πέτρᾳ massa rochosa οἰκοδομήσω construirei μου de mim τὴν a ἐκκλησίαν assembleia καὶ e πύλαι portas ᾅδου de hades οὐ não κατισχύσουσιν exerceram força abaixo αὐτῆς dela. (Mat 16:18 GNT)
    Porém, Eu a ti estou dizendo que tu estás sendo Pedro e para esta massa rochosa, sobre, construirei de mim, a assembleia e as portas de hades não exerceram força abaixo dela. Mateus 16:18 Literalidade.
    O que Jesus diz em linguagem atual:
    Porém, Eu a ti estou dizendo que tu estás sendo um alicerce rochoso e para esta base, sobre mim, construirei a partir de mim mesmo, a assembleia e as portas de hades não exerceram força contrária, abaixo desta estrutura. Mateus 16:18

    De fato, conforme a tradição Católica, o Apóstolo Pedro é o alicerce rochoso de sustentação e unificação da Igreja sobre Jesus Cristo.

    Betho, Espírito Santo.

    ResponderExcluir
  14. O comentário mais importante que li a respeito é dado pelo próprio Apóstolo Paulo:

    Antes, pelo contrário, quando viram que o evangelho da incircuncisão me estava confiado, como a Pedro o da circuncisão. Galatas 2:7

    Ora, o próprio Apóstolo Paulo dá testemunho que o Evangelho foi confiado pelo Senhor Jesus primeiramente ao Apóstolo Pedro, que também foi preparado para pregar aos gentios (Atos 10) e reconhecer, autorizar e concordar com o evangelho recebido dos céus pelo Apóstolo Paulo (Galatas 2:9).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caríssimo Forista Exegese, poderias nos indicar a fonte destes estudos exegéticos? ou são de sua autoria?

      Seja louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!

      Excluir
  15. André, desculpa, não sei como te responder. Sou de duras lutas neste mundo, se não houver quem produziu semelhantemente, que seja de usufruto da unidade cristã.
    .
    Estou estudando a Trindade. Uma doutrina tão antiga entre os eruditos e que atualmente está sendo tão rudemente atacada, parece-me um paradoxo, porém, de todas, estou tendo muitas dificuldades, primeiro, em entender a própria doutrina conforme os pais católicos, segundo, conciliar o entendimento que possuo do texto grego com ela. Conhece aquele que tendo domínio do assunto e que sendo, acessível, pode ser indicado em "off" para conduzir o meu aprendizado? Paz. Betho, ES

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Betho, ES (Forista Exegese), desculpa, não sei como te entender...
      Não seriam mensagens do além recebida durante letargia profunda?
      Para um bom entendimento da Santa Doutrina da Santíssimo Trindande, indico-vos os livros: “A doutrina da Trindade” de Santo Agostinho, encontrado aqui: https://onedrive.live.com/view.aspx?cid=C66F182E3FF9E7AA&resid=C66F182E3FF9E7AA%21167&app=WordPdf, o “Tratado sobre a Santíssima Trindade” de Santo Hilário de Poitiers, da editora Paulus, da coleção Patrística e o livro que contem uma seleção de textos clássicos de Santo Tomás de Aquino, com comentários ao Tratado sobre a Trindade de Boécio, que discute a tríplice divisão aristotélica das ciências. Livro básico para a investigação epistemológica e para a história da filosofia e dos pensamentos medievais.

      Seja Louvado Nosso Senhor Jesus Cristo, segunda Pessoa da Santíssima Trindade!

      Excluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail