'Regional Norte 3' da CNBB emite nota sobre os Planos de Educação

Dom Philip Dickmans
CNBB – O RECIONAL Norte 3 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) emitiu nota explicativa sobre os Planos de Educação, diante do contexto de aprovação no país das Diretrizes, Metas, Estratégias dos Planos Estadual e Municipal de Educação (2015-2025), que pretendem incluir a ideologia de gênero nas escolas e a possibilidade de ensinar, a partir dos três anos de idade, que não existe diferença entre homem e mulher. O texto lembra que “a ideologia de gênero, ao proclamar a absoluta liberdade de construir a própria identidade sexual, uma vez aplicada, destrói o ser humano em sua integralidade e, por conseguinte, a sociedade, cuja célula-mãe é a família”. Segue abaixo a íntegra da nota:


Nota explicativa sobre os planos de educação

Aos presbíteros, Religiosos, Religiosas, Diáconos, Professores, Educadores, Pastores das Igrejas Evangélicas, homens e mulheres de boa vontade

“A ideologia de gênero é contrária ao plano de Deus!” (Papa Francisco)

O Brasil está se mobilizando para aprovar as Diretrizes, as Metas, as Estratégias dos Planos Estadual e Municipal de Educação (2015-2025), com base na Lei 13.005/2014, que, segundo consta no Documento de Referência, para uma educação integral e humanizada. É louvável esta iniciativa. Todos nós somos conscientes que sem uma educação de qualidade o Brasil não se desenvolverá. O problema, no entanto, é o que está sendo proposto nos referidos Planos, como destacaremos a seguir:

Em 2014, o governo federal tentou aprovar no Congresso Nacional a introdução da linguagem de gênero no Plano Nacional de Educação (PNE 2014-2024). Queria-se introduzir na educação brasileira a possibilidade de ensinar, a partir dos três anos de idade, que não existe diferença entre homem e mulher. Essa ideologia, de maneira oculta e à revelia da população brasileira, pretende acabar com as bases da nossa cultura e fundar uma nova ordem em que cada um pode decidir autonomamente e de maneira não definitiva a própria orientação sexual ou livre opção sexual.

O ponto que mais nos preocupa é a estratégia de número 12.6, que reza o seguinte: “garantir condições institucionais para o debate e a promoção da diversidade étnico-racial, de gênero, diversidade sexual e religiosa, por meio de políticas pedagógicas e de gestão específicas para esse fim”.

Existem organizações nacionais e internacionais muito ocupadas em destruir a família natural, constituída por um pai, uma mãe e seus filhos. Hoje um dos recursos mais perigosos para atentar contra a família se chama “ideologia de gênero”.

A ideologia de gênero também denominada de “teoria de gênero” ou “perspectiva de gênero” ensina que ninguém nasce homem ou mulher e que todos devem construir sua própria identidade, isto é, seu gênero, ao longo de sua vida. Segundo os teóricos de gênero, cada um deveria ser identificado não por seu sexo biológico, mas pela identidade que ele constrói para si mesmo.

No número 40 do Documento de Aparecida já alertou que “entre os pressupostos que enfraquecem e menosprezam a vida familiar, encontramos a ideologia de gênero, segundo a qual um pode escolher sua orientação sexual, sem levar em consideração as diferenças dadas pela natureza humana. Isso tem provocado modificações legais que ferem gravemente a dignidade do matrimônio, o respeito ao direito à vida e a identidade da família”.

Segundo o Papa emérito Bento XVI, a ideologia de gênero “contesta o fato de o homem possuir uma natureza corpórea pré-constituída (…) nega a sua própria natureza, decidindo que esta não lhe é dada como um facto pré-constituído, mas é ele próprio quem a cria. (…) Homem e mulher como realidade da criação, como natureza da pessoa humana, já não existem. (…). A manipulação da natureza, que hoje deploramos relativamente ao meio ambiente, torna-se aqui a escolha básica do homem a respeito de si mesmo. (…) Se não há (…) homem e mulher como um dado da criação, então deixa de existir também a família como realidade pré-estabelecida pela criação. Mas, em tal caso (…) o filho, de sujeito jurídico que era, com direito próprio, passa agora necessariamente a objeto, ao qual se tem direito e que, como objeto de um direito, se pode adquirir. Na luta pela família, está em jogo o próprio homem. E torna-se evidente que, onde Deus é negado, dissolve-se também a dignidade do homem. Quem defende Deus, defende o homem.”

O Papa Francisco, recentemente, afirmou que a ideologia de gênero é um erro da mente humana que provoca muita confusão e ataca a família. O papa lamentou a prática ocidental de impor uma agenda de gênero a outras nações por meio de ajuda externa. Chamou isso de “colonização ideológica”, comparando-o à máquina de propaganda nazista. Segundo ele, existem “Herodes” modernos que “destroem e tramam projetos de morte, que desfiguram a face do homem e da mulher, destruindo a criação.”

A ideologia de gênero, ao proclamar a absoluta liberdade de construir a própria identidade sexual, uma vez aplicada, destrói o ser humano em sua integralidade e, por conseguinte, a sociedade, cuja célula-mãe é a família. Todas as orientações sexuais reconhecidas como “gêneros” ou variantes lícitas seriam legitimadas, ensinadas, legalmente praticadas e oferecidas como opções sexuais às nossas crianças por meio da rede de ensino pública e privada.

A introdução da igualdade de gênero e da livre opção sexual em leis federais, estaduais ou municipais, especialmente nas que tratam da Educação, será certamente acompanhada pela introdução da disciplina de Educação Sexual nos currículos da Educação Básica de escolas públicas e privadas, em todos os níveis e modalidades. Nossas crianças deverão aprender que não são meninos ou meninas, e que precisam inventar um gênero para si mesmas. Para isso receberão materiais didáticos destinados a deformarem sua identidade. Sendo obrigatório por lei, os pais que se opuserem, poderão ser criminalizados por isso.

Como podemos ter certeza de que tudo isso de fato acontecerá? Porque exatamente isso já está acontecendo em países da América e da Europa, onde, como na Alemanha, já há pais que são detidos, porque seus filhos se recusam a assistir às aulas de gênero.

Frente a essa gravíssima situação, os bispos do Estado do Tocantins conclamam aos fiéis católicos do Estado a acompanhar com responsabilidade as discussões e decisões dos gestores do Estado e dos Municípios, a formação escolar dos próprios filhos e as decisões tomadas em cada estabelecimento de ensino, dando o próprio testemunho cristão, e posicionando-se corajosamente contra a ideologia de gênero em todos os ambientes que frequentam.

Expressamos veementemente o nosso desejo de que todas as forças vivas do Estado se unam em defesa da vida, da família e da sociedade em geral. Que as futuras gerações possam ter a certeza de que não fomos omissos e de que lutamos, dentro da lei e da ordem, contra os prejuízos de uma ideologia perigosamente revolucionária.

Fraternalmente,

Dom Philip Dickmans

Presidente

Regional Norte 3 da CNBB e

Bispo da Diocese de Miracema do Tocantins


Dom Pedro Brito Guimarães – Arcebispo de Palmas

Dom Romualdo Matias Kujawski – Bispo da Diocese de Porto Nacional

Dom Giovane Pereira de Melo – Bispo da Diocese de Tocantinópolis

Dom Rodolfo Luiz Weber – Bispo da Prelazia de Cristalândia

___
Fonte:
CNBB, Regional Norte 3 (Tocantins e norte de Goiás), disp. em:
cnbb.org.br/regionais/norte-3-tocantins-e-norte-de-goias/16651-regional-norte-3-emite-nota-explicativa-sobre-os-planos-de-educacao
Acesso 7/6/015
www.ofielcatolico.com.br

6 comentários:

  1. Poxa, até que em fim a CNBB esta se mexendo. Porém, poderia se ter maior força, se os padres nas homilias dominicais tirassem uma parte do tempo, para explicar ao povão o que está acontecendo, porém, o que eu vejo, é que não tem nenhuma padre, e se há, serão exceções, que expliquem ao povo o que está acontecendo, e acontecendo isto, uma parcela do povo católico esta totalmente desinformado quanto a esta situação, quando muito até apoiam esta aberração toda.

    Sidnei.

    ResponderExcluir
  2. Diversas queixas e denúncias nos têm chegado quanto à implantação traiçoeira e criminosa da ideologia de gênero nos PMEs municipais Brasil afora.

    O apelo abaixo é de um de nossos colaboradores, diretamente da capital do Paraná.

    "– Urgente: Ideologia do gênero em Curitiba: https://www.cmc.pr.gov.br/ass_det.php?not=24884

    Por favor, nos ajudem a alertar os curitibanos. O arquivo contém vários trechos claros da ideologia, por exemplo:

    'DIVERSIDADE, EDUCAÇÃO E DIREITOS HUMANOS

    META 25: Assegurar, no prazo de dois (2) anos, a criação, a implementação, o desenvolvimento e a execução de um plano municipal, construído em conjunto com a sociedade civil, de prevenção e enfrentamento de desigualdades étnico-raciais, de gênero, de orientação sexual, identidade de gênero, geracional, às violências (doméstica/intrafamiliar, institucional e trabalho infantil), e respeito às diversidades (entre homens e mulheres; população LGBT, população negra, povos indígenas, população cigana, populações quilombolas, populações geograficamente excluídas, sujeitos privados de liberdade e em conflito com a lei, em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto, sujeitos em situação de risco, extrema pobreza, população de rua, refugiados e migrantes), com vistas a garantir condições mais equânimes de acesso, permanência e sucesso em todos os níveis e modalidades de ensino, em instituições educacionais públicas e privadas no município de Curitiba.'" (P. A. C.)

    Não esmoreçamos nesta luta, porque o inimigo é terrível, e a ameaça, gravíssima.

    A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

    Apostolado Fiel Católico

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa Tarde meu caro irmão Henrique,
      Solicitei ao Diretor da Casa Pró Vida em que atuo aqui em Curitiba, Pe Silvio que também é apresentador do programa Sim a Vida, na rede evangelizar para entrar em contato com você,a fim de que futuramente ele te entreviste no programa dele para tratar de assuntos como: Ideologia de Gênero, Defesa da vida e da família tradicional. Como você foi responsável pelo meu encontro com a Santa Igreja alguns anos atrás fiz questão de colocar seu nome na lista. Acredito que em breve ele entre em contato com você para que venha participar da entrevista nos estúdios da rede evangelizar aqui em Curitiba.

      Abraço Fraterno
      Juliano A.R.P

      Excluir
    2. Também agradeço por esta manifestação pelo Plano Municipal de Educação. Nosso grupo Pró Vida, está lutando de forma ferrenha contra essa maldita ideologia.

      Excluir
    3. Eu é que devo agradecer, em nome de todo o nosso apostolado, caríssimo irmão em Cristo Juliano, por toda a vossa consideração. Sinto-me pequeno diante de tantas demandas urgentes, por cada vez mais pessoas que recorrem ao nosso apostolado em busca de ajuda e orientações. Rezo e suplico a Deus por forças, eu que sou tão indigno e sem nenhum mérito para falar em Nome do Cristo.

      Nosso Senhor Jesus Cristo o cumule de bençãos, e Maria Santíssima interceda sempre pelo Sr. e por todos os que lhe são caros

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  3. Essa ideologia de gênero realmente não é de Deus, por isso temos que lutar ardorosamente contra ela. Contra o feminismo e contra o gaysismo. Temos que dizer que tudo isso é pecado.

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail