Os mártires brasileiros de Cunhaú e Uruaçu

Por Ivanaldo Santos, filósofo – Fraternidade São Próspero
(ivanaldosantos@yahoo.com.br)



EXISTE UM CAPÍTULO pouco conhecido e fascinante da história do Brasil. Trata-se do martírio, no século XVII, de um grupo de cristãos conhecidos como os Mártires de Cunhaú e Uruaçu, Protomártires do Brasil e Mártires do Brasil. De forma sintética, resume-se a história desse martírio da seguinte forma:

Mártires de Cunhaú e Uruaçu é o título dado aos 30 cristãos martirizados, no interior do Rio Grande do Norte no século XVII. Foram vitimas de duas chacinas, ambas no ano de 1645, no contexto das invasões holandesas ao nordeste do Brasil. A primeira chacina ocorreu na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho de Cunhaú, município de Canguaretama; e a segunda em Uruaçu, comunidade do município de São Gonçalo do Amarante. Nessas duas chacinas, um grupo formado principalmente por soldados e comerciantes holandeses desejava que os fiéis católicos se convertessem ao protestantismo, negassem publicamente a fé cristã, e, por causa disso, ajudassem a combater a insurreição popular contra a invasão holandesa. Naquele momento histórico, essa insurreição acontecia principalmente no estado de Pernambuco. Como os fiéis se recusaram a atender as exigências e a ajudar o invasor holandês, foram assassinados dentro da capela.

Muitos morreram de joelhos e o ato de maior heroísmo se deu por parte de Mateus Moreira que, antes de morrer, gritou a clássica oração: "Louvado Seja o Santíssimo Sacramento". Entre os cristãos martirizados encontram-se o Padre André de Soveral e o Padre Ambrósio Francisco Ferro.

Desde o século XVIII o martírio de Cunhaú e Uruaçu é citado, referendado e investigado por historiadores, cronistas e outros pesquisadores. Entre esses pesquisadores cita-se, por exemplo, Tavares de Lira e Câmara Cascudo. A partir da década de 1980, esse acontecimento histórico foi redescoberto, investigado e analisado por intelectuais como Dom Alair Vilar e o Monsenhor Francisco de Assis Pereira. Entre as consequências positivas desse esforço, dentre outras, consta o processo de beatificação dos mártires.

Os Mártires de Cunhaú e Uruaçu foram beatificados no dia 5/3/2000 pela Papa João Paulo II. No dia 3/10/2015 o Arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha, anunciou oficialmente que o Papa Francisco canonizará, em data ainda não agendada, os Mártires de Cunhaú e Uruaçu, uma informação que foi confirmada, no mesmo dia, pela Sala de Impressa da Santa Sé. Espera-se que essa canonização aconteça durante a visita do Papa Francisco ao Brasil, no Santuário de Nossa Senhora Aparecida, em 2017.

De forma resumida apontam-se seis pontos positivos que envolvem a redescoberto e o interesse histórico em torno dos Mártires de Cunhaú e Uruaçu, um interesse que culminou na beatificação e na provável canonização dos mártires pela Igreja.

Primeiro, importante oportunidade, quase única, de se investigar de forma séria a história colonial e a formação das cidades históricas no nordeste do Brasil e especialmente no Rio Grande do Norte.

Segundo, rara oportunidade de se promover e efetivar a preservação do patrimônio histórico (casas, igrejas, prédios, etc) das cidades históricas do Rio Grande do Norte, como, por exemplo, Canguaretama e São Gonçalo do Amarante.

Terceiro, promoção da cultura por meio das festas, danças e ritos populares.

Quarto, promoção do turismo, especialmente do turismo religioso. Vale salientar que o turismo é uma das maiores fontes de emprego e renda no Rio Grande do Norte.

Quinto, os Mártires de Cunhaú e Uruaçu devem constar como um importante capítulo nos livros de História do Rio Grande do Norte e de História do Brasil.

Sexto, realização de escavações arqueológicas e de investigações históricas, antropológicas e de outras matrizes nos sítios históricos de Cunhaú e Uruaçu.

Por fim, afirma-se que os Mártires de Cunhaú e Uruaçu são um importante acontecimento histórico, sociocultural e religioso que precisa ser mais investigado e divulgado nas escolas, públicas e privadas, nos centros culturais e de difusão do conhecimento. Trata-se de um dos mais importantes acontecimentos ligados ao período colonial, ao domínio holandês no nordeste do Brasil e a história do Rio Grande do Norte.

_____
Bibliografia consultada:

ANDRADE, Rosa Lúcia. Fé e sacrifício no Engenho Cunhaú. In: A República, Suplemento 'Nós do RN', Natal, Ano II, n. 20, julho, 2006, p. 3-6.


BETTENCOURT Dom Estêvão. A inquisição protestante, in: Pergunte e Responderemos n. 500, fevereiro, 2004.


CARVALHO, Alfredo. Um intérprete dos Tapuios. Natal: Sebo Vermelho, 2011.


MONTEIRO, Eymard. Mártires de Cunhaú e Uruaçu. Natal: Nordeste, 1997.


OLIVEIRA, Luiz Antônio. O teatro da memória e da história: alguns problemas de alteridade nas representações do passado presentes no culto aos mártires de Cunhaú-RN. In: Mneme, Revista de Humanidades, v. 4, n. 08, 2010.


PEREIRA, Monsenhor Francisco de Assis. Protomártires do Brasil. Aparecida: Santuário, 2009.

www.ofielcatolico.com.br

4 comentários:

  1. ESTOU MUITO EMOCIONADO COM ESTE BELO ARTIGO, POIS NASCI NO RIO G.DO NORTE! AGRADEÇO DE CORAÇÃO.

    MAESTRO URBANO MEDEIROS E FAMÍLIA

    ResponderExcluir
  2. Será que a HBO ou History vão fazer algum documentário a respeito e exibir na TV? Porque em plena semana santa o history veiculou uma verdadeira campanha contra a Igreja, com uma série de seus "documentários" tendenciosos, intitulados a Igreja Oculta. Duvido até que algum dia esses fatos façam parte dos livros de história...

    A paz de Cristo!

    ResponderExcluir
  3. Tiago, você teve estomago para assistir a um programa que detonou a Igreja católica?. Eu não teria estomago algum, e sabes quando eles farão um documentário sobre os mártires da Igreja?, nunca, e se farão, farão da maneira mais tendenciosa possível, que se bobear, dirão que os mártires da Igreja é que eram culpados pela situação em que eles mesmos se colocaram.

    Esta passando da hora de haver católicos mais influentes a começar a reagir sobre isto tudo, não pedindo censura, isto ou aquilo, mas, começar a esclarecer as coisas tais como são, tais como aconteceram. Se eles emitem um documentário tendencioso contra a Igreja católica, os católicos que emitem um documentário contra atacando tal documentário tendencioso. Falaram mau de Santa Madre Tereza de Calcutá, emite-se um documentário derrubando cada calúnia dita contra ela.

    Gostei de uma matéria postada aqui no Fiel Católico, sobre 50 notáveis convertidos a Igreja Católica (http://www.ofielcatolico.com.br/2007/04/50-notaveis-convertidos-ao-catolicismo.html", algo deveria ser feito de modo semelhante com respeito a diversos católicos de diversas áreas que muito contribuíram para o bem da humanidade, como: políticos; empresários; cientistas; esportistas; enfim, tudo isto para demonstrar que na Igreja Católica não há somente joio, mas bons trigos também, e são estes que dever ser enaltecidos, e não como quer o mundo, querer enaltecer o joio, somente para jogar na nossa cara que nós católicos não prestamos, e que tudo que há na Igreja Católica não presta.

    Ou reagimos agora, ou amanhã será tarde de mais.

    Sidnei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sidnei, eu não disse que vi, eu disse que o canal veiculou. Se fosse algo verdadeiro, imparcial e realmente histórico, eu veria, não podemos enfiar a cabeça na areia.

      Eu usei de ironia, só li as sinopses, mesmo porque, como eu já havia dito, já sou vacinado e sei perfeitamente que esses documentários são tendenciosos. Mas, em parte, concordo com você.

      Sabe o grande problema de quem se propõe a dizer a verdade imparcial sobre a Igreja? Simplesmente nã há público interessado, os próprios que se dizem católicos, pouco se interessam, pois é mais fácil ficar apenas balançando a cabeça pra cima e pra baixo concordando com tudo (por mais absurdo que seja) do que buscar conhecimento. Oferta e demanda, não se trata de algo que irá partir dos produtores de documentários, cinema, tv etc, mas sim das próprias pessoas interessadas em conhecer a verdade. Se realmente houvesse demanda, pode ter certeza que teríamos documentários, livros e filmes aos montes.

      A paz de Cristo!

      Excluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$9,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail