Vaticano publica motu proprio Magnum Principium


O PAPA FRANCISCO publicou o motu proprio Magnum Principium, com data de 3 de setembro, que entrará em vigor a 1 de outubro próximo. Por meio deste, confere às Conferências Episcopais maior controle sobre a tradução dos textos litúrgicos e coloca-se, uma vez mais, a favor do «renovamento de toda a vida litúrgica» iniciado pelo Vaticano II.

Até agora, o Canon 838 tem estabelecido que "a direção da sagrada liturgia depende unicamente da autoridade da Igreja que reside na Sé Apostólica e, de acordo com a norma da lei, do bispo diocesano".

O segundo parágrafo dizia que era "de responsabilidade da Sé Apostólica ordenar a sagrada liturgia da Igreja universal, publicar livros litúrgicos, revisar suas traduções em línguas vernáculas e exercitar vigilância a fim de que as regulações litúrgicas sejam observadas fielmente em todos os lugares". De acordo com a nova formulação, porém, caberá à Sé Apostólica apenas a tarefa de "revisar as adaptações aprovadas sob a lei da Conferência Episcopal". Em outras palavras, o poder da Curia é reduzido, de autorizar para apenas revisar as traduções dos textos aprovados pelas Conferências Episcopais locais.

Segundo o motu proprio –, na parte que preocupa muita gente –, a oração litúrgica tem que se «adaptar à compreensão do povo» para ser plenamente vivida, com um estilo expressivo, fiel aos textos originários mas capaz de comunicar o anúncio de salvação em qualquer contexto linguístico e cultural. E com o objetivo de favorecer a participação de todos na liturgia «de maneira consciente, ativa e proveitosa», como recomendavam os padres do Vaticano II na constituição Sancrosanctum Concilium de 1963. São estas as intenções que levaram o Papa Francisco, com base no trabalho de uma comissão de bispos e peritos por ele instituída, a modificar o cânone 838 do Codex Iuris Canonici relativo à publicação dos livros litúrgicos e às suas versões nas diversas línguas.



Inculturação?! Melhor compreensão do povo?

Nossos leitores mais assíduos sabem que não temos vocação para criar confusão nem propagar a discórdia no interior da Igreja, mas não conseguimos deixar de nos encolher, peguntando-nos o que virá: se já temos visto toda sorte de desvirtuação da sagrada liturgia –, desde o mais descarado sincretismo travestido de "inculturação" a sacerdotes e acólitos fantasiados de palhaços e outras tantas aberrações, sem nenhuma reprimenda dos bispos –, o que veremos a partir de agora, com este documento que, direta ou indiretamente, vai favorecer ainda mais à "criatividade" dos nossos padres já tão "criativos"? Ainda mais "renovação" será mesmo necessária?

Num momento em que multidões de católicos, confusos e escandalizados, migram para as mais diversas seitas em busca da Palavra de Deus e de espiritualidade, atrevo-me a dizer que tudo o que a Igreja não precisa é de mais incentivo e liberdade para reinventar o que deveria ser imutável.

Rezemos. Rezemos muito, e com fé. Além disso, unamo-nos e façamos barulho, até que alguém perceba que nós, católicos fiéis que queremos apenas rezar e celebrar como a Igreja sempre fez, também existimos e merecemos alguma atenção. Cristo nos socorra e Maria Santíssima seja nossa intercessora!

_____
Fontes:
Catholic Herald, em:
http://www.catholicherald.co.uk/news/2017/09/09/vatican-publishes-magnum-principium-giving-bishops-conferences-greater-control-over-liturgical-translations/


News.Va, em:
http://www.news.va/pt/news/o-motu-proprio-do-papa-francisco-magnum-principium

17 comentários:

  1. Nosso Senhor deve chorar amargamente ao ver sua igreja sendo decapitada por esses que se dizem pastores,mas não passam de lobos devoradores de alma . É uma aberração atrás da outra , agora mudaram o cânon 838 dando responsabilidade litúrgica local, a liturgia tem que se adaptar a compreensão do povo. Meu Deus aonde vamos chegar, ficaram preocupados com perca de fiéis a missa luterana e colocaram a missa nova do concílio Vaticano segundo,olha o que deu,agora estamos no ápice das aberrações, imaginem o que vai ser no mais sagrado que existe que é a santa missa, já está uma profanação litúrgica imaginem agora como vai ficar.Nossa Senhora lá atrás avisou que ficaríamos abandonados na verdadeira fé, não encontraríamos consolo em lugar algum e esta profecia está cada vez mais próxima que imaginamos. O que será de nós que amamos verdadeiramente a santa missa, será que vamos aguentar ver as aberrações na liturgia e ficarmos em silêncio? Pessamos a Mãe da perseverança que nos ajude neste tempos difíceis.(E Deus, não fará Justiça aos seus escolhidos, que dia é noite gritam por ele? Será que vai fazê-los esperar? Eu vos digo que Deus lhes fará Justiça bem depressa. Mas o Filho do Homem, quando vier, será que vai encontrar fé sobre a terra? LC 18,7-8 ) Esquadrão da igreja militante precisamos ir a guerra e a maior arma é a oração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido Fernando alem da oração seguindo nosso pai São Bento, - ora et labora -
      devemos nos organizar e dizer aos bispos o que queremos e que nós tambe´m temos o direito de assistir a missa como manda a nossa consciência, a nossa piedade. Estou vendo é que vou ter que assistir missa na FSSPX mesmo .

      L. A.

      Excluir
    2. Caro Fernando,
      antes de criticar leia o texto do Papa. Li e não vi nada de mais. Apenas deixa mais claro o cân. 838.
      Como ainda não saiu o texto em português, se entender italiano:
      http://w2.vatican.va/content/francesco/it/motu_proprio/documents/papa-francesco-motu-proprio_20170903_magnum-principium.html

      Excluir
    3. Ham, precisa esclarecer os bispos já esqueceram, me poupe...

      Excluir
  2. contagem regressiva pra aparecer um apagador de incêndio dizendo: "calma, não critiquem o papa, não foi isso que o papa quis dizer, o que o papa quis dizer foi isso e aquilo"... Nesse caso, fazer.

    ResponderExcluir
  3. Que absurdo.
    Ao invés da Igreja retornar ao Sagrado esta regredindo?
    Se essas abominações litúrgicas já eram detestáveis,agora vai ficar pior.
    O problema agora e o seguinte.
    A quem reclamar, caso haja abuso se o mesmo abuso esta permitido?
    Eis a minha questão.

    ResponderExcluir
  4. Miserere nobis Domine!Será q terei q pedir abrigo na FSSPX?

    ResponderExcluir
  5. Deus me perdoe, sei que estou pecando, mas espero que o 267º não demore. Digo isso de coração partido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cuidado com seus desejos, eles podem se realizar, com o atual está ruim, com o próximo pode piorar mais ainda.

      Sidnei.

      Excluir
  6. Extremamente perigosa esta iniciativa, para se dizer o mínimo! O controle, se é que existe (tenho sérias dúvidas da existência) já é muito falho, imagine sem controle e com autorização expressa para adaptação. Daqui a pouco veremos missa pela reencarnação, terreirão católico, teologia da prosperidade católica. Certa época, quando me mudei de cidade, me assustei com tamanha criatividade e exageros, a ponto de não frequentar a missa em certas épocas do ano, porque presenciar aquelas práticas me fazia sentir mal, ou seja, seria necessário um acompanhamento ainda mais rigoroso.

    Não sou contra a mudança, mas desde que ela seja feita na unidade, na reflexão e na conformidade com a tradição e com a Bíblia. O caminho da fé de mercado, onde o "cliente exigente" dita as práticas é desastroso, vide as inúmeras seitas protestantes que se desdobram para agradar e seduzir os fiéis, por meio de uma fé personalizada e adaptada ao gosto do "cliente".

    Se a Missa já é toda na língua local, querem mais o que? Que se desenhe? O interessante é que as novelas e programas de TV, impõe as pessoas, temas totalmente estranhos a nossa cultura e mesmo assim possuem altíssima audiência e não vemos nenhuma preocupação em adaptá-los a cultura cristã presente, formadora de nosso povo e professada pela maioria...

    Penso que seria mais proveitoso, um aprofundamento na compreensão da missa e da fé da Igreja, para suprir a combalida catequese oferecida em várias paróquias.

    Peço a Deus que ilumine as decisões dos sacerdotes...

    A paz de Cristo!

    ResponderExcluir
  7. Até então nos defendíamos de algumas lamentáveis posturas da CNBB, sob o mote de que o Bispo é quem detém a autoridade sobre a diocese. A CNBB não tinha, de direito, essa autoridade "regulatória".
    Bem, agora...
    Vejamos que o movimento é contrário àquele que levou ao dogma da infalibilidade papal. A autoridade para proclamar dogmas não repousa mais sobre o colégio dos bispos, mas sobre o Papa. Nas dioceses, agora, no entanto, a sucessão apóstólica é substituída pela colegialidade....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante... Eu pensei algo parecido: perceberam que a cada dia que passa, a figura Papal (não só o atual, mas digo na questão do direito que vigora para todos os sucessores de São Pedro) há 80 anos mais ou menos, tem perdido poder? O Papa parece, cada vez mais, um monarca sem poder, só de figura.

      Excluir
  8. "As mensagens da Santíssima Virgem à Lúcia de Fátima preocupam-me. Esta persistência de Maria sobre os perigos que ameaçam a Igreja é um aviso do Céu contra o suicídio de alterar a Fé na Sua liturgia, na Sua teologia e na Sua alma." (Cardeal Eugenio Pacelli, futuro Papa Pio XII)

    ResponderExcluir
  9. Estamos atentos e vigilantes aos Senhores do Caos!
    A Cesar o que e de Cesar; a D'us o que e de D'us!
    Se es Catolico, pratique e pregue o Catolicismo; e assim com o Judaismo, Islamismo, etc!
    "Misturar" credos leva a destruicao dos Povos!

    ResponderExcluir
  10. Eu já disse por aqui e repito: Até parece que “Jorge Mario Bergoglio é um revanchista”, sua principal intenção é destruir tudo o que seus predecessores realizaram em favor da moral católica, da santa Liturgia e outros pontos importantes para o catolicismo romano. Fico me perguntando: será que a intenção da Exortação Apostólica Pós-Sinodal “Amoris laetitia”, foi revogar a brilhante Exortação Apostólica “Familiaris consortio” do São João Paulo II??, Ou o Motu Proprio Magnum Principium, veio exatamente pra calar os que defendem o Motu Proprio Summorum Pontificum, do então Grande Magno Bento XVI??.
    Irmãos, confesso que com esta vulgarização da Santa Liturgia autorizada, que vai se instalar no Seio da Santa Madre Igreja, que é de Cristo Jesus, estou deveras desmotivado em continuar exercendo tarefas em pastorais e encontros na Paróquia. Vou passar a freqüentar apenas a Paróquia em que o padre celebre uma Santa Missa “ENCHUTA”, como diz muito bem o grande Bispo Diocesano de Palmares, Dom Henrique Soares, caso a minha paróquia venha aderir.
    Seja sempre louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!
    André
    Anônimo pq o gmail encontra-se com pblm

    ResponderExcluir
  11. Veja as Maravilhas da nossa Santa Igreja:

    Missa Pontifical Solene no Rito Romano Tradicional celebrada por Dom Fernando Guimarães, Arcebispo Militar do Brasil, na Basílica Antiga de Nossa Senhora Aparecida em 29/07/2017.
    https://www.youtube.com/watch?time_continue=1670&v=AS9BEiKG8j0

    André

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$9,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail