Por que o celibato sacerdotal, se S. Pedro era casado?



RECEBEMOS DE UM leitor anônimo a pergunta que reproduzimos abaixo:

Gostaria de ver algum comentário sobre o porque da proibição do casamento dos cléricos, visto que São Paulo, São Pedro e tantos outros eram casados... existe algum posto sobre este assunto?"

Não. Não havíamos publicado ainda nenhum post falando sobre este assunto, até agora. Mas já existia a necessidade de escrevê-lo, porque se trata de um tema recorrente. De tempos em tempos, tanto pelas vias  virtuais quanto em conversas particulares, surge a pergunta insistente que dá título a este artigo: "Por que a Igreja não deixa que os padres se casem, se até S. Pedro era casado?". Em alguns casos, quando a ignorância a respeito do assunto é mais profunda, há até um acréscimo totalmente fictício: chegam a incluir S. Paulo no rol de Apóstolos casados... Completo absurdo!

Permita-me então, caro anônimo, antes de tudo, efetuar um esclarecimento: S. Paulo Apóstolo não era casado, de modo algum. Pelo contrário, em sua primeira epístola aos Coríntios ele afirma seu estado civil com todas as letras e muita veemência, não só defendendo o celibato e a castidade, mas também dando a entender que ele preservava a sua própria virgindade, como veremos mais adiante.

Já de S. Pedro, sim, as Sagradas Escrituras mencionam sua sogra, o que demonstra que ele tenha em algum momento, antes de conhecer nosso Senhor, se casado. Mas seria este fato, por acaso, o sinônimo de uma declaração bíblica explícita no sentido de que todos os sacerdotes deveriam contrair Matrimônio? Por mais inacreditável que pareça, muita gente pensa que sim, e não são só os mais ignorantes. Incrivelmente, vemos gente esclarecida caindo na mesma esparrela. Há alguns anos, por exemplo, o jornalista Reinaldo Azevedo, pensador importante e que muito admiramos, publicou um artigo intitulado, simplesmente: "O desastre do celibato: São Pedro tinha sogra!", – assim mesmo, com ponto de exclamação logo após a palavra "sogra", como se isto supostamente revelasse uma "bombástica" verdade escondida, e como se este fato demolisse toda a tradição milenar do celibato sacerdotal na Igreja de Cristo. – Parece mesmo difícil acreditar, mas até um homem estudado e douto é capaz de se comportar como uma verdadeira (perdoe-nos o mau jeito) "besta humana" diante de uma questão tão simples.


Bíblia do Reinaldo Azevedo e dos católicos contrários ao celibato
(clique sobre a imagem para ampliar)

Ora, ainda que S. Paulo fosse casado, juntamente com S. Pedro e esses "tantos outros" que o autor do comentário anônimo cita sem dizer nomes, isso não seria prova alguma de que o celibato seja um equívoco, ou que deva ser justamente combatido pelos fiéis católicos. São situações como esta que nos levam a refletir em quanto é nocivo que as Sagradas Escrituras sejam lidas e estudadas por toda a gente, sem nenhuma preparação, sem nenhum acompanhamento. A Bíblia realmente não deve ser lida por qualquer pessoa, desorientada, pois, para entendê-la, são necessários certos conhecimentos prévios.

A Bíblia, na Antiguidade, era lida pelos sacerdotes, para que a explicassem ao povo mais simples. Isto porque ela não pode ser lida senão por pessoas que possuam a prévia disposição de aceitar a interpretação dada pela Igreja através do Papa, sucessor de São Pedro, que recebeu de Cristo as chaves do Reino dos Céus. Nessas condições, sim, é utilíssima, recomendável e salutar a leitura das Sagradas Escrituras, – sabendo-se que elas não contém em si mesmas o conteúdo total da Revelação.

Entendidos estes pontos fundamentais, convém saber que o celibato sacerdotal é uma disciplina que a Igreja observa desde a sua origem, isto é, desde os tempos apostólicos, ainda que não como regra geral. Não é verdade, como querem alguns, que tenha se iniciado com o Concílio de Trento ou que seja uma invenção medieval do Concílio de Latrão, como veremos mais adiante.


Segundo as Escrituras

Seria possível justificar, mesmo usando apenas a Bíblia, – o que não é o modo católico, – que o celibato sacerdotal tem raiz nos Evangelhos? A resposta é um sonoro sim, e de fato trata-se de uma questão bastante simples.

Antes de dar essa justificação, porém, convém lembrar que, segundo a mesma Bíblia Sagrada, o Matrimônio é santo e estabelecido por Deus. Dispensamo-nos de citar os textos bíblicos que todos, – sejam católicos, ortodoxos, protestantes ou ateus ativistas, – devem bem conhecer e que legitimam o Matrimônio como instituição divina, desde o princípio do mundo, e sua elevação a Sacramento por Cristo. Quanto a isso realmente não há dúvida nem existem polêmicas.

Para encaminhar a questão do celibato sacerdotal, então, restaria discutir o que é superior: o Matrimônio ou o "estado de virgindade" consagrada a Deus. Também não é difícil demonstrar que, segundo as Escrituras, espiritualmente o estado de virgindade é superior ao dos casados. O próprio Senhor Jesus Cristo atesta que:

Todo aquele que por minha causa deixar irmãos, irmãs, pai, mãe, esposa, filhos, terras ou casa, receberá o cêntuplo e possuirá a vida eterna."
(Mt 19,29)

É patente, por esse texto, que Jesus aconselha alguns a deixarem a possibilidade de ter esposo ou esposa para servi-Lo. E é o que fazem os sacerdotes católicos, assim como os religiosos consagrados. Bastaria esta passagem do próprio Deus homem, Jesus Cristo, para ter comprovadas a validade e a excelência do celibato sacerdotal. Mas, para ratificar ainda mais esta resposta, prosseguiremos.

O mesmo Cristo diz também:

Nem todos são capazes desta resolução, mas somente aqueles a quem isto foi dado. Porque há alguns eunucos que nasceram assim, do ventre de sua mãe; e há outros eunucos, a quem outros homens fizeram tais; e há outros eunucos que a si mesmos se fizeram eunucos por amor ao Reino dos Céus. O que é capaz de compreender isto, compreenda-o."
(Mt 19,11-12)

Evidentemente, Jesus não estava pedindo uma mutilação física, assim como quando disse que era melhor arrancar um olho do que pecar com ele (Mt 5,29), não estava incentivando que as pessoas se cegassem. Cristo, falando em "eunucos" voluntários, se referia àqueles homens que, por amor a Deus, renunciavam à possibilidade de ter mulher, como vimos na citação anterior.

O próprio Senhor Jesus Cristo, – Sacerdote por excelência, – deu-nos o seu exemplo, não se casando. Não deveriam os sacerdotes imitá-lo? Vemos que são exatamente aqueles mesmos que dizem que não se batiza criança porque Cristo se batizou adulto (supremo absurdo, como demonstramos aqui), que contrariam sua própria lógica, e justamente quando ela seria válida.

Também a santíssima mãe de nosso Senhor foi virgem sempre. Nosso grande pai São José nos deu o mesmo exemplo de castidade. O "discípulo amado" de Jesus, São João Evangelista, manteve-se virginal. São João Batista, de quem Jesus disse não haver maior homem nascido de mulher, foi virgem também. Comumente, a Bíblia nos ensina por meios que vão além da literalidade do texto, nos exemplos dos santos, dos profetas, dos santos anjos, dos homens e mulheres justos, tementes a Deus.

Indo ainda além, encontraremos o poderoso e inequívoco testemunho de S. João no Livro do Apocalipse:

E ouvi uma voz do Céu, como a voz de muitas águas, e como a voz de um grande trovão; e ouvi uma voz de harpistas, que tocavam suas harpas. E cantavam um como cântico novo diante do Trono, e diante dos quatro animais e dos anciãos; e ninguém podia aprender aquele cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da Terra. Estes são os que não estão contaminados com mulheres, porque são virgens. Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá. Estes são os que dentre os homens foram comprados como primícias para Deus e para o Cordeiro. E na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis diante do Trono de Deus."
(Ap 14,2-5)

Mais uma vez, o Livro sagrado confirma a excelência do estado de virgindade, e com muita veemência. Afirma, de fato e uma vez mais, a superioridade da opção pelo celibato, cujas razões serão explicitadas por S. Paulo. Essas coisas são assim porque:

O solteiro cuida das coisas do Senhor; em como há de agradar ao Senhor. Mas o que é casado cuida das coisas do mundo, em como há de agradar à mulher. Há diferença entre a mulher casada e a virgem. A solteira cuida das coisas do Senhor para ser santa, tanto no corpo como no espírito; porém, a casada cuida das coisas do mundo, em como há de agradar ao marido."
(1Cor 7,32-34)

O mesmo S. Paulo Apóstolo, ainda na sagrada Bíblia, testemunha mais uma vez no sentido de que casar-se é bom, mas que permanecer, – assim como ele, – em estado de virgindade é ainda melhor: "Digo aos solteiros e às viúvas que lhes é bom se permanecerem assim, como também eu. Mas, se não têm o dom da continência, casem-se" (1Cor 7, 8-9).

Entre tantos outros fatores, as palavras de S. Paulo, aconselhando a ser como ele, associadas às palavras de S. João e às do próprio Salvador, Jesus Cristo, sobre o valor dos que deixavam mulher por amor d'Ele, levou a Igreja, sempre guiada pelo Espírito Santo, a estabelecer a lei do celibato. Supor que a Igreja errou, ao fazê-lo, seria negar a Promessa de Cristo de que estaria com ela todos os dias, até o fim do mundo (Cf Mt 28,20). Ou dizer que as portas do inferno prevaleceram sobre a Igreja, o que seria igualmente afirmar que o Senhor falhou com a sua palavra (Mt 16,18).

Quanto ao tão surrado argumento de que S. Pedro fora casado, e que por isso o celibato sacerdotal não teria sentido, o demoliremos com muita rapidez e objetividade. De que Pedro foi casado, não há dúvida. Mas, ora, quando Cristo curou sua sogra, está dito que, tendo sido curada da febre, "ela levantou-se, e pôs-se a serví-los" (Mt 8,14). Se S. Pedro tivesse ainda esposa, seria natural que esta, e não a sogra de Pedro, os servisse. Além disso, em parte alguma as Escrituras mencionam a mulher do Apóstolo. É bem possível, portanto, que S. Pedro tenha ficado viúvo bem próximo ao tempo em que conheceu Jesus Cristo.

Por fim, concluímos dizendo que a Igreja Católica sempre defendeu o Matrimônio como estabelecido por Deus, e condenou as seitas gnósticas, maniqueias e cátaras que proibiam o casamento. Assim, erra quem supõe que a Igreja, impondo o celibato aos sacerdotes, condena o casamento. Ela apenas considera, com e como S. Paulo Apóstolo, que casar é bom, mas que não se casar por amor a Deus é ainda melhor. Por isso, ela criou a lei do celibato para aqueles que livremente queiram ser sacerdotes de Cristo. Se o Sumo Sacerdote, Cristo, viveu virginalmente, os seus sacerdotes devem imitá-Lo.

Por fim, para enterrar de vez a falsa ideia de que o celibato sacerdotal teria sido uma "invenção" tardia na história eclesiástica, reproduzimos abaixo a esclarecedora vídeo-aula do padre Paulo Ricardo de Azevedo Jr. que trata especificamente deste tema, e com a qual encerramos este nosso estudo, rogando mais uma vez a Deus, em Cristo e pela intercessão da santíssima Virgem, que nosso trabalho possa ter alguma utilidade no esclarecimento das almas.



_______
Fontes e ref.:
• STICKLER, Alfons M. 'Celibato eclesiástico – história e fundamentos teológicos', disp. em:
presbiteros.com.br/site/celibato-eclesiastico-historia-fundamentos-teologicos
• FEDELI, Orlando. 'Ataque protestante: o celibato sacerdotal', disp. em:
montfort.org.br/old/index.php?secao=cartas&subsecao=apologetica&artigo=20040829211515

** Nossos agradecimentos ao nosso leitor e colaborador Max Atan pela indicação da passagem do livro do Apocalipse, como 
complemento ao assunto tratado.
www.ofielcatolico.com.br

41 comentários:

  1. Providencial essa aula amigos!
    Estou com um colega protestante no serviço que me questionou e que atacou a Igreja (UNA) Católica de várias formas, eu, como já é de minha personalidade, tentei argumentar calmamente,mas ele, como típico de um protestante, somente tentou falar cada vez mais alto e não tive direito de resposta além do tempo corrido.
    Sou aluno "virtual" do Padre Paulo Ricardo e do Prof. Felipe Aquino e estudo muito todos os dias, porém ,só virtualmente e através de livros,e conheci sua página essa semana e fiquei muito ALEGRE de ver seus textos e senti muito orgulho de ver até nos comentários que existem muitos outros BONS CATÓLICOS!

    Resolvi mandar esse link pra ele pra ele pois estou de férias.
    Espero do fundo do coração que ele enxergue a verdade!

    Um grande abraço e que o Espírito Santo inspire sempre vocês!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miguel !Realmente nossos irmãs Protestantes tem essa mania , final do ano passei por isso ( Estilo Metralhadora falante ) , tipica ignorância dos mesmos . Claro que toda regra tem exceção. Porém educação é fundamental , tem pessoas que só gostam de falar ..OUVIR NUNCA RS

      Excluir
  2. Se eu não concordo com alguma coisa do espiritismo, por que eu seria espirita? Se não concordo com alguma coisa do budismo, por que seria budista? Se sou catolico, é porque abraço sua totalidade. Se não concordo com o celibato e a castidade, por que ser sacerdote? É simples.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque a vontade de desobedecer é maior. Nem perco tempo com esses "sacerdotes" que já na época no jardim da infância desobedeciam a professorinha só pra ver a reação dela mesmo sabendo que estão errados. Seu João.

      Excluir
  3. Parabéns pela matéria. A cada leitura que faço sinto-me maravilhado e preparado para responder aos nossos irmãos separados. Este site faz parte de meus estudos. Continuem assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço, Huender, em nome de todo o nosso apostolado, pelas palavras de incentivo. Se você aprende alguma coisa por aqui, então posso humildemente dizer que o nosso trabalho tem sentido.

      Conte com nossas orações

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  4. kk kkkkkkk! Essa bíblia do Reinaldo azevedo é demais! kkkk Deve ser bem assim mesmo, lê uma parte e pula as outras! Rachei!

    Manu Vieira

    ResponderExcluir
  5. Como não amar, esse site! Precioso e bendito! Lindo de viver, de estudar,de se informar e conhecer todos os dias, mais e mais de Deus...
    Um forte abraço e que o Divino Espírito Santo,esteja sempre com vcs.

    ResponderExcluir
  6. Excelente Post !!! Muito claro e objetivo.
    Henrique, lembrei-me também de uma passagem do Apocalipse:
    Os 144 mil que não se casaram, estes são virgens (é dito explicitamente) e seguem o Cordeiro onde quer que Ele vá e são irrepreensíveis (Ap 14,4). Também está dentro do contexto, correto ?
    Pergunto isto pois este livro em especial é muito enigmático.

    Um abraço e obrigado,
    Max

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem lembrado, Max. Realmente, essa citação do Apocalipse é das mais explícitas na afirmação da mesma verdade. Tanto que vou acrescentá-la ao post. Agradeço pela preciosa colaboração.

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. Estou falando com o nosso colaborador Max Atan, é isto mesmo? Acrescentamos uma nota de agradecimento ao final do post.

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    3. Correto Henrique, sou eu mesmo.
      Eu que fico agradecido !

      Que o amor do Cordeiro nos una num só corpo e num só Espírito. Abs !
      Max

      Excluir
  7. Faz-se necessário também ressaltar, que dentre os doze primeiros do grupo escolhidos por Nosso Senhor Jesus Cristo, não há registro de um deles terem mulheres ou até mesmo filhos. Nas catequeses do Papa Emérito Bento XVI, sobre os Apóstolos, não me lembro de ter lido algo neste sentido, até mesmo o substituto de Judas Iscariotes, Matias.

    Quando da Escolha dos Seus Apóstolos, creio que um dos requisitos proposto por Nosso Senhor Jesus Cristo, para entrar no grupo dos “DOZE” era ser celibatário. “De resto, não se deve esquecer que, segundo o que escreve Marcos, Jesus escolheu os Doze com a finalidade primária que "andassem com Ele" (Mc 3, 14), ou seja, que partilhassem a sua vida e aprendessem diretamente dele não só o estilo do seu comportamento, mas sobretudo quem era Ele realmente. Com efeito, só assim, participando na sua vida, o podiam conhecer e depois anunciar. Mais tarde, na Carta de Paulo aos Efésios, ler-se-á que o importante é "aprender de Cristo" (4, 20), portanto, não só e não tanto ouvir os seus ensinamentos, as suas palavras, mas ainda mais conhecê-lo pessoalmente, a sua humanidade e divindade, o seu mistério, a sua beleza. De fato, Ele não é só um Mestre, mas um Amigo, ou melhor, um Irmão. Como poderíamos conhecê-lo profundamente permanecendo distantes (CUIDANDO DE FAMILIAS)? A intimidade, a familiaridade, o habitual fazem-nos descobrir a verdadeira identidade de Jesus Cristo” (Papa Bento XVI-Catequese sobre a Apostolo Felipe)

    Caríssimo Prof Henrique, como disse, creio fortemente, que todos os Apóstolos de Jesus Cristo, eram celibatários, estou certo? Há algo contrario?

    Seja louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!

    ResponderExcluir
  8. São Pedro era celibatário.

    Algumas objeções são feitas quanto o celibato de S. Pedro, para demonstrar que os padres devem se casar.
    Protestantes pedem textos da Bíblia que prove que São Pedro não tinha esposa.

    Primeiro vejamos que São Pedro não tinha mulher, quando foi chamado por Jesus Cristo, mas era viúvo.

    Os nossos irmãos separados querem textos que provem que São Pedro não tinha mulher; fico eu pensando com meus botões se um dia eles quiserem um texto que prove que São Pedro usava calça, turbante, alparcatas, manto, que comia, bebia e dormia? Na falta desse texto, será preciso concluir, então, que São Pedro andava despido e que não comia, nem dormia.

    Que ingenuidade.

    Para que serve um tal texto ?...
    Então é proibido casar-se ?

    E se eu lhe pedisse um texto que provasse que São Pedro tinha mulher, onde iria ele buscá-lo?

    Conhecemos só as palavras da bíblia, sem compreender a significação, há de apresentar o texto de São Lucas (Lc 4,38). Saindo Jesus da sinagoga, entrou na casa de Simão. A sogra de Simão estava com febre alta; e pediram-lhe por ela.

    Isso prova que São Pedro tinha sogra. É já uma coisa; porém há tanta gente que tem sogra e não tem mais mulher; pois uma pode morrer e a outra ficar. Isso prova apenas que são Pedro tinha sido casado, antes de ser chamado por Nosso Senhor, e que talvez fosse viúvo.

    Nossos irmãos protestantes nem se dão ao trabalho de raciocinar, um pouquinho que seja, e num afã de fabricar objeções viu sogras e mulheres em toda a parte.

    Então São Pedro, por ter sogra, tinha sido casado, era viúvo... Mas diga lá: o viúvo é ou não é gente?

    Há na Igreja Católica bastantes padres que já foram casados e que depois de enviuvar, receberam o Sacramento da Ordem. Há até muitos santos nestas condições.

    Continua...

    ResponderExcluir
  9. Continuação...

    Haverá qualquer mal nisso?

    A Igreja Católica exige o celibato dos seus sacerdotes, para seguirem o exemplo de Jesus Cristo e dos apóstolos, que eram celibatários.

    Jesus Cristo não o exigiu dos seus discípulos; aconselhou-o; porém, parece-me que um conselho do Salvador, não é uma coisa desprezível e deve, ao contrário ser de real utilidade.

    Esses argumentos são negativos é claro, embora não resolva completamente a questão.

    São Pedro tinha sogra é certo.

    São Pedro teve mulher; é certo ainda.

    Na ocasião de ser chamado por Nosso Senhor ao apostolado, São Pedro não tinha mais mulher, e se a tinha ainda, deixou-a de comum acordo, conforme o conselho do Mestre: 29 E todo aquele que por minha causa deixar irmãos, irmãs, pai, mãe, mulher, filhos, terras ou casa receberá o cêntuplo e possuirá a vida eterna. (Mt 19,29)

    Eis um conselho do divino Mestre, dirigido aos apóstolos, e, na pessoa deles, aos séculos vindouros. Nosso Senhor convida os apóstolos a deixarem tudo, por seu amor... até a própria mulher.

    Os apóstolos compreenderam o convite de Cristo, e o compreenderam tão bem que ficaram admirados, e disseram: ... logo quem pode salvar-se ? (Lc 8,26).

    São Pedro sem hesitação, nem embaraço, como quem fala com completa certeza, dirige-se ao divino Mestre, e exclama: Eis que nós deixamos tudo e te seguimos !(Lc 18,28)

    E o Senhor aprova a apoia essa exclamação de Pedro, respondendo: Na verdade vos digo, que não há quem deixa, pelo Reino de Deus, casa, pais, irmãos, ou mulher que não receberá... a vida eterna. (Lc 18,29.30)
    Que verdade podia ser articulada, confirmada mais positivamente do que aquela ?

    O Salvador promete o céu a quem deixar tudo, inclusive a mulher, por seu amor !

    São Pedro exclama ter deixado tudo.

    O Mestre o confirma, e promete-lhe o céu em recompensa.

    É pois claro e irrefutável que São Pedro, embora tivesse sogra, não tinha, ou tinha deixado a mulher; era pois celibatário como os outros apóstolos.

    Se assim não fosse, São Pedro não podia dizer ter deixado tudo, visto não ter deixado a mulher, embora fosse incluída a mulher na enumeração, feita pelo Mestre, daquilo que se pode deixar por seu amor.

    Reflitam sobre isto, caros protestantes e vejam como este esdrúxulo desafio desfia por completo, e encontra no Evangelho uma resposta clara e irrefutável.
    O argumento positivo não deixa subsistir a mínima dúvida: São Pedro era viuvo, ou separado da mulher, e como tal seguiu o divino Mestre, deixando tudo, pelo Reino de Deus (Mt 19,20).

    Fonte: http://www.nossasenhoradasalegrias.com.br/1999/03/spedro-era-celibatario.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caríssimo Ademilson Moura, irmão em Cristo Jesus!
      Sobre a sogra de São Pedro no texto paralelo o Evangelista São Marcos vai mais longe: “E logo ao sair da sinagoga, (Jesus) foi à casa de Simão e de André, com Tiago e João” (São Marcos 1, 29), logo se subtende que Pedro e seu irmão André, moravam juntos.

      Seja Louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!

      Excluir
  10. Muito Obrigado Meu Irmão de fé André Catholicus, pelo esclarecimento, cada Dia fico mais apaixonada pela Igreja De Cristo (Católica), li o livro todos os Caminhos Levam para Roma, Maravilho, li em um dia, parabéns pelo criador deste Blog, peço permissão para colocar algumas respostas ou texto no Meu Link no Facebook, https://www.facebook.com/ademilson.moura.752, fiquem com Deus e a Proteção de Maria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém! Mas deixe-me esclarecer: Não tenho autoridade e nem tão pouco competência para autorizar nenhuma matéria desse rico Apostolado, ser publicadas noutros Blogs. Sou apenas um enxerido nos assuntos cristãos, que posta seus comentários por aqui. Mas de uma coisa eu tenho certeza, o Prof Henrique sempre autoriza, desde que seja citado a fonte, meu caro Ademilson Moura.
      Fica com Deus e um abençoado domingo!
      Seja Louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!

      Excluir
  11. A paz do Senhor, irmãos!

    Excelente post mais uma vez, cada vez que acesso esse site, aprendo muito sobre nosso Senhor e nossa Igreja.

    ResponderExcluir
  12. Deixa eu aproveitar e tirar uma dúvida: estou terminando a leitura do livro "Jesus Cristo, da entrada a Jerusalém até a ressurreição" e o próximo que pretendo comprar é o Catecismo da Igreja Católica, mas vejo que tem dois livros de capas idênticas, só que com valores diferentes e algumas páginas a menos. Qual eu compro?

    Desde já agradeço.

    ResponderExcluir
  13. Salve Maria, a sempre Virgem Imaculada, Mãe do meu Senhor (Lc 1,43)!

    Esclarecimento mais útil impossível! Um dos principais pontos de ataque dos inimigos da Igreja é o celibato dos padres. No Antigo Testamento, Aimeleque deu pão consagrado para David e seus servos, com a condição, no entanto, que eles tivessem se abstido de mulheres (1 Sm 21,1-6). Vede também Êxodo 19,14-15. Aí já está prefigurado a excelência da castidade. No Novo Testamento, cada pessoa deve examinar a si mesma antes de comer o pão e beber o cálice do Senhor, caso contrário, se feito indignamente, será culpável do corpo e do sangue do Senhor (1 Cor 11,27-28).

    Jesus disse: ''Quem ama seu pai ou sua mãe mais que a mim, não é digno de mim. Quem ama seu filho mais que a mim, não é digno de mim (Mt 10,37)''. SÃO OS ASPECTOS DO PRÓPRIO DEUS, DE AMÁ-LO ACIMA DE TODAS AS COISAS. Vede também Mateus 19,29. O próprio Jesus não tinha onde reclinar a cabeça (Mt 8,20/ Lc 9,58). Os Apóstolos deixaram TUDO para segui-Lo (Mt 19,27). Jesus falou sobre os eunucos que se fizeram eunucos por amor do reino de Deus (Mt 19,12), e São Paulo Apóstolo, que era um celibatário, também reforçou essa virtude (1 Cor 7,7-8). Finalmente, Apocalipse também fala sobre os homens que não se contaminaram com mulheres, pois são VIRGENS, acompanhando o Cordeiro por onde quer que vá (Ap 14,4).

    Então eu me pergunto: quem é como Jesus, seu imitador (1 Cor 11,1), os padres católicos, que são na sua maioria celibatários, com raras exceções [1], ou os ministros protestantes, que se casam e divorciam, cometendo, assim, adultério (Mt 19,3-12/ Mc 10,2-12)? Erasmo de Rotterdam disse que a ''reforma'' terminou como as comédias, sempre com os sacerdotes se casando. Lutero mesmo se casou com uma ex-freira, Katharina von Bora [2]. Muito engraçado, para não dizer trágico. No sermão sobre o matrimônio, Lutero havia dito: ''Do mesmo modo que não está em meu poder deixar de ser homem, assim também não posso viver sem mulher, e isto me é mais preciso que o comer e beber.''[3] Esse é um pensamento hedonista e epicurista. Lutero tinha pulsão pelos prazeres da carne (cf. Rm 8,8/ 1 Cor 6,18). Para o fornicador todo o alimento é doce; não se cansará de pecar até à morte (Sir 23,24)

    Uma vez eu assisti um vídeo de um pastor de uma seita de nome ''reformada anglicana'', vídeo este em que o expoente atacava a única Igreja fundada por Cristo. Ele começou comparando as ''vantagens'' entre a seita dele e a Igreja, no que citou a primeira grande vantagem da seita dele sobre a Igreja: na seita dele, os pastores podem se casar (cf. Ap 14,4). Lembremo-nos do que fez o fundador do Anglicanismo. A igreja cismática também tem disso. E eu repito o que está no texto: as seitas gnósticas, maniqueias e cátaras é que proibiam o casamento, como as seitas anti-católicas gostam de deturpar 1 Tm 4,4, e não a Igreja, onde o casamento é um sacramento indissolúvel. Tem ''pastô'' que critica o celibato dos padres [4], mas não proíbe a sodomia entre casais, desde que haja acordo [5]. Enfim... Por Cristo, com Cristo, e em Cristo!

    † A Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo (Jo 14,27) †
    ______________

    NOTAS:

    [1] http://ocatequista.com.br/archives/14882

    [2] http://ocatequista.com.br/archives/15842

    [3] http://associacaosantoatanasio.blogspot.com.br/2015/03/lutero-o-moralista-da-lama.html

    [4] http://mentiras-evanglicas-e-outras.blogspot.com.br/2014/01/desmascarando-calunia-do-pastor-silas.html

    [5] http://noticias.gospelmais.com.br/malafaia-biblia-nao-proibe-casais-sexo-anal-oral-57649.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa passagem também se faz, de alguma maneira, pertinente para o tópico:

      ''NA RESSURREIÇÃO, NEM OS HOMENS TERÃO MULHERES, NEM AS MULHERES TERÃO MARIDOS; MAS SERÃO COMO OS ANJOS DE DEUS NO CÉU.'' (Mateus 22,30)

      Excluir
  14. Sobre o Reinaldo Azevedo, onde já se viu um católico defender o pseudo-casamento homoerótico, e o pior, a adoção de crianças por pares de homossexuais? Seja anátema!

    https://beinbetter.wordpress.com/2010/03/23/reinaldo-azevedo-e-o-celibato/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Católico não, Augusto, caótico! Que eu me lembre, ele também foi contra o presente de grego recebido pelo papa Francisco, aquele objeto horroroso que não chega a ser um crucifixo, apenas porque "milhares ou milhões de cristãos foram mortos por regimes comunistas" e não pelo simples fato de o Magistério da Igreja ter condenado o comunismo diversas vezes, com ou sem perseguições aos católicos por parte dos comunas.
      Estou dando apenas um exemplo no qual Reinaldo Azevedo não falou do aspecto doutrinário da questão, para confirmar que o homem está pouco se lixando para a fé da Igreja.
      Ele, como conhecedor das leis, vive criticando os políticos petistas e a mídia vendida que serve a eles por não estudarem a Constituição e quererem opinar sobre ela com sua douta ignorância, MAS QUANDO É PRA ESTUDAR SOBRE AS BULAS, ENCÍCLICAS E DOCUMENTOS PAPAIS, CATECISMO, PATRÍSTICA, ESCOLÁSTICA E SAGRADAS ESCRITURAS, ETC, ELE NÃO FAZ NADA E AINDA QUE DAR PITACO SOBRE O QUE DEVERIA OU NÃO MUDAR NA IGREJA, ADOTANDO A MESMA POSTURA ARROGANTE E IGNORANTE DE SEUS ADVERSÁRIOS INTELECTUAIS ESQUERDISTAS.
      É muita falta de vergonha na cara!
      A paz de NSJC!

      Excluir
    2. Muito bem colocado, irmão. Pax et Bonum!

      Excluir
  15. Boa madrugada Henrique haha, mais uma vez parabéns pelo post esclarecedor na defesa da fé católica. Minha única dúvida, na verdade, uma questão levantada para um protestante para rechaçar o celibato eh uma orientação paulina em I Tim 3,2 onde diz que: " Porque o bispo tem o dever de ser irrepreensível, casado uma só vez, sóbrio, prudente, regrado no seu proceder, hospitaleiro, capaz de ensinar ". Há uma orientação clara nessa passagem para que um membro clerical, como o bispo, possa naturalmente se casar. Conto com sua ajuda mais uma vez

    A paz de Nosso Senhor Jesus Cristo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho essa dúvida, que considero pertinente, Luis e gostaria de saber qual o esclarecimento que a Santa Igreja faz a respeito do tema. A paz de NSJC!

      Excluir
    2. Caríssimos Luis Eduardo e Petrivalianici,

      Trata-se de uma questão muitíssimo mais simples do que pode parecer à primeira vista. A resposta está diretamente relacionada à ambientação e ao contexto geral do início da Igreja, quando, em primeiro lugar, evidentemente não havia ainda, formalizada, a regra do celibato sacerdotal como a conhecemos.

      Em segundo lugar, naquelas primeiríssimas gerações de cristãos, os bispos precisavam ser escolhidos dentre os mais santos e sapientes no grupo dos fiéis. Invariavelmente, – como é de se esperar, – estes eram homens mais velhos, que, naquelas comunidades recém-nascidas do judaísmo, eram obrigatoriamente casados e chefes de família (devido aos costumes dos judeus).

      Observemos muito bem que o texto bíblico não está dizendo que o bispo precisa ser casado e ponto final. Diz, isto sim, que ele deve ser casado uma só vez (já que simplesmente não haviam homens celibatários à disposição para escolha): a ênfase da frase está na afirmação da indissolubilidade do casamento e, indiretamente, na castidade.

      Ao contrário, se estivesse sendo dito, aí, que o bispo precisaria necessariamente ser casado, e mais ainda, como uma espécie de regra perpétua da Igreja, como querem alguns, então seria uma contradição ao que o mesmo S. Paulo diz em sua 1ª Carta aos Coríntios, ou seja, que é melhor aos que buscam a santidade que permaneçam solteiros do que se casem.

      São temas realmente bastante elementares, mas que facilmente se tornam em armadilhas para os que adotam a interpretação literal da Bíblia como regra exclusiva de fé e procedimentos.

      Lembro-me que em um de seus vídeos o padre Paulo Ricardo discorreu bem e com detalhes sobre este tema, mas não me ocorre agora exatamente qual seja. Se algum dos irmãos me puder refrescar a memória, agradeço.

      [Em tempo: peço perdão pela demora nesta resposta; na correria do dia a dia, às vezes publico uma pergunta à qual me comprometo responder assim que tiver um tempo, – e às vezes, na esperança de que algum bom irmão em Cristo me auxilie naquele esclarecimento. – Neste caso, acabei por me esquecer da questão, motivo pelo qual me desculpo]

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    3. Obrigado por esclarecer, Henrique. Vou também pesquisar e assistir a aula do padre Paulo que você mencionou. A paz de NSJC!

      Excluir
    4. Henrique, o Padre Paulo Ricardo tem esses vídeos sobre celibato:

      > Qual a Origem do Celibato Sacerdotal?
      https://padrepauloricardo.org/episodios/qual-e-a-origem-do-celibato-sacerdotal

      > A Armadilha para o Celibato dos Padres
      https://padrepauloricardo.org/episodios/a-armadilha-para-o-celibato-dos-padres

      > A Igreja não vai acabar com o Celibato
      https://padrepauloricardo.org/blog/nao-imprensa-a-igreja-nao-vai-acabar-com-o-ce libato

      Excluir
    5. Muito obrigado Henrique, parabéns pelo trabalho maravilhoso que você desempenha na defesa da fé católica. Sempre fui católico, mas não tinha conhecimento para dar razão da minha fé quando era questionado. Hoje, mais do que nunca, tenho certeza que estou no lugar certo. Permaneça sempre perseverante nessa missão maravilhosa que Deus lhe confiou. A paz de NSJC!!!

      Com relação a esse post do celibato sacerdotal, só para enriquecê-lo, seria interessante você colocar essa explicação sobre I Tim 3,2 que é um tema recorrente nas discussões entre católicos e protestantes, visto que eles sempre utilizam essa justificativa . Além disso, em sua explicação, você disse que no início da Igreja, o celibato ainda não era formalizado. Quando a Igreja o formalizou?

      Excluir
    6. Façamos então o seguinte, Luis Eduardo:

      Como a questão é bastante complexa e requer uma análise eivada de muitos detalhes, com esclarecimentos e citação de dados históricos, comprometo-me a publicar um novo artigo específico sobre este mesmo assunto, – porém mais completo (aqui temos apenas uma breve resposta à pergunta do leitor), – logo após esta nossa "semana Santo Tomás de Aquino".

      Agradeço, em nome de todo o nosso apostolado, pelas gentis palavras de incentivo. Depoimentos como o seu são o nosso "combustível", tenha certeza disso.

      Salve Maria Imaculada

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    7. Combinado Henrique, aguardo ansiosamente haha, e mais uma vez o meu sincero agradecimento por toda a paciência e disponibilidade nas respostas a tantas questões. E se não for aproveitar da sua boa vontade, não sei se há algum estudo publicado nesse blog sobre as vestes das mulheres na Igreja, especialmente sobre o uso do véu, pois na primeira carta de São Paulo aos Corintios, (I Cor 11, 5-6) onde diz: "E toda mulher que ora ou profetiza, não tendo a cabeça coberta, falta ao respeito ao seu Senhor, porque é como se estivesse raspada. Se uma mulher não se cobre com um véu, então corte o cabelo. Ora, se é vergonhoso para a mulher ter os cabelos cortados ou a cabeça raspada, então que se cubra com um véu". Nessa passagem, há uma exigência clara do apóstolo de que a mulher deve utilizar o véu, pois senão estaria faltando com respeito a Deus. As mulheres de uma denominação protestante chamada Congregação Cristã, por exemplo, observam à risca essa passagem, e em seus cultos, sempre o utilizam. Já na Igreja Católica, não me recordo de ter visto, em alguma missa ou grupo de oração, mulheres usando véu. Estaríamos nós, católicos, de alguma forma desobedecendo essa prescrição bíblica e consequentemente faltando com respeito ao Nosso Senhor? Ou isso mais uma vez é fruto de uma interpretação particular da Sagrada Escritura, fora da Comunhão com Corpo de Cristo, que é Coluna e Sustentáculo da Verdade?

      A paz de Nosso Senhor Jesus Cristo e Salve Maria!!!

      Excluir
  16. Em minha opinião não existe a virgindade masculina, pois esse termo se refere ao não rompimento do hímen que é uma espécie de “selo de fabrica” que só as mulheres possuem o termo correto que se aplica aos homens é a castidade, porem a meu ver esta possui um sentido diferente da virgindade que está ligada ao sentido de pureza enquanto a castidade ao sentido de sacrifício basta olhar a importância teológica que a virgindade de Maria tem para os Católicos, Ortodoxos e em menor escala para os protestantes e até para mulçumanos, já “virgindade” de Jesus não possui muita importância teológica, muitos grandes homens ao longo da historia aderiram a castidade – Platão, Leonardo da Vince, Isaac Newton, Nicolas Tesla etc.; De certa forma pareciam acreditar que esse sacrifício era necessário para atingir um nível de conhecimento superior e ficarem mais próximos de Deus (Nicolas Tesla pelo menos declarava isso abertamente), enfim sei que no trecho do Apocalipse (14,02-5) se usa o termo virgindade para se referir a homens, mas gostaria de saber se nas copias mais antigas em grego essa palavra é realmente usada...

    ResponderExcluir
  17. Gostei do post e concordo plenamente com a mensagem, porque esta fiel a palavra de Deus.

    ResponderExcluir
  18. Do Catecismo:

    "1579. Todos os ministros ordenados da Igreja latina, à excepção dos diáconos permanentes, são normalmente escolhidos entre homens crentes que vivem celibatários e têm vontade de guardar o celibato «por amor do Reino dos céus» (Mt 19, 12). Chamados a consagrarem-se totalmente ao Senhor e às «suas coisas» (75) dão-se por inteiro a Deus e aos homens. O celibato é um sinal desta vida nova, para cujo serviço o ministro da Igreja é consagrado: aceite de coração alegre, anuncia de modo radioso o Reino de Deus (76).

    1580. Nas Igrejas orientais vigora, desde há séculos, uma disciplina diferente: enquanto os bispos são escolhidos unicamente entre os celibatários, homens casados podem ser ordenados diáconos e presbíteros. Esta prática é, desde há muito tempo, considerada legítima: estes sacerdotes exercem um ministério frutuoso nas suas comunidades (77). Mas, por outro lado, o celibato dos sacerdotes é tido em muita honra nas Igrejas orientais e são numerosos aqueles que livremente optam por ele, por amor do Reino de Deus. Tanto no Oriente como no Ocidente, aquele que recebeu o sacramento da Ordem já não pode casar-se." (http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p2s2cap3_1533-1666_po.html)

    De fato, o celibato obrigatório só vai criar raízes com as reformas do Papa Gregório VII (1073-1085), e só vale para a Igreja latina, não para as Igrejas orientais sub iure que mantêm outra disciplina.

    ResponderExcluir
  19. goste do tema,gostaria de perguntar.porque a igreja católica Romana proibi os padres de se casarem e os padres da igreja católica Brasileira não?.mais será que se os padres ou o (clero)fossem casados,não acabaria com a pedofilia dentro da igreja?.
    grato jose joão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Igreja Católica BRASILEIRA não tem NENHUMA RELAÇÃO com a Igreja Católica Apostólica Romana, que é a verdadeira. A ICAB (igreja católica brasileira) só parece com a verdadeira Igreja na aparência dos sacramentos, mas ela não possui comunhão com o sucessor de S. Pedro, o Papa (por isso a verdadeira igreja é Católica, Apostólica e ROMANA) nem com os sucessores dos outros apóstolos (como acontece na ortodoxa).

      Portanto, a ICAB é falsa, é tão ilegítima quanto qualquer igreja de garagem. Veja mais sobre isso aqui: http://www.presbiteros.com.br/site/o-que-e-a-igreja-brasileira-ou-igreja-catolica-brasileira/

      **************

      Se o casamento dos padres diminuiria a pedofilia? Bom, eu te pergunto: por acaso a pedofilia diminuiu entre parentes, vizinhos e professores? As pesquisas sobre pedofilia indicam que os padres não são um "grupo pedófilo", mas que os pedófilos costumam ser pessoas próximas da vítima, em geral familiares ou amigos íntimos dos familiares.

      Veja aqui: https://www.psychologytoday.com/blog/all-about-sex/201003/beyond-bad-apple-priests-who-the-pedophiles-really-are

      Excluir
  20. Sr. José João, com pouquíssimo esforço é possível encontrar inúmeras reportagens sobre pastores de outras denominações religiosas que, mesmo casados, são acusados da prática de pedofília. O sr. tem dificuldade de encontrar tais reportagens ou foi 'doutrinado' a associar pedofilia com celibato ?? Denilson

    ResponderExcluir
  21. Rogerio sua visão como a de muitas pessoas que não entendem a doutrina da Igreja Católica está errada, tente mudar de foco.

    1º) O celibato dos padre não é dogma, mas uma disciplina eclesiástica, que se o Papa achar por bem, ele fará como na Igreja Católica de rito oriental, ou seja, ordenar homens casados.

    2º) A igreja não proibi os padres de se casarem, os padre é que fizeram a opção de não casar por amor ao reino de DEUS. Ou seja, a Igreja busca entre aqueles que renunciaram o matrimônio por amor ao reino de DEUS, para serem padres, por enquanto a norma é esta. Ninguém é obrigado a ser padre, mas quem quiser ser padres, terá que renunciar tudo para levar o evangelho a toda criatura.

    Portanto dizer que a Igreja Católica proibi o casamento dos padres é um visão equivocada, como também atribuir os casos de pedofilia entre o clero como se o problema todo fosse o celibato, quando se constata que a maioria dos casos de abuso contra crianças partem justamente de homens casados.

    Sidnei

    ResponderExcluir
  22. Henrique tenho uma duvida. Por que mulher nao pode celebra a missa? Obrigado. Jordan pantoja

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail