Gigante Ratzinger

ACABO DE CONCLUIR as notas de minha autoria para o relançamento do livro "O Novo Povo de Deus", do titã da Teologia Joseph Ratzinger, publicada originalmente em 1969, quatro anos após o encerramento do Vaticano II e como ressonância direta deste. Para esta obra, mais atual do que nunca, oferecida agora pela editora Molokai do cruzado contemporâneo José Alberto Siqueira (empreendedor nada preocupado em dizer ao mundo o que ele quer ouvir) e da qual sou o atual editor-chefe, cuja tradução co-revisei e diagramei, recebi a imerecida honra de produzir os textos de apresentação, juntamente com o querido amigo prof. Rudy Assunção, competente especialista em Ratzinger que assumiu a tradução. 

Quero compartilhar esta alegria com os leitores de "O Fiel Católico" como forma de homenagem a este colosso da Igreja que tive o privilégio de conhecer e cujo exemplo segue sendo uma guia. Abaixo.



Quando a Igreja se recusa a trocar a sua doutrina imutável e atemporal pela subjetividade da orientação mundana, que se baseia sempre nas fugidias tendências culturais e pseudocientíficas do momento, é porque sabe que a sua defesa dos valores humanos e morais –, valores inegociáveis –, precisa continuar sendo como um farol seguro para todo aquele que procura a verdade e a transcendência.

Especialmente quando muitos navios naufragam é que se deve intensificar a luz dos faróis. "O novo povo de Deus" articula-se em certas grandes partes, sendo uma delas  a reforma católica da Igreja, defendendo, no imediato pós-Concílio (V.II), que surgira já uma falsa reforma da Igreja, e definindo critérios que deveriam guiar o verdadeiro renascimento eclesial.


* * *

Gigante

A obra de Ratzinger é uma herança de valor incalculável. Sua vasta produção teológica e intelectual se traduz numa contribuição imensa não só para católicos sedentos de conhecimento das coisas santas, como também para o patrimônio cultural da humanidade. Mestre, doutor, pastor de almas zeloso, porém manso e humilde de coração; bem disse o jornalista José Maria e Silva, referindo-se à histórica renúncia, que, a partir daquele dia, o mundo se apequenaria, desprovido da voz segura de um gigante1.

Não só de suas obsessivas investigações nos campos da fé e da razão (que o levaram aos seus oito doutorados), mas também de sua história de vida, muitas vezes sofrida –, das agruras da guerra e o recrutamento forçado até as incompreensões do mundo materialista –, Ratzinger formou as profundezas abissais do seu pensamento teológico, sem abandonar jamais a modéstia admirável que o caracterizou nos serviços prestados ao Corpo de Cristo, desde humilde coroinha até as mais altas responsabilidades, de prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé a sucessor de Pedro.

De fato, sabemos que o nome Joseph Ratzinger/Bento XVI – considerado pelos grandes como o maior teólogo vivo do mundo – deverá figurar entre os dos grandes Doutores da Igreja, até o fim dos nossos tempos.

____
1. Publicado no jornal 'Opção', disp. em
www.jornalopcao.com.br/posts/reportagens/o-mundo-se-apequena-sem-a-voz-de-um-gigante
Acesso 24/1/017.
www.ofielcatolico.com.br

7 comentários:

  1. GIGANTE DE VERDADE. HOMEM SANTO. O TOMÁS DE AQUINO DOS NOSSOS TEMPOS. EU O AMO DE PAIXÃO.
    MUITO GRATO PELA LINDA MATÉRIA. ESTE O FIEL CATÓLICO É UMA BÊNÇÃO NAS NOSSAS VIDAS!!!
    URBANO MEDEIROS, músico sacro em Minas Gerais

    ResponderExcluir
  2. Não me canso de ler as obras de Ratzinger ou sobre ele. Devo ter lido mais de 20 livros dele.

    Tenho certeza de que quando Deus o chamar para perto de Si, durante seu enterro, leremos cartazes na Praça de São Pedro que dirão:

    "DOTTORE DELA CHIESA SUBITO"

    P.S.: quem escreve esse artigo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São notas de minha autoria para o relançamento do livro "O Novo Povo de Deus" pela editora Molokai, que constarão do miolo do próprio. Concordo que teremos as placas...

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  3. Espetacular Bento XVI!! O mundo ainda vai lhe fazer justiça! O mundo?? Dane-se o mundo! Tu já está justiçado nos céus, que é o que conta!!
    Saudades deste sábio Papa!
    Sábio e humilde. Lembro-me perfeitamente de suas primeiras palavras como Papa: "Os senhores cardeais resolveram-me escolher para suceder o grade João Paulo II (hoje São João Paulo II)...eu sou apenas um humilde servo da vinha do senhor...".
    Humilde? Mas não diziam que ele era o "todo poderoso inquisidor do santo ofício"?
    Eis aí! Sábio e humilde, a desfazer os preconceitos e ódios mundanos.
    Viva Bento XVI!!!

    ResponderExcluir
  4. Sempre oro por ele nas Missas q celebro "...por nosso Papa Francisco, pelo nosso Papa emérito Bento XVI..." espero q eu não seja o único... Eu o amo e sou muito grato por tudo q sofreu (e sofre) por amor a Santa Igreja.
    Pe. João da Cruz, SJS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pe. João da Cruz, eu não sou sacerdote, mas sempre quando rezo pelo Papa Francisco, rezo também pelo Papa emérito Bento XVI.
      Tenho um enorme carinho e admiração por ele!

      Excluir
    2. Eu também sempre o menciono quando celebro o Santo Sacrifício.Vida longa a Bento XV!

      Excluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail