Caos e surrealismo


A PÁGINA COMUNISTA "Brasil 247" deu uma relação com os nomes de 89 bispos que apoiaram a "greve geral" e as manifestações esquerdistas do dia 28/4/2017. Desnecessário dizer que absolutamente todos eles – o site, os bispos e a manifestação em si – são na realidade inimigos do povo brasileiro e, consequentemente, da Igreja. Precisamos nos manter atentos principalmente com relação a esses ditos "bispos católicos" –, esses herdeiros de Judas –, que por obrigação sagrada deveriam ser os primeiros a defender os santos valores e princípios que a Tradição e a autêntica Sã Doutrina de Cristo nos deixaram, e condenar movimentos injustos de gente que é contra a família, a religião e a própria Igreja. 

Completamente doutrinados no esquerdismo, esses autênticos lobos em pele de cordeiro bradam e repetem a todo instante contra a suposta "perda de direitos" dos trabalhadores. Se perguntamos para algum deles, porém, que direitos exatamente seriam estes, se os desafiamos a listar que direitos estariam sendo realmente revogados com a proposta de reforma da Previdência, eles simplesmente não sabem responder (saiba mais). 

Qualquer ser pensante que abrigue o mínimo de massa cinzenta dentro da calota craniana é capaz de compreender que a intenção dos que promovem esta grande lorota só tem uma única finalidade: enganar a grande massa de brasileiros (composta majoritariamente por gente humilde, ingênua, incapaz e/ou que tem preguiça de investigar para conhecer a realidade dos fatos) para se lançarem em 2018 como os grandes "salvadores da Pátria", que supostamente estão sempre a favor dos pobres e dos trabalhadores, lutando contra a "elite opressora". 

Onde estavam estes que agora promovem a baderna e a revolução quando o governo do PT levava o país ao abismo, gerando taxas de desemprego recorde e criando a miséria que amargamos agora? Onde estavam quando Lula e Dilma tiravam milhões da saúde e da educação? Quando faliam a Petrobrás? Quando afundavam o país num mar de corrupção nunca visto na história deste país? Ora, Lula e Dilma defenderam a reforma da Previdência enquanto eram governo. Onde estavam os líderes sindicais quando tudo isso acontecia? Onde estavam quando o povo saía as ruas para apoiar a operação Lava Jato e impedir que o Congresso anistiasse os crimes relacionados ao caixa 2? Onde estavam as centrais sindicais e todas essas lideranças de esquerda, agora tão indignadas? Estavam defendendo um governo incompetente e o mais corrupto da nossa história. 

A real motivação de todo este movimento é o fim da obrigatoriedade do imposto sindical incluído na proposta de reforma trabalhista. O Brasil é o país que mais tem sindicados no mundo. Existem aqui 15 mil sindicatos(!) que movimentam 2,4 bilhões de reais anualmente. Segundo dados do Ministério do Trabalho, mais de 250 novos sindicatos surgiram todos os anos na última década(!)1. O sindicalismo tornou-se uma verdadeira galinha dos ovos de ouro para muitos grupos, da qual não querem abrir mão pelo bem do país. Ainda pior, a obrigatoriedade do imposto comprovadamente sustenta criminosos que vivem às custas da exploração dos verdadeiros trabalhadores, forçados a manter um esquema que vem formando verdadeiras máfias em nosso país há décadas. Infelizmente, vivemos num país de desinformados que seguem o estouro da boiada. Pouquíssima gente se lembra ou mesmo ouviu falar, por exemplo, do caso do Sindicato dos Comerciários, conhecido como "Casa dos Mata Roma"...

Para garantir a continuidade da mamata, a estratégia mais fácil é a de induzir "o povão" mal informado contra o governo, usando do mofado argumento da garantia dos "direitos do trabalhador". Aqui está uma verdade tão clara e evidente que só não a enxerga quem realmente não quer – ou está tão fanatizado por ideologias populistas que já não é mais capaz de perceber a realidade objetiva. Tal comportamento é particularmente imperdoável para um bispo.

Roguemos a Deus por bons pastores, comprometidos com o Evangelho e  as verdades eternas, e não com ideologias políticas, e clamemos aos Céus por justiça. E resistamos, pois resistir é preciso. Corajoso Santo Atanásio, rogai por nós!

___
1. ALMEIDA, Cássia; CARNEIRO, Luciane. Com mais de 250 novos sindicatos por ano, Brasil já tem mais de 15 mil entidades, disp. em:

http://oglobo.globo.com/economia/com-mais-de-250-novos-sindicatos-por-ano-brasil-ja-tem-mais-de-15-mil-entidades-8237463#ixzz4feOzP55m
Acesso 27/4/017
www.ofielcatolico.com.br

15 comentários:

  1. Concordo plenamente, a real motivação dos protestos dos sindicatos é a desobrigação da contribuição sindical que é retirada do salário dos trabalhadores. Só pensam no dinheiro.

    ResponderExcluir
  2. Muito esclarecedor o texto. Fui a página do Brasil 247(que deveria ser 171 ) pra ver se encontrava o bispo da minha diocese. Não encontrei, porém aqui em Araras SP, ta um verdadeiro sacrifício assistir a Santa Missa, com essa corja de padres esquerdistas, que fazem do altar um verdadeiro palanque. Na minha opinião não são padres e sim militantes esquerdistas infiltrados na Santa Igreja. Me agarro as promessas de Nosso Senhor Jesus Cristo:" As portas do inferno não prevaleceram"!!!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pela a informação irmão!
    Realmente, ainda não tinha parado para refletir sobre este ponto. No entanto, se for possível, gostaria que você pudesse nos informar melhor a respeito dos possíveis danos reais que acarretaram aos trabalhadores devido a esta reforma trabalhista, que é apresentada pelo o poder executivo. Para que assim, possamos, com mais clareza, defender a nossa fé e também os irmãos mais pobres que sofrerão o principal impacto por causa desta reforma. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimo, Wilson. A sua pergunta tão coerente e direta nos leva à conclusão de um dos fatos mais tristes em relação ao povo brasileiro: o hábito de formar opinião sobre alguma coisa baseado apenas naquilo que se "ouviu falar". Trata-se do famoso "achismo". O brasileiro está tão habituado a falar do que não sabe, tomar partido sem conhecer a argumentação do outro e (nos últimos tempos especialmente) criticar ou atacar alguma coisa apenas por adesão ideológica – porque eu sou da turma "x" e quem está propondo algo é da turma "y" – que ninguém se lembra do mais óbvio e necessário: conhecer aquilo que se está criticando ou apoiando.

      Que tal, então, começar pelo começo? Simplesmente lendo o Projeto de Lei (PL) 6787/2016, que altera o Decreto-Lei nº 5.452 (1/5/1943 – Consolidação das Leis do Trabalho) e a Lei nº 6.019 (3/1/1974)?

      Já debati com diversas pessoas contrárias à reforma e nenhuma delas – nenhuma sequer! – conhecia realmente o projeto em si(!). Em outras palavras, estão combatendo algo que eles nem sabem exatamente o que é, e nem fazem ideia se isso poderá trazer melhorias para a vida da população de modo geral.

      Bem, Wilson, no endereço abaixo você pode ler e baixar a íntegra do documento, para refletir e depois, então sim, debater sobre o assunto com conhecimento de causa, e não fundamentado nas opiniões de terceiros:

      file:///C:/Users/Henrique/Desktop/PL%206787-2016.pdf

      Depois que você (ou qualquer outro dos nossos leitores) estiver bem informado a respeito do assunto, aí será possível debater qual ou quais pontos são ou não são interessantes para o nosso pais, qual ou quais deveriam ser alterados, ou se esse PL é realmente um atentado aos direitos dos trabalhadores que deveria ser definitivamente defenestrado.

      Particularmente (falo em meu nome e não em nome da fraternidade S. Próspero), tenho críticas a alguns pontos do texto do projeto, ao mesmo tempo em que outros pontos me parecem justos e até mesmo necessários. Creio que a sua implantação resultaria numa diminuição importante do desemprego em nosso país.

      Mas, honestamente, não vi "perda de direitos" em ponto algum do documento.

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. Só complementando o que disse logo aí atrás, Wilson, parece-me realmente que os nossos irmãos mais pobres serão exatamente os mais beneficiados caso esse PL venha a ser implementado. Vejo que o "impacto", para eles, seria totalmente positivo, com a possibilidade de parcelar férias, remuneração por hora extra aumentada, a eleição de representantes dos trabalhadores dentro das próprias empresas, etc.

      Um abraço fraterno

      Excluir
  4. Sandro, não é só na sua comunidade, o pároco da minha paroquia, é a mesma coisa, todas as santas missa, ele comenta, que o governo está roubando os pobres, e sempre na hora do evangelho, da mais enfase ao governo do que pregar o evangelho, e usa sempre o trump, sobre as bombas, que está jogando bomba em cabeça de inocente (sic), o ISIS inocente? esse dia quase que eu gritava na hora do evangelho, que Deus tenha misericórdia, pois está pior do que eu pensava...Rezemos a Cristo nosso Senhor.

    ResponderExcluir
  5. Diversos padres de Guarulhos foram às ruas no dia 28/04; tiraram fotos com fiéis, esses últimos postaram nas redes sociais, etc. Tinha gente com a camiseta da Cáritas, com legenda "lutando pelo povo brasileiro"...
    Percebi que para justificar o apoio a políticos e ideologias, estão usando como argumento a RERUM NOVARUM e a Doutrina Social da Igreja!

    De coração, fico muito triste de ver bispos e padres usando documento da Igreja para defender seus ideais políticos e ainda arrastar milhares de fiéis.
    Acredito que, por serem pastores, nem deveriam se meter com política, ou seja, ser partidário.
    Isso só prova o quanto a Teologia da Libertação perverteu nossas comunidades.

    Não se vê, NINGUÉM que tenha posição partidária dentro da Igreja se aprofundando na Tradição: tudo que fazem é achar alguma forma de defenderem a Teologia da Libertação nos documentos da Igreja.
    Se você chegar para qualquer um desses fiéis, principalmente, e falar sobre consagração, sobre a Tradição, uso do véu, rezar terço, ou seja, sobre qualquer coisa que seja relacionada a Tradição, você é "chatão", bitolado demais...
    Isso pode ser visto na própria PJ! Cansei de ver jovens da PJ compartilhando nas redes sociais, publicações de páginas esquerdistas, feministas, sincréticas, e até mesmo de lobby LGBT.
    Me pergunto, o que eles fazem nessas reuniões da PJ? Eles estudam os Documentos e a Doutrina da Igreja conforme a IGREJA MANDA ou conforme o partido político que eles apoiam?

    Me desanima tudo isso, todo domingo vou tensa assistir a missa, por dois motivos: o primeiro que raramente tem um padre celebrando, normalmente é ministro da Palavra; o segundo é que o ministro da Palavra muitas vezes é a da TL, já falaram até que maconha "é de boa"... E quando é um padre, fico tensa porque pode ser padre da TL...

    Como disseram anteriormente: "Me agarro as promessas de Nosso Senhor Jesus Cristo:" As portas do inferno não prevaleceram"!!!"

    ResponderExcluir
  6. "A Cesar o que é de Cesar". Simples assim! A Igreja deve se ater a lutar para defender o que está no Evangelho. Combater questões que possam deturpar a fé e levar os fiéis ao pecado. E esquecer essa bobagem de direita ou esquerda. Ambos tem pontos positivos e negativos, e não cabe à Igreja entrar nesta seara.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discordo, Kleber! "Tudo é política". "Se você não quer se envolver com politica, vai ser governado por aqueles que querem".

      Outra - o texto aqui não defendeu direita nem esquerda, defendeu o que é certo, só isso. E tudo que é coisa satânica e contra a igreja a esquerda defende, isso tb é verdade.

      Excluir
    2. Caro Luís Antônio, que Deus nos ilumine para que possamos expor aqui o que pensamos, de forma que todos entendam. Tudo é Política, você falou mas, devemos ter cuidado com seu contexto, pois, a maioria das pessoas confundem a palavra é, pensam quando se fala em política que, estamos falando de partido.
      No âmbito das Igreja Católica, a minha sugestão seria que desde agora, começássemos a organizar as coisas de modo quando falarmos em política,todos entendam que estamos falando de uma ciência que se refere a relacionamento entre pessoas e grupos sociais. No nosso caso, como brasileiros, estamos também nos referindo a deficiência de informações instrutivas que nosso povo se recente, para ser um bom cidadão é um bom cristão. Infelizmente, existem muitas pessoas com formação superior e, no entanto, são analfabetos político, cultural, cidadã, etc, agravado quando evoluem para analfabetos políticos funcionais, sabem o que é certo mas fazem o que é errado, esses, são um perigo para a mação e para a religião.
      A outra parte, é quando falamos em Partidos, aí sim, o exemplo mais grave e criem para um povo é o que estamos experimentando. Falta de ética, justiça, respeito ao próximo, soberba, arrogância, etc,.
      Na minha opinião, a Igreja pode sim sem comprometer sua missão de evangelização ajudando as pessoas, os fiéis ter uma informação cidadã verdadeira, sem partidarização e omissão.Aproveito para perguntar aos meus irmãos, digo isso, porque sou católico e, Deus sabe, que não me envergonho disso, seguinte: quem dos senhores ou senhoras que acessa este site, conhece o Presidente e Membro dá Comissão de Fiscalização e Controle-CFC, de Educação; de Saúde; de Segurança; de Obras Públicas; de Serviços Urbanos; Etc;? do seu município e do seu Estado? Quem sabe o que faz uma CFC dos Poderes Legislativos que nós elegemos? Quantas vezes recorreram à elas para reclamar ou verificar o que estão fazendo?
      Vou me adiantar por vocês e dizer, poucos conhecerão, certo? Se nós, os cidadãos, que somos os contribuintes, provedores e patrões, não sabemos o que nossos Fiscais fazem em nosso beneficio, se somos omissos e incentivamos a omissão de nossos Fiscais, que moral temos para critica-los? Eles estão sendo o que queremos que eles sejam, certo?
      Quem aqui lê regularmente a CF, a CE e ou a Lei Orgânica do Município?
      Pois, bem. É nisso que me refiro é acho que outras pessoas pensam assim, que a Igreja, com a presença que ela em todos os recanto deste país, pode ajudar muito a corrigir se os senhores também quiserem, essas deficiências de informação política de nossos irmãos.
      Precisa desenhar? Paz e bem.
      Sebastião Farias
      Eng. Agrônomo.

      Excluir
  7. Se puderem me enviar por email o arquivo, pois não consegui acessar inaciossidnei@gmail.com file:///C:/Users/Henrique/Desktop/PL%206787-2016.pdf

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, anônimo, já corrigimos o link no texto. Segue abaixo o endereço correto:

      http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1520055&filename=PL+6787/2016

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  8. Trecho de recente entrevista do cardeal Sarah:

    "Poderíamos falar também sobre problemas políticos?
    A Igreja se equivoca gravemente na natureza da real crise se ela pensa que sua missão essencial é oferecer soluções para os problemas políticos relacionados à justiça, paz, pobreza, à recepção de imigrantes etc., enquanto negligencia a evangelização. Certamente, como Cristo, a Igreja não pode se desassociar dos problemas humanos. Ademais, ela sempre ajudou através das suas escolas, universidades, centros de treinamento, hospitais e clinicas médicas... Entretanto, eu poderia citar as palavras de um italiano que se converteu ao Islã (e como ele há milhares na Itália). Seu nome é Yahya Pallavicini, e hoje ele é um imã, presidente do CO.RE.IS. (a Comunidade Religiosa Islâmica) e professor da Universidade Católica de Milão: “Se a Igreja, com a obsessão que ela tem hoje com os valores de justiça, direitos sociais e luta contra a pobreza, acabar esquecendo sua alma contemplativa, ela falhará na sua missão e será abandonada por um grande número de fiéis, unicamente pelo fato de que eles não mais reconhecerão nela o que constitui a sua missão original”.

    http://www.aisbrasil.org.br/informacao/noticias/item/1244

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente, Wagner. Mais uma vez você nos traz complementos valiosos aos conteúdos das nossas postagens. O cardeal Sarah, como de costume, manifesta o seu dom de dizer uma grande quantidade de profundas e inescapáveis verdades em poucas palavras. Como dizem por aí, este Cardeal me representa!

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  9. Acho que essa coisa de que a esquerda é contra os valores da Igreja ainda vale, mas agora também a direita é. Aliás todos são. Eu sou ainda contra a reforma agressiva da previdência, trabalhar 49 anos é absurdo, imagina um pedreiro.

    Concordo que a esquerda ta jogando tudo no mesmo saco pra se promover. misturando as duas reformas, com a insatisfação de ter saído do poder. mas convenhamos, Temer, pmdb, psdb também não tão nem ai pra aborto e etc.

    Não tinha visto esse movimento dos bispos sob essa ótica de movimento político a favor dos esquerdistas, por inocência realmente acreditei que eles deveriam se manifestar contra a reforma da previdência... mas pelo visto não foi esse o objetivo. as vezes não sei nem o que pensar.

    mas fico triste porque colegas católicos generalizaram outros porque esses foram pra manifestação só porque não querem a reforma trabalhista, sendo que nem são de esquerda, aliás são contra-esquerda.

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$9,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail