Santificar o carnaval é possível – e as divinas beneficências aos que o fazem


Fidem posside cum amico in paupertate illius, ut et in bonis illius laeteris” [Guarda fé ao teu amigo na sua pobreza, para que também te alegres com ele nas suas riquezas]
(Ecclus. 22, 28)

Sumário

Para desagravar o Senhor ao menos um pouco dos ultrajes que lhe são feitos, os Santos aplicavam-se nestes dias do Carnaval, de modo especial, ao recolhimento, à oração, à penitência, e multiplicavam os atos de amor, de adoração e de louvor para com seu Bem-Amado. Procuremos imitar estes exemplos, e se mais não pudermos fazer, visitemos muitas vezes o Santíssimo Sacramento e fiquemos certos de que Jesus Cristo no-lo remunerará com as graças mais assinaladas.


* * * * * * * *

POR ESTE AMIGO, a quem o Espírito Santo nos exorta a sermos fiéis no tempo da sua pobreza, podemos entender Jesus Cristo, que especialmente nestes dias de Carnaval é deixado sozinho pelos homens ingratos e como que reduzido à extrema penúria. Se um só pecado, como dizem as Escrituras, já desonra a Deus, o injuria e o despreza, imagine-se quanto o divino Redentor deve ficar aflito neste tempo em que são cometidos milhares de pecados de toda a espécie, por toda a condição de pessoas e quiçá até mesmo por pessoas que lhe estão consagradas. Jesus Cristo não é mais suscetível de dor; mas, se ainda pudesse sofrer, havia de morrer nestes dias desgraçados e havia de morrer tantas vezes quantas são as ofensas que lhe são feitas.

Beato Henrique Suso
É por isso que os santos, afim de desagravarem o Senhor um pouco de tantos ultrajes, aplicavam-se no tempo de Carnaval, de modo especial, ao recolhimento, à penitência, à oração, e multiplicavam os atos de amor, de adoração e de louvor para com o seu Bem-Amado. No tempo de carnaval Santa Maria Madalena de Pazzi passava as noites inteiras diante do Santíssimo Sacramento, oferecendo a Deus o Sangue de Jesus Cristo pelos pobres pecadores. O Bem-aventurado Henrique Suso guardava um jejum rigoroso afim de expiar as intemperanças cometidas. São Carlos Borromeu castigava seu corpo com disciplinas e penitências extraordinárias. São Filipe Néri convocava o povo para visitar com ele os santuários e exercícios de devoção. O mesmo praticava São Francisco de Sales, que, não contente com a vida mais recolhida que então levava, pregava ainda na igreja diante de auditório numerosíssimo. Tendo o conhecimento de que algumas pessoas por ele dirigidas se relaxavam um pouco nos dias de carnaval, repreendia-as com brandura e exortava-as à Comunhão frequente.

Numa palavra, todos os santos, porque amaram a Jesus Cristo, esforçaram-se por santificar o mais possível o tempo de Carnaval. Meu irmão, se amas também este Redentor amabilíssimo, imita os Santos. Se não podes fazer mais, procura ao menos ficar, mais do que em outros tempos, na Presença de Jesus sacramentado, ou bem recolhido em tua casa, aos pés de Jesus crucificado, para chorar as muitas ofensas que lhe são feitas.

Ut et in bonis illius laeteris” [para que te alegres com ele nas suas riquezas. O meio para adquirires um tesouro imenso de méritos e obteres do Céu as graças mais assinaladas, é seres fiel a Jesus Cristo em sua pobreza e fazeres-lhe companhia neste tempo em que é mais abandonado pelo mundo: Fidem posside cum amico in paupertate illius, ut et in bonis illius laeteris. Oh, como Jesus agradece e retribui as orações e os obséquios que nestes dias de Carnaval lhes são oferecidos pelas almas suas prediletas!

Santa Gertrudes
Conta-se na vida de Santa Gertrudes que certa vez ela viu num êxtase o divino Redentor que ordenava ao Apóstolo São João que escrevesse com letras de ouro os atos de virtude feitos por ela no Carnaval, afim de a recompensar com graças especialíssimas. Foi exatamente neste mesmo tempo, enquanto Santa Catarina de Sena estava orando e chorando os pecados que se cometiam na “quinta-feira gorda”, que o Senhor a declarou sua esposa, em recompensa (como disse) dos obséquios praticados pela Santa no tempo de tantas ofensas.


Santa Catarina de Sena
Amabilíssimo Jesus, não é tanto para receber os vossos favores, como para fazer coisa agradável ao vosso divino Coração, que quero nestes dias unir-me às almas que vos amam, para vos desagravar da ingratidão dos homens para convosco; ingratidão essa que foi também a minha, cada vez que pequei. ― Em compensação de cada ofensa que recebeis, quero oferecer-vos todos os atos de virtude, todas as boas obras, que fizeram ou ainda farão todos os justos, que fez Maria Santíssima, e mesmo as que fizestes Vós mesmo quando estáveis nesta Terra. ― Entendo renovar esta minha intenção todas as vezes que nestes dias disser: ‘Meu Jesus, misericórdia!’[1]. ― Ó grande Mãe de Deus e minha Mãe Maria, apresentai vós este humilde ato de desagravo a vosso divino Filho, e por amor de seu sacratíssimo Coração obtende para a Igreja sacerdotes zelosos, que convertam grande número de pecadores.”

** Assine a revista O FIEL CATÓLICO e tenha acesso a muito mais!

______
1. Indulgência de 300 dias cada vez.
____
Fonte:
SANTO AFONSO DE LIGÓRIO. Meditações Para todos os dias e Festas do ano, tomo I.
www.ofielcatolico.com.br

2 comentários:

  1. Fugindo totalmente do artigo. Quero fazer um comentário do eclesiástico 22, 28. Se fosse da vontade de Deus que ficasse rico e famoso, é claro que não fosse prejudicial para minha alma, eu iria conservar os poucos contatos que tenho hoje, pois sei que eles são sinceros; e se as pessoas que hoje me tratam com desdém se aproximassem de mim eu iria querer total distância delas; resolvi postar isso porque esses dias estava pensando comigo que a gente quando sai da pobreza, do fracasso e vai para uma situação melhor temos que valorizar aquelas pessoas que sempre estiveram com a gente, sempre nos tratou bem etc; é impressionante como os livros voltados para a sabedoria do antigo testamento "coincidem" com a forma de pensar do homem mesmo nos dias de hoje; foi como um senhor, ainda que protestante, disse para mim: a bíblia ensina "tudo". Júnior

    ResponderExcluir
  2. É dever dos cristãos ser instrumentos de desagravo dos pecados causados pela humanidade em tempos diabólicos como tempo de carnaval. Jesus mostra a Santa Faustina os pecados do mundo nestes dias de carnaval, e Santa Faustina desfalece de terror de tantos pecados cometidos nestes dias (diário 926), imaginem nesses nossos tempos. Em uma das aparições de Nossa Senhora da Salete ela aparece com um martelo em uma mão e uma truques em outra, e diz que o martelo significa aqueles que crucificão Jesus, e a truques que arrancam os pregos. Precisamos nestes tempos sermos truques que desagrava os pecados cometidos contra nosso Senhor que sofre muito por essa humanidade ingrata.

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$9,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail