Que deve fazer o fiel católico nestes tempos de crise e apostasia? – parte 5 | reflexões sobre o Sedevacantismo I



→ Leia a parte anterior desta série

Após uma pausa forçada de duas semanas nas atualizações desta série, por motivos de acúmulo de trabalho em outras frentes (aguardem novidades do nosso apostolado para muito breve), retomamos nossa análise sobre a grande crise na Igreja e as posições que, em razão dela, apresentam-se aos fiéis católicos.

TRATAMOS NESTA SÉRIE sobre as diferentes posições que se apresentam aos fiéis católicos frente à crise terrível que assola a Igreja, assumindo realmente as principais características daquilo que poderíamos esperar da grande apostasia, profetizada desde os tempos antigos e descrita até mesmo no novo Catecismo.

Série imperdível com o prof. dr. Joel Gracioso: Contemplatio, espiritualidade e cultura

ESTREIA NO PRÓXIMO dia 5 de outubro a série de lives produzida pelo prof. dr. Joel Gracioso que buscará aclarar a necessária (e atualmente tão comprometida) relação entre a espiritualidade e a cultura na formação do sujeito, fundamentada na obra e no pensamento dos grandes pensadores da Cristandade, como Santo Agostinho e Santo Tomás de Aquino. Imperdível.

"...cultura é aquilo que cultiva as faculdades naturais do ser humano – de maneira que essas faculdades atinjam uma excelência e uma nobreza que o ajude a atingir a plenitude do seu ser. Esse tipo de cultura é impossível sem o cultivo de uma verdadeira espiritualidade e sem meditarmos sobre a questão do Divino na vida do ser humano."




______
Joel Gracioso é Mestre e Doutor em Filosofia pela USP, membro da Sociedade Brasileira de Filosofia Medieval e professor na Faculdade de São Bento (SP), no Seminário Maria Mater Ecclesiae do Brasil e no Instituto de Teologia Bento XVI. É um colaborador regular da Fraternidade Laical São Próspero e articulista da revista O Fiel Católico.

Oração para obter o perdão do pecado da impureza e da pornografia, e para não voltar a cair neles


Por Henrique Sebastião

 NESTES TEMPOS INSANOS, um pobre leigo pecador e indigno como eu torna-se diretor espiritual. Alguns me procuram pedindo conselhos e, na medida de minhas pequeninas forças, tento ajudar. Vivo uma vida só de lutas, de cair e levantar, portanto posso dizer, ao menos isto, que tenho experiência na batalha.

Padre sedevacantista será sagrado Bispo para a América Latina

 NA ÚLTIMA PARTE de nossa série sobre as posições dos diferentes grupos que nos propõem soluções para a gravíssima crise que assola a Igreja nos nossos tempos – com os múltiplos problemas práticos que derivam daí – definimos em linhas gerais o crescente movimento sedevacantista (a 'terceira posição' – saiba mais). Nesta mesma postagem, citamos o padre Padre Rodrigo Henrique Ribeiro da Silva (Seminário São José) como destacado representante do sedevacantismo no Brasil. Apenas duas semanas depois, veio a notícia de que este mesmo sacerdote será proximamente (aos 29 de setembro deste 2021, Festa de São Miguel Arcanjo, na Capela St. Gertrude the Great, em Cincinati, Ohio – EUA) sagrado bispo para a América Latina, por D. Mons. Daniel Dolan, bispo norte-americano de longo histórico de resistência ao concílio Vaticano II.


A notícia, como não poderia deixar de ser, teve repercussão nos meios tradicionalistas, já que um bispo  sedevacantista representará, sem dúvida, um avanço considerável para o movimento, não só no Brasil  e América Latina como também em âmbito mundial, por motivos óbvios. Mas deixemos essa questão para momento oportuno. De momento, queremos apenas responder aos que nos perguntam quem é este padre e qual a sua história. Para tanto, nada poderia ser mais honesto do que disponibilizar aqui acesso ao seu próprio testemunho pessoal, no qual compartilha publicamente os motivos que o levaram a assumir a posição sedevacantista. Independente de qualquer coisa, sua história é interessante e retrata bem o que têm vivido milhares de vocacionados ao sacerdócio nestes dias de loucura.


Francisco convoca institutos tradicionais a Roma: prenúncio de uma nova investida contra a Tradição católica


FRANCISCO CONVOCOU os superiores da Fraternidade de São Pedro (FSSP), Instituto de Cristo Rei Soberano Sacerdote (ICKSP), Instituto do Bom Pastor (IBP) e outras sociedades que celebram a Missa Tridentina para se encontrarem com ele em Roma no próximo mês de setembro.

Sacerdote adverte contra a 'falsa igreja, que parece católica, mas está alinhada ao Anticristo!'

MAIS UM SANTO sacerdote do Altíssimo reconhece os tempos de apostasia em que vivemos e a existência de "duas igrejas" que hoje ocupam os espaços da verdadeira e única Igreja de Cristo. Eis aí o padre Bráulio d'Alessandro (Paróquia Santo Antônio de Pádua, Várzea Grande/MT), uma clara resposta do Céu às orações dos fiéis católicos que padecem pelo mundo nestes dias de loucura. Ele não pode dizer diretamente certas verdades, para não ser punido e impedido justamente pelos poderes da falsa igreja, a qual é dominante. Mas não se deixe enganar pelo manso sotaque mineiro: aí está um verdadeiro herdeiro dos Apóstolos.

Atualização (23/8): melhora o estado de saúde de Dom Raymond Cardeal Burke

V. Ema. Revma., Cardeal Raymond Burke, e Henrique Sebastião, diretor de O FIEL CATÓLICO e da FLSP

INFORMA O PORTAL La Crosse Tribune que a condição de saúde do Cardeal Raymond L. Burke, hospitalizado por Covid-19, após agravar-se (sendo que ele já havia recebido os Sacramentos para que, se assim quisesse Deus, pudesse morrer bem), teve uma resposta positiva, com uma inesperada melhora do seu quadro de saúde.

Sua eminência foi retirado da ventilação e transferido da UTI para um quarto hospitalar comum, anunciou sua família por meio do Twitter. Uma postagem nessa rede pelo Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe deu conta de que Burke falou com sua irmã por telefone em 21 de agosto, expressando “sua profunda gratidão pelas muitas orações oferecidas em seu nome”.

A família pede que continuem a se fazer orações contínuas pela “recuperação completa e rápida” do Cardeal, e declara sua gratidão a Deus pelos cuidados médicos “excepcionais” que ele recebeu.

Eu tive a imerecida alegria de conhecer e conversar com este verdadeiro leão da Igreja – um dos quatro corajosos Cardeais das Dubia – quando ele esteve em visita ao Brasil, em 2017 (parece que foi ontem...). De fato eu o assessorei, junto com colegas da editora Molokai, no Hotel Renaissance (São Paulo, SP) para a sua palestra de lançamento do livro "O Amor Divino Encarnado".

Rezemos para que Dom Burke se restabeleça para continuar a sua luta (eu lhe pedi pessoalmente que rezasse e lutasse por nós, e ele me devolveu o pedido). Em todo caso, leitor, peço ao leitor que se junte comigo nesta súplica:

"Ave Maria...

Pai Nosso... 

SENHOR, Pai Santo, Deus Eterno e Todo-Poderoso, que animais e fortaleceis com a vossa bênção a nossa frágil condição, olhai com bondade para este vosso servo doente, de modo que, vencendo a enfermidade e recuperando a saúde, possa bendizer o vosso santo Nome com renovada alegria e gratidão. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na Unidade do Espírito Santo. Amém"

Que deve fazer o fiel católico nestes tempos de crise e apostasia? – parte 4 | terceira posição: o Sedevacantismo


Leia a parte anterior desta série

TRATAMOS NESTA SÉRIE sobre as diferentes posições que se apresentam aos fiéis católicos frente à crise terrível que assola a Igreja, a qual, no meu entendimento, já avançou muito além da condição de mera crise, assumindo as principais características daquilo que podemos esperar da grande apostasia, profetizada desde os tempos antigos e descrita até mesmo no novo Catecismo.

Que deve fazer o fiel católico nestes tempos de crise e apostasia? – parte 3 | segunda posição: "Reconhecer e resistir"


Leia a parte anterior deste estudo

NA ÚLTIMA PARTE DESTA SÉRIE, apresentamos a postura daqueles católicos que, diante da grande crise – ou da grande apostasia em que estamos já inseridos, conforme demonstrarei mais adiante – escolhem portar-se como se tudo estivesse bem e nada houvesse de muito errado acontecendo na Igreja. Para estes, como vimos, o problema simplesmente não existe, a não ser na cabeça de fanáticos “rad trads”[1]. O Papa atual, como Vigário de Cristo sobre a Terra, deve ser respeitado e obedecido sempre e em qualquer caso. "Falar mal do Papa" é pecado, e só tocar no assunto já é uma coisa terrível; quem pensa nessas coisas absurdas deveria se converter e procurar urgentemente um padre para se confessar.

Subir