Heresias, tão antigas e tão novas: o macedonianismo


Ler a primeira parte desta série

APÓS AS POLÊMICAS em torno do arianismo e de suas vertentes, que negavam a igualdade de natureza entre o Pai e o Filho, surge, a partir da segunda metade do século V, uma corrente de pensamento que negava a divindade do Espírito Santo. Tal heresia recebeu o nome de Macedonianismo ou Pneumatomaquismo.

O mentor de tal corrente foi o Patriarca de Constantinopla Macedônio, seguidor do pensamento ariano. Se de fato já havia uma dificuldade em aceitar a plena divindade do Filho, subordinado ao Pai, a Pessoa do Espírito Santo será ainda mais posta dentro de uma relação de subordinação ao pai e ao Filho.

Assim, o Espírito Santo seria superior aos anjos, por exemplo, e o grande canal de todas as graças, mas inferior ao Pai. Os macedonianos ou pneumatômacos, como gostava de se referir a eles Santo Atanásio, – pois combatiam a divindade do Espírito Santo ('pneumatômaco', no grego, quer dizer 'adversário do Espírito'), – foram condenados em vários momentos pela Igreja. No ano 362, por exemplo, um Sínodo em Alexandria considerou tal doutrina herética.

Mesmo morrendo em 362, Macedônio deixou vários adeptos de seu pensamento. Desta maneira, a condenação mais veemente veio no I Concílio de Constantinopla em 381. Os Padres conciliares reafirmaram a fé professada no I Concílio de Niceia declarando o "Cremos no Espírito Santo", porém acrescentando: "Senhor que dá a vida e procede do Pai, e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado, Ele que falou pelos Profetas".


Santo Atanásio de Alexandria deu aos
macedonianos o título 'pneumatômacos'

Nesta afirmação conciliar vemos claramente a defesa da igualdade entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo do ponto de vista da natureza e da dignidade. É condenado, portanto, qualquer tipo de subordinação na Trindade. Em Deus Uno e Trino não há inferior e superior, nem mais ou menos. Em Deus temos Três Pessoas e uma Natureza ou Substância.

Tanto na Igreja Oriental como na Tradição ocidental, vários Padres da Igreja combateram o macedonianismo por intermédio de várias obras. No Ocidente temos a figura dos Padres Capadócios, ou seja: São Basílio, o Grande, São Gregório Nazianzo e São Gregório de Nissa. No mundo latino temos Santo Ambrósio e Santo Hilário de Poitiers.

Enfim, como diria São Basílio no Tratado sobre o Espírito Santo (6,15):

Que defesa adequada temos perante o terrível e comum Tribunal onde comparecerão todas as  criaturas, se apesar de ter o Senhor manifestamente prometido vir na Glória do Pai, e de Estevão ter visto Jesus de pé à Direita de Deus, e de Paulo ter atestado no Espírito, acerca de Cristo, que Ele está à Direita de Deus, e embora tenha dito o Pai: 'Assenta-te à minha Direita", e o Espírito Santo ter testemunhado que Ele está assentado à Direita da Majestade de Deus, procuremos colocar numa posição inferior àqu'Ele que possui igual Trono, igual honra, devido à igualdade com o Pai e o Filho?"


__________
Esta é a sexta parte de uma série de postagens relacionadas entre si, adaptadas do conteúdo do recém-lançado (e precioso) opúsculo do Prof. Dr. Joel Gracioso, “Heresias: tão antigas e tão novas” (Kenosis/DDM, 2015), que divulgamos, pedindo a Nosso Senhor que renove, nos corações dos homens, o amor sincero pela Verdade eterna.

** O opúsculo pode ser adquirido por e-mail:
contato@kenosispublicacoes.com.br

*** Acompanhe as novidades da Kenosis publicações em: 
facebook.com/kenosispublicacoes/
____
Fonte:
GRACIOSO, Joel, Heresias: tão antigas e tão novas. São Paulo: Kenosis; DDM, 2015, pp. 15-17.
* O texto deste artigo contém excertos de Henrique Sebastião, autor/editor de 'O Fiel Católico'
www.ofielcatolico.com.br

6 comentários:

  1. Esta heresia se difere com a dos testemunhas de Jeová, que negam não somente a divindade do ESPIRITO SANTO, como sua própria pessoalidade, ou seja, para o TJ o ESPIRITO SANTO não é uma pessoas, mas, apenas o poder que vem de DEUS. Já o macedonianismo, não ensinava que o ESPIRITO SANTO não era uma pessoa, tal como os TJ, eles consideravam que o ESPIRITO SANTO era uma pessoa, mas, não uma pessoa divina, sendo uma das três pessoas da SANTÍSSIMA TRINDADE. Estou certo quanto este pensamento, ou, estou equivocado?.

    Sidnei

    ResponderExcluir
  2. Muito legal. Não conhecia essa heresia.

    ResponderExcluir
  3. Novus Ordo – Nova heresia do skatismo católico

    Padre nas Filipninas saudou seus paroquianos e cantou musiqueta de Natal em um Skate elétrico. Foi punido pela diocese para refletir sobre atitude:
    http://emp.bbc.co.uk/emp/embed/smpEmbed.html?playlist=http%3A%2F%2Fwww.bbc.co.uk%2Fportuguese%2Fmeta%2Fdps%2F2015%2F12%2Femp%2F151230_padre_hoverboard_tg.emp.xml&product=news
    Se a moda pega...

    Seja louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para sempre seja louvado! Pelo menos o padre se arrependeu e prometeu não repetir o seu "show" para chamar atenção durante a Santa Missa, André. Já pensou se fosse algum dos hereges da "libertação" ou carismáticos aqui do Brasil que, além de não se arrepender, criticaria a Igreja por ser muito "retrógrada" e não "se aproximar dos fiéis"? Pior: aproveitaria a ocasião para dançar e pular feito um folião no carnaval e/ou realizar seus discursos marxistas em cima do seu "skatinho" em plena celebração da Sagrada Eucaristia! Temos que rezar, e muito, pelos nossos sacerdotes. Livrai-nos, Senhor, de tamanha apostasia!
      A paz de NSJC!

      Excluir
  4. Excelente texto para combater as heresias de hoje. Que o bom Deus nos ajude

    ResponderExcluir
  5. Gostaria de saber se os católicos hereges, (ou seja, os falsos católicos seguidores de outras seitas), se eles terão salvação?

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail