O falar em 'línguas estranhas' e falar 'a língua dos anjos'


RECEBEMOS DO LEITOR Carlos Alberto Silva a pergunta que reproduzimos abaixo, e respondemos a seguir:

Outro dia fui á uma igreja protestante (sou católico) e logo depois dos louvores alguém levantou e começou a falar numa linguagem para mim desconhecida, e em seguida como em uníssono o Pastor começou a traduzir o que o rapaz falava, mais tarde perguntei o que era aquilo e informaram que o mesmo estava falando em línguas. Fico pensando e não entendo, será que só na igreja dos "evangelicos" DEUS se manifesta, não é isto que entendo quando Paulo diz sobre "dons". Gostaria de maiores esclarecimentos sonbre este fato. Obrigado.

Caríssimo Carlos, há determinados grupos inseridos na Igreja Católica entre os quais também ocorre o fenômeno ao qual você se refere: muitos membros do movimento denominado "Renovação Carismática Católica" (RCC) falam "em línguas”. Esta, porém, é uma prática vista com muito cuidado pela Igreja, e não poderia ser diferente. O então Cardeal Ratzinger, quando Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, tratou do assunto no prefácio do Documento de Malines. Abaixo, alguns trechos do referido documento que consideramos particularmente esclarecedores (atenção às partes destacadas em negrito):

Qual é a relação entre a experiência pessoal e a fé comum da igreja? Ambos fatores são importantes. A fé dogmática que não esteja baseada em uma experiência pessoal é vazia. Por outro lado, a mera experiência pessoal que não esteja relacionada com a fé da Igreja permanece cega.

(...) O Espírito Santo, que é dado a toda a Igreja, faz-se visível e tangível através de diversos Ministérios; todavia, não se confunde com eles. Como manifestações visíveis do Espírito, os carismas estão ordenados para o serviço da Igreja e do mundo, mais do que para a perfeição dos indivíduos que os recebem. Como tais, eles pertencem à própria natureza da Igreja. Está portanto fora de questão que um grupo ou movimento particular, no seio da Igreja, reivindique uma espécie de monopólio do Espírito e dos seus carismas.

Se o Espírito e os seus carismas são inerentes à Igreja no seu conjunto, então são constitutivos da vida cristã e das suas diversas expressões, comunitárias ou individuais. Na comunidade cristã não há, em termos de direito, membros passivos, desprovidos de função ou Ministério. 'Há diversidade de Dons, mas é o mesmo Espírito; diversidade de Ministérios, mas é o mesmo Senhor; diversos modos de ação, mas é o mesmo Deus que realiza tudo em todos. Cada um recebe o dom de manifestar o Espírito em vista do bem de todos' (1Cor 12, 4-7).

Neste sentido, todos os cristãos são carismáticos, e todos são desde logo investidos num Ministério ao serviço da Igreja e do mundo.

Os carismas são, contudo, de importância desigual. Aqueles que estão mais diretamente ordenados para a edificação da comunidade possuem maior dignidade. 'Vós sois o Corpo de Cristo; cada um por sua parte é os seus membros. Aqueles que Deus estabeleceu na Igreja são, primeiramente, os Apóstolos, em segundo lugar, os profetas, e em terceiro lugar os que estão encarregados de ensinar; vêm de seguida, o dom dos milagres, depois o de cura, o de assistência, o de direção e [por último] o dom de falar em línguas (1Cor 12, 27-28).
(Documento de Malines I, Bélgica, coord. Cardeal Suenens, ed. Pneuma, 1974)


Também existe um documento da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), intitulado "Orientações Pastorais Sobre a Renovação Carismática Católica" (doc. 53), com recomendações disciplinando certas práticas místicas no contexto da RCC, e explicações e orientações sobre o assunto. – Aqui está o link para a leitura e download do documento na íntegra: Orientações Pastorais Sobre a Renovação Carismática Católica. – Abaixo, um trecho do referido documento:

62. Orar e falar em línguas: O destinatário da oração em línguas é o próprio Deus, por ser uma atitude da pessoa absorvida em conversa particular com Deus. E o destinatário do falar em línguas é a comunidade. Como é difícil discernir, na prática, entre inspiração do Espírito Santo e os apelos do animador ao grupo reunido, não se incentive a chamada oração em línguas e nunca se fale em línguas sem que haja intérprete.


Já o estudo das Sagradas Escrituras vai revelar que elas não contém orientações a respeito dessa prática: não há clareza quanto ao assunto. Apenas mencionam que, na época dos Apóstolos, um certo fenômeno acontecia numa igreja bastante problemática: a de Corinto (conf. 1Cor 14). Nota: quando dizemos "Apóstolos", evidentemente nos referimos aos verdadeiros Apóstolos, instituídos por Cristo, e não a qualquer pessoa que interprete a Bíblia por conta própria e se intitule a si mesma "bispo" ou "apóstolo fulano" da "igreja de tal".

Além do silêncio das Escrituras, a Tradição cristã parece ter-se desenvolvido como que ao largo do fenômeno. Nos documentos antigos e registros históricos, praticamente não encontramos menção a ele. Com o passar dos séculos, o costume parece ter caído no esquecimento. Por tudo isso, a compreensão do assunto varia muito entre teólogos, tanto protestantes (muitas comunidades protestantes não aceitam a prática) quanto católicos. Alguns líderes "evangélicos" chegam a exortar às suas comunidades que estejam atentas para que não sejam iludidas por Satanás. O fato é que precisamos de prudência; devemos tomar muitíssimo cuidado ao analisar a questão, antes de tomarmos qualquer posição radical.

Nos primórdios, S. Paulo Apóstolo não parecia muito entusiasmado com o fenômeno, nem se mostra favorável a divulgação e perpetuação da prática do “falar em línguas”. Vejamos:

Assim também vós: se vossa língua só profere palavras ininteligíveis, como se compreenderá o que dizeis? Sereis como quem fala ao vento.
(1Cor 14,9)


Qual o valor de se repetir palavras que ninguém entende, numa oração? A Bíblia diz que devemos rezar com inteligência, fazendo uso da razão. Diz que devemos orar e cantar "em espírito, mas também com o entendimento" (conf. 1Cor 14,15). Não cabe abrir a boca e proferir palavras que ninguém, nem mesmo a pessoa que está falando, compreende. Os coríntios, de fato indo contra o que Paulo ensinava, falavam em línguas desconhecidas durante suas celebrações; uma confusão de palavras que não diziam nada, mas que contagiavam o povo. Por isso Paulo quis botar ordem nessa casa, dizendo com firmeza:

Se alguém falar língua estranha, que haja intérprete. Mas, se não houver intérprete, que se cale na igreja, e fale consigo mesmo e com Deus.
(1Cor 14,27-28)


O que Paulo diz é: “Fiquem em Comunhão com Deus e entre si”, isto é, todos juntos unidos ao SENHOR no coração e em pensamento. Mais adiante, ele vai afirmar que isto é melhor do que falar em línguas.

Mesmo assim, esse costume chegou até nós, e nos últimos tempos ganhou força. Hoje, existem “pastores” que começam a pregar e, de repente, no meio da fala, passam a repetir frases que ninguém entende, supostamente em “línguas estranhas”. Os mais impressionados ficam logo entusiasmados, são rápidos em afirmar que é manifestação do Espírito, e com isso todos se contagiam. Também existem aqueles que começam a rezar em voz alta e, de repente, passam a repetir certas frases já conhecidas (curiosamente, são sempre as mesmas), também supostamente em “línguas estranhas”. São frases curtas, ditas em meio ao sermão ou à oração. Mas o que diz a Bíblia Sagrada, que essas pessoas alegam seguir?

...Como dirá ‘Amém’ sobre a tua ação de graças aquele que ocupa o lugar dos simples, se ele não sabe o que dizes?
(1Cor 14,16)
Prefiro falar na assembléia cinco palavras que compreendo, para instruir também aos outros, do que falar dez mil palavras em línguas estranhas.”
(1Cor 14,19)
Assim, as línguas são sinal, não para os fiéis, mas para os infiéis; enquanto as profecias são um sinal, não para os infiéis, mas para os fiéis. Se, pois, numa assembléia da Igreja todos falarem em línguas, e se entrarem homens simples ou infiéis, não dirão que estais loucos?”
(1Cor 14,22-23)

A Palavra de Deus escrita não poderia ser mais clara do que isso. Na verdadeira Religião, não devemos nos deixar levar apenas pela emoção ('mas também com o entendimento', como diz S. Paulo, isto é, sem perder a razão). Somente a razão, centrada na Verdade (que é Cristo), pode nos livrar da histeria, da atração hipnótica das multidões que integram certas comunidades carismáticas, conduzidas por verdadeiros atores disfarçados de mestres, com suas frases de efeito e shows ensaiados.

O conselho é ouvir à sua própria consciência. Até que ponto é sensato confiar naquilo que uma pessoa diz, e no que uma outra está supostamente "traduzindo"? Para quê precisaríamos disso, se Deus fala direto às nossas consciências, aos nossos corações e almas, quando rezamos sinceramente e com toda a fé e confiança?

A ação de Deus não depende dos dons carismáticos, nem se limita a eles. Deus não está "mais presente" onde ocorram fenômenos inexplicáveis, e nem a verdadeira Comunhão com Deus depende ou se mede através das emoções humanas.

Além de tudo isso, é muito importante observar que, segundo a Bíblia, em Pentecostes cada um dos discípulos falava ao povo presente, gente de diversas nações, em sua própria língua: todos entendiam o que eles diziam. Não se tratava de um alarido ininteligível, não era um berrar de palavras sem sentido que ninguém entendia, ao contrário. Cada um dos presentes ouviu o Evangelho e o compreendeu em seu próprio idioma, que os pregadores não conheciam.

Uma das grandes incoerências de certas comunidades é afirmar que o seu falar ininteligível é a "língua dos anjos"... Eis um grande absurdo. Em primeiro lugar, existem estudos publicados que demonstram que, em cada país onde ocorre essa prática, entre comunidades protestantes, surgem certas palavras que são repetidas sempre, e coincidem conforme o país de origem. Não se trata de linguagem realmente estranha, mas característica de determinada região.

Além disso, os mesmos estudos apontam que este falar em línguas muda com o passar dos tempos. Gravações de décadas passadas mostram um falar de determinado modo, com certas palavras-chave sendo continuamente repetidas; com o passar do tempo, essa linguagem muda, e novas palavras vão sucessivamente tomando o lugar das antigas. Depois de algum tempo, a suposta "língua dos anjos" muda completamente.

Outro aspecto é o fato de o próprio Apóstolo Paulo, um dos teólogos mais influentes de toda a História e verdadeiro Pilar da Igreja, apesar de em 1Cor 14,18 dizer: "Falo mais línguas do que vós todos", dá claramente a entender que ele mesmo não falava a dita "língua dos anjos", ao afirmar com muita clareza: "Ainda que eu falasse (logo, não fala) a língua dos anjos..." (1Cor 13,1). Como acreditar, então, que nessas comunidades qualquer novo "convertido" seja abençoado de maneira tão especial e com tamanha facilidade? Sim, porque sabemos que o "falar em línguas" é coisa comum e corriqueira para os pentecostais. Estariam todos sendo agraciados, assim tão facilmente, com o Dom divino de falar a língua dos anjos, uma Graça que nem o santo Apóstolo recebeu?

Além de toda essa análise mais superficial, que apresentamos até aqui, evidentemente nós poderíamos e até deveríamos, numa contemplação mais aprofundada, considerar em que sentido se poderia afirmar que os anjos teriam uma linguagem própria, no sentido de idioma como instrumento de comunicação linguística de um povo, um grupo étnico ou social, assim como é entre nós, seres humanos. Sendo os anjos seres essencialmente espirituais, isto seria teologicamente bastante discutível. É certo que os anjos de Deus são capazes de se comunicar por meio de inspirações mentais/espirituais, e é exatamente assim que os maus anjos, por exemplo, nos tentam e procuram nos levar a praticar o mal. A Teologia nos diz que a população angélica, portanto, não usa de uma língua falada, fonética, com vocabulário e regras gramaticais próprias, para se comunicar. De fato, isto seria absurdo.

Por fim, use a inteligência que o Criador lhe deu, e a sua reta consciência. Peça pelo Dom do entendimento. Assim você saberá se vale a pena confiar em afirmações de homens ou se é melhor manter-se fiel na primeira e única Igreja de Jesus Cristo (una e indivisível), e ouvir o que Deus fala por intermédio do Corpo Místico do Cristo, que é a mesma Igreja (e cuja Cabeça é o próprio Senhor Jesus)... E também diretamente ao seu coração.
www.ofielcatolico.com.br

50 comentários:

  1. Julio Cesar - Uberlândia

    Antes tarde, do que nunca. Faltou exemplificar com nossas práticas católicas. Ao passo, que não seria importante ter Papa, Bispos e Padres, bastaria ir nos grupos católicos para ouvir as revelações carismáticas. Finalizo, citando uma pergunta, do livro, de um dos fundadores das línguas de anjos: como saber se é lingua de anjo ou de demônio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. muito bem...essa também é a minha dúvida,já coloquei essa questão a pessoas "ligadas a Deus" e deram-me respostas superficiais do tipo :
      _"isso não é pergunta que se faça!"...ou então:
      _"quando falamos do espírito santo...devemos olhar com bons olhos,essa questão atrai forças negativas"....o que ainda agudiza mais a minha curiosidade e ao mesmo tempo faz perder a minha esperança devido á ignorancia dessas pessoas junto com a minha.

      Excluir
    2. Meu irmão ou irmã, muitos são os dons você sabe nosso Senhor se manifesta como quer o Dom de línguas se não for pra comunidade é o menor dos dons, mas em Atos dos Apóstolos 10, 44-48 pode ajudar a entender, no versículo 46 ele diz que os ouviram falar em línguas estranhas e a louvar a grandeza de Deus, aí ele disse que por conta disso não poderia lhes negar o batismo com água já que haviam recebido o Espírito Santo "COMO NÓS RECEBEMOS". Amém? Mas muitos são os dons, então se não tem o de línguas louve a Deus por algum outro que você tenha, se não, experimente pedir esse, quem sabe não aumenta nossa Fé e abre a porta pra outros?

      Excluir
  2. “Se alguém falar língua estranha, que haja intérprete. Mas, se não houver intérprete, que se cale na igreja, e fale consigo mesmo e com Deus.” (1Cor 14,27-28)

    Esta Palavra de Deus, por si, já sintetiza tudo.
    Muitos carismáticos deixam de assistir a Santa Missa na forma Extraordinária, por não entender nada que se reza em latim, mesmo com um folheto com a tradução em português. No entanto, participam de grupos de oração em que se fala em “línguas estranhas”, sem nenhuma interpretação. Vá entender...

    No livro “A Fé em Crise?” o então Cardeal J. Ratzinger, trata certos movimentos, entre eles, o carismático, que geram algum problema na Igreja, em medida maior ou menor e que trazem também perigos.

    Benedictus Iesus Christus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso se chama ponto alto da fé Cristã meu caro amigo, um dia compreenderás que grande parte das pessoas participam de "grupos de oração" com verdadeiros propósitos de evangelismo, se tens fé saberás que o Santo Espírito de Deus habita naqueles que possuem verdadeira fé, e se manisfesta tanto através de sinais visíveis quanto ocultos aos demais. Só quem já sentiu pode distinguir! A paz do Senhor a todos.

      Excluir
    2. Falou muito e não respondeu nada. O André não criticou os verdadeiros propositos de evangelismo, só a incoerência desse povo que deixa de assistir a Missa em latim pra assistir em conchichinês.
      O que o Espírito Santo pensa sobre o assunto eu acho que ele deixou bem claro quando inspirou São Paulo em 1Cor 14. Os sinais visíveis e ocultos acontecem para causar compreensão e não confusão nas pessoas. Se não houver intérprete, ta mais pra ponto baixo da fé cristã.

      Excluir
  3. Na Renovação Carismática Católica quando se fala em línguas Deus sempre suscitará uma pessoa para que interprete, o que acontece com frequência no movimento e ficou fora da explicação é que se ora no Espírito Santo. São duas coisas diferentes....é só ver o texto de São Paulo aos Romanos 8, 26. Abraços....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais um absurdo carismático!
      O texto de Romano 8,26, se refere à oração, que é uma relação viva e pessoal com Deus; uma elevação da alma a Deus ou um pedido a Deus, que muitas vezes “Nem Sabemos o que seja conveniente pedir” (Rm 8, 26), por falta da humildade que é o fundamento da oração, “mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inefáveis” (idem)

      Inefável – Algo que não se pode expressar com palavras, ou seja:
      O amor de Deus é inefável!

      Ora, dizer que na RCC existe sempre uma pessoa suscitada por Deus para interpretar o “Siri há ká karalaká Dará Ká lá”, o que sempre acontece com frequência? Que orar no Espirito e falar em “línguas estranhas” são duas coisas diferentes... Então nos explique melhor.
      Fico pensando se o Santo Padre decidir algum dia, numa Santa Missa no Vaticano, começar falar em “línguas estranhas”, quem irá lhe interpretar?
      Espero que não seja o Papa Emérito.

      Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo!
      Salve Maria!

      Excluir
    2. André, o papa pode fala também, pq o "Espírito sopra onde quer". Não importa hierarquia humana nessa hora, André.
      Tito

      Excluir
    3. Tito, o Papa não é produto de "hierarquia humana" na Igreja. O Sumo Pontífice foi eleito para pregar o Evangelho aos povos (At 15,7) e para confirmar os seus irmãos na fé (Lc 22,32) diretamente por Nosso Senhor Jesus Cristo (Mt 16,18). – Em outras palavras, o Papa está lá pela Vontade do mesmo Deus que "sopra onde quer", pois o Pai, o Filho e o Espírito Santo não são "três Deuses", mas as três Pessoas de um só DEUS.

      Exatamente por isso é errado dizer, como naquele canto que às vezes se entoa em algumas celebrações: "Em Nome do Pai, | em Nome do Filho, | em Nome do Espírito Santo, | estamos aqui...".

      Não estamos invocando "três Deuses", e sim Um só, por isso é que a invocação litúrgica se pronuncia corretamente da seguinte maneira: "Em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo".

      Tudo isso para você entender que algo que foi estabelecido pelo Filho não será desrespeitado ou "derrubado" pelo Espírito Santo: acontece que os Dois são um Só, com o Pai. O que o Filho determinou, o Pai determinou, e também o Espírito Santo. Se há esta hierarquia na Igreja, é por Vontade de Deus, e não humana.

      Logo, o sentido da passagem que diz "sopra onde quer" é bem diferente do que este que muitas vezes se lhe atribui, inclusive às vezes de modo pernicioso, pelos relativistas.

      "Sopra onde quer" significa que Deus age de modos diversos, e também fora da Igreja, – o que é óbvio: se não fosse assim, como poderiam pagãos, hereges, feiticeiros e idólatras se converterem à Igreja do único e verdadeiro Deus?

      Então, precisamos de muita calma e pedir sempre por serenidade e discernimento. É muito fácil, para muitos, confundir histeria com "ação do Espírito". No meu entendimento, aliás, este é o maior problema dos carismáticos: qualquer emoção é rapidamente atribuída ao Poder divino. Precisamos nos lembrar que a Prudência é uma virtude e um Dom do próprio Espírito Santo.

      Um abraço fraterno, e a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    4. Henrikão, no outro dia tu falou que é um lixo, mas cada tua resposta quebra meu filho..... kKKkkkk

      Vieira

      Excluir
    5. Não falei exatamente que sou "um lixo", Vieira. Sutileza não é o seu forte, ha? Eu disse que sou pecador, como qualquer um, e que também tenho as minhas fraquezas.

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    6. Caro Tito,
      Claro que o Papa pode falar também, mas em línguas estrangeiras. O nosso querido Santo Papa Emérito, por exemplo, domina quase dez línguas e tem conhecimento em tantas outras.

      Quando falei sobre o Santo Papa falar em “línguas estranhas”, levei em consideração que nunca na historia da Santa Igreja de Jesus Cristo, que é Católica Apostólica e Romana, há registro de um Papa ter realizado tal façanha, nem numa Santa Missa, nem em “ajuntamentos”, em “acampamentos”, e nem em carnavais “com cristo”.

      Quando reside em São Paulo, sempre acompanhava minha esposa e a sua mãe à CN, e naqueles momentos de histeria (como bem disse o querido Prof Henrique) e gritaria sem nexo nenhum, sempre me aproximava daquelas pessoas que ficavam se debatendo deitadas no chão gritando “palavras estranhas”. Muitas vezes as acompanhavam para ver e falar com elas sobre tais fenômenos, mas, sempre chegava a uma conclusão: tratava-se de uma representação fajuta, infelizmente. Foi então, que mostrei a realidade nua e crua para a esposa e sogra e, graças ao Nosso bom Deus, elas deixaram de ser sócias daquela comunidade carismática e não mais seguem a RCC.

      Existiram outras práticas que presenciei, mas, me resigno em comentar. Não que lá tudo seja ruim. Não se trata disto. Existem pessoas que desejam a santidade, pessoas de bom propósito que os admiro, como o Pe Jonas, Prof Felipe Aquino e outros.

      O que nos entristece na RCC são as práticas que ferem a Sagrada Liturgia, o desrespeito com o Sagrado, o chamado passeio com o Santíssimo Sacramento, o barulho na Santa Missa, as vestimentas improprias nos Templos e outras práticas não dimensionáveis que neste Apostolado já foram exaustivamente comentadas.

      Repito: “Se alguém falar língua estranha, que haja intérprete. Mas, se não houver intérprete, que se cale na igreja, e fale consigo mesmo e com Deus.” (1Cor 14,27-28)

      Salve Maria, “Mãe do meu Senhor” ! (S. Lc 1, 43)

      Excluir
    7. Caro irmãos fieis católicos
      Graça e paz!
      Para quem quer aprofundar mais um pouco seus conhecimentos acerca do “Dom de Línguas” nos ensinamentos dos Padres e Santos da Santa Igreja, acesse o site abaixo:
      http://catolicosribeiraopreto.com/o-dom-de-linguas-os-padres-da-igreja-e-os-santos/#more-18498
      Pax et Bonum!
      André Catholicus

      Excluir
    8. Meus caríssimos irmãos fieis católicos
      Vejam a que ponto a RCC chegou, transformando uma Adoração ao Santíssimo Sacramento numa algazarra sem igual.
      É lamentável...

      https://www.youtube.com/watch?v=Kv4pkXdMY2s

      SEJA SEMPRE LOUVADO NOSSO SENHOR JESUS CISTO!

      Excluir
    9. Eu fui resgato e voltei a Igreja graças a Deus, mais confesso que a RCC teve uma tremenda importância, foi em encontros e grupos de orações da RCC que tive uma experiência como nunca havia tido antes, O André catholicus deu a entender que a Canção nova é uma farsa , quando assim diz: Foi então, que mostrei a realidade nua e crua para a esposa e sogra e, graças ao Nosso bom Deus, elas deixaram de ser sócias daquela comunidade carismática e não mais seguem a RCC.
      Dos últimos 10 testemunhos que li ou escutei 7 voltaram ou se converteram a ICAR por meio da RCC, confesso Henrique que esse post me deixou com muitas dúvidas, na verdade o primeiro, segundo fiquei sabendo o Monsenhor Jonas Abib ora 2 horas todos os dias em linguas, o padre Marcelo Rosi também hora todos os dias 1 hora em linguás antes de começar seu programa, O cantor Tonny Allysson na ultima pregação que fui falou muito sobre a orações em linguás, e assim ao contrário do que diz o post ele incentivou que todos fizessem a oração em linguás, li também esse texto do professor Felipe Aquino, que ao meu ver foi ao contrario desse, até incentivando esse tipe de oração, sei o quanto atarefado é meu caro Henrique Sebastião mas quando possível gostaria que comentasse o texto do professor Filipe Aquino, confesso que fiquei com muitas duvidas e pelos comentários que li, creio que alguns de nosso irmão católicos pensam diferente a respeito desse tema, segue abaixo o texto do professor Felipe Aquino:
      http://cleofas.com.br/um-dom-chamado-linguas/

      Excluir
    10. André Catholicus, vendo outros textos e videos deu em a entender que ora em linguás e falar em linguás são coisas diferentes ! Quando puder assista esse vídeo do Bíspo Dom Henrique Soares, ou ele esta errado ou eu entendi errado poderia tentar me esclarecer melhor essa dúvida .

      Paz e bem !

      Excluir
    11. Desculpe esqueci de postar a Url do vídeo. segue abaixo.

      https://www.youtube.com/watch?v=EcRcMS0hsLM

      Excluir
    12. Caro Bruno, suas dúvidas podem ser esclarecidas pelos santos ensinamentos dos Pais e Santos da nossa Santa Igreja Católica Apostólica Romana:
      http://catolicosribeiraopreto.com/o-dom-de-linguas-os-padres-da-igreja-e-os-santos/#more-18498
      Quando se referi a Santa Igreja de Jesus Cristo, por favor, nunca A trate pejorativamente de “ICAR”, isto é tratamento dado por “evangélicos”.
      Seja Louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!
      Salve Maria!

      Excluir
    13. Caríssimos irmãos fieis católicos,
      Em complemento ao post, eis um vídeo atual que também esclarece a celeuma sobre “o dom de línguas”:

      https://www.youtube.com/watch?v=oNtUstghswg

      Seja Nosso Senhor Jesus Cristo sempre louvado!

      Excluir
  4. Irmãos, muito me desaponta esse bate e volta de vocês. Sou Católico e faço parte da RCC, de ante mão, esse movimento tão massacrado nesses posts, por inspiração do Espirito Santo e da Santa Virgem me ajudou(e muito) a dar valor a essa Igreja Santa, criada por Deus e ser um fiel católico com mais fervor a cada dia. Se hoje faço parte do Corpo de Cristo(Igreja Católica) na sua plenitude, seria interessante que esse membro fosse cortado e jogado fora?
    Leigamente indagando, quem é perfeito em liturgia? A falha na liturgia é culpa da RCC? A bagunça que encontramos atualmente na Missa , foi a RCC que causou? O descumprimento do Missal e do Can foi a RCC que causou?
    Como Padre Paulo diz: "O protestante vende um caricatura de igreja católica totalmente distorcida" aos que desconhecem a verdadeira fé. Dessa mesma forma, interpreto os vossos posicionamentos quanto ao movimento de um dos membros do própio Corpo de Cristo.
    Os erros liturgicos são causados pela santa ignorancia e não por mera heresía dos nossos irmãos da RCC ou não.
    Como testemunho, vejam como nossa Igreja é realmente de Deus, antes de fazer parte da RCC,eu era um portista na missa(não entrava na igreja), estava distante da eucaristia a mais de 10 anos, não entendia nada de liturgia, não conhecia a vida dos santos como: Santo Padre PIO, Santo Antonio, Santo Agostinho, Santo Felipe Nery, Santa Terezinha, Santa Mônica... Não conhecia o tratado de São Luís Maria Grignion de Montfort(Consagração a Santíssima Virgem).
    Na minha santa ignorancia, desejo que continuem lapidando e instruindo-nos com posts muito mais interesante aos fies com conhecimento "bruto" ou sem conhecimento, que são acolhidos no seio da igreja através desse movimento. Que vossas santas sabedorias ou conhecimento dado por DEUS, possam nos ajudar para uma maior fundamentação da nossa fé e que nos una em uma liturgia digna do nosso Deus.

    A Paz esteja convosco!
    E que a Santissima possa interceder por vossos dons!

    Antonio Carlos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Também fui resgatado pela R.C.C nos mesmos moldes que o senhor, Antonio Carlos. Tirando os exageros de alguns membros do movimento, penso que realmente dá sim muitos frutos, e frutos dos bons. Vejamos os grupos de orações; manifestações maravilhosas em nossa Igreja. O olhar do Concilio em prática.

      Acredito que devemos sim denunciar os abusos, pentecostais em nossas missas, mas não ao ponto de taxá-los como hereges. Nesse ponto vejo que é exagero. Estudando um pouco observei que nem o Boff foi caracterizado herege.

      Ao meu ver, como membro e grato pelo apostolado deles, acredito que um pouco de direcionamento resolva algumas questões. Afinal, os carismáticos são um dos poucos que aceitam e acreditam na Verdade da Igreja e não tem medo de anunciar.

      Orientaria uma boa observação nas questões litúrgicas, porque precisam rever mesmo, como nosso amigo Henrique já colocou e acompanhamento. Já em as outras questões, enalteceria seu apostolado. É um carisma importante para nossa Igreja.

      Abraço fraterno.

      Excluir
  5. Fiel Católico;
    Adimiro o seu conhecimento a respeito da Doutrina Católica e a sua capacidade e a educação de reponder a todos o questoinamentos sobre a mesma.
    Não consigo compreender suas criticas a nós pentecostais,assistir um vídeo da comunidade católica Mundo Novo e sinceramente se aquela reunião não é um Culto "Evangélico Pentecostal"eu estou vivendo em outro mundo.
    Pediria a gentileza que voçê explicasse qual a posição da Igreja Católica a esse respeito.

    O Senhor lhe abençoe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apenas leia o post, Eduardo.

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. Eduardo, Graça e Paz.

      Quanto à questão das línguas, o post está muito bom. Sintetiza bem o que penso também. A doutrina pentecostal é algo bastante novo na história da igreja, com suas práticas características. Tenho bons amigos pentecostais e converso sobre alguns assuntos. A visão de alguns conceitos é muito diferente da minha, que sou protestante dito tradicional! Ainda assim, somos irmãos em Cristo! apareça mais, vamos nos informar mais, conhecer outra visão de mundo e derrubar preconceitos. Deus será glorificado com isso!

      Excluir
  6. Olá pessoal, eu li um post sobre o assunto escrito pelo professor Felipe Aquino, a príncipio achei bem convincente.

    Gostaria de compartilha-lo: http://cleofas.com.br/um-dom-chamado-linguas/

    Paz a todos!!!

    ResponderExcluir
  7. O dom de línguas é um sinal para os descrentes a fim de que ouçam as maravilhas de Deus no idioma deles. Não é um sinal para os crentes, conforme 1 Coríntios 14:22: “De sorte que as línguas constituem um sinal não para os crentes, mas para os incrédulos; mas a profecia não é para os incrédulos, e sim para os que creem.”
    Portanto, tal dom não deve ser usado para orgulho pessoal. O dom de línguas é concedido para evangelizar outras pessoas de outras nações que não conhecem ao Salvador.

    ResponderExcluir
  8. OBSERVE O SEGUINTE:

    Em Marcos 16:17 é dito: “Estes sinais hão de acompanhar aqueles que creem: em meu nome, expelirão demônios: falarão novas línguas.” O que significa “falar uma nova língua” na Bíblia? O texto original grego responde. Há duas palavras gregas diferentes para descrever o termo “novas” línguas: neós e kainós.
    • Neós é algo novo que não existia antes.
    • Kainós é algo novo que já existia.
    A palavra empregada em Lucas 16:17 é kainós, indicando assim que as “novas línguas” faladas pelos discípulos de Jesus seriam novas apenas para eles que não as conheciam, mas elas já existiam!

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde, gostaria de saber o que a pessoa que respondeu a esta dúvida é?! Padre, Diácono, Leigo, Acólito... Grata!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos um grupo de leigos dirigido por sacerdotes, Gabriela. Eu, Henrique Sebastião, principal responsável pelas atualizações do site, sou bacharelando em Filosofia pelo mosteiro de São Bento de São Paulo, redator e jornalista de profissão, além de pesquisador da ciência das religiões há mais de duas décadas. Se você acessar o botão "Sobre nós", logo abaixo do cabeçalho desta página, terá acesso a mais informações.

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  10. Bom Dia!

    bem, onde congrego, se fala em línguas, eu nunca vi um interprete, mais a maioria fala, para eles, o falar em línguas dos anjos é o selo da promessa de Deus para a vida eterna, o selo do espirito santo, eu mesma não sou selada, mais sempre que alguém vai testemunhar,sempre diz que é batizado e selado, queria saber sobre a opinião de vocês, se o selo do espírito santo é o falar de línguas mesmo? e se não existe as línguas dos anjos? pois eu acho bem convincente na congregação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Michele. Afinal, neste domingo, encontro alguns minutos para tentar esclarecer as diversas questões que você vem apresentando.

      Começando por esta: veja, se na sua "igreja", – que eu já sei qual é, pelas dicas que você vem deixando, – as pessoas falam numa suposta língua estranha, e não há quem interprete, então já se está claramente contrariando as Escrituras, que dizem:

      "Se não houver intérprete, que se cale na igreja, e fale consigo mesmo e com Deus.” (1Cor 14,27-28)

      Agora, observe que todas as seitas ditas "evangélicas" tem em comum a heresia chamada sola scriptura, que diz que a Bíblia é a única regra de fé e prática para o cristão. Mesmo assim, cada "igreja" tem uma doutrina própria e completamente diferente da outra. Isso prova que nenhuma delas está sendo assistida pelo Espírito Santo, porque Deus é um só e o mesmo, ontem, hoje e eternamente (Hb 13,8). Deus é a Verdade, assim, também a Verdade é uma só (Jo 14,6).

      Agora, veja como esses costumes e expressões que você usa não têm nada a ver com a Bíblia. Onde é que a Bíblia diz que falar em línguas é o "selo do Espírito Santo"?! Pelo contrário, a Bíblia em momento algum estimula o falar em línguas. Pelo contrário, as Escrituras parecem desestimular essa prática, com afirmações muito fortes, como as que estão citadas neste post.

      “Prefiro falar na assembléia cinco palavras que compreendo, para instruir também aos outros, do que falar dez mil palavras em línguas estranhas.”
      (1Cor 14,19)

      Se esse "falar em línguas" é falar a língua dos anjos, a resposta é não. Em Pentecostes, segundo a narrativa bíblica, o que ocorreu foi que os discípulos falaram nas línguas dos diversos estrangeiros que ali estavam presentes, em idiomas que não conheciam, e não que falaram na "língua dos anjos". Isto é uma invenção humana e nada mais.

      Além disso, o o Apóstolo Paulo diz claramente: "Ainda que eu falasse a língua dos anjos..." (1Cor 13,1), do que se percebe que nem mesmo ele, que foi um dos maiores Apóstolos, falava a língua dos anjos. Como você pode crer que tanta gente pecadora fale "a língua dos anjos", com tanta displicência?

      São algumas questões iniciais para a sua reflexão.

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    2. sim. foi ai que me deu a dúvida, eles não conversam entre si, mais falam alto, pra quem vai visitar é estranho, só que não parece que são eles falando, meus parente mesmo, são "selados", depois que eu li na bíblia que tem que ter interprete eu achei muito estranho, pois nunca vi ninguém interpretar, eu fique um bom tempo sem ir, agora batizei e voltei, só que ai comecei a conhecer de verdade, é verdade, o ponto de doutrina lá, em primeiro lugar, nós cremos na inteira bíblia sagrada e aceitamo-la como contendo a infalível palavra de Deus,inspirada pelo Espirito Santo.A palavra de Deus é a única e perfeita guia da nossa fé e conduta, e a ela nada se pode acrescentar ou d'ela diminuir.é, também,o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê.lá não falam que pecam, eles cometem faltas, por que o pecado de lá, é pecado mortal, os pecados veniais são faltas que levam ao pecado mortal, ai sim pedem perdão a Deus por faltas, agora pecar não. você conhece mesmo qual é? você já foi lá? sabe como funciona o revelação da palavra? e me perdoe tá incomodando tanto, mais as dúvidas tem que ser tiradas, não tem como eu entrar na Igreja com dúvidas.

      Excluir
    3. Não incomoda, Michele, só acho que você deveria talvez refletir um pouco mais e pedir mais a Deus, buscando cada resposta com toda a sinceridade, entrega e profundidade de que for capaz, antes de fazer mais perguntas. Resolva um problema por vez, encontre a resposta para uma questão antes de passar à próxima, só assim você vai encontrar a Verdade.

      Não falo por mal, mas às vezes você pergunta de coisas que já estão respondidas no próprio post que está comentando. Se você ler este post sobre o "falar em línguas" com atenção, verá que todas as coisas que você perguntou já estavam ali respondidas.

      Então, muitas vezes, as respostas já estão dadas, é só uma questão de suplicar a Deus, de se humilhar diante da Vontade e da Sabedoria divinas, para que o SENHOR revele ao seu coração e ao seu espírito o que é Verdade e o que é falsidade. A partir daí, a sua mente é que precisa se dobrar à Verdade, que é o próprio Cristo.

      Há pouco tempo, eu recebi uma mensagem por e-mail de um rapaz muito inteligente, que foi criado e educado desde pequeno em denominações ditas "evangélicas". Ele começou a pedir muito a Deus e a estudar as coisas santas, e logo começou a perceber que a sola scriptura é completamente falsa, além de uma série de costumes das "igrejas" que ele frequentava.

      Chegou num ponto em que ele adquiriu a plena certeza de que a Igreja Católica é a única Igreja de Jesus Cristo, e que todas as outras foram inventadas por homens que leram a Bíblia e interpretaram ao seu próprio modo. E sabe como ele concluiu a mensagem? Dizendo que, mesmo sabendo de tudo isso, lhe faltava coragem para assumir e se converter católico...

      Então, muitas vezes é isso que falta: coragem e sinceridade absolutas para aceitar o que é e o que não é.

      Sobre o que você disse agora, veja: não é verdade que a sua comunidade aceita integralmente a Bíblia. Nesse caso mesmo, do "falar em línguas", eles já estão mudando o que diz a Palavra de Deus escrita.

      Além de tudo, a Bíblia que vocês leem foi mutilada. Da Bíblia que os Apóstolos usavam, que é a usada pelos católicos, faltam 7 livros na Bíblia dos "evangélicos". – Leia mais sobre isso no link abaixo:

      Católica e protestante: por que existem Bíblias diferentes?

      Então, veja que a coisa toda já começa errado, a partir da base, e toda casa que não tem uma base sólida haverá de ruir.

      Espero poder ajudá-la.

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    4. li novamente, e estava a resposta lá mesmo, às vezes na ânsia de ter a resposta rápida, minha mente não esvazia para a leitura, vou continuar lendo, mais uma coisa é certa, eu só leio aqui pra conhecer mais, e não pra achar algo errado.
      Deus abençoe.

      Excluir
    5. Caro Henrique Sebastião,

      Permita-me por em causa a sua afirmação relativamente a São Paulo quando diz:
      "do que se percebe que nem mesmo ele [São Paulo], que foi um dos maiores Apóstolos, falava a língua dos anjos"

      Para se perceber que não é assim, leia-se 1 Cor 14, 18 quando São Paulo afirma que:
      "Graças a Deus eu falo mais em línguas que todos vós"

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo,

      João Silva

      Excluir
  11. "O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens"
    Atos 17:24

    Henrique, como explica esse texto ?

    ResponderExcluir
  12. Diz uma história que o garoto filho de uma senhora "evangélica" chegou em casa com muita fome, abriu a geladeira e começou a dizer: "salemecai, salemecai, salamecai". E a mãe: "oh, glória, está salvo."

    ResponderExcluir
  13. É uma questão muito complexa, eu particularmente tenho sérias dúvidas.

    ResponderExcluir
  14. "Mesmo assim, esse costume chegou até nós, e nos últimos tempos ganhou força. Hoje, existem “pastores” que começam a pregar e, de repente, no meio da fala, passam a repetir frases que ninguém entende, supostamente em “línguas estranhas”. Os mais impressionados ficam logo entusiasmados, são rápidos em afirmar que é manifestação do Espírito, e com isso todos se contagiam. Também existem aqueles que começam a rezar em voz alta e, de repente, passam a repetir certas frases já conhecidas (curiosamente, são sempre as mesmas), também supostamente em “línguas estranhas”. São frases curtas, ditas em meio ao sermão ou à oração. Mas o que diz a Bíblia Sagrada, que essas pessoas alegam seguir?"


    Entendi a Referência. pois quando a minha mãe virou protestante, resolveu me levar para o culto deles, a pastora, SEMPRE A PASTORA, falava algo similar á isso durante as músicas: olaai dexalai olaai dexalai. depois de um tempo fui ao culto denovo por pedido de minha mãe, a pastora estava "lendo a palavra de deus", após isso começou a cantoria denovo, e novamente os olaai... SEM ERRO, não difere, minha memória é boa nesses casos e essa frase em "línguas de pastor" não muda...

    claro que como eu estava "cansado" daquilo, resolvi ficar na minha sentado no banco, até os "irmãos" lá passaram um óleo na minha mão pra "me dar graças", após a cantoria a pastora disse que ainda "Havia Inimigos na casa de deus" (me encarando)

    enfim esta última parte é apenas um desabafo... vou continuar a ler os posts do blog e me informar ainda mais no catolicismo.

    ResponderExcluir
  15. Paz do senhor amados
    As escrituras vai nos falar que nem todos que são batizados pelo espírito Santo fala em línguas , pq a línguas estranhas é um dom de deus sobre o espírito Santo , e ao analisar as escrituras temos oque:
    Se somos homens falamos em línguas dos homens
    Se são mulheres falam em línguas das mulheres
    Se são estrangeiros falam em línguas estrangeiras , certo
    Se são anjos falam em línguas dos anjos , mas oque convém os anjos nas escrituras quando vao dar alguma notícia vinda de deus para algum servo por exemplo Gabriel ao anunciar a vinda de Jesus , entre os vários anjos na bíblia que se comunicavam como fala de homens para dar alguma notícia de deus.
    Então resumindo
    Existe anjos bons e anjos maus por causa da cauda de satanás na terra juntos com seus anjos enganados
    Então o mundo está cheios de anjos maus enganado com suas línguas para induzir q seja algo de deus mas não é
    Pq os próprios anjos falam nossa língua e as escrituras vai nos dizer q não somos capazes de falar em línguas dos anjo se acreditarem verdadeiramente em Jesus Cristo pq o dom que recebem é o espírito Santo e quando fomos selado o dom e a língua estranhas pq o espirito santo e DEUS .
    Então meu irmãos se VC não segue as leis e doutrina na sua igreja dentro do co texto bíblico saiba q a língua q VC fala dos anjos e diz q fala em línguas estranha saiba q é o espírito imundo
    Pq satanás é único a engana com línguas dos anjos pq ele próprio e um anjo mal o principe dos anjos maus

    Então analisar as escrituras para verem os frutos do espírito Santo em gálatas
    Amém fica na paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nessa premissa, esse dom se faz grande, valioso e importante para a santificação dos fiéis, pois nos aprimora na intimidade com o Senhor, num diálogo filial em que o próprio Espírito Santo vem orar em nós. “Outrossim, o Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza: porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis. E aquele que perscruta os corações sabe o que deseja o Espírito, o qual intercede pelos santos, segundo Deus” (Rm 8, 26-27). “Aquele que fala em línguas não fala aos homens, senão a Deus: ninguém o entende, pois fala coisas misteriosas, sob a ação do Espírito” (I Cor 14, 2). “Ora, o Espírito orando no homem será pouca coisa?” (Encarte da Revista Renovação N.55).
      João Paulo II, agora São João Paulo II, com sua Dominum et Vivificantem, e a inspirada exortação pronunciada na celebração de Pentecostes de 29 de maio de 2004, dizia: “Desejo que a espiritualidade de Pentecostes se difunda na Igreja como um impulso renovado de oração, santidade, comunhão e anúncio. [...] Abram-se com docilidade aos dons do Espírito Santo! Recebam com gratidão e obediência os carismas que o Espírito não cessa de oferecer!”
      tal visita é uma graça de Deus, e nunca esteve ausente da vida da Igreja, não podendo ser fruto da RCC; a RCC cultiva com maior particularidade o amor, a busca e o estudo de tal visita, e aqui está sua riqueza; todavia, não se pode pretender que, sem a RCC, não há essa visita, esse enchimento do Espírito Santo, que sempre ocorreu na história da Igreja, com os leigos, com os diversos movimentos, ordens religiosas etc; até hoje, é possível e muito comum experimentar-se uma ação mais vigorosa do Espírito (até mesmo com sinais sensíveis!!!!) fora da RCC;
      “Há diversidade de dons, mas um só Espírito. Os ministérios são diversos, mas um só é o Senhor. Há também diversas operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. A cada um é dada a manifestação do Espírito para proveito comum”. (I Cor 12,4-7)

      Excluir
  16. Boa noite....a paz esteja com todos vcs...Bom acerca de estranho fenomeno de " dom de linguas" não sei por qual motivo ainda é disseminado nas igrejas inclusive nas católicas tais manifestações que ao meu ver não possuem respaldo nenhum nas escrituras...Quem recebe um dom do Espírito divino adquire algo extremamente honroso o qual lhe capacita para fazer milagres de cura...conhecimento....profecias...visoes...enfim o espirito passa a falar pela boca do homem....coisa que ainda não vi acontecer....talvez por que o homem não seja merecedor de tal qualidade....uma vez que contamina a cabeça das pessoas com ideias mentirosas e sem fundamento....O dia em que a igreja começar a considerar as escrituras como algo sério e o amor ao próximo seja de fato praticado, o altíssimo possa intervir com a benção do espirito do santo e assim possa declarar as maravilhas do reino de Deus. O texto de atos 2 mostra de forma muito clara que Deus não podia perder a oportunidade de aquelas pessoas todas juntas de vários lugares pudessem anunciar as boas novas de modos que todos se compreendessem. Pra que falar em linguas de anjos aqui? todos nós nos entendemos.....Quero ver essas mesmas pessoas que se dizem "ungidas" pregar a palavra lá no japão sem nunca ter aprendido a falar japones....meus caros o dia que essas coisas acontecerem em verdade digo aos senhores....O reino está próximo e o espirito santo começa a descer sobre os capacitados....Boa noite

    ResponderExcluir
  17. Bem eu não me atrevo a dizer que o dom de falar em línguas como os outros não sejam uma promessa Bíblica, mas tenho minhas reservas quando a este assunto.
    Só vejo fieis tanto protestante e católicos da RCC apenas preocupados nos dons de em falar em línguas,dom de cura e profecias,será que os dons de Deus apenas são estes?

    ResponderExcluir
  18. Meu primeiro contato com a RCC foi em um acampamento de jovens, a tal oração em línguas, no primeiro momento me causou estranheza, quando procurei me informar com os participantes da RCC sempre obtive respostas vazias, eles dizem pra gente não procurar entender, apenas ouvir, etc, etc... Mas procurei estudar sobre o assunto, e esse tal orar em línguas pra mim não desce, acho que é algo muito superficial, com traduções aleatórias daqueles que dizem entender, a até admiro a RCC por evangelizar muitas pessoas, mas a fé não é algo cego e sem lógica. Paz do Senhor a todos.

    ResponderExcluir
  19. Participo da rcc, e sempre aprendi na renovação que ora em linguas as palavras e sons que surgem não passa pela razão canal direto do coração para cordas vocais rm 8, gemidos inefaveis. O dom que rcc mais pedi aos participantes pedi a Deus é o discernimento infelizmente muitos da renovação acham que sabe tudo e esquecem de pedir a todo momento o discernimento. Exageros , Escandalos. Para finalizar creio que todos os Católicos acreditam na autoridade do papa e se for renovação desaparecer isso so ira acontecer com anúncio fo papa , São João Paulo II "vida longo aos carismáticos"

    ResponderExcluir
  20. FALAR EM LÍNGUAS?


    De que tipo eram as línguas da Bíblia? Com alguma exceção ocasional, as igrejas Pentecostais de nossos dias nem sequer pretendem falar em linguagens conhecidas de hoje, mas em sons incompreensíveis (combinações de sílabas sem significado próprio, ao menos para principiantes). Mas as línguas da Bíblia sempre significavam falar em idiomas verdadeiros, entendidos por pessoas que sabiam falar aquelas linguagens (Apêndice 1). Em Atos 2, pessoas de muitas nações tinham se reunido em Jerusalém para a celebração do dia de Pentecoste. Ali, pela primeira vez, homens batizados pelo Espírito Santo começaram "a falar em outras línguas". O texto mostra claramente que a audiência era composta de pessoas que falavam diferentes línguas: "E como os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna? Somos partos, medos e elamitas e os naturais da Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Ásia, da Frígia e da Panfília, do Egito e das regiões da Líbia, nas imediações de Cirene, e romanos que aqui residem, tanto judeus como prosélitos, cretenses e arábios" (Atos 2:8-11). E as Escrituras dizem: "Quando, pois, se fez ouvir aquela voz, afluiu a multidão, que se possuiu de perplexidade, porquanto cada um os ouvia falar na sua própria língua" (Atos 2:6); "e como os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna?" (Atos 2:8); "como os ouvimos falar em nossas próprias línguas as grandezas de Deus?" (Atos 2:11).
    Atos 2 foi o protótipo do falar em línguas no Novo Testamento. E, em Atos 2, falar em línguas significava falar em linguagens que poderiam ser entendidas. Em 1 Coríntios 14, a Bíblia mostra também que essas línguas eram idiomas verdadeiros. Notem os significados das palavras usadas: "língua" (nos versículos 2,4,5,6,9,13,18,19 .) significa "idioma"; "interpretar" (versículo 13) significa traduzir de uma língua para outra; "estrangeiro" (versículo 11) significa alguém de um país diferente, que fala uma linguagem diferente. Ele ilustra esta passagem, citando uma profecia de Isaías que se referia à linguagem assíria: "Falarei a este povo por homens de outras línguas e por lábios de outros povos, e nem assim me ouvirão, diz o Senhor" (versículo 21 ­ Isaías 28:11). Finalmente, ele categoricamente, disse: "Há, sem dúvida, muitos tipos de vozes no mundo, nenhum deles, contudo, sem sentido" (1 Coríntios 14:10). Pessoas que falavam línguas da Bíblia eram capazes de falar em linguagens reais, sem estudo ou treinamento. Muito interessante, mesmo as igrejas que hoje são muito ativas no "falar em línguas" nunca enviam um missionário sem dar-lhe treinamento, de modo que ele possa falar a linguagem do povo ao qual ele está sendo enviado. As línguas da Bíblia eram linguagens reais.
    Portanto, as "línguas" das igrejas de hoje não são línguas da Bíblia. Em resumo, É o mesmo que falar em idiomas, ou seja é o dom de falar vários idiomas (inglês, francês,alemão,etc.) que se fazia necessário no inicio da propagação do evangelho e portanto nada têm a haver com o xablablablabla que se prática nas Igrejas de hoje,que nada mais é do que exibicionismo puro, se achar mais crente que outro irmão, que têm mais intimidade com Deus, práticas severamente condenadas na Palavra de Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pense. Por isso todos os outros dons vem antes do orar em línguas. Se orar em línguas expõe o amor ao Senhor, mesmo que nada entenda ou nada sinta, e Ele o dará valor.

      Excluir
  21. Quem ora em línguas estranhas edifica a si mesmo como Paulo ensinou, e Judas também ensinou a orar no Espírito para fortalecer a fé, assim como Paulo disse para também orar no Espírito.
    Orar em línguas estranhas para edificação pessoal é algo que todo cristão pode fazer, no seu particular com Deus.

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail