A Epístola de Santo Inácio de Antioquia aos Esmirnenses

PUBLICAMOS O CONTEÚDO integral da Carta ou Epístola de Santo Inácio de Antioquia (67 - 110 dC) à igreja de Esmirna. Este importantíssimo registro histórico da Igreja primitiva, ao lado da Didaqué, a "Instrução dos Apóstolos" (veja aqui), constitui fortíssima evidência da Fé da Igreja Católica Apostólica Romana, tal como é preservada até hoje, já no tempo dos Apóstolos. Entre outras afirmações fundamentais, denomina a verdadeira Igreja de Cristo como Católica, isso nos primeiros anos do cristianismo, – antes mesmo da canonização da Bíblia Sagrada.



De Inácio, Bispo de Antioquia – Inácio, também chamado Teóforo, à Igreja de Deus Pai e de Jesus Cristo amado, Igreja que encontrou misericórdia em todo Dom da Graça, repleta de fé e amor, sem que lhe falte dom algum, agradabilíssima a Deus e portadora de santidade, situada em Esmirna, Ásia. Cordiais saudações em espírito irrepreensível e na Pa­lavra de Deus.

1. Glorifico a Jesus Cristo, Deus, que vos fez tão sábios. Cheguei a saber efetivamente que estais aparelhados com fé inabalável, como que pregados de corpo e alma na Cruz do Senhor Jesus Cristo, confirmados na caridade no Sangue de Cristo, cheios de fé em Nosso Senhor, que é de fato da linhagem de Davi, segundo a carne, Filho de Deus porém consoante a vontade e o poder de Deus, de fato nascido de uma Virgem e batizado por João, a fim de que se cumpra n’Ele toda a justiça. Sob Pôncio Pilatos, e o tetrarca Herodes foi também de fato pregado (na Cruz), em carne, por nossa causa – fruto pelo qual temos a vida, pela Sua Paixão bendita em Deus – a fim de que Ele por Sua ressurreição levantasse Seu sinal para os séculos em beneficio de Seus santos fiéis, tanto judeus, como gentios, no único corpo de Sua Igreja.

2. Tudo isso padeceu por nossa causa, para obtermos salvação. Padeceu de fato, como também de fato ressuscitou a Si próprio, não padecendo só aparente­mente, como afirmam alguns infiéis. Eles é que só vivem aparentemente, e, conforme pensam, também lhes sucederá: não terão corpo e se assemelharão aos demônios.

3. Eu porém sei e dou fé que Ele, mesmo depois da ressurreição, permanece em Sua carne. Quando se apresentou também aos companheiros de Pedro, disse-lhes: Tocai em mim, apalpai-me e vede que não sou espírito sem corpo. De pronto n’Ele tocaram e creram, entrando em contato com Seu Corpo e com Seu espírito. Por isso, desprezaram também a morte e a ela se sobrepuseram. Após a ressurreição, comeu e bebeu com eles, como alguém que tem corpo, ainda que es­tivesse unido espiritualmente ao Pai.

4. Encareço tais verdades junto a vós, caríssimos, embora saiba que também vós assim pensais. Quero prevenir-vos contra os animais ferozes em forma humana. Não só não deveis recebê-los, mas, quanto possível, não vos encontreis com eles. Só haveis de rezar por eles, para que, quem sabe, se convertam, coisa por certo difícil. Sobre eles, no entanto, tem poder Jesus Cristo, nossa verdadeira vida. Pois, se nosso Senhor só realizou as obras na aparência, então também eu estou preso só aparentemente. Por que então me entreguei a mim mesmo, à morte, ao fogo, à espada, às feras? Mas estar perto da espada é estar perto de Deus; encontrar-se em meio às feras é encontrar-se junto a Deus, unicamente, porém, quando em nome de Jesus Cristo. Para padecer junto com Ele, tudo suporto, confortado por Ele, que se tornou perfeito homem.

5. Alguns O negam, por ignorância, ou melhor, foram renegados por Ele, por serem antes advogados da morte do que da verdade. A estes não conseguiram converter as profecias, nem a lei de Moisés, nem mesmo até hoje o Evangelho e as torturas de cada um de nós. Pois sobre nós professam eles a mesma opinião. De que me vale um homem – ainda que me louve – se blasfema contra meu Senhor, não confessando que Ele assumiu carne? Quem não o professa negou-O por completo e carrega consigo seu cadáver. Os nomes deles, uma vez que são infiéis, não me pareceu necessário escrevê-los; preferiria até nem lembrar-me deles, enquanto se não converterem à Paixão, que é a nossa Ressurreição.

6. Ninguém se iluda: mesmo os poderes celestes e a glória dos anjos, até os arcontes – visíveis e in­visíveis hão de sentir o juízo, caso não crerem no sangue de Cristo. Compreenda-o quem for capaz de o compreender. Ninguém se ufane de sua posição, pois o essencial é a fé e o amor, e nada se lhes prefira. Considerai bem como se opõem ao pensamento de Deus os que se prendem a doutrinas heterodoxas a respeito da graça de Jesus Cristo, vinda a nós. Não lhes importa o dever de caridade, nem fazem caso da viúva e do órfão, nem do oprimido, nem do prisioneiro ou do liberto, nem do que padece fome ou sede.

7. Abstêm-se eles da Eucaristia e da oração, por­que não reconhecem que a Eucaristia é a carne de nosso Salvador Jesus Cristo, carne que padeceu por nos­sos pecados e que o Pai, em Sua bondade, ressuscitou. Os que recusam o dom de Deus, morrem disputando. Ser-lhes-ia bem mais útil praticarem a caridade, para também ressuscitarem. Convém, pois, manter-se longe de tais pessoas, deixar de falar delas em particular e em público, e passar toda a atenção aos Profetas, especialmente ao Evangelho, pelo qual se nos patenteou a Paixão e se consumou a Ressurreição. Fugi das dissensões, fonte de misérias.

8. Sigam todos ao bispo, como Jesus Cristo ao Pai; sigam ao presbitério como aos apóstolos. Acatem os diáconos, como à lei de Deus. Ninguém faça sem o bispo coisa alguma que diga respeito à Igreja. Por legítima seja tida tão-somente a Eucaristia, feita sob a presidência do bispo ou por delegado seu. Onde quer que se apresente o bispo, ali também esteja a comunidade, assim como a presença de Cristo Jesus também nos assegura a presença da Igreja Católica. Sem o bispo, não é permitido nem batizar nem celebrar o ágape. Tudo, porém, o que ele aprovar será também agradável a Deus, para que tudo quanto se fizer seja seguro e legítimo.

9. No mais, é razoável voltarmos ao bom-senso, e convertermo-nos a Deus, enquanto ainda for tempo. Bom é tomarmos conhecimento de Deus e do bispo. Quem honra o bispo será também honrado por Deus; quem faz algo às ocultas do bispo presta culto ao diabo. Que tudo redunde em graça a vosso favor, pois bem o mereceis. Vós me confortastes de toda maneira e Jesus Cristo a vós. As provas de carinho me seguiram, presente estivesse eu ou ausente. Que Deus seja a paga, por cujo amor tudo suportais, pelo que também haveis de chegar a possuí-lo.

10. Fizestes bem em receber, como diáconos de Cristo-Deus, a Fílon e Reos Agátopos – que pela causa de Deus me seguiram. Agradecem eles ao Senhor por vós, porque os confortastes de toda a sorte. Nada disso se perderá para vós. Dou-vos como preço de resgate meu espírito e minhas algemas que vós não desprezastes e de que também não vos envergonhastes. Jesus Cristo também de vós não se envergonhará, Ele que é a fé perfeita.

11. Vossa oração aproveitou à Igreja de Antioquia na Síria, de onde vim preso com grilhões, tão do agrado de Deus, e donde a todos saúdo, embora não seja digno de ser de lá, eu, o menor dentre eles. Mas, pela vontade de Deus, fui tido por digno, não pelo julgamento de minha consciência, mas sim pela graça de Deus. Desejo que ela me seja concedida em sua perfeição, a fim de que eu, por meio de vossa oração, encontre a Deus. No entanto, para que vossa obra seja per­feita, tanto na terra como no céu, cumpre que a Vossa Igreja, para honra de Deus, escolha um seu legado que vá até a Síria, para se congratular com eles, porque gozam novamente de paz, readquiriram sua grandeza e lhes foi restaurado o corpo. É a meu ver de fato obra digna enviardes um legado de vosso meio, com uma carta, a fim de celebrar com eles a paz que lhes foi con­cedida, consoante a vontade de Deus, pois já chegaram ao porto, graças à vossa oração. Sendo perfeitos, pensai também no que é perfeito, pois se tencionais agir bem, Deus está igualmente disposto a vo-lo conceder.

12. Saúda-vos a caridade dos irmãos de Trôade, donde vos escrevo por intermédio de Burrus, a quem enviastes juntamente com os efésios, vossos irmãos, para me fazer companhia. Animou-me em todo sentido. Todos deveriam imitá-lo como exemplo no serviço de Deus. A graça o recompensará em todo sentido. Saudações ao bispo, digno de Deus, a vosso presbitério tão agradável a Deus, aos diáconos, meus companheiros de serviço a cada um em particular e a todos em geral, em nome de Jesus Cristo, na Sua carne e no Seu sangue, na Paixão e na Ressurreição, em corpo e alma, na unidade de Deus e na vossa. Para vós a graça, a misericórdia, a paz, e a paciência para todo sempre.

13. Saudações às famílias de meus irmãos, com suas esposas e filhos e com as virgens, chamadas viúvas. Passar bem na força do Pai. Saudações da parte de Fílon que está comigo. Meus cumprimentos à família de Tavia, a quem desejo se robusteça na fé e na caridade, tanto corporal como espiritual. Saudações a Alceu, nome tão querido, a Dafnos o incomparável e a Eutecno. Enfim, a todos nominalmente. Passar bem na graça de Deus.

_________
Ref.: AQUINO, Felipe. Riquezas da Igreja. São Paulo: Canção Nova, 2009

ofielcatolico.com.br

17 comentários:

  1. É uma literatura histórica que a grande maioria das igrejas evangélicas, infelizmente faz questão de não ler, divulgar e não adotar o ensino da patrística nas suas faculdades de teologia. Alguns até lê, os chamados evangélicos “tradicionais”, mas, ignoram o seu conteúdo, sua historicidade cristã e até esconde dos membros. É uma falsidade monstruosa. Inúmeras verdadeiras conversões de evangélicos já foram constatadas após terem lido e estudado os Padres da Igreja.
    Eu era um católico não confesso, e só após a leitura da Patrística, dos Santos Padres, principalmente, Santo Irineu de Lion, Policarpo de Esmirna e tantos outros, como o Pastor de Hermas e suas visões, citado por São Paulo na sua Carta aos Romanos (Rm 16, 14), que me tornei um católico apaixonado pela Santa Igreja de Cristo, que é sem dúvida, a Igreja Católica Apostólica Romana.
    Todos estes santos escritos são facilmente encontrados na internet. Todo católico deveria lê-los para poder aprender defender a sua fé.
    Ad Iesum per Mariam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo André, não tenho intenção de desmerece-lo, tampouco julgar sua sinceridade para com Deus (porque só Ele conhece os corações), sejam católicos, sejam protestantes. Baseado em seu comentário, julgo que sua compreensão bíblica acerca do que é a "igreja de Cristo" está equivocada.

      Segue abaixo um breve estudo, baseado nos escritos dos primeiros Apóstolos de Cristo (e não nas epístolas dos primeiros bispos - que considero muitos deles como exemplos de fé e conduta)

      O Que é a Igreja?

      Igreja. Vemos esta palavra por toda a parte. Algumas pessoas usam “igreja” para descrever um belo edifício no centro de uma praça proeminente. Outros a usam para descrever uma organização religiosa mundial, completa com regiões, distritos e dioceses. As definições confusas de igreja, em nosso tempo, muitas vezes vedam o significado original desta palavra quando aplicada, no Novo Testamento, ao povo de Deus. Neste artigo, examinaremos brevemente o significado de “igreja” na Bíblia.

      Igreja: O que significa?

      Igreja é um edifício construído com blocos e cimento? Não. É um edifício construído com pedras vivas. “Também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo”(1 Pedro 2:5). Estas pedras vivas são chamadas santos e são membros da família de Deus: “Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito” (Efésios 2:19-22).

      A palavra grega traduzida como “igreja” significa, literalmente, “chamado para fora” e assim refere-se a um grupo de pessoas chamadas para saírem do pecado no mundo e servirem ao Senhor. A igreja não é nenhum tipo de instituição ou objeto impessoal. É um corpo constituído de componentes vivos. Como um organismo vivo, a igreja pode sentir medo (Atos 5:11), pode orar (Atos 12:5) e pode falar (Mateus 18:17). Pessoas que são chamadas para saírem do pecado não continuam participando do mal no mundo, porque elas estão santificadas ou separadas do pecado (estude João 17:14-23; Colossenses 1:13; 1 Pedro 2:9; 1 João 4:5-6). Deus chama o povo para deixar o mal deste mundo através da mensagem do evangelho (2 Tessalonicenses 2:13-14). Aqueles que são convertidos verdadeiramente a Cristo são chamados santos (1 Coríntios 1:2; Colossenses 1:1-2).

      Entender o conceito bíblico de igreja como um corpo de pessoas chamadas para fora do pecado, para serem santos, ajuda-nos a apreciar a riqueza da descrição de Paulo da “igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue” (Atos 20:28). Jesus não morreu para comprar terra e edifícios, nem para estabelecer alguma instituição. Ele morreu para comprar as almas dos homens e mulheres que estavam mortos no pecado, mas que agora têm salvação e esperança de vida eterna (Romanos 5:8; 1 Coríntios 6:19-20).

      Portanto, afirmar que uma ORGANIZAÇÃO humana (seja católica, seja protestante) é a verdadeira igreja de Cristo na terra é no mínimo, arrogacia.

      sola scriptura

      Excluir
    2. Márcio, diante de tudo que colocasse, ao final de tudo foi para dizer: "Não existe uma Igreja quanto instituição, mas, conjunto de pessoas que com sua fé formam a Igreja de Cristo". Porém meu caro, como vamos descobrir entre tantas igrejas, qual a verdadeira Igreja de CRISTO?. Tudo que você colocou aqui está correto, sua conclusão é que está equivocada. Se DEUS e JESUS é um só, a Verdade será uma só, e a Igreja, quanto povo de DEUS, deverá ser uma só também, não tem como fugir disso. Se não existe uma Verdade absoluta, revelada por JESUS em uma única Igreja, tudo vira relativismo puro, e no final, tudo gera a maior confusão. Cremos sim, que a Igreja é o povo de DEUS, mas como no antigo povo de Israel, o qual haviam os que governavam e orientavam o podo de DEUS no cumprimento das leis e ordenanças (sacerdotes, profetas, escribas), no novo povo de DEUS, a Igreja, JESUS, também determinou pessoas, os quais seriam incumbidas em ensinar, orientar e governar em nome de CRISTO, as pessoas mediante as Verdades reveladas por ELE mesmo, caso contrário, JESUS não precisaria ter escolhido 12 apóstolos entre seus discípulos, para levar o Evangelho a toda criatura, e nem estes, teriam escolhidos outros que os sucedessem. Pois se assim não fosse, aí sim, cada um poderia seguir JESUS como quisesse, como bem fazem os evangélicos, os quais seguem o que bem intendem, o que bem interpretam das Sagradas Escrituras, e o final, é esta torre de Babel protestante, em que um ensina uma coisa e outro ensina outra coisa. Se você quer seguir nesta linha de penamento, de sola scriptura, isto é um problema seu, mas nós seguiremos aquilo que JESUS deixou, que não se trata de nenhuma organização humana, mas sua única e verdadeira Igreja, com seus membros santos e pecadores, mas acima de tudo está a graça de DEUS e as promessas de CRISTO, que as portas do inferno não prevaleceriam contra ela.

      Sidnei.

      Excluir
    3. Caro Márcio, não sou o André, mas lhe parafraseio: não tenho intenção de desmerecê-lo, tampouco julgar sua sinceridade para com Deus (porque só Ele conhece os corações), sejam católicos, sejam protestantes.

      Primeiro, seu argumento categoricamente ignora o conteúdo da postagem, e pior, ignora o que o próprio André escreveu, e que o prezado pretendeu responder.

      Em nenhum momento o André referiu-se a Igreja ― apenas ― como um edifício ou instituição humana. Qualquer Católico que teve formação adequada, sabe que Igreja é o povo de Deus, Corpo Místico de Cristo, do qual Ele próprio é a cabeça, mas também qualquer um destes conhece a função e utilidade dos edifícios e da igreja como instituição.

      O André enfatizou a importância dos escritos do Padres da Igreja. O senhor que tentou distorcer o que ele escreveu para pregar a invenção humana da sola scriptura.

      Primeiramente que a dita sola scriptura se autorefuta, pois não é possível encontrá-la nas Sagradas Escrituras.

      Além disso, arrogância é achar que tudo que foi escrito pelos Padres e Doutores da Igreja antes do cisma protestante não é relevante, e colocar uma teoria humana (sola scriptura) surgida depois de mais de 1500 anos como regra de toda a fé e compreensão da Doutrina Cristã.

      Me desculpe, mas não faz nenhum sentido isso. Isso é colocar Jesus como mentiroso, pois Ele nos disse: "Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo" (Mt 28, 20).

      Ele não disse para esperarmos mais de 15 séculos, para aí revelar a teoria protestante.

      Além disso, os Cristãos dos primeiros séculos sequer tinham a Bíblia como ela é hoje (compilada e canonizada pela Igreja Católica). Ora pois, estes primeiros Cristãos como poderiam seguir a teoria humana da sola scriptura?

      Alias, se realmente o que vale é sola scriptura, por que o senhor perde seu tempo escrevendo aqui? Por que eu, ou qualquer outro, deveria acreditar em você ou no pastor que lhe ensinou esta teoria, se nem você, nem ele, nem sua teoria são citados nas Sagradas Escrituras?

      O prezado está certíssimo em estudar e tentar ter pleno conhecimento da Bíblia, assim como todo Católico também deve fazer, mas entre estudar a Bíblia e seguir seus ensinamentos, e descartar toda a Tradição e Magistério de mais de 2000 anos, há uma distância intransponível ― e que todo aquele que realmente busca a Verdade, um dia saberá que nem devemos tentar transpô-la, pois é vontade e designação do próprio Cristo.

      Que Maria Santíssima derrame suas Graças sobre o senhor e todos nós.

      Paz e Bem!

      Excluir
    4. Acredito que este André deveria estudar os documentos dos padres da Igreja, as cartas de Santo Inácio de Antioquia; aí sim, ele entenderá melhor porque a verdadeira Igreja de Cristo subsiste na Igreja Católica Apostólica Romana; não há como negar isso...

      Excluir
    5. marcio!!vc escreveu ou colou um baita texto e de nada se aproveita,estuda a historia da igreja,e depois de estudar e por teimosia n se tornar catolico,bom dai continue guardando o sabado e partcipando da fogueira santa.

      Excluir
    6. Márcio, quando falamos da igreja Catolica Apostolica Romana e a defendemos como a igreja fundada por Jesus Cristo, não estamos defendendo a placa, ou denominação ou prédios e edifícios. Toda igreja precisa de estrutura física, meu caro, inclusive a evangélica. Estamos defendendo a fé que professamos, ou seja, justamente essa igreja "invisível" da qual se refere. E essa Igrejavtem dogmas, tem mandamentos deixados por Deus para que sigamos como Igreja. Aliás essa Igreja começou a ser organizada pelo próprios apóstolos através dos concílios (é bíblico). Se os protestantes seguissem os exemplos dos apóstolos não teriam tantas denominações. Ora, é obvio que a Igreja é formada por pessoas, que a Igreja são todos aqueles que seguem os ensinamentos de Jesus. Agora,tenho certeza que concordará comigo que não há duas ou várias interpretações da bíblia. Alguém está errado, e é justamente por isso que postou esse enorme texto, porque é ilogico vc acreditar que Jesus não criou igreja, edificios e predios, e estar em defesa do protestantismo. Se todos somos igreja quando em comunhão com Jesus, porque os evangélicos não chamam os católicos de irmãos? Veja, nós não fazemos essa distinção. E digo mais, tem denominaçoes evangelicas que comemoram dia de santos, que batizam crianças e são seus irmãos mesmo assim. Mas os católicos não. É a Igreja, corpo de Cristo, que direciona a nossa vida como cristãos. Mas esse direcionamento hoje não é uno. O que significa que alguem esta errado e que há sim religiosidade e distinção. Ao se dejominar evangélico você já se filia a uma igreja, corpo místico. Corpo místico esse que contradiz o corpo místico da Igreja Católica e assim torna inevitável e necessária a apologética (veja você veio até essa página defender a sua igreja, e não me refiro a edificios, mas quando nós nos defendemos, você nos reduz a predios e edificios e desconsidera sua própria filiação).

      Nós sabemos o que é a Igreja. Mas se você admitirem isso a verdadeira apologėtia se torna essencial e isso pode render muitas conversões ao catolicismo.

      Excluir
  2. Santo Inácio escreveu: Onde quer que se apresente o bispo, ali também esteja a comunidade, assim como a presença de Cristo Jesus também nos assegura a presença da Igreja Católica.
    Já sei que muitos católicos admitem que a igreja é espiritual, mas não entendi ainda por que aplicam a igreja católica como se fosse um templo que só foi construído no templo de constantino. A igreja universal no tempo dos apóstolos era um templo espiritual e não um templo católico. O que entendo é que constantino usou o termo igreja católica para unificar a igreja espiritual de Cristo num templo que ele criou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A sua confusão entre templo material e espiritual já foi respondida nos comentários do outro post em que você comentou, "profeta", o de Constantino. Lá está a resposta para os seus argumentos repetidos. A paz de NSJC!

      Excluir
    2. Há pouco, respondi num post d'outro site:

      "A “questão Constantino” não é nova entre os hereges. Observa-se nesses, a partir do século IV, acusações culposas a Constantino, bem como ao papa Silvestre I, pela “corrupção” da Igreja. Para eles, a doação, as riquezas e poder dado pelo imperador, teriam a transformada na meretriz do Apocalipse.

      Arrisco a dizer que a acusação não é pura e simples. Possivelmente vêm duma visão “espiritual” da Igreja. Uma Igreja despojada, pobre, igualitária, perseguida, sem cerimônias, simplória, aquiescente. Uma visão gnóstica! Logo, a aceitação de riquezas e poder social envolveria cooptação com o mundo material, sendo esse, incompatível com o ideário gnóstico.

      Essa visão sublima o passado remoto, na busca de encontrar a verdadeira e fiel “Igreja Primitiva”. Os “primeiros”. Ao mesmo tempo um futuro escatológico distante em que a realização dessa “Igreja” será plena e perfeita."

      Parte, se enquadra razoavelmente com o comentário do "profeta".

      Marcos.

      Excluir
    3. A verdade é que os argumentos desse arrogante "profetinha" são tão fracas que não merecem resposta. Só isso.

      Se ele estivesse a fim de aprender, seria só fazer uma pesquisa rápida, neste site mesmo que já teria todas as suas respostas.

      Torres

      Excluir
    4. Concordo plenamente!

      Excluir
    5. “Portanto, irmãos, ficai firmes; guardai as tradições que vos ensinamos oralmente ou por escrito.” 2° Tessalonicenses 2.15
      “Nós vos ordenamos, irmãos, em nome do Senhor Jesus Cristo, que vos afasteis de todo irmão que leve vida desordenada e contrária á tradição que de nós recebestes.” 2° Tessalonicenses 3.6
      Temos por obrigação, nós cristãos, em estudar a Patrística e guardar todos os ensinamentos passados, desde os apóstolos, a própria Bíblia, nos diz isso, aceitem quem quiser, a escolha é de cada um...

      Excluir
    6. “Portanto, irmãos, ficai firmes; guardai as tradições que vos ensinamos oralmente ou por escrito.” 2° Tessalonicenses 2.15
      “Nós vos ordenamos, irmãos, em nome do Senhor Jesus Cristo, que vos afasteis de todo irmão que leve vida desordenada e contrária á tradição que de nós recebestes.” 2° Tessalonicenses 3.6
      Aceite quem quiser...

      Excluir
  3. gostei muito em saber sobre a historia da Santa igreja
    gostaria de saber se ha livros sobre esta espitola e outras que eu possa adquerir desde ja muito obrigado.
    a paz de nosso Senhor esteja convosco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caríssimo Roberto Martins Guerreiro,
      Graça e paz!
      Existe nas livrarias Paulus, uma coleção sobre Patrística (Padres Apostólicos), de capa verde e preço um pouco "salgado", mas, os escritos são encontrados facilmente na internet, principalmente nos sites católicos.
      Veja a carta aqui e outras obras nas paginas seguintes do site: http://www.veritatis.com.br/patristica/obras/1394-carta-de-santo-inacio-de-antioquia-aos-esmirniotas
      Que Deus vos abençoe e vos conceda o entendimento da verdade!

      Excluir
    2. Retificando o site para melhor visualização das obras Patrísticas:
      http://www.veritatis.com.br/patristica/obras

      Excluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail