Urgente! Senado aprova lei de imigração que rebaixa cidadania e soberania brasileiras


Por Paulo Eneas – Crítica Nacional

O SENADO APROVOU no início da noite do dia 18/4/2017 a chamada nova Lei de Migração. Por tremendo absurdo, a lei foi aprovada por 44 votos a favor e apenas 4 contra, com uma abstenção. A lei é de autoria do senador tucano comunista Aloysio Nunes, e foi elaborada a partir do lobby realizado por ONGs nacionais e estrangeiras junto aos políticos e junto aos vários órgãos do Estado brasileiro aparelhados pela esquerda. Os princípios que regem a lei foram ditados pela ONU e por suas agências.

Caso a lei venha a ser sancionada pelo presidente Michel Temer, significará que a condição de ser cidadão brasileiro, nascido ou naturalizado, passa a ser irrelevante para todos os fins que interessam, bem como para o exercício de direitos. A lei também impõe severas restrições ao trabalho da Polícia Federal e do policiamento de fronteiras para o controle de entrada de estrangeiros no país.

Com a nova lei, o Brasil passará a ser o destino preferencial de todos os tipos de criminosos internacionais, sejam terroristas ou traficantes da pior espécie, uma vez que cerceia e dificulta o trabalho da polícia federal para esse tipo de controle. A lei também torna virtualmente impossível extraditar qualquer estrangeiro que esteja no país, mesmo que tenha cometido crimes os mais graves.

Outra das consequências dessa lei será a de que, em curto prazo, o governo poderá, por meio de medida administrativa, retirar da Polícia Federal a atribuição que ela detém hoje de controlar a entrada de estrangeiros no país. Essa atribuição ficará a cargo de uma nova autoridade migratória, a ser constituída com a participação de representantes de ONGs e demais grupos lobistas globalistas que na prática irão passar a controlar a entrada de estrangeiros no nosso país.

O espírito da lei foi explicitado na fala de uma senadora petista durante a votação, que afirmou que a visão a ser adotada com a nova lei é a de que "uma pessoa de outra nacionalidade que esteja em território nacional não seja mais vista como estrangeiro, mas como cidadão detentor de plenos direitos". Em outras palavras, ser cidadão brasileiro nato ou naturalizado no Brasil passa a ser absolutamente irrelevante.

A aprovação dessa lei é uma das mais relevantes e robustas vitórias das correntes políticas de esquerda e globalistas que há anos atuam no sentido de atentar contra os interesses do país, contra nossa soberania e nosso território, e contra a cidadania dos brasileiros. A aprovação da nova lei mostrou também o quanto petistas e tucanos estão irmanados na defesa de uma agenda ideológica comum de natureza socialista: as defesas mais enfáticas do projeto de lei foram feitas pelos tucanos, aplaudidos por petistas.

Cabe agora aos ativistas e grupos organizados da sociedade dar início a uma articulação mais ampla que envolva ativismo digital, mobilizações de rua, esclarecimento da população e outras ações no sentido de pressionar o presidente Michel Temer a vetar esse projeto. Cumpre perguntar a Temer se ele quer entrar para a História como o presidente que sancionou a lei que decretou a extinção da soberania e da cidadania brasileiras.


* * *

Perguntamo-nos se findou o tempo de falar e apenas militar, e se está de fato iniciando-se o tempo em que será preciso agir pela salvaguarda de tudo o que ainda temos de mais sagrado em nosso país.

Nos vídeos abaixo, encontram-se os depoimentos de Leandro Ruschel (canal Terça Livre), do "youtuber" Nando Moura, da procuradora Bia Kicis, diretamente do Senado, do deputado Marcos Feliciano, da equipe do canal Terça Livre e a gravação da transmissão ao vivo feita pelo editor do Crítica Nacional, Paulo Eneas, sobre o mesmo assunto:

















_____
Fonte:
'Senado Aprova Lei de Imigração que Rebaixa Cidadania e Soberania Brasileiras', disp. em:
http://criticanacional.com.br/2017/04/18/senado-aprova-lei-de-imigracao-que-rebaixa-cidadania-e-soberania-brasileiras/
Acesso 18/4/017

www.ofielcatolico.com.br

2 comentários:

  1. Homens fortes criam tempos fáceis e tempos fáceis geram homens fracos, mas homens fracos criam tempos difíceis e tempos difíceis geram homens fortes.
    Hector dos S.Oliveira

    PARA MIM ESSA FRASE É O QUE DEFINE NOSSO TEMPOS ATUAIS.

    ResponderExcluir
  2. Caríssimos irmãos

    Estou recebendo uma enxurrada de mensagem no meu celular a respeito da greve geral do dia 28 de abril (sexta-feira). São convocações a cristãos católicos de Arcebispos, Bispos e padres em nome da CNBB, para juntos protestarem contra a reforma da previdência e trabalhista.

    Nada contra, creio ser legal esta iniciativa de alguns membros da Igreja de Cristo, mas fico a me questionar por que estas iniciativas não foram tomadas há anos atrás por estes mesmos membros, quando se iniciou a derrocada fulminante do Brasil na área da saúde pública, da educação, da segurança publica, do rombo da previdência social, do sucateamento da Petrobras, CEF, BB, BNDS, etc? Por quê?

    Acredito está embutido nesta celeuma toda, um “Fora Temer”, da ala marxista da CNBB. Só resta saber se tal projeto da previdência fosse obra do antigo governo, o procedimento por parte da ala, seria o mesmo.

    É esperar para crer!

    Que Deus nos livre destes falsos pastores, e seja sempre louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$9,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail