17 'truques' santos para ajudá-lo a chegar ao Céu


Alguns pequenos recursos que tenho tentado trabalhar no meu quotidiano... e funcionam!

OS SANTOS TÊM uma habilidade especial para viver e enxergar a vida e suas circunstâncias –, sejam coisas boas e momentos favoráveis, que nos sucedem a todos, ou os problemas e dificuldades que igualmente cada um de nós precisa enfrentar –, enquanto ardem de amor a Deus seguindo sua trilha espiritual. Assim, pelo contagiante exemplo de vida, levam outros com eles.

Talvez eu e você não tenhamos recebido as mesmas dádivas e carismas de um São Francisco de Assis, um Santo Antônio de Pádua ou um Padre Pio de Pietrelcina, e aqui estamos vivendo nossas vidas comuns, abastecendo nossos carros, comendo sanduíches quando o trabalho não nos deixa tempo para almoçar como deveríamos, checando nossa caixa de e-mails...

Mas podemos fazer tudo isso em espírito de oração, cultivando em nossos corações uma reverência profunda e constante pelo Criador, um amor incondicional ao nosso Pai do Céu. Como é que você procura cumprir o primeiro Mandamento em sua vida, amando Jesus sobre todas as coisas, mesmo se imperfeitamente?

Mas, oh! A rotina, as canseiras, as pequenas e grandes decepções desta vida, que vão se acumulando e roubando a nossa força vital... Seria possível elevar o nível de santidade em nossas vidas, mesmo na rotina do dia-a-dia, muitas vezes maçante e sem graça, para nos tornarmos católicos sempre cheios de vida e alegria, como devemos ser, dando exemplo ao nosso próximo?

Estou sempre atento a pequenos truques, que são formas criativas para maximizar o esforço nessa busca por disposição na santidade. Recentemente passei uma semana visitando meu pai de 92 anos. Isso me inspirou, ver o seu exemplo de vida até o final do seu percurso nesta Terra. Quando fomos à Missa, apesar de usar bengala, ele ainda genufletia todas as vezes que passava diante do tabernáculo, mesmo ficando numa posição muito desconfortável, precisando segurar em um banco com a mão esquerda e a bengala com a direita.

No início dos dias, acompanhei-o na caminhada que é o exercício físico que ainda pode fazer. Duas ou três voltas em torno de um parque próximo (duas ou três depende da intensidade do sol), enquanto reza o Terço do Rosário, meditando os Mistérios do dia. Faz questão de enumerar com toda clareza as intenções por que está oferecendo suas orações, e mais questão ainda de declarar que, em primeiro lugar, o oferecimento é para a glória de Nosso Senhor, e depois em honra de Nossa Senhora. Sua caminhada dura até o fim da récita. Algo próximo de 1 km, talvez um pouco menos, em cerca de 30 minutos.

Coisas assim, simples, podem nos ajudar muito a manter viva a fé – e a boa disposição que ela possibilita – no quotidiano. A seguir, elenquei uma lista daquilo que fui aprendendo em minha experiência pessoal e que me ajuda a ser um cristão católico cada vez melhor. Poderá ser útil também a você, dileto leitor.


1. Cultive pequenos hábitos santos

Eu li muitas vidas dos santos que me inspiram, mas suas vidas não se parecem com a minha. Algumas destas, honestamente, já me assustaram, pela dureza e crueza ou mesmo crueldade com que o mundo trata aqueles que pertencem à Verdade, que é Cristo. Mesmo Sta. Teresa de Lisieux, ou Sta. Teresinha, com a sua bela "Pequena Via", era uma freira clausurada. Recolher-se a um claustro pode até parecer atraente, às vezes, em determinados momentos em que sentimos que precisamos nos afastar do mundo com todos os seus problemas e incompreensões, mas não é um caminho para todos. Minha esposa e filhos, por exemplo tremem só de pensar em enfrentarem tamanha solidão. Além de tudo, eles precisam de mim –, e da minha presença –, em tempo integral.

Entretanto, ao longo dos anos, desenvolvi modos de superar os obstáculos à santidade que encontro na simplicidade, na monotonia e nas tribulações desta vida. Aqui estão alguns dos meus favoritos.

A citada "Pequena Via" de Sta. Teresinha revela-se tão possível e útil fora de um convento quanto dentro de um deles. Pequenas vias podem se tornar simples hábitos para a santidade, como deixar alguém avançar à sua frente no trânsito, deixar o último pedaço de pizza para outra pessoa ou pegar o lixo de outra pessoa.


2. Reze por pura gratidão (não só para pedir coisas)

Não há problema em levar nossas súplicas e necessidades a Deus; pelo contrário, devemos fazê-lo. Mas é preciso saber desapegar-se das meras necessidades desta vida, e simplesmente agradecer por todo o bem que nos é concedido, todos os dias, começando por nossa própria existência, a saúde que temos, as capacidades que recebemos, as pessoas que amamos, e também pelos problemas, obstáculos e dificuldades, que nos fazem aprender e crescer espiritualmente, assim como pelas pessoas que não nos amam, porque por meio delas recebemos preciosas lições.

A gratidão leva à humildade, faz crescer na perfeita caridade e nos aproxima da aceitação da Vontade de Deus. Poucos católicos compreendem que o conjunto dos Mistérios tradicionais do Rosário são mais como uma indicação ou sugestão da Igreja do que uma obrigação, à qual precisamos necessariamente nos engessar. Podemos variar, às vezes, por exemplo, meditando em algo por que somos profundamente gratos a Deus a cada dezena do Terço. É uma prática simples e fácil, mas transformadora.


3. Reze constantemente

"Orai sem cessar", disse o Apóstolo (1Ts 5,17). Em nossas multitarefas diárias, podemos fazer uso das tecnologias modernas para nos auxiliar a atender essa exortação. Podemos gravar nossas próprias mensagens, orações e salmos favoritos, por exemplo, em qualquer aparelho celular, e ouvi-las usando fone de ouvido enquanto cozinhamos, dobramos roupas, aguardamos na sala de espera do dentista ou cumprimos quaisquer tarefas.

Usar breves orações memorizadas ou rezar continuamente um permanente Rosário mental, em todos os enfadonhos atrasos desta vida, pode tornar-se um hábito que vai produzir belos e surpreendentes frutos. Os longos períodos de tempo perdido nos engarrafamentos deixarão de ser momentos de chateação para se tornarem sagrados momentos de edificação espiritual.


4. Peça o auxílio dos santos

Descubra o(a) santo(a) de cada dia, todos os dias, e peça-lhe suas orações, ainda que com uma brevíssima invocação. Eles podem ajudar muito mais do que você pode imaginar.


5. Não negligencie o seu anjo da guarda

“Não desprezeis os pequeninos: Eu vos afirmo que os seus anjos nos Céus vêem incessantemente a Face de meu Pai”, disse o Cristo (Mt 18,10). Fale sempre com o seu agente celestial especial – seu Anjo da guarda; faça-o todos os dias e procure estabelecer com ele um relacionamento estreito, contínuo e de intimidade. Como negligenciar tão grande amigo que recebemos de nosso Pai Celeste?


6. Torne-se um peregrino

Um santo hábito de nossos antepassados que vem sendo esquecido e desprezado em nossos tempos, pois os homens modernos só pensam em uma única coisa e tem uma única meta de vida: dinheiro e sucesso material.

Se for difícil viajar, escolha realizar uma peregrinação para um santuário ou catedral próxima. Brasileiros, sejamos mais criativos! Há muito mais lugares sagrados em nosso país, os quais podemos visitar em viagens de santa peregrinação, além de Aparecida! Em uma de nossas próximas edições listaremos algumas sugestões.

Acrescentar ás suas orações elementos como o caminhar, tomar um ônibus ou partir numa longa caminhada, um jejum equilibrado e saudável, além do próprio ato de se viajar a um lugar diferente e distante da rotina estressante do dia-a-dia – todas estas coisas podem elevar uma experiência simples ao nível de uma verdadeira peregrinação sagrada. Essa ideia consta do Manual do "Catholic Hipster": redescobrindo lugares onde viveram ou por onde passaram os santos, rezando suas orações esquecidas e revivendo certas práticas que hoje até nos podem parecer estranhas, chegamo-nos mais perto de Deus.


7. Um leve jejum, regularmente

Há um pequeno sacrifício escondido, que podemos fazer a cada refeição, como não comer a carne, as deliciosas batatas fritas ou algo de que se goste muito. O jejum é um sacrifício poderoso, então por que não praticá-lo com mais frequência? Não precisa ser feito todos os dias, mas que tal escolher uma ou algumas refeições específicas ou um certo dia da semana (além da sexta-feira) para maneirar um pouco?


8. Não coma carne às sextas-feiras!

Esta não precisaria aparecer aqui, já que se trata de uma obrigação de todo fiel católico. Observando a simples realidade, porém, vemos que apenas uma minoria observa este preceito. Apenas por isso resolvemos lembrar a regra: a legislação atual da Igreja continua determinando a abstenção de carne às sextas-feiras. Lembrando que o peixe nunca chegou a entrar na lista da abstinência por razões diversas: por ser um animal de sangue frio; porque sua presença era irrelevante nos banquetes medievais; porque é um alimento símbolo do próprio Cristo e do cristianismo. Já quanto ao frango, há alguma controvérsia. Ainda que seja um animal de carne branca, é de sangue quente, assim como o boi. Por isso, o seu consumo é geralmente proibido, com exceções específicas, como no caso de localidades paupérrimas onde o consumo do peixe se torna impossível devido ao custo mais elevado.


9. Ajuste o alarme para lembrá-lo(a), diariamente, da hora da Divina Misericórdia

Rezar o Terço da Divina Misericórdia (que é bastante breve) todos os dias às 15 horas seria uma belíssima devoção e prática de piedade na busca da perfeição cristã; mas, se não for possível, dizer ao menos uma breve oração ou jaculatório todos os dias neste horário, como: "Nós vos adoramos, Senhor Jesus, e vos bendizemos, porque pela vossa Santa Cruz remistes o mundo", ou "Meu Deus e meu Senhor, que com tantas dores e angústias nos remistes, perdoai-nos, que somos pecadores".

Além disso, se não for possível rezar o Terço da Divina Misericórdia diariamente, é mais que recomendável rezá-lo ao menos todas as sextas-feiras às 15 horas, e melhor ainda seria fazê-lo em uma igreja, diante do Sacrário.


10. Reze sempre e continuamente pelas pessoas que o irritam ou lhe fazem algum mal

Isto, além de ser um Mandamento de Nosso Senhor e de santificá-lo, ainda lhe fará uma pessoa mais feliz nesta vida, pois é como um santo remédio que cura mágoas e tristezas.

"Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos Céus" (Mt 5,44-45).


11. Não tenha medo de embasar suas opiniões e convicções na sua fé

Não caia na cilada do "Estado laico" que querem nos impor à força. Viver em um Estado laico não implica que precisemos renunciar à nossa fé e nem que tenhamos que nos comportar como ateus. Nas reuniões de pais e mestres ou do trabalho, nas conversas familiares, com colegas de serviço, nos encontros sociais e em todas as oportunidades, não tema demonstrar que você crê em Deus e pauta sua vida pela sua fé – e o quanto isto é bom e gratificante na sua vida e porquê. Mais do que isso, participe de petições públicas que combatam as ações anticristãs que nos ameaçam e contrariam nossos princípios sagrados no mundo de hoje. O site "CitizenGo" é um excelente ferramenta por meio da qual podemos manifestar a nossa vontade aos políticos e instituições.


12. Ajoelhe-se durante as orações

Evidentemente, nem sempre é possível, especialmente para os que cultivam o hábito de rezar continuamente, que citamos no item "3" deste artigo. Mas não reze desleixadamente; sempre que for possível, naqueles momentos em que realmente fizer uma pausa para rezar, ajoelhe-se diante de nosso Criador e Doador de todos os bens. Neste caso, isto será um gesto de adoração


13. Não receie identificar-se como cristão católico

Você pode, por exemplo, colocar uma etiqueta católica no seu carro. Isto não deixa de ser um modo de evangelizar até mesmo nos estacionamentos da vida, enquanto toma um rápido café espresso na sua cafeteria favorita.


14. Aproveite as indulgências

Aqui está um espécie de atalho para o Céu. As indulgências eliminam as penas temporais e são parte do ensino infalível da Igreja. As normas relativas às indulgências são relativamente complexas, mas rezando todos os dias pela manhã uma fórmula brevíssima, podemos garantir ganhar boa parte delas. É esta: "Tenho a intenção e o desejo de ganhar, hoje, todas as indulgências de que possa ser capaz, e as ofereço em satisfação dos meus pecados e em sufrágio pelas almas do Purgatório, especialmente as mais abandonadas. Amém!"


15. Distribua a Graça, que Deus lhe concede abundantemente, em público, o tempo todo e em todas as ocasiões 

Coisas simples como incluir as intenções de todos os que conhecemos, dos que nos pedem e dos que não pedem, mesmo aquelas que esquecemos, é uma forma de compartilhar a Graça divina. Outra forma é dizer a todos, sempre que possível, coisas como "Deus o abençoe", ou "Deus o acompanhe", "Deus o guarde" ou "Vá com Deus", inclusive ao zelador do prédio, à recepcionista do médico, ao caixa do banco, ao funcionário do metrô ou cobrador do ônibus, ao balconista da farmácia... São formas simples de testemunhar a sua fé e trabalhar pelo Reino de Deus, para que se mantenha sempre vivo nas mentes dos que lhe cercam, distribuindo e "fazendo circular" a Graça.


16. Nunca deixe de fazer o Sinal da Cruz ao passar diante de uma igreja ou entrar num cemitério

Já percebeu que muitos católicos não o fazem mais?


17. Quando alguém compartilha um problema com você, reaja como católico!

Além de aconselhar e encorajar, diga que vai rezar por ele, e faça-o realmente. Ofereça e, se possível e se não for constranger essa pessoa, reze com ela ali mesmo, na mesma hora e local.


† † †

Aí foi a lista dos que são alguns pequenos truques que eu tento usar na minha vida, embora eu ainda falhe muito e continue trabalhando no meu auto controle, no desapego das coisas deste mundo e amor cada vez mais incondicional a Deus antes de todas as coisas. Eu realmente preciso

fazer tudo isso um pouco mais e sem falhas, mas posso dizer, de boa consciência, que todos esses são bons e salutares objetivos. E você leitor, tem algum pequeno truque em sua vida de fé e piedade que gostaria de compartilhar com os seus irmãos em Cristo? Se quiser compartilhar, nos faria muito felizes. Você pode enviar para: ofielcatolico@gmail.com

Baseado em artigo de Patti Armstrong para o National Catholic Register

Publicado na revista O FIEL CATÓLICO n.23


** Assine a revista O FIEL CATÓLICO e tenha acesso a muito mais!
www.ofielcatolico.com.br

6 comentários:

  1. A paz de Jesus e o Amor de Maria!

    Gostei do texto, é mais ou menos isso que faço no meu dia dia principalmente na hora da Misericordia mesmo recitando uma dezena do santo terço.

    Paz e Bem a todos!

    ResponderExcluir
  2. Fazer tudo isso com espírito de humildade, fé e devoção, crendo firmemente que Deus é bom e deseja abençoar nossa caminhada neste vale de lágrimas.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelas dicas. Ótimo texto para ser compartilhado.

    Preciso me esforçar para praticar mais essas ações no meu dia a dia. Sempre que começo, acabo esquecendo com o passar do tempo e logo paro com essas práticas.

    ResponderExcluir
  4. Louvado seja o Nosso Senhor Jesus Cristo e Salve Maria!

    Que texto maravilhoso. Todas essas dicas são perfeitamentes aplicáveis! E começarei a basear minhas ações bem mais nelas! Muitíssimo obrigada!

    Que Deus o abençoe!

    ResponderExcluir
  5. Nas duas escolas que ensino, pedi para colocar crucifixo nas salas. Uma diretora deixou ou outra nao. Também rezo em cada início da aula um Pai Nosso, uma Ave Maria e invoco a Santíssima Trindade e os santos, junto.com os alunos, há alguns que se recusam (protestante) mas são minoria, a maioria reza O Pai Nosso e fica em silêncio nas outras orações. Tudo isso, dentre outras coisas edificam a minha fé e me ajudam no serviço do dia a dia.

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$13,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Paginação numerada



Subir