Jesus, nossa Páscoa!


LUZ QUE IRROMPE na escuridão, Luz que vence todas as mortes, que ilumina todos os caminhos. Na beleza de uma igreja às escuras na celebração da vigília do Sábado Santo, que começa do lado de fora, com a Benção do Fogo e o acender do Círio Pascal, cuja luz passa de vela em vela, nas mãos dos irmãos de fé; afinal, depois de um longo período de recolhimento e penitência, a Igreja toda se ilumina! É chegada a hora de celebrar a Ressurreição e a Vida!

O Círio Pascal está aceso! Chegou o tempo da alegria, de cantar Glória e Aleluia, de nos sentirmos vivos e felizes, de entender que fomos feitos filhos e filhas de Deus, que a morte foi vencida para sempre, e que todo o sofrimento da Cruz, juntamente com todas as nossas dificuldades, tiveram um propósito maior. Propósito que agora se cumpriu plenamente!

A Homilia da noite do "Sábado de Aleluia" é sempre carregada de sentido, de verdade e de esperança. Diz que Jesus nos precedeu no Céu, que foi à nossa frente... E que nós temos que ser como as pessoas daquela primeira hora da manhã de Páscoa, primeiro dia da semana, o Domingo da Ressurreição do Senhor. Deus é o Senhor do impossível! Afinal podemos nos saciar da mais pura Alegria, diretamente nas Fontes da Salvação! Luz da Luz, iluminai nossos caminhos! É festa! O Senhor Ressuscitou! ALELUIA!




No Antigo Testamento, Moisés, o primeiro grande profeta de Deus e o primeiro a proclamar a Unicidade divina, liderou o povo hebreu, subjugado e escravizado no Egito, no caminho para a liberdade. Deus manifestou seu Poder através de Moisés, mediante Sinais e Maravilhas. No processo de libertação do povo, guiado por Deus através de Moisés, foi instituída a celebração da primeira Páscoa: toda a assembléia de Israel deveria tomar um cordeiro, que seria imolado de maneira determinada, e com o seu sangue seriam marcadas as portas das casas, para a salvação do povo de Deus. Desta forma ficou instituída a festa da Páscoa, comemorada até hoje pelo povo judeu: "Conservareis a memória daquele dia, celebrando-o como uma Festa em honra do Senhor: fareis isto de geração em geração, pois é uma instituição perpétua" (Ex 12,14).

A instituição da Páscoa Cristã se deu na imolação de Cristo, Cordeiro de Deus e Salvador do Mundo. Na primeira festa da Páscoa, Deus libertou o povo da escravidão e proclamou sua Aliança com Israel. Na segunda, o próprio Filho de Deus tornou-se Cordeiro Imolado, para libertar toda a humanidade do jugo do pecado e da morte. O Sangue de Jesus, – o Messias, o Cristo, o Cordeiro de Deus que tira o Pecado do mundo, – nos liberta para sempre, com sua Paixão, Morte e Ressurreição.


"Purificai-vos do velho fermento, para que sejais massa nova, porquanto Cristo, nossa Páscoa, foi imolado!" (1Cor 5,7)


Jesus veio ao mundo para cumprir a Escritura, e por sua Vontade foi crucificado exatamente no dia da preparação da festa da Páscoa, para que, a partir de sua Morte e Ressurreição, fosse instituída a Nova e Eterna Aliança com Deus Pai.

Se de fato vivemos o longo período quaresmal de introspecção, contemplação e reflexão, jejum e penitência, chegou o momento de nos entregarmos à mais perfeita e plena Alegria! É Páscoa! Jesus, nossa Páscoa, é Deus Vivo, Santo, Forte e Eterno! Uma santa e feliz Páscoa para todos!
ofielcatolico.com.br

Um comentário:

  1. Glória a Deus!!! Estou muito feliz em compreender verdadeiramente o que significa a Semana Santa e todo o caminho Quaresmal por qual, conscientemente, vivi e participei!!! É Pascoa e Jesus Ressuscitou!!!!

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail