Pedro, a Pedra: a autoridade da Igreja Católica

ESTE POST é o desdobramento de um diálogo meu, Henrique Sebastião, com a leitora "evangélica" Ana Paula, que enviou uma longa mensagem como comentário ao o post "Razões porque retornei à única Igreja de Jesus Cristo", dizendo que algumas igrejas "evangélicas" realmente estão no erro, mas que outras são fiéis. A mensagem contém diversos argumentos-chave, que agora estamos respondendo, um de cada vez, para facilitar a compreensão de cada conteúdo específico.

O primeiro argumento, já respondido, se referia a fidelidade das igrejas ditas "evangélicas" às prescrições da Bíblia Sagrada, e pode ser lido aqui. Nesta segunda parte, são expostos mais alguns pontos de apoio "evangélicos", aos quais procuro responder da maneira mais clara e objetiva possível. Deus me ajude, ainda que eu seja indigno. Segue:

Que autoridade (tem a Igreja Católica)? O papa? Pergunto com todo respeito. A única autoridade que temos é Cristo e a palavra de Deus que nós ensinamos como única regra de fé e prática. Que autoridade a sua igreja acha que tem além de Jesus Cristo e Sua palavra? Seria os sucessores de Pedro?

Não há nenhuma sombra de dúvida quanto ao fato de o Papa ser uma grande autoridade da Igreja, sendo o sucessor do Apóstolo Pedro, a quem o próprio Senhor Jesus Cristo, pessoalmente, concedeu as Chaves do Reino dos Céus, dando-lhe poder para "ligar e desligar", na Terra e no Céu (Mt 16,18)! Como você pode negar algo que está dito tão claramente na Bíblia, e ainda pensar que observa a mesma Bíblia?

"A única autoridade que temos é Cristo", você diz. Pois bem! No fundo, é isto mesmo. E é exatamente por isso que obedecemos à vontade de Cristo, que quis nos delegar um pastor terreno, este mesmo Pedro a quem o Senhor pediu, por três vezes: "Apascenta as minhas ovelhas" (Jo 21,15-17). Acaso a Bíblia mostra, em algum versículo, Jesus ensinando aos seus seguidores que deveriam se orientar exclusivamente pelas Escrituras, como "única regra de fé e prática"? Não! Mas ela mostra, insistentemente, a importância fundamental da única e una Igreja de Cristo para a nossa salvação.

A Bíblia Sagrada é mais do que clara em afirmar e ratificar, várias vezes, que o Apóstolo Simão foi eleito pelo Senhor Jesus como a Pedra (por isso mesmo deixou de ser Simão e se tornou 'Pedro': Pedra) sobre a qual Ele edifica sua Igreja. Os seguidores do movimento protestante, porém, que alegam observar a Bíblia, precisavam encontrar um meio de negar tais passagens, caso contrário seriam forçados a reconhecer a autoridade da Igreja Católica e a inviabilidade de sua própria doutrina. Como contra fatos não podem existir argumentos, tudo o que conseguiram foi a elaboração de sofismas, – fraquíssimos, por sinal.

O argumento que desvendaremos a seguir representa a principal e mais usual alegação que os atualmente chamados "evangélicos" (pentecostais e neopentecostais), usam na tentativa de negar a autoridade da Igreja Católica: a Pedra não é Pedro, e sim o próprio Jesus. Vejamos...



O que supostamente legitimaria o argumento de que a Pedra citada pelo Cristo no Evangelho segundo Mateus (16,18) não seria o Apóstolo Pedro, mas sim o próprio Jesus, é o fato de as Sagradas Escrituras, em outras passagens, identificarem o Cristo como “Rocha” e “Pedra Angular”.

Esta é, para dizer o mínimo, uma argumentação infantil; tola, mesmo. De fato, existem passagens bíblicas em que os termos “pedra” e “rocha” se referem a Jesus. E daí?? Ora, é mais do que óbvio que isso não significa que todas as vezes em que a Bíblia usa essas palavras está se referindo exclusivamente a Jesus. Só porque se dá a Jesus o título "Pedra", numa determinada passagem, será que todas as vezes que lermos a palavra pedra, nas Escrituras, será uma alusão ao Cristo? Claro que não.

No mesmo sentido, poderíamos usar quantos exemplos, de quantas citações bíblicas? Ora, o próprio Cristo proclamou-se “Luz do Mundo” (Jo 8,12). Mas Ele também disse aos Apóstolos que eles deveriam ser “Luz do Mundo” (Mt 5,13). Não é porque Jesus é chamado Luz, numa passagem, que todas as vezes que o texto sagrado falar em luz estará se referindo exclusivamente a Jesus. Será muito difícil entender isto?

Da mesma maneira, é óbvio que nem todas as vezes que as Escrituras falam em "pedra" estão se referindo a Jesus. Podemos ver, por exemplo, o livro do Profeta Isaías, cap. 51, vs. 1 e 2: nesta passagem, a pedra é Abraão. Também em 1ª Pedro (2, 4-5), fala-se nas "pedras vivas", que, neste caso, são o próprio Jesus juntamente com os cristãos fiéis.

Vemos então o que é evidente por si mesmo: que Jesus ser chamado "Pedra Angular" é uma coisa, e o fato de o discípulo Simão Barjonas ter sido feito, pelo mesmo Jesus, a Pedra sobre a qual edificaria a sua Igreja, é outra coisa, completamente diferente. Tanto isso é fato que até o nome do Apóstolo foi mudado, de Simão para Pedra (que na tradução virou 'Pedro', já que Pedra é um substantivo feminino e não poderia servir de nome para um homem).

Mais do que isso, o fato de Jesus aplicar a Simão Filho de Jonas um título que a Bíblia aplica também ao Filho de Deus, isto, por si só, demonstra e confirma a intenção do Senhor em fazer de Simão um representante seu, assim como acontecera antes com Abraão, que também teve seu nome mudado (antes Abrão) ao ser escolhido para conduzir o povo de Deus, ele que também foi comparado a uma pedra, exatamente como Pedro. E Jesus Cristo ainda confirmou explicitamente sua intenção ao entregar a autoridade sobre a Igreja a Pedro, quando lhe deu as Chaves do Reino, que lhe permitiriam ligar ou desligar na Terra o que seria ligado ou desligado no Céu! O que mais seria preciso?

Além de tudo isso, convenhamos: se Jesus estivesse naquele momento falando de si mesmo, simplesmente diria "Eu sou a Pedra", assim como disse "Eu sou a Luz do Mundo", "Eu sou o Pão da Vida", "Eu sou a Ressurreição e a Vida" ou "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida". Por que diria: "Simão, tu és a Pedra, e sobre essa Pedra edifico minha Igreja", se estivesse falando de si próprio? Perdoe o desabafo, mas que tipo de loucura é esta?

O Senhor Jesus Cristo, sem dúvida alguma, elevou Pedro como um "pai" para a família dos cristãos (Is 22,21), para guiar o seu rebanho. E o "Príncipe dos Apóstolos" é mais uma vez confirmado como o pastor terreno das ovelhas de Cristo logo após a Ressurreição do Senhor: vemos no Evangelho segundo João (21, 15-17) como por três vezes Jesus pergunta a Pedro se ele o amava, e por três vezes Pedro reafirma seu amor e comprometimento. E como então o Salvador, às vésperas de deixar os seus discípulos, confia expressamente a Pedro a guarda do seu rebanho, isto é, da sua Igreja, e é nítido que, naquele momento, confiava-lhe o cuidado de toda a cristandade, fazendo questão de entregar a guarda dos "cordeiros" e também das "ovelhas. “Apascenta os meus cordeiros”, repete o Senhor por duas vezes; e, à terceira, diz: “Apascenta as minhas ovelhas”.

O verbo “apascentar”, todos sabemos, significa cuidar, conduzir, guiar, assumir a responsabilidade pelo rebanho; neste caso, é receber do Divino Proprietário a autoridade sobre o seu povo. Apascentar os cordeiros e as ovelhas é, portanto, governar com autoridade a Igreja de Cristo; é ser o condutor: é ter o Primado. E ainda mais, como se tanto não bastasse, todo o contexto do Novo Testamento demonstra bem como era Pedro quem tinha a palavra final nos assuntos da Igreja primitiva, em diversas passagens:

# É Pedro quem propõe a eleição de um discípulo para ocupar o lugar de Judas e completar o Colégio dos Doze (At 1,15-22);

# É Pedro o primeiro a pregar o Evangelho aos judeus no dia de Pentecostes (At 2,14; 3,16);

# É Pedro quem, inspirado por Deus, recebe na Igreja os primeiros gentios (At 10,1);

# Pedro é retratado realizando visitas pastorais às igrejas (At 9,32);

# No Concílio de Jerusalém, temos a prova definitiva: é Pedro quem põe fim à longa discussão que ali se travava, entre todas as autoridades da Igreja reunidas, decidindo ele que não se deveria impor a circuncisão aos pagãos convertidos. E a Escritura descreve como ninguém ousou opor-se à sua decisão (At 15,7-12).

E esta autoridade de Pedro, assim como a dos outros Apóstolos, era e continua sendo transmitida de um homem para outro, sendo eleitos os novos sucessores pelo próprio Colegiado dos Apóstolos, através dos tempos. No caso de Pedro, as Chaves do Reino dos Céus, entregues por Jesus Cristo, vêm sendo transmitidas, nesses dois mil anos de história, através do papado.

Dizer que a autoridade de Pedro morreu com ele seria o mesmo que renegar a Promessa do próprio Senhor Jesus Cristo: "Ide e fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado. Eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém".

Se o Senhor prometeu que continuaria com a sua Igreja até o fim do mundo, também a autoridade que ele concedeu à sua Igreja permanece, até o fim dos tempos. Esta é a doutrina católica. Esta é a Palavra de Deus, segundo as Sagradas Escrituras. Esta é a Tradição Cristã, de dois mil anos de história. E quem pregar o contrário, seja anátema. Porque:
De fato, não existem 'dois evangelhos': existem apenas pessoas que semeiam a confusão entre vós, e querem perturbar o Evangelho de Cristo. Mas ainda que alguém, nós ou um anjo baixado do céu, vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que seja anátema.”
(Gálatas 1, 6-8)

Graças a Deus.



Entramos, a partir deste ponto, numa segunda parte deste estudo. Como os fatos que apresentamos até aqui, se observados bem de perto revelam-se inquestionáveis, surgem algumas outras argumentações, – supostamente melhor embasadas, sob uma casca de aparente "erudição", – na tentativa desesperada de negar a realidade do Primado de Pedro.

Há uma outra contestação que diz mais ou menos o seguinte: "Sim, nós reconhecemos, a Pedra do Evangelho de Mateus é Pedro, mas... no texto original em grego a palavra para pedra grande é 'petra', que significa rocha, pedra grande. A palavra usada como nome para Simão é 'petros', que significa pedra pequena, uma pedrinha"...

Pois é. Durma-se com um barulho destes. De fato, o argumento é tão fraco e desprovido de razão que, neste sentido, chega a dificultar a resposta: de tão inteiramente absurdo, o difícil é saber por onde começar a desmantelá-lo. E antes de tudo, mais uma vez, vemos o quanto são desunidas as denominações ditas "evangélicas", e como seu único objetivo comum parece ser realmente negar a autenticidade da Igreja Católica. Ora, se este argumento fosse válido, então o anterior, que diz que o a palavra Pedra não se refere a Pedro, mas ao próprio Jesus Cristo, torna-se blasfemo. Estaria o Evangelho chamando Jesus de "pedrinha"!?.. Sem perceber, todas unidas contra a Igreja Católica, as igrejas "evangélicas" acabam desmoralizando-se umas às outras.

Veja, Ana Paula, como uma igreja "evangélica" acaba ridicularizando a teoria de outra igreja "evangélica", na tentativa de negar o catolicismo. Porque, se houvesse mesmo essa alegada diferença nas expressões em grego (que não existe, como veremos), isto só serviria como uma comprovação a mais de que Jesus não poderia estar se referindo a si mesmo naquela frase.


** Leia a conclusão deste estudo
http://ofielcatolico.blogspot.com.br/

24 comentários:

  1. Caro Henrique Sebastião, amado irmão em Cristo Jesus!
    Bela exposição! Jamais pensei existir tal argumentação sobre o primado de São Pedro, é uma verdadeira catequese para nossos irmãos separados e até mesmo para os Judeus.
    Sempre achei que a chave para entender tudo sobre a preferência de Nosso Senhor Jesus Cristo, num só discípulo para substituí-Lo nos destinos da Sua Igreja, encontra-se no pronome demonstrativo de primeira pessoa do plural “ESTES” (que se refere aos mais próximos).
    “tu me amas mais do que estes?” (S. Jo 21, 15a), e São Pedro seguidamente professa por três vezes o seu amor a Seu Mestre, um amor sem reserva para com Cristo.
    Nossa Tradição Católica desde o inicio do cristianismo foi elaborando pouco a pouco a partir deste texto do Evangelho de São João (21, 15-19), a doutrina da função do colégio apostólico e do seu Pontífice (Papa) que o preside.

    Ó feliz Roma, ó Roma nobre
    És o trono de Pedro, que teve o sangue derramado em Roma
    Pedro, a quem foram dadas as chaves do céu
    Pontífice, és sucessor de Pedro
    Pontífice, és o mestre de apoio dos seus irmãos
    Pontífice, és o servo dos servos de Deus
    Pescador de homens, pastor do rebanho
    Ligando o céu e a terra
    Pontífice, és o vigário de cristo na terra
    Uma rocha no meio das ondas, um farol na escuridão
    És o defensor da paz, guardião da unidade
    Vigilante defensor da liberdade, tens o poder.
    Tu, pontífice, é pedra firme, e sobre essa pedra está edificada a igreja de Deus
    Ó feliz Roma, ó Roma nobre

    Pontifex, tu christi es vicarius super terram!

    Pax et bonum!

    André

    ResponderExcluir
  2. Com certeza a pedra que Jesus falou no evangelho, essa pedra é o Papa. É ele que em nome de Jesus, une a igreja do Redentor, por isso rezemos pelo santo padre para que ele possa ser fiel a sua missão evangelizadora.

    ResponderExcluir
  3. Trabalhei numa empresa protestante e entre a turma eu apenas católico, a quase totalidade era pentecostal, desses cultos em que baixam entidades, fazem a encenações de expulsões do diabo etc., - o diabo expulsando a si mesmo, pode? - e em certo momento a igreja vira um vespeiro ou baile funk de tanta gritaria. Pois bem, discutiam muito entre si, ameaçando uns aos outros de irem para o inferno com toda a comunidade com seus pastores; vejam que reinos divididos entre si, balaio-de-gato doutrinário, não é?
    E eu no meio deles dizia: porque se ameaçarem; cada um fique na sua. Como estão em igrejas liberais, cada grupo tem direito de achar o que é certo ou errado, nunca acusar o outro disso e daquilo; fique no grupo em que se sinta bem e pronto, pois no ambiente do relativismo tudo é relativo.
    Resultado: nunca me incomodavam, pois sabiam o que ouviriam!

    ResponderExcluir
  4. Eita, o Papa suspende a proibição à beatificação de bispo salvadorenho

    Igreja Católica bloqueou processo por temor de que Óscar Romero tivesse ideias maxistas

    Fonte g1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não esqueça que o G1 pertence a uma mafia chamada GLOBO, ah desculpa, vc já teve estar alienado pela mídia, sendo assim não consegue enxergar o obvio.

      Excluir
  5. Louvo e Glorifico somente a Deus e sigo somente a Jesus Cristo clamando sempre pelo Espírito Santo, que nos guiará na verdade e na justiça. Qualquer homem que se levantar para dizer que perdoa pecado ou que mostra o caminho da salvação é o anti-Cristo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel M. Pereira,

      Você quer seguir a Jesus Cristo? Então, como um gesto de caridade, eu preciso lhe informar o que Ele mesmo determinou:

      "Aqueles a quem perdoardes os pecados, lhes serão perdoados; aqueles a quem os retiverdes, lhes serão retidos." (Jo 20,22-23)

      O Senhor disse isto aos seus Apóstolos, que sucessivamente deixaram sucessores, até os dias de hoje, – pois o Cristo estará com a sua Igreja até o fim do mundo (Mt 28,20). – Ou será que você quer seguir Jesus sem acreditar no que Ele mesmo diz, preferindo a interpretação particular que o seu pastor faz das Escrituras?

      Tenho mais más notícias para você: o seu pastor é um servo do anti-Cristo, porque ele ilude pessoas ingênuas como você, fazendo-as acreditar na interpretação particular que faz da Bíblia, quando a própria Bíblia diz que as profecias das Escrituras não são para interpretação particular (2Pd 1,20).

      Sinto dizer, meu prezado amigo: você está sendo enganado e desviado do verdadeiro Caminho. Deus o perdoe, ilumine e salve.

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. Nessa semana, respondendo aos Protestantes no EUA, disse que a Epístola aos Gálatas é considerada destaque e primaz entre os escritos do Apóstolo Paulo e tem uma coloração ímpar e exclusiva da personalidade de Paulo. Nela, o Apóstolo Paulo revela toda a sua autoridade, alguns fundamentos da fé cristã e ainda a sua dureza contra o Judaizantes que questionam a autoridade dele.

      Do Paulo, Apóstolo (não da parte dos homens, nem por ação humana, mas por Jesus Cristo e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos) (Gal 1:1 [NET])

      Percebemos assim que o conteúdo da carta será apenas direcionada em apostolado, autoridade e judaizar. Aqui ele começa a reivindicar a autoridade dele.

      E quando Tiago, Cefas e João, que tinha uma reputação como pilares, reconheceram a graça que tinha sido dado a mim, deram-nos a Barnabé e a mim, a mão direita de companheirismo, concordando que iríamos para os gentios, e eles à circuncisão. (Gal 2:9 [NET])

      Portanto, dada a situação da carta e o motivo de sua escrita. Paulo, em síntese, quer apresentar-se como autoridade concedida pelo próprio Jesus. Os apóstolos antes dele, foram consultados, tanto quanto possível. Ele conheceu Pedro, procurou outro, mas só viu Tiago. Em seguida, voltou para Jerusalém novamente e conheceu João, além dos outros antes. Durante todos esses encontros e, desta vez, não se opõem a ele, pelo contrário, deram-lhe a mão.

      Agora eu quero que você saiba, irmãos e irmãs, que o evangelho por mim anunciado não é de origem humana. Porque eu não recebê-lo ou aprendê-lo a partir de qualquer fonte humana; em vez disso, recebi por revelação de Jesus Cristo. (Gal 1: 11-12 [NET])

      A frase "ἀποκάλυψις Ἰησοῦς Χριστός" (revelação de Jesus Cristo) define o evangelho pregado aos Gálatas! Esta frase é citada pelo Apóstolo Pedro em 1:12-13 para confirmar o Evangelho revelado a Paulo e pregado aos Gálatas, também, confirmando as palavras do Apóstolo Paulo em Gálatas 2:9, no qual Pedro autorizou.

      Foram mostrados que eles não estavam servindo-se mas, no que diz respeito às coisas agora anunciadas por aqueles que proclamaram o evangelho a vós pelo Espírito Santo enviado do céu - As coisas, as quais os anjos, há muito tempo desejam ter um vislumbre. Portanto, pegar o seu espírito pronto para a ação por estar totalmente sóbrio, e definir a sua esperança na graça que será trazida para vocês, quando Jesus Cristo for revelado. (1 Pe 1: 12-13 [NET])

      Esta frase "ἀποκάλυψις Ἰησοῦς Χριστός", traduzida em portuguê por "revelação de Jesus Cristo" tornou-se tão famosa entre os Apóstolos, que é usada para confirmar a Autoridade do Livro de Apocalipse.

      A revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos, o que deve acontecer muito em breve. Ele deixou claro, enviando seu anjo ao seu servo João. (Ap 1: 1 [NET])

      Portanto, o Apóstolo Pedro autoriza o Evangelho que foi revelado do céu e pregado por Paulo aos Galátas, além disso, o Apóstolo Pedro adverte na segunda carta aqueles que distorciam o evangelho autorizado.

      Agora, também fica claro a frase do Apóstolo Paulo: "o meu evangelho", um evangelho recebido por revelação dos céus, autorizado pelos Apóstolos, diferentemente daqueles que o receberam diretamente da pessoa humana de Jesus.

      Meu nome é Betho, moro no Espírito Santo e estou um tanto surpreso de que o Apóstolo Paulo pediu autorização a Pedro para pregar. Paulo, por ter sido distante destes, com a primeira aproximação, coloca o nome de Pedro em segundo lugar somente em Galátas, em toda a Bíblia, o que passa a ser compreendido agora.

      Excluir
    3. Complementando:
      .
      O Apóstolo Paulo, depois de três anos pregação aos Gentios, foi a Jerusalém exclusivamente para ver Pedro. Gálatas 1:18, ficando com ele quinze dias.


      Já no Capítulo 2, passados catorze anos após o fato de Gálatas 1:18, Paulo subiu outra vez a Jerusalém com Barnabé, levando também consigo a Tito, devido a uma revelação para expor o evangelho que pregava entre os gentios e aos convertidos para que de maneira alguma não corresse ou não tivesse corrido em vão.

      É neste contexto que lemos Gálatas 2:9:

      E quando Tiago, Cefas e João, que tinha uma reputação como pilares, reconheceram a graça que tinha sido dado a mim, deram-nos a Barnabé e a mim, a mão direita de companheirismo, concordando que iríamos para os gentios, e eles à circuncisão. Recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também procurei fazer com diligência. (Gal 2:9-10 [NET])

      Quando Pedro chega à Antioquia em Gálatas 2:11 e é resistido, já é um outro contexto.

      Resumo: Apóstolo Paulo, após três anos de pregação entre os gentios, procura exclusivamente o Apóstolo Pedro em Jerusalém, pois este já estava orientado pelo Senhor Jesus quanto a evangelização dos gentios, depois de quatorze anos, devido a uma revelação, Paulo retorna a Jerusalém e o evangelho dele, o revelado do céu, é reconhecido por mais de duas testesmunhas entre os Apóstolos, incluindo o Apóstolo Pedro e ainda outra orientação, o que Paulo procurou fazer com diligência para que o trabalho dele, ATÉ ENTÃO distante do crivo dos Apóstolos, NÃO fosse perdido.

      Os dissidentes estão em uma labiríntica com este entendimento.

      Excluir
    4. tudo coopera para o bem daqueles quem amam a Deus (Romanos 8:28)
      Deus nos guiará pelo labirinto

      Excluir
  6. Caro Henrique Sebastião,
    Muito boa as respostas e esclarecimentos, parabéns.A propósito do assunto, consultando o sitio (site) abaixo, pela Internet, observamos a fixação muito grande do seu responsável, nos textos oferecidos para discussão pelos internautas, como por exemplo, os assuntos temáticos dos itens 1) e 2) abaixo, em desqualificar a Igreja Católica Apostólica Romana.
    Reagimos com explicações, opiniões, etc, contra, dentro de nossas limitações e do que nos é possível como leigo, por entendermos o mal que essas pessoas podem estar causando para a unidade da Igreja e para a fé dos seus fiés, quando se defrontam com tais ameaças.
    Então, pergunto: você já conhece esse site? Já fez algum comentário em alguns desses assuntos? Se não, que tal promover uma análise desses temas e, com seu conhecimento e técnica de resposta, colocar as coisas no devido lugar? Isto é, estabelecer a verdade sobre o que acusam a nossa Igreja e amparar os paroquianos católicos, com subsídios, que lhes permitam rechaçar acusações e ameaças como essas.
    Ficam as sugestões
    Paz e Bem.
    Sebastião Farias
    PVelho / Rondônia

    ResponderExcluir
  7. Henrique , adimiro muito suas explicações e por um tempo venho acompanhado suas postagens , sou católico e tenho 18 anos e Ingresarei nesse mês na minha comunidade como catequista , a maioridade dos meus amigos e familiares são protestantes "evangélicos" , por muitas vezes não eu não soube dar as devidas explicações , mais no entanto eu não tinha nenhum cargo na igreja e ai não me importava com o que os outros diziam , agora eu devo por obrigação saber defender a igreja com explicações e verdades , fui o primeiro de toda a família a voltar ao catolicismo , e com suas explicações Henrique estou esclarecendo as dúvidas e dando novas idéias, a primeira manifestação foi do meu primo , e agora minha mãe que se interessou mais a ir as missas novamente , por muito tempo a maioria em minha família são protestantes mais graças ao site estou trazendo a minha família o esclarecimento , de fato não é que minha família deixou de ser católica , eram católicos dominicais ou seja " só iam as missas" e não conhecia a religião , ou seja foram confrontados facilmente mudou de católico para evangélico , eu nasci com minha mãe seguindo já a religião protestante o que pra mim foi difícil por que nasci com um sistema e não queria outro , foi aos meus 16 anos de idade ouvi dizerem ' procure suas próprias verdades não viva o sistema" e graças a Deus hoje sou católico batisado , e crismei no último sábado , em fim. A pergunta é , Henrique a igreja evangélica opera muitos milagres eu não vivenciei nenhum mais na televisão sempre tem , Valdemiro Santiago entre outros... eu sei o quanto eles enganam os fieis como mostram as repostagem mais como podem operar o espírito santo fazendo milagres sendo tão corruptos e enganadores ?... aqui perto de casa há uma igreja universal do edi macedo , por diversas vezes duas pessoas da região tinham os mesmo problemas , sempre supostamente possuídas , tem uma quadra de esportes perto da igreja , e sempre eu e a galera paravamos para ver o pastor supostamente livrando os indivíduos de uma possesao , depois de um tempo essas duas pessoas pararam de frequentar a igreja , e boatos muito grandes que rolou e que eram pagas para fingir que estavam possuídas para o pastor tem um crédito como operador de milagres , as dúvidas vinheram por que sempre no culto eram sempre as duas pessoas , e daí uma série de questiomentos aqui na região sobre o pastor pagar essas pessoas em fim , sobre a minha pergunta há de fato uma obra operada por eles com o dom do espírito santo? Ou há pessoas ali fingindo terem problemas ... sou católico e só quero saber mais , foi uma das coisas que um de meus amigos evangélicos disse pra mim essas semana : padre não opera milagre, que se derem uma pessoa possuída pra ele ele não conseguiria tirar o demônio daquela pessoa .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. uma vez assistindo o programa do "apóstolo valdomiro", ele mostrou uma pessoa com manchas na pele, supostamente incuraveis, que voltou na "igreja" dele 1 mês depois curada após uma "bênção" ou sei lá como eles chamam. Só tinha um detalhe, eu havia tido exatamente a mesma coisa, era um fungo, que peguei na praia, e curei com um spray de 29,00.

      Excluir
    2. Anônimo, Graça e Paz.

      Lembro a você que Deus não opera apenas em milagres. Deus pode usar as coisas pequenas do dia a dia, até as "coincidências", para fazer sua obra na Terra.
      Sou protestante, mas parece que você se refere aos neopentecostais, como a Valdemiro.
      Não julgando as pessoas que estão lá, mas as doutrinas de lá... sem comentários. Mesmo que você veja milagres lá, não creio que isso seja o mais importante.

      Excluir
    3. Sr Herique , não tive a resposta sobre os tais milagres dos protestantes , me desculpe pelo post anterior não me identificar , agurado resposta

      Emanuel dos Santos , comunidade nossa senhora aparecida do caub 2 - Df

      Excluir
  8. Boa Tarde Gente, excelente artigo. Estou dando uma passadinha aqui só para alertar algos para todos vocês. Trabalho em uma casa pró-vida e estamos fazendo levantamento dos candidatos do meu estado (Paraná), que votaram ou se posicionam contra os valores cristãos e daqueles que votaram à favor dos valores cristãos. A lista vai ser divulgada no nosso site: http://www.paranapelavida.com.br.. MAS COMO EU QUERO PARTILHAR ESSAS INFORMAÇÕES com o pessoal que passa por aqui que eu sei que são dos mais diversos lugares desse nosso Brasil, deixo abaixo vários links para consulta e para que vocês possam escolher os candidatos que vão trabalhar pelos cristãos… Segue abaixo.. Abraço gente.

    BIOSSEGURANÇA – http://dto.adv.br/enquetmat.htm
    BIOSSEGURANÇA – http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/plenario/chamadaExterna.html?link=http://www.camara.gov.br/internet/votacao/mostraVotacao.asp?ideVotacao=2316&tipo=partido

    AGENDA GLS – http://epocaestadobrasil.wordpress.com/2010/09/24/em-quem-nao-votar-lista-de-politicos-gayzistas-sao-mais-de-220-deputados-federais-e-21-senadores-alerta-a-igreja/
    http://roberto-cavalcanti.blogspot.com.br/2010/09/lista-de-parlamentares-gayzistas.html

    ABORTO:
    http://blog.cancaonova.com/tiba/tag/deputados-abortistas/
    http://diocesepontagrossa.com.br/index.php?setor=DETALHESNOTICIA&nid=457484

    ResponderExcluir

  9. Amigos Salve Maria!

    Quero parabenizá-los pela produção dos textos e vídeo - aulas que muito nos auxiliam para compreensão da atual situação da Igreja, vocês são muito dedicados e Deus certamente os recompensara.

    Bem gostaria de fazer uma observação.

    O CVII desde o inicio teve pretensões dogmáticas se apresentando como ecumênico e todos os demais concílios ecumênicos foram dogmáticos, elaborou quatro constituições chamadas dogmáticas e Paulo VI disse junto a sua assinatura no final dos textos (escritos em latim) que ele e os bispo em comunhão com ele, estavam assistidos pelo Espírito Santo.

    Por isso negar a continuidade do CVII com a tradição, não é negar a autoridade de quem os elaborou e/ou proclamou como católica, as doutrinas modernistas do referido concílio? Não seria mais coerente assumir uma posição sedevacantista? Pois embora não tenham sido pronunciadas por parte dos papas conciliares declarações Ex cathedra sobre Fé e Moral claramente heréticas, o CVII tratou de Fé e Moral e os papas conciliares o aceitam em sua integridade. Pensar que a infalibilidade é assegurada pelo fato de não terem sido pronunciados dogmaticamente heresias embora o processo de demolição e deformação da estrutura física e eclesiológica esteja bem avançado também me parece ingenuidade.

    Grato pela atenção. Felipe Marques do blog Associação Católica de Estudos Leão XIII http://ieamleaoxiii.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Bom dia a todos!

    Deixo aqui uma reflexão de um ex protestante,que vale a pena ler,ajudará muitos os católicos e os protestante de mente aberta para a verdade

    REFLEXÃO DE UM EX PROTESTANTE

    http://macabeuscomunidades.blogspot.com.br/2014/09/reflexao-de-um-ex-protestante.html

    Que Deus abençoe a todos!

    ResponderExcluir
  11. Henrique, eu gostaria de um livro completo que explicasse de forma mais ampla essa realidade do Primado de Pedro.

    Você conhecem algum livro específico só pra esse assunto?

    Desde já eu agradeço. :)

    ResponderExcluir
  12. Deus abençoe aprofundamento maravilhoso. ..paz e bem!

    ResponderExcluir
  13. O Sínodo de Jerusalém em Atos 15.

    Atos 15:7 E, havendo grande contenda, levantou-se Pedro e disse-lhes:

    Atos 15:13-14 E, havendo-se eles (paulo e Barnabé) calado, tomou Tiago a palavra, dizendo: Homens irmãos, ouvi-me: Simão relatou como primeiramente Deus visitou os gentios Atos 15:13,14


    Pedro, é autoridade máxima em Jerusalém, pois diante da enorme contenda entre todos, ele se levanta entre eles e sem empecilhos, começa a dizer as revelações de Deus. Este argumento é explanado aqui no Site O Fiel Católico, sendo muito pertinente e eficaz para a elucidação para aqueles que negam a primazia do Apóstolo Pedro no Sínodo de Jerusalém.

    A mensagem a seguir, vem complementar a anterior. Está focada no Apóstolo Tiago, filho de Alfeo, um dos primos de Jesus. Tiago somente começa o discurso dele, após o silêncio de Paulo e Barnabé e pela expressão que ele "tomou" a palavra, que em Grego, é um ato que refere-se a responder um discurso já em seu desfecho e ainda, solicita aos irmãos que seja ouvido, talvez por causa da idade dele e quando começa a falar, em vez de ir direto para a opinião dele, invoca a autoridade e rememora a opinião do principal Apóstolo: Simão relatou...

    Desta forma, fica o contraste entre a nítida fragilidade do Apóstolo Tiago no Sínodo e a Soberania do Apóstolo Pedro.

    Betho, ES.

    ResponderExcluir
  14. Salve Maria!

    Gostaria de fazer uma pequena correção: a pedra a que a Bíblia se refere não é nem Pedro, nem Jesus. A pedra é a fé em que Jesus é o Cristo, filho de Deus Vivo, fé esta confessada por Pedro. Isso podemos ler no Catecismo da Igreja Católica, no número 424 e no número 442. Jesus escolher Pedro para ser o pastor, o líder de sua Igreja e lhe dar as chaves do Reino dos Céus é uma verdade, verdade esta que os evangélicos teimam em discordar. Mas, dizer que Jesus edificou a sua Igreja em Pedro, como eu mostrei pelo Catecismo, está errado. A rocha, a pedra é a fé que Jesus é Filho de Deus.

    Paz e bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve Maria Imaculada, anônimo!

      Há um sério equívoco nas suas afirmações. É verdade que a confissão de fé de Simão é, – também esta, em certo sentido, – a "rocha" da fé cristã.

      Todavia, não há como se negar que o Cristo, assim como ficou atestado em Mateus 16,18 e em várias outras passagens das Sagradas Escrituras, atribuiu a Simão o título de "Pedra", tanto assim que lhe deu até o próprio nome "Pedra", e que declarou que sobre aquela Pedra, – isto é, o próprio Simão Pedro, – edificaria a sua Igreja.

      Isto é inequívoco, e o mesmo Catecismo o reconhece e confirma nos parágrafos 552, 642, 765, 881, 1179 e vários outros. Destes transcrevo abaixo alguns trechos que são claríssimos:

      "No colégio dos Doze, Simão Pedro ocupa o primeiro lugar. Jesus confiou-lhe uma missão única. (...) Cristo, "Pedra viva"; garante à sua Igreja construída sobre Pedro a vitória sobre as potências de morte. Pedro, em razão da fé por ele confessada, permanecerá como a rocha inabalável da Igreja. Terá por missão defender esta fé de todo desfalecimento e confirmar nela seus irmãos."
      (§552)

      "Somente Simão, a quem deu o nome de Pedro, o Senhor constituiu em pedra de sua Igreja. Entregou-lhe as chaves da mesma, instituiu-o pastor de todo o rebanho."
      (§881)

      Creio que tenha ficado bem esclarecido. A fé de Simão, sim, sem dúvida é a rocha em que toda a Igreja deveria se apoiar dali por diante, isto é, a divindade de Jesus, o Cristo. Mas também o próprio Simão foi chamado por Jesus de Pedra, a Pedra sobre a qual se edificaria sua Igreja neste mundo.

      É preciso tomar muito cuidado, porque o Catecismo, assim como a Bíblia Sagrada, precisa ser lido com coerência, como conjunto de parágrafos que é. Se não o fizermos, corremos o risco de separar determinados trechos para provar certos pontos de vista que não correspondem à realidade.

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. Certeira a resposta, Henrique! Aqui no OFC a gente aprende tanto mais nos comentários como nos posts!

      Uma observação ao leitor anõnimo com todo respeito: antes de querer "corrigir " um professor é melhor estudar um pouco mais e baixar um pouco "a bola".

      Excluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail