As igrejas "evangélicas", a Sagrada Escritura e as muitas interpretações dos muitos "pastores"


ESTE POST é o trecho do desdobramento de um diálogo meu, Henrique Sebastião, com a leitora "evangélica" Ana Paula, que argumentou, ao conteúdo do post "Razões porque retornei à única Igreja de Jesus Cristo", dizendo que algumas igrejas "evangélicas" realmente estão no erro, mas outras são fiéis. Quando lhe perguntei, entre outras coisas, ao que ou a quem poderiam ser fiéis estas igrejas, ela respondeu dizendo o seguinte:

"Henrique,você perguntou em quê as igrejas são fiéis. Elas são fiéis a bíblia e tudo o que está nela e não no pastor, o pastor apenas prega a palavra conforme está escrito nela."

Caríssima Ana Paula, em primeiro lugar agradecemos pela confiança em nosso apostolado e pelo seu interesse em participar. Então, quer dizer que você realmente acredita que as igrejas "evangélicas" são fiéis à Bíblia, que o "evangélico" observa fielmente o que está escrito na Bíblia, e não à interpretação do "pastor". Muito bem. Você não deve saber disso, mas um dia eu também acreditei nisso, porque também já fui o que chamam de "evangélico". Eu achava que as Escrituras eram, sozinhas, a Palavra de Deus, e que não poderia haver nenhum erro numa igreja que simplesmente observasse a Bíblia.

Foi assim até o dia em que o SENHOR me despertou desse sono, removeu as escamas da soberba dos meus olhos e eu acordei. E retornei à Casa do Pai, à Casa do Deus Vivo, – a Igreja Católica Apostólica Romana. – Agora, eu vou lhe provar porque é impossível que as igrejas "evangélicas" sigam a Bíblia, e vou fazê-lo de forma bem simples. Vejamos:

Se as igrejas “evangélicas” são todas fiéis à Bíblia (logo, a Igreja Católica é infiel), então me diga por que algumas igrejas "evangélicas" pregam, por exemplo, a “teologia” da prosperidade, enquanto outras a consideram uma heresia? Ora, ou uma doutrina é bíblica, ou não é. Ponto. Muito simples, e não há como se fugir deste simples fato.

A “teologia” da prosperidade, você deve saber (não sei se a sua igreja é a favor ou contra, porque o meio ‘evangélico’ é completamente dividido sobre este assunto), é aquela doutrina que diz que a pessoa que vai à igreja, paga o dízimo e contribui com ofertas generosas, sendo fiel e cumprindo os Mandamentos de Deus, terá uma vida só de bênçãos, tanto materiais quanto espirituais (embora a ênfase da pregação esteja sempre na questão financeira). Você paga o dízimo e Deus devolve em dobro, ou dez vezes mais, ou mil vezes mais. Você é fiel na igreja "evangélica" e Deus lhe dá saúde, prosperidade, um casamento feliz, uma carreira profissional de sucesso, filhos dóceis... Enfim, uma vida feliz e repleta de vitórias.

Muitíssimas igrejas “evangélicas” pregam esta doutrina, como a do empresário Silas Malafaia, por exemplo. Os “pastores” selecionam uma coletânea de passagens do Antigo Testamento que falam das bênçãos que Deus reserva àqueles que lhe são fiéis e as usam, de maneira completamente distorcida, para iludir e extorquir gente ingênua.

Por outro lado, existem muitas outras igrejas “evangélicas” que não compartilham da “teologia” da prosperidade, e algumas até a condenam abertamente. Muitos “pastores” criticam outros “pastores” que pregam essa famigerada doutrina.

Certo. É bem neste momento que você, Ana Paula, me diz: "Isso acontece porque algumas igrejas estão no erro, e outras são fiéis à Bíblia". – Mas é exatamente aí que está o problema! Sabe por quê? Porque tanto as que defendem a "teologia" da prosperidade quanto as que a condenam, ambas estão se baseando na Bíblia, cada uma ao seu modo. Vou listar abaixo algumas das passagens que certos patifes, digo, “pastores”, usam para defender a “teologia” da prosperidade:

“Porque sou Eu quem conheço os planos que tenho para vós, diz o Senhor, planos de fazer-vos prosperar e não de causar dano, planos de vos dar esperança e um futuro.” (Jeremias 29,11)
“Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de Mim nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes.” (Malaquias 3,10)
“O Deus dos Céus fará que sejamos bem-sucedidos.” (Neemias, 2,20)
“O ganancioso provoca brigas, mas quem confia no Senhor prosperará.” (Provérbios 28,25)
“E o Senhor te dará grande prosperidade, no fruto do teu ventre, e no fruto dos teus animais, e no fruto do teu solo, sobre a terra que o Senhor jurou a teus pais te dar." (Deuteronômio 28,11)
“Comerás do fruto do teu trabalho e serás feliz e próspero.” (Salmo 127/128,2)

As passagens listadas acima servem apenas como exemplos. Poderíamos citar muitas outras parecidas, que poderiam ser igualmente distorcidas para se legitimar a "teologia" da prosperidade. Saliento que fiz questão de usar novas traduções usadas pelas igrejas "evangélicas", que não raro deturpam determinadas passagens para favorecer à sua doutrina. A tradução citada acima do salmo 128, por exemplo, é da Nova Versão Internacional (NVI). A tradução bem mais fiel da Bíblia de Jerusalém diz, simplesmente: “Do trabalho de tuas mão comerás, tranquilo e feliz”. Veja que há uma tremenda diferença de sentido nas duas versões.

Então, se alguém que diz que algumas igrejas são fiéis à Bíblia e outras não, vai ter que concordar comigo e reconhecer que sim, existe a deturpação. A ressalva é no sentido de que as igrejas fiéis não compactuam com estas deturpações. O problema fundamental deste argumento, porém, é a verdade evidente de que ambos os grupos de igrejas, – tanto o das que pregam quanto o das que condenam a "teologia" da  prosperidade, – podem se afirmar como fiéis à Bíblia. E, neste sentido, estão certas! Afinal, por um lado, a Bíblia realmente promete prosperidade para os justos. Por outro lado, as passagens que falam em prosperidade, assim como todo o conteúdo das Sagradas Escrituras, obviamente precisam ser lidas dentro do seu contexto, e para cada passagem que possa ser usada para favorecer a “teologia” da prosperidade, existem outras que podem ser usadas para negá-la.

Os “pastores” contrários à “teologia” da prosperidade dizem que esta doutrina é herética, e que usa basicamente a mesma tática que Satanás usou no deserto para tentar nosso Senhor Jesus Cristo, oferecendo riquezas, poder, glória e posses materiais em troca de adoração e fidelidade (Mateus 4,8-9). E de que maneira argumentam? Claro, da mesmíssima maneira, usando passagens da Bíblia... Vejamos: 

“Outros ainda recebem a semente entre os espinhos; ouvem a Palavra, mas as preocupações mundanas, a ilusão das riquezas e as múltiplas cobiças a sufocam e a tornam infrutífera” (Marcos 4,18-19)
"Porque a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro. Acossados pela cobiça, alguns se desviaram da fé e se enredaram em muitas aflições." (1Timóteo 6,10)
“Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens” (1 Coríntios 15,19)
“Feliz serás tu, porque estes não têm como retribuir. A tua recompensa virá na ressurreição dos justos.” (Lucas 14,14)
Vós, ricos, chorai e gemei por causa das desgraças que sobre vós virão. Vossas riquezas apodreceram e vossas roupas foram comidas pela traça. Vosso ouro e vossa prata enferrujaram-se e a sua ferrugem dará testemunho contra vós e devorará vossas carnes como fogo. Entesourastes nos últimos dias!” (Tiago 5,1-3)
“Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo, cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas. A nossa cidadania, porém, está nos Céus, de onde esperamos ansiosamente um Salvador, o Senhor Jesus Cristo. Pelo poder que o capacita a colocar todas as coisas debaixo do seu domínio, ele transformará os nossos corpos humilhados, para serem semelhantes ao seu Corpo Glorioso” (Filipenses 3, 18-21)
"Tu dizes: Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada. Não reconheces, porém, que és miserável, digno de compaixão, pobre, cego e que estás nu." (Apocalipse 3,17)
"Disse-lhe Jesus: 'Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no Céu; e vem, e segue-me." (Mateus 19,21)
"Disse então Jesus aos seus discípulos: Em verdade vos digo que um rico dificilmente entrará no Reino dos Céus." (Mateus 19,23)
"E, outra vez vos digo que é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus." (Mateus 19,24)
“Ouvi, meus caríssimos irmãos: porventura não escolheu Deus os pobres deste mundo para que fossem ricos na fé e herdeiros do Reino prometido por Deus aos que o amam?” (Tiago 2,5)
“Então lhes disse: 'Cuidado! Fiquem de sobreaviso contra todo tipo de ganância; a vida de um homem não consiste na quantidade dos seus bens'” (Lucas 11,5)
“Vendei o que possuís e dai esmolas; fazei para vós bolsas que não se gastam, um tesouro inesgotável nos Céus, aonde não chega o ladrão e a traça não o destrói. Pois onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração.” (Lucas 12,33,34)
"Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e ao dinheiro. (...) Aquilo que tem muito valor entre os homens é abominável aos Olhos de Deus." (Lucas 16,13-15)
“E, levantando Ele os olhos para os seus discípulos, dizia: 'Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o Reino de Deus'." (Lucas 6,20-21)
"Mas ai de vós, os ricos, pois já recebestes a vossa consolação. Ai de vós, que agora têm fartura, porque passarão fome. Ai de vós, que agora riem, pois haverão de lamentar e chorar!" (Lucas 6,24-25)

Novamente, as passagens acima servem apenas como exemplos; poderíamos continuar e citar muitíssimas outras, completamente contrárias à doutrina que diz que seguir Jesus é alcançar riqueza, glória e abundância neste mundo. E observe que as passagens contrárias a “teologia” da prosperidade são muito mais abundantes do que as que parecem confirmá-la. Além disso, encontram-se quase que em sua totalidade no Novo Testamento, inserindo-se no contexto da Nova e Eterna Aliança em Cristo, enquanto que aquelas que parecem dizer o contrário pertencem ao contexto do Antigo Testamento.



Mas este post, afinal, não é para falar da “teologia” da prosperidade. Nós já fizemos isso neste site (veja aqui). Eu apenas levantei um tópico, entre muitos outros, para demonstrar que não se pode dizer que há "fidelidade à Bíblia" nas igrejas "evangélicas", – e nem pode haver, – simplesmente porque elas não falam a mesma língua e não seguem a mesma doutrina, e o Espírito de Deus não se divide contra Si mesmo. Mais importante, a Bíblia pode ser interpretada de inúmeras maneiras, e é por isso que existem dezenas de milhares de denominações ditas "evangélicas" no mundo, e todas elas observando doutrinas baseadas exclusivamente na Bíblia.

Alguns "evangélicos" argumentam dizendo que as diferenças estão apenas nos detalhes, que os fundamentos da fé são iguais em todas as igrejas "evangélicas". Mas é muito fácil constatar que isso não é verdade. O caso da "teologia" da prosperidade, que acabamos de analisar, é um ótimo exemplo: se é verdade que Deus abençoa com prosperidade àqueles que lhe são fiéis, então o meu modo de vida será de um determinado modo; isso vai definir o meu comportamento e a minha maneira de me relacionar com Deus. Além disso, o meu estado de vida material servirá como parâmetro para que eu saiba se estou sendo realmente fiel a Deus, se sou um bom cristão ou não. Se eu continuo pobre, se eu não alcanço as tão faladas "vitórias" que Deus concede aos justos, então eu não estou fazendo o que deveria fazer.

Posso chegar ao ponto de crer que não devo ajudar os pobres, porque isso seria desvio de recursos, como ensina o "pastor" R. R. Soares (veja aqui). Claro, se Deus dá abundância material e vitória financeira a quem lhe é fiel, eu não tenho mesmo que ajudar ninguém, porque quem não tem dinheiro é porque não é fiel a Deus e não merece ajuda. Veja o quanto estamos indo num caminho diretamente contrário aquele que Jesus propõe nos Evangelhos.

Por outro lado, se eu não aceito essa doutrina, o meu comportamento será totalmente diverso. Passo a entender a fé e a enxergar a vida de um modo completamente outro; meus modos, posturas e ações serão de outra natureza. Posso chegar ao ponto de um S. Francisco de Assis, que dava graças a Deus pela "irmã pobreza", confiando plenamente no que Jesus diz no Evangelho ('Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o reino de Deus. Bem-aventurados vós, que agora tendes fome, porque sereis fartos. Bem-aventurados vós, que agora chorais, porque haveis de rir.' – Lc 6,20-21). Veja que adotar ou rejeitar uma crença como esta não é mero detalhe, ao contrário: é algo que vai moldar integralmente o meu modo de vida.

Insisto, porém, que para ilustrar a meu ponto de vista usei apenas um exemplo, entre muitíssimos outros. Do mesmo modo, eu poderia falar da questão do divórcio, que algumas igrejas “evangélicas” não admitem, baseadas em Malaquias 2,16, Gênesis 2,24 e Mateus 19,6. Outras igrejas admitem o divórcio em alguns casos, como quando há imoralidade sexual envolvida, e para isso citam Mateus 19,9. Existem também algumas outras bem mais liberais, que simplesmente usam (nas palavras da introdução da Bíblia NVI) de “interpretações menos rígidas”...

Eu poderia também falar da questão do batismo infantil, que algumas igrejas praticam, buscando como sempre legitimar a sua opção na interpretação de uma série de passagens do Antigo e do Novo Testamento (veja aqui) e outras não admitem em hipótese alguma. Encontrei até um fórum de discussão com um debate infinito entre “evangélicos” a respeito deste assunto, alguns defendendo o batismo infantil e outros o condenando com veemência, e – por que será que não fiquei surpreso? – todos acreditavam piamente que estavam fundamentados na Bíblia.

Eu poderia ainda falar das igrejas “evangélicas” que guardam o sábado, enquanto outras guardam o domingo, e outras que não guardam dia nenhum; poderia falar das igrejas que praticam a chamada “santa ceia”, porque Jesus assim ordenou (Lucas 22,19) e das que simplesmente não praticam, porque interpretam a ordem divina de algum outro modo; poderia falar das igrejas que não aceitam mulheres como “pastoras”, baseadas na Bíblia (I Timóteo 2,11-12), e das outras que não só aceitam como até têm mulheres como “bispas” e líderes; poderia falar das “igrejas” que pregam que o Batismo é condição necessária para a salvação, baseadas em Marcos 16,16, e das que dizem que não é, baseadas em Lucas 23,43, etc, etc, etc...

Veja bem, mais uma vez, que eu não estou falando de detalhes, de costumes secundários, que não fazem diferença na prática cristã. Estou falando de questões fundamentais, de temas que incorrem na própria salvação ou perdição da alma! E, também sobre estas, as igrejas “evangélicas” discordam entre si! Cada uma delas crê e prega sua própria verdade, baseada em quê? Na Bíblia, é o que dizem, mas é claro e evidente que isso não é verdade, porque a Palavra de Deus não se contradiz. O problema acontece porque cada uma destas "igrejas" se baseia na sua própria interpretação particular da Bíblia. Apenas isso e mais nada. Consegue compreender isto, Ana Paula? Posso ter esperança de que tudo esteja ficando um pouco mais claro para você?

Como citei acima, segundo dados oficiais existem dezenas de milhares(!) de seitas ditas "igrejas evangélicas” diferentes no mundo, sendo que cada uma delas prega algo diferente, algumas chegando a extremos como aceitar e praticar o "casamento gay" (veja aqui) e promover o aborto (caso da Universal do empresário Edir Macedo – veja aqui), e de alguns pastores que incentivam seus fiéis a destruírem imagens católicas.

Finalizando, para demonstrar insofismavelmente que não existe essa história de igreja “evangélica” fiel à Bíblia, preciso me lançar à árdua tarefa de tentar lhe fazer compreender que a única Igreja que pode ser fiel à Bíblia é aquela que a produziu, na pessoa dos Apóstolos, inspirados pelo Espírito Santo, que também foi a mesma que definiu a sua forma, usando de sua autoridade, dada por Jesus Cristo, para dizer quais dos muitos livros que eram lidos e reverenciados na Igreja primitiva eram divinamente inspirados e quais eram apócrifos. Estou falando da canonização dos livros da Sagrada Escritura que fazem com que a Bíblia seja cristã, isto é, os livros do Novo Testamento, – que são os mesmíssimos livros que as igrejas “evangélicas” adotam, acatando a autoridade da Igreja Católica, que a definiu. – Como você deve saber, as diferenças entre a Bíblia católica e a protestante estão apenas no Antigo Testamento.

Nas próprias Escrituras, Jesus diz aos fariseus hipócritas: “...Vós examinais as Escrituras, julgando ter nelas a vida eterna. Pois são elas que testemunham de Mim, e vós não quereis vir a Mim, para terdes a vida.” (João 5,39-40). – O Senhor está dizendo, textualmente, que não basta o exame da Escritura para se chegar a Ele. E a este respeito, mais uma vez a própria Bíblia é categórica: “Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação particular.” (2 Pedro 1,20). – Esta passagem enfatiza dois pontos fundamentais: tanto que a Escritura não foi produzida com base na inteligência do homem, mas sim pela inspiração do Espírito de Deus, quanto que a sua interpretação não pode ser pessoal, particular, como de alguém que simplesmente resolve examinar as Escrituras por conta própria e a julgar que compreende perfeitamente bem tudo o que Deus diz ali.

Trata-se de um fato muito, muito simples: se fosse para cada um ler a Bíblia, interpretar ao seu modo e sair por aí fundando "igrejas" e mais "igrejas", o Cristo não teria dado a autoridade sobre a Sã Doutrina aos Apóstolos. O Senhor teria dito claramente: "Observem as Escrituras!"... Mas em nenhum, absolutamente nenhum momento, a Bíblia diz algo assim. Ao contrário, há uma clara ênfase na autoridade da Igreja, desde o início.

Logo depois de fundar a Igreja (e não 'as igrejas') sobre o Apóstolo Pedro, no mesmo ato, Jesus diz a este mesmo Pedro que tudo o que ele ligasse na Terra seria ligado no Céu, e o que ele desligasse na Terra seria desligado no Céu (Mateus 16,18). E diz aos Apóstolos, em outra ocasião, que os pecados que eles perdoassem seriam perdoados, e os que eles não perdoassem seriam retidos (João 20,23). Esta é a autoridade que a Igreja possui na Terra, dada diretamente por Deus! Como pode haver alguma dúvida sobre algo tão evidente, para alguém que diz que observa a Bíblia?

Mais ainda do que tudo isso, em sua primeira epístola a Timóteo, S. Paulo Apóstolo é explícito: “Escrevo (eu, o Apóstolo, escrevendo a própria Bíblia, inspirado pelo Espírito Santo) para que saibas como comportar-te na Igreja, que é a Casa do Deus Vivo, a coluna e o sustentáculo da Verdade” (1Timóteo 3,15).

A coluna e o sustentáculo da Verdade é a Igreja, e não a interpretação particular e isolada das Escrituras, e as Escrituras mesmo dão testemunho disto! – Algumas traduções trazem "a coluna e o fundamento da Verdade". – Que mais é preciso dizer? Que mais a própria Bíblia poderia dizer? Ela diz que, antes de tudo, devemos saber que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação particular. A Bíblia Sagrada foi escrita para que soubéssemos como ser membros da Igreja, que é o sustentáculo da Verdade. À Igreja foi dada a autoridade para perdoar ou reter os nossos pecados. O que mais, o que mais é preciso para que alguém de boa vontade compreenda que a interpretação particular das igrejas "evangélicas", por ser literal e isolada do seu devido contexto, é completamente contrária a toda essência do cristianismo?

Resumindo, tudo o que eu tentei demonstrar, até aqui, é que não existe "interpretação particular correta" da Bíblia, porque todas elas já estão condenadas nas próprias Escrituras, e já nascem necessariamente equivocadas. São desvios da fé verdadeira. A única interpretação das Sagradas Escrituras que pode ser considerada correta é a da pessoa que a produziu, inspirada pelo Espírito Santo: a Igreja Católica. E a Igreja não está obrigada a se pautar pelo conteúdo das Escrituras, e sim a  correta interpretação das Escrituras é que precisa se pautar pela orientação da Igreja, pois a Bíblia é filha da Igreja. – A Igreja é a mãe da Bíblia, e não o contrário.

Para encerrar o tema, deixo abaixo um vídeo-aula do Profº Pe. Paulo Ricardo de Azevedo Jr., incansável defensor da verdade e da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo; creio que você não o conheça, e eu gostaria de indicar estas suas vídeo-aulas, que são extremamente didáticas e podem ajudar muitíssimo (veja mais acessando este link). Por enquanto, é isto. Deus a abençoe, ilumine e salve.


A Igreja alguma vez já proibiu
a leitura da Bíblia?

ofielcatolico.com.br

48 comentários:

  1. Olá, Henrique. Como sugestão, eu o aconselharia a colocar um só nome nos posts publicados em resposta à leitora Ana paula e, para diferenciá-los, colocar "parte 1, parte 2", etc, como você já vez outras vezes nesse site. A paz de NSJC!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Petrivalianici,

      Nesse caso específico, acho que não seria interessante usar o mesmo título para todas as minhas respostas, porque são temas muito diversos, então não serão como partes de uma série, mas sim artigos independentes. Até para efeito de ficar mais visível aos motores de busca, é interessante que eu use títulos que de fato representem os conteúdos de cada postagem.

      Abraço fraterno e a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. Hum, entendo bem, Henrique. As vezes, os protestantes fazem muitas acusações ao mesmo tempo e são necessários diversos títulos para diferenciar uma resposta de outra. A paz de NSJC!

      Excluir
  2. vou parafrasear um post antigo deste site, as "igrejas" "evangélicas" divergem em vários pontos, mas convergem em apenas um, que a Igreja Católica não presta...

    ResponderExcluir
  3. Nossa, Henrique!! Paz e bem! Hoje eu tava pensando em ti, no momento em que eu tentava manter um diálogo com uma protestante.... Aí vim aqui no teu blog e vejo que vc citou algo que ela falou.. Já tava pensando em comentar aqui contigo, então quando vi que você falou nisso, nem terminei de ler a matéria e corri p escrever!!
    Então... Hoje ela veio tentar me convencer que ser protestante é incrível e que eles não perseguem a igreja católica (oi?) falou que ela não ofende nenhum católico quando conversa e eu aproveitei p elogiar, já que ela representa uma minoria e completei falando que cada igreja protestante prega uma coisa, e se o pastor dela não ensina a odiar o católico, isso é digno de ser parabenizado... Ela não gostou quando falei da diferença entre as igrejas protestantes e tentou defender, mas meu exemplo (como membro de comunidade franciscana) foi essa tal teologia da prosperidade/ culto da prosperidade, que é um verdadeiro absurdo. E o que ela respondeu?? Ah sim... Tive que ouvir ela falar que "algumas igrejas católicas" também pregam a prosperidade.... Citando, claro, o Vaticano e o PAPA FRANCISCO (!!!) que como sabemos bem é franciscano, pobre de Jesus Cristo e prega algo absolutamente oposto a essa besteira de riqueza. Apenas respondi que ela está completamente enganada, pois não existem "igrejas católicas" como são as protestantes espalhadas por aí... Que a Igreja de Cristo é una, logo o que acontece aqui, é o que acontece no mundo todo.. E que se eu digo que a igreja não prega esse absurdo é pq em nenhum lugar do planeta ela vai pregar...
    Para completar, ela resolveu fazer um comentário sobre o terço: "o terço é um objeto q vocês ficam manuseando sem saber a procedência dele... ele pode ta consagrado ao diabo" admiro tua paciência, pq a minha ta passando longe de mim... :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Karina. Eu sugeriria que você pedisse pra pessoa que estava dialogando com você deixar de comprar pão, pois o padeiro também pode ter consagrado o pão que ele fez ao diabo. Sabe como é, acusação estúpida e ignorante, tolerância zero! A paz de NSJC!

      Excluir
    2. Né? Fico indignada demais c esse tipo de argumentação sem fundamento! N aguento isso.... Fiquei olhando p ela sem acreditar no que eu tava entendendo...

      Excluir
    3. Só nos resta rezar pelos detratores da Igreja, tanto os que apresentam argumentos quanto os que não apresentam, como é o caso da pessoa que falou do terço. A paz de NSJC!

      Excluir
    4. Irmã Karina,
      Só uma adequação: o papa Francisco é jesuíta, mas certamente tem um grande amor pelo carisma de São Francisco...
      isto, é claro, não diminui a relevância do seu comentário.
      Paz e Bem!

      Victor Viana

      Excluir
  4. Excelente explicação essa de Henrique. Com certeza Jesus falou assim para os apóstolos e conseguentemente para os bispos e padres que são os seus sucessores: "ide pelo mundo afora pregando e evangelho, quem crer com essa pregação e for batizado será salvo. Jesus não falou leiam bíblias.. Claro que ler a bíblia é bom, mas a pregação da sua igreja é indispensável.

    ResponderExcluir
  5. Os sedizentes evangélicos, desde os luteranos até á última seita que talvez tenha sido fundada nesse momento, 1 x hora, segundo o IBGE, são todas relativistas, a começar dos "fieis" que acompanham as homilias dos pastores e seguem o que disserem se acharem de acordo com suas teorias ou conveniente, pois todos os protestantes estão sob o livre arbítrio cada qual é juiz da própria causa - e cada pessoa numa seita é uma igreja diferente por sermos desiguais ao interpretar a bíblia, por sinal muito difícil para simplesmente ler e sair interpretando por aí, como fazem.
    Um bando de ignorantes e prá lá de relativistas, isso sim!
    Henoc

    ResponderExcluir
  6. Henrique, eu já li alguns textos seus parecidos com este aqui, mas são os meus favoritos. nunca me canso de ler as suas explicações sobre a catequese fundamental, porque é disso que mais precisamos hoje em dia, e sinceramente as suas explicações só não entende quem não quer entender, quem não tem boa vontade mesmo. PARABÉNS!

    Outra: com toda humildade, eu gostaria que os padres, os bispos e até o papa falassem como você fala; alguns fazem isso, mas infelizmente hoje em dia são minoria.

    ResponderExcluir
  7. Henrique, agradeço por sua atenção ao meu comentário e por sua prontidão em responder. Você disse algumas coisas que concordei como as heresias que existem em algumas igrejas e outras que eu não concordei. Bom, mas para não estender de novo o assunto, vou somente acompanhar suas respostas pois tudo que eu queria te falar está naquele comentário que fiz.
    Obrigada pela atenção, que o Senhor Jesus o salve e o ilumine.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu é que agradeço, Ana Paula, em nome de nosso apostolado. Você é bem educada e aberta ao diálogo, coisa rara entre seus pares que nos visitam.

      Abraço fraterno e a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. Graça e Paz!

      Fiquei com ciúme agora, Henrique...
      Brincadeira!!
      Mas falando sério agora, acho maravilhoso o trabalho que você faz. Isso é o verdadeiro ecumenismo: dizer o que pensa respeitosamente!

      Excluir
    3. Oi, Filipe. Sem querer mudar de assunto, mas você viu a resposta que eu e o Anônimo Sidnei lhe demos no post "Razões porque retornei à única Igreja de Jesus Cristo"? A paz de NSJC!

      Excluir
  8. https://www.youtube.com/watch?v=_csUwgwRD-A#t=704

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro anônimo das 22:52
      Este vídeo a meu ver é uma farsa, como sempre foi a fala do “pastÔÔÔ” malafaia. O malandro e dono da franquia “vitoria em cristo” é um oportunistas. Se seus filhos fossem deputados pelo PT, sua sempre fala falsa seria outra. Ele sempre cai onde der mais grana, foi assim ao deixar a empresa do Edir maiscedo pro inferno e outras do mesmo naipe.
      Que Deus nos livre destes falsários!

      Excluir
  9. Mas, já existe diferentes missas na Igreja Católica e quem faz a celebração correta? E muitas coisas ainda vão mudar mais ainda dentro da Igreja Romana, coisas que vc condena hoje vai ter que engolir no futuro! e certas orientações da Igreja Romana que são praticamente ocultadas pra que os fiéis permaneçam fazendo numero e alguns enchendo o peito e dizendo que o Brasil é um país catolico

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está bem equivocado, anônimo. Não existem "diferentes missas", a não ser na cabeça das pessoas que se permitem enganar pelos falsos profetas, como, aliás, – perdoe-me a honestidade, – parece ser o seu caso.

      A Santa Missa é uma só, e é a celebração da renovação do Sacrifício de Nosso Senhor Jesus Cristo no Calvário. Ponto. Só há uma Missa, que pode ser celebrada de duas maneiras: em vernáculo ou em latim (para tentar explicar do jeito mais simples possível a alguém que não compreende a questão e que não parece interessado em aprender).

      Desde o início do cristianismo, assim como é hoje e será para sempre, enquanto durar este mundo, a Igreja determinou que deve ser respeitado o princípio "segundo o qual cada igreja particular (sui juris ou dioceses) deve estar de acordo com a Igreja Universal, não só sobre a doutrina da fé e os sinais sacramentais, mas nos usos universalmente transmitidos pela tradição apostólica contínua. Estes devem manter-se não só para evitar os enganos, mas também para que a fé seja transmitida em sua integridade, já que a regra de oração da Igreja (lex orandi) corresponde à sua regra da fé (lex credendi)".1

      Quanto às suas "profecias" para o futuro da Igreja, que antes de ser circunstancialmente romana é Católica e Apostólica, dispenso. Desde os primeiros tempos, inúmeros "profetas" de ocasião vem garantindo que a Igreja de Cristo vai acabar, que vai mudar, se transformar, e isso e aquilo. Dois milênios se passaram e, até agora, nenhuma dessas previsões se cumpriu. Então, guarde as suas para si mesmo.

      Por fim, um conselho. Em vez de ficar disseminando bobagens e teorias da conspiração pela internet, procure os bons livros, estude, pesquise com seriedade. Aprender não ocupa espaço, e é muito mais útil para você e para o seu próximo do que servir ao pai da mentira, como você está fazendo.

      Apostolado Fiel Católico

      __________
      1. Instrução Geral do Missal Romano, terceira edição, 2002, N. 397

      Excluir
    2. Poderia também ser colocado aqui, também os diferentes ritos que há na igreja, sobre tudo, os ritos das igrejas católicas orientais, porém, todas elas, mesmo com diferentes ritos, apresentam o único e mesmíssimo sacrifício de CRISTO que não se repete, mas se torna presente em nossos altares. E quanto a dizer: "que vc condena hoje vai ter que engolir no futuro!", depende o que?, por exemplo, aceitação do casamento gay?, nada disto, se por ventura algum padre, bispo e até o Papa vier alguma bobagem desta, nós católicos já reconheceremos como apostadas, falsos pastores e anti papas, haja vista que quando se fala das verdades proclamadas pela Igreja tem-se que levar em conta a tudo o que a Igreja ensinou até hoje sob a orientação do ESPIRITO SANTO, se vier algum membro do clero e até o Papa dizer algo de diferente a tudo o que foi crido até hoje, e a tudo o que foi crido até hoje é que se deve levar em conta e não o que um padre, bispo e até o Papa vem a dizer contradizendo a tudo o que foi ensinado até hoje pela Igreja orientada pelo ESPIRITO SANTO, pois o ESPIRITO SANTO não pode ensinar o erro, então uma coisa como o casamento gay, que até hoje sempre foi ensinado como algo errado, não pode de uma hora para outro, só porque algum padre, bispo ou até o Papa querer ensinar que seja a coisa mais normal do mundo, pois então estará contradizendo o ESPIRITO SANTO e a Igreja que sempre ensinou o contrário, e não é possível que o ESPIRITO SANTO e a Igreja sempre ensinou o erro e algum membro do clero, incluindo o Papa venha ensinar o correto agora.

      Anonimo: Sidnei.

      Excluir
  10. Pra vc todo pastor é falso profeta, mas o Papa não acha, ele até gosta de visitar os templos evangélicos né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro, me mostre exatamente onde foi que eu publiquei a frase: "todo pastor é falso profeta". Não, eu não penso assim. Muitos deles estão apenas equivocados, perdidos mesmo.

      Segundo, nem tudo o que o Papa faz serve, necessariamente, de exemplo para os católicos. No caso que você está citando, sobre essa atitude específica do Papa Francisco, eu não tenho receio algum de dizer que realmente não serve de exemplo, de modo algum. Ao contrário, ela pode confundir as mentes de muitos católicos mal formados, que aliás são maioria.

      Na história da Igreja, infelizmente já existiram Papas que foram grandes e assumidos pecadores, Papas que tinham amantes e até filhos, sabia?

      Nós não cremos que o Papa é infalível em todas as suas decisões e pronunciamentos, anônimo, a não ser quando ele se manifesta a respeito da doutrina, como sucessor de Pedro e declarando a intenção de esclarecer a todos os fiéis acerca das verdades da fé. Já falamos sobre este assunto, neste post:

      http://www.ofielcatolico.com.br/2001/04/a-infalibilidade-papal-o-papa-e.html

      Então, se o Papa gosta de visitar "templos" (?) "evangélicos", sendo muito direto, este é um problema particular dele. Tudo o que publicamos aqui é fundamentado na Sã Doutrina cristã e católica, confiada à Igreja diretamente por Nosso Senhor Jesus Cristo. E sobe esse problema específico, do ecumenismo e do relacionamento com outras religiões, se você quer verdadeiramente saber qual é a doutrina católica, leia os documentos oficiais da Igreja, diretamente na página do Vaticano:

      http://www.vatican.va/holy_father/pius_xi/encyclicals/documents/hf_p-xi_enc_19280106_mortalium-animos_po.html

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. Ele visita, mas não diz que os falsos profetas, verdadeiros lobos vestidos de cordeiros, não são o que são e, mesmo que dissesse, isso provaria que estamos diante de um antipapa ou um papa despreparado, que necessita de muita oração, assim como os pseudo-evangélicos que seguem os falsos pastores. A paz de NSJC!

      Excluir
  11. Henrique, valeu pela clareza e imparcialidade de sua bem iluminada resposta à Ana Paula.
    Disso tudo e das verdades fundamentadas na Bíblia que você apresentou, não tenho dúvidas, em muito breve tempo, a medida em que àqueles evangélicos de boa vontade e que realmente, tem fé verdadeira em Jesus Cristo e, a medida em que vão meditando nessas verdades expostas sobre suas seitas, como você fez, só lhes restam um caminho a seguir: voltarem o quanto antes para a única Igreja edificada por Jesus Cristo, A ICAR.
    No entanto, com foco nesse ICAR, ciente de que esse fenômeno acontecerá, deverá de forma proativa, se preparar com pessoal especializado e com a devida estrutura, para receber e preparar essas pessoas para sua integração sem problemas, em nossa Igreja.
    São minhas considerações.

    Paz e Bem

    Sebastião Farias

    ResponderExcluir
  12. Dúvida: quando a biblia fala em primogênito ela quer sempre dizer que a pessoa teve outros filhos ou não? Não sei se deu pra entender a pergunta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deu pra entender, Anônimo. Já li num excelente post desse site chamado "Virgindade Pérpetua de Maria, Mãe de Jesus", se eu não me engano, que nem sempre o primogênito é o primeiro filho no sentido de haver outros quando a palavra é usada nas Sagradas Escrituras. Nos evangelhos, por exemplo, a palavra primogênito significa "filho que abriu o útero" ou algo bem parecido com essa tradução, dando a entender que podem ter vindo outros filhos além do primogênito ou não, mas que a intenção é de dizer que ele foi o primeiro a abrir o útero da mãe. A paz de NSJC!

      Excluir
    2. Leia no post abaixo, no subtítulo "Outras contestações", a resposta para a sua dúvida:

      http://www.ofielcatolico.com.br/2014/02/virgindade-perpetua-de-maria-mae-de.html

      Abraço fraterno e a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  13. o que é o protestantismo? o que devemos dizer aqueles que são desnecessariamente tradicionalistas? a igreja era pecadora para poder haver o inicio do protestantismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, anônimo, a Igreja nunca foi, não é e nunca será pecadora. O protestantismo surgiu das heresias de Martinho Lutero, no século XVI. Todos nós, católicos, devemos ser tradicionais, por defendermos a Tradição da Igreja. Não sei o que é ser "desnecessariamente tradicionalista", mas nossa prioridade deve ser obedecer á Sagrada Tradição. Podem haver irmãos que interpretam a Tradição da Igreja de forma errônea e acabam se tornando tradicionalistas de modo desnecessário e, se for a eles que você estiver se referindo, creio que devemos mostrar a eles que estão errados. A paz de NSJC!

      Excluir
    2. "O que é o protestantismo?"

      R.:
      https://www.youtube.com/watch?v=VbhYT-jRYK0

      (a partir dos 12 min)


      "O que devemos dizer àqueles que são desnecessariamente tradicionalistas?"

      R.: Não entendi bem. Se você estiver se referindo aos chamados "radtrads" (tradicionalistas radicais), creio profundamente que o melhor jeito de lidar com eles é dando bom exemplo, de caridade, de correção, de conhecimento das coisas santas...

      Vou lhe dar um exemplo: temos por aqui a constante presença de um protestante, que frequenta assiduamente "O Fiel Católico". Ele recebe inúmeras respostas "atravessadas", às vezes tenta entabular um diálogo e é tratado com rispidez... Mas ele nunca deixou de se comportar com boa educação, nunca respondeu com agressividade ou ofensas. E acabou conquistando a simpatia da maioria dos católicos por aqui. Todos nós achamos que ele segue uma doutrina herética, sim, e nem eu nem ninguém por aqui jamais deixou de dizê-lo, mas, – através do seu comportamento, – ele acabou por angariar respeito, e assim convivemos amistosamente, como convém aos bons cristãos.

      Do mesmo modo devemos proceder com os radtrads católicos. Em muitas das suas teses, em essência eles estão certos. Mas pecam, via de regra, no seu comportamento, na truculência, na maneira dura e extremamente agressiva com que se colocam como os únicos donos da verdade, sem pensar duas vezes em atacar violentamente seus adversários.

      E parecem enxergar a todos como inimigos, vide a rivalidade entre os diversos grupos radtrads: não há o menor respeito entre eles, não há o menor esforço em se conviver fraternalmente. Todos eles se odeiam e não tentam escondê-lo! Isso pode estar cristãmente certo? Creio, de boa consciência em Deus, que a resposta é não. Sem Amor-caridade não há cristianismo.


      "A igreja era pecadora para poder haver o inicio do protestantismo?"

      Jesus era pecador para haver Judas Iscariotes?radtrads católicos. Em muitas das suas teses, em essência eles estão certos. Mas pecam, via de regra, no seu comportamento, na truculência, na maneira dura e extremamente agressiva com que se colocam como os únicos donos da verdade, sem pensar duas vezes em atacar violentamente seus adversários.

      E parecem enxergar a todos como inimigos, vide a rivalidade entre os diversos grupos radtrads: não há o menor respeito entre eles, não há o menor esforço em se conviver fraternalmente. Todos eles se odeiam e não tentam escondê-lo! Isso pode estar cristãmente certo? Creio, de boa consciência em Deus, que a resposta é não. Sem Amor-caridade não há cristianismo.


      "A igreja era pecadora para poder haver o inicio do protestantismo?"

      Jesus era pecador para haver Judas Iscariotes?


      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  14. Sensacional! Impressionante como as perguntas que ainda fazem são as mesmas que o post já respondeu......... E muito bem respondidas! PARABÉNS, sou feliz por ser católico!

    Ju Ka

    ResponderExcluir
  15. André comentou: Artigo brilhante !

    ResponderExcluir
  16. Meu querido Henrique, se algum protestante ler este artigo e ainda continuar protestante, não sei se ainda resta muita esperança para ele. Tudo foi esclarecido, não vê quem não quer.

    ResponderExcluir
  17. Estou certo de que fiz bem, mesmo que afastado, de sempre procurar defender a Igreja, deixando sempre claro da minha condição para não envergonhar a sã doutrina ou escandalizá-la, mas continuo sendo católico e professando um só batismo.

    ResponderExcluir
  18. “O secularismo ocidental é filho legítimo do protestantismo secular como postura filosófica de ser anti-sobrenaturalista, desencantador e essencialmente racionalista. Afinal, o mundo é um conjunto de relações sociais (Marx) que se desenvolveu num processo de evolução (Darwin) através do trabalho (Engels), e que deve se libertar da culpa produzida pela religião (Feueurbach). No que pode desembocar tudo isso? No relativismo.’’ (ALENCAR, Gedeon, “Protestantismo Tupiniquim’’, pag. 123)

    “Um teólogo luterano moderno, Dietrich Bonhoeffer, escreveu sobre este resultado lamentável e usa as seguintes palavras, chamando a esta “indulgência protestante” para pecar, pelo nome de “graça barata”: A graça barata é a justificação do pecado sem a justificação do pecador. A graça faz tudo, dizem eles e, portanto, tudo pode ficar como estava antes.(…) O mundo continua na mesma forma antiga e nós ainda somos pecadores, “inclusive aquele que vive melhor”, como disse Lutero. Então, pois, que o cristão viva como faz o resto do mundo, que se guiem pelos padrões do mundo em cada esfera da vida e que não presuma que viverá uma vida diferente debaixo da graça, daquela que foi a sua antiga vida debaixo do pecado. Em geral, os estudiosos concordam que um dos frutos da Reforma foi uma decadência inegável na moralidade de toda Europa onde quer que a doutrina de “só crê” (Sola Fide) tenha se difundido entre as pessoas comuns.” Ver também: “NEGAÇÃO DO VALOR DAS BOAS OBRAS”, Luz de Cristo x trevas da irracionalidade.

    “Há muitas seitas e convicções como há cabeças; este aqui não admite o batismo; aquele rejeita o sacramento do altar; outros acreditam num mundo entre o presente e o dia do julgamento; alguns ensinam que Jesus Cristo não é Deus. Não há ninguém, por mais engraçado que possa ser, que não diz ser inspirado pelo Espírito Santo, e que não aumenta em profecias seus sonhos e devaneios”. (Martinho Lutero – “An Meine Kritiker”)

    Protestantes: “Talvez as variações tão decantadas pelos controversistas romanos não sejam tão más.” Schaff. iden 207

    João Calvino: “É DE GRANDE IMPORTÂNCIA QUE NÃO CHEGUE AOS SÉCULOS FUTUROS QUALQUER SUSPEITA SOBRE AS DIVISÕES QUE EXISTEM ENTRE NÓS, PORQUE É SUMAMENTE RIDÍCULO PENSAR QUE, APÓS TERMOS ROMPIDO COM O PAPADO, ESTEJAMOS EM TÃO POUCO ACORDO DESDE O PRINCÍPIO.” EpÍstola a Melachton.

    Thedoro de Beza, sucessor de Calvino: “EIS QUE NOSSO POVO É LEVADO POR TODO VENTO DE DOUTRINA, O QUE CRÊ HOJE TALVEZ O SAIBAS, MAS O QUE CRERÁ AMANHÃ NÃO PODEMOS ATINAR.” In Epistola a Andrea Duditium.

    Myconius: “As coisas não vão nada bem desde que os leigos atribuiram a si mesmos toda autoridade e o magistrado se fez Papa.”in ep a Calvino

    Capiton: “A autoridade dos ministros foi totalmente abolida e assim tudo se perde e se arruína. Eu não conheço uma igreja, uma só, onde haja disciplina… pois o povo não cessa de dizer: Vós vos fizestes tiranos duma igreja que é livre e estabelecestes um novo papado.” in ep a Farel

    Melanchton: “Que será da igreja? Pois desde que mudamos todos os costumes antigos as pessoas estão persuadidas de que não há mais necessidade de líderes ou de condutores autorizados… – …certamente que não apoio a tirania dos Bispos, mas sim o restabelecimento de sua administração, conforme o costume da igreja. Pois se não restabelecermos logo a polícia eclesiástica então a tirania atingirá níveis verdadeiramente insuportáveis.” O mesmo: “O rio Elba com todas as suas águas NÃO BASTARIA PARA SE CHORAR A DESGRAÇA DE UMA REFORMA DIVIDIDA.”

    Samuel Puffendorf, jurista protestante do décimo sétimo século: “COMO O PROTESTANTISMO NÃO POSSUI QUALQUER AUTORIDADE PARA ENCERRAR AS DISPUTAS QUE SURGEM ENTRE AS PARTES, FRAGMENTA-SE EM SI MESMO.” De monarch.

    Bernardo de Mandeville: “Mas os lideres protestantes apartaram-se bastante cedo uns dos outros e com grave dano introduziram a divisão e até os dias de hoje tem se esforçado para congregar os dissidentes e por fim a luta religiosa…” Id, praef Pg Viii.

    TODO REINO DIVIDIDO CONTRA SI MESMO SERÁ DESTRUÍDO!

    ResponderExcluir
  19. “Meus guardas estão todos cegos e não vêem nada; são cães mudos incapazes de latir, sonham estirados, gostam de cochilar; são CÃES VORAZES E INSACIÁVEIS {são pastores que nada observam}, cada qual segue seu caminho em busca de seu INTERESSE.” (Isaías 56,10-11)

    “Ai dos pastores que deixam perder-se e DISPERSAR-SE O REBANHO miúdo de minha pastagem! – oráculo do Senhor. Por isso, assim fala o Senhor, Deus de Israel, acerca dos pastores que apascentam o meu povo: Dispersastes o meu rebanho e o afugentastes, sem dele vos ocupar. Eu, porém, vou ocupar-me à vossa custa da malícia de tal procedimento – oráculo do Senhor. Reunirei o que restar das minhas ovelhas, espalhadas pelos países em que as exilei e as trarei para as pastagens em que se hão de multiplicar. Escolherei para elas pastores que as apascentarão, de sorte que não tenham receios nem temores, e já nenhuma delas se extravie – oráculo do Senhor. Dias virão – oráculo do Senhor – em que farei brotar de Davi um rebento justo que será rei e governará com sabedoria e exercerá na terra o direito e a eqüidade. Sob seu reinado será salvo Judá, e viverá Israel em segurança. E eis o nome com que será chamado: Javé-nossa-justiça!” (Jeremias 23,1-6)

    “Guardai-vos dos falsos profetas. Eles vêm a vós disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos arrebatadores. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinhos e figos dos abrolhos? Toda árvore boa dá bons frutos; toda árvore má dá maus frutos. Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má, bons frutos. Toda árvore que não der bons frutos será cortada e lançada ao fogo. Pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo aquele que me diz: “Senhor, Senhor”, entrará no Reino dos céus, mas sim aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: “Senhor, Senhor, não pregamos nós em vosso nome, e não foi em vosso nome que expulsamos os demônios e fizemos muitos milagres?” E, no entanto, eu lhes direi: Nunca vos conheci. Retirai-vos de mim, operários maus!” (Mateus 7,15-23)

    “Quem não está comigo está contra mim; e quem não ajunta comigo, ESPALHA.'' (Mateus 12,30)

    “Se recusa ouvi-los, dize-o à Igreja. E se recusar ouvir também a Igreja, seja ele para ti como um pagão e um publicano.” (Mateus 18,17)

    “Jesus entrou no templo e expulsou dali todos aqueles que se entregavam ao comércio. Derrubou as mesas dos cambistas e os bancos dos negociantes de pombas, e disse-lhes: Está escrito: Minha casa é uma casa de oração (Is 56,7), mas vós fizestes dela um covil de ladrões (Jr 7,11)!” (Mateus 21,12-13)

    “Levantar-se-ão muitos falsos profetas e seduzirão a muitos.E, ante o progresso crescente da iniqüidade, a caridade de muitos esfriará. Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.” (Mateus 24,11-13)

    “Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão sinais e portentos para seduzir, se possível for, até os escolhidos.” (Marcos 13,22)

    Rogo-vos, irmãos, que desconfieis daqueles que causam divisões e escândalos, apartando-se da doutrina que recebestes. Evitai-os! Esses tais não servem a Cristo nosso Senhor, mas ao próprio ventre. E com palavras adocicadas e linguagem lisonjeira enganam os corações simples.” (Romanos 16,17-18)

    “Esses tais são falsos apóstolos, operários desonestos, que se disfarçam em apóstolos de Cristo, o que não é de espantar. Pois, se o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz, parece bem normal que seus ministros se disfarcem em ministros de justiça, cujo fim, no entanto, será segundo as suas obras.” (2 Coríntios 11,13-15)

    ResponderExcluir







  20. “Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; Um só Senhor, uma só fé, um só batismo.” (Efésios 4,4-5)

    “Assim, pois, irmãos, ficai firmes e conservai os ensinamentos que de nós aprendestes, seja por palavras, seja por carta nossa.” (2 Tessalonicenses 2,15)

    “Todavia, se eu tardar, quero que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é a Igreja de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade.” (1 Timóteo 3,15)

    “Algumas já se perverteram, para irem após Satanás.” (1 Timóteo 5,15)

    “Não abandonemos a nossa assembléia, como é costume de alguns, mas admoestemo-nos mutuamente, e tanto mais quando vedes aproximar-se o Grande Dia.” (Hebreus 10,25)

    “Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal.'' (2 Pedro 1,20)

    “Assim como houve entre o povo falsos profetas, assim também haverá entre vós FALSOS DOUTORES que introduzirão disfarçadamente SEITAS PERNICIOSAS. Eles, renegando assim o Senhor que os resgatou, atrairão sobre si uma ruína repentina. Muitos os seguirão nas suas DESORDENS e serão deste modo a CAUSA DO CAMINHO DA VERDADE SER CALUNIADO. Movidos por COBIÇA, eles vos hão de EXPLORAR por PALAVRAS CHEIAS DE ASTÚCIA. Há muito tempo a condenação os ameaça, e a sua ruína não dorme.” (2 Pedro 2,1-3)

    “É o que ele faz em todas as suas cartas, nas quais fala nestes assuntos. Nelas há algumas passagens difíceis de entender, cujo sentido os espíritos ignorantes ou pouco fortalecidos deturpam, para a sua própria ruína, como o fazem também com as demais Escrituras. Vós, pois, caríssimos, advertidos de antemão, tomai cuidado para que não caiais da vossa firmeza, levados pelo erro destes homens ímpios.” (2 Pedro 3,16-17)

    “Pois certos homens ímpios se introduziram furtivamente entre nós, os quais desde muito tempo estão destinados para este julgamento; eles transformam em dissolução a graça de nosso Deus e negam Jesus Cristo, nosso único Mestre e Senhor.” (Judas 1,4)

    “ELES SAÍRAM DENTRE NÓS, MAS NÃO ERAM DOS NOSSOS. SE TIVESSEM SIDO DOS NOSSOS, FICARIAM CERTAMENTE CONOSCO. MAS ISTO SE DÁ PARA QUE SE CONHEÇA QUE NEM TODOS SÃO DOS NOSSOS.” (1 João 2,19)

    Extra Ecclesiam nulla salus.

    ResponderExcluir
  21. Henrique e a todos do Apostolado, Boa Noite !!!

    Um dia desses, eu estava assistindo um debate entre um rabino e um pastor a respeito de Jesus, e logicamente cada um deles apresentava seus respectivos argumentos para provar ou desmentir que Jesus é o Messias. Confesso que ainda não assisti o vídeo todo devido ao seu tamanho, porém o período que vi (mais ou menos 1 hora) o pastor foi completamente "surrado" pelo rabino judeu. Em diversos momentos percebi como de fato as tradições e um magistério fez falta ao protestante.

    Um dos pontos discutidos foi o seguinte (vou tentar ser breve): o rabino disse que para um livro ser inspirado por Deus ele não pode conter um só erro, porque Deus não erra. Então ele levantou um ponto a respeito da genealogia de Jesus, afirmando que há muitas controvérsias entre os evangelistas Lucas e Mateus, perguntando ele como pode em meia página haver mais de 10 erros? (O pastor não soube responder).
    Procurando em minha Bíblia (Católica), vi que existe uma nota de rodapé para essa questão, onde diz que Mateus segue a linha da realeza de Israel e não de filho para pai.
    Poderiam me ajudar um pouco mais sobre este ponto ?

    Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo !

    Max

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Tradição Cristã afirma que os cinco primeiros livros da Bíblia (Pentateuco ou Torá, livros sagrados para os Judeus), foram escritos por Moisés. Aí, poder-se-ia questionar o Rabino sobre Moisés, como poderia ter escrito o ocorrido da criação, antes mesmo de ele haver sido criado?
      Ora, este tipo de questionamento para quem é cristão católico e crer na Revelação Divina, não pode ser motivo de descrença.

      Caro Max, qual link do vídeo?

      Grato!

      Seja louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!

      Excluir
  22. Obrigado André !

    Apenas uma correção em cima do que eu mesmo falei. A pessoa que está no debate com o rabino é um professor da New York school of the Bible (Batista) e não um pastor.
    A questão que o rabino levantou foi sobre a genealogia de Jesus, afirmando que a descendência de David até José não coincide entre os evangelistas. Mas já vi que a própria bíblia tem uma nota sobre isso. Minha intenção era só entender um pouco mais sobre essa diferença.

    Segue o link:
    https://www.youtube.com/watch?v=6WHv4MBOyu8

    Um abraço !

    Max

    ResponderExcluir
  23. Olá, parece que Martinho Lutero tirou alguns livros da Bíblia, então acredito que tenha diferença também no Novo Testamento, devemos ler apenas o que é Católico, e fugir das heresias do protestantismo.

    ResponderExcluir
  24. Cansada das críticas dos protestantes resolvi debater com
    Um colega protestante. Usei deus argumentos citados acima, porém sem sucesso algum, ele insiste em dizer que o papa e a besta, que a mulher que é citada no apocalipse e a nossa abata igreja católica, que o papa quer unificar outras religiões como espiritaimo, umbanda, etc ao cristianismo! E eu como leiga(infelizmente, estou já pouco tempo seguir fielmente a igreja católica, então ainda me vejo acuada diante de certas acusações). Se puder me ajudar. Me esclarecendo estas dúvidas, eu agradeço. A paz do senhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O melhor a se fazer, é não entrar nessa discussão. Os protestantes não aceitam a verdade, pois estão completamente "cegados" pelos seus pastores, pois se realmente conhecessem a Igreja Católica, se converteriam a nossa Santa Igreja.

      O que eu posso sugerir a você, é que procure sempre estar atenta a realidade de nossa Igreja, pois outra triste realidade, é que 90% dos católicos, não sabem o que o catolicismo prega e ensina, caindo assim em contradição.

      A Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo.

      Excluir
  25. Meu caro, Bruno. Não entrar na discussão seria como deixar uma pessoa se afogar, por favor discuta sobre a fé. Não tente à força faze-los acreditar mas quando surgir o assunto discuta com mansidão afinal a Igreja Católica defende e propaga a Palavra de DEUS, e não a usa. Imagine se São Paulo deixasse de discutir com os pagãos, o que seria de nós? E mais ainda imagine se JESUS não discutice com os doutores? Pobres miseráveis somos nós sem JESUS! os protestantes e nós estamos na mesma situação dos Apóstolos e os Fariseus, no entanto não se esqueça que São Paulo era fariseu e Nicodemos doutor da lei, no entanto JESUS tocou em seus corações. ("E assim com Janes e Jambres se opuseram a Moisés, também esses se opõem à verdade; são homens de espírito corrupto e fé inconsistente. Mas eles não irão longe, pois sua loucura será desmascarada diante de todos, como aconteceu com aqueles dois" 2TM 8-9) OBS: leia o capítulo inteiro.
    Louvado Seja NOSSO SENHOR JESUS CRISTO que com o PAI e o ESPÍRITO SANTO vive e reina para sempre. Amém!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, acho que não me expressei bem. Sem dúvidas quando alguém quer conversar sobre religião, sobre Deus, devemos sempre estar dispostos a conversar. O que quis dizer, é que os protestantes, em sua maioria, querem impor suas "verdades", muitas vezes nem dando a chance de darmos nossa versão, então pra não ficar desagradável, nessa situação, eu prefiro nem entrar em debate.

      Grande abraço e que o Espirito Santo esteja sempre com todos nós.

      Excluir
  26. Sobre a "sola escritura" que tanto afirmam: está completamente errada. Para aqueles que buscam à DEUS que é A Verdade vejam esse site:https://domus-mariae.aerobatic.io › post. Neles fala o porque da "sola escritura" está errada, com exemplo de São Francisco de Sales. Se você é protestante e acha que estou errado, apenas leia. Se você é católico também leia, vai esclarecer as dúvidas que possa ter e quem sabe o ajude a mostrar a verdade aquele seu amigo protestante que erroneamente segue a fé lhe apresentada por seus pais ou por qualquer outra razão se afastou da verdadeira fé. A paz se CRISTO esteja convosco.

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail