Exemplos para os servos e trabalhadores rurais (Excelências da Santa Missa XXII)


Leia o primeiro capítulo

Por S. Leonardo de Porto-Maurício, da Ordem dos Frades Menores (1676-1751)

S. Leonardo de
Porto-Maurício
O APÓSTOLO SÃO Paulo diz que aquele que não cuida de seus servos é pior que um infiel: "Si quis suorum et máxime domesticorum curam non habet, fidem negavit, et est infideli deterior" (1Tm 5,8). Estende-se este cuidado não só ao corpo, como também, e muito mais, à alma. Se, portanto, seria grande injustiça deixar faltar aos próprios servos o alimento corporal, seria trair ainda mais gravemente o seu dever privá-los de alimentos espirituais, e especialmente não lhes facilitar a assistência diária à Santa Missa, cuja privação é uma perda que patrão nenhum, por poderoso e rico que seja, conseguiria jamais compensar.

Quando DEUS fez aliança com Abraão, ordenou-lhe circuncidar não só a si, mas ainda a todos os servos e escravos: "Tam vernaculus quam empititius circuncidetur (Gn 1,12). É evidente que um bom cristão não deve contentar-se de ser fiel, só ele, ao culto divino,  principalmente assistindo ao Sacrifício da Santa Missa, mas deve cuidar que seus servos e os outros membros da família também o sejam.

Era este o piedoso costume de São Elzéar, conde de Arian. Entre as boas regras que deu á sua casa, a primeira era que, a cada manhã, todos assistissem à Santa Missa: servos, servas, lacaios, todos queria ele ver na Igreja à hora da Santa Missa.

É costume santo, que muitos fidalgos praticam em Roma, cardeais e prelados que diariamente assistem à Santa Missa e fazem questão de ver ao seu redor todos os componentes de sua casa. E não creiais que o tempo assim empregado pelos servidores seja perdido para vós. DEUS vos há de computá-lo. Santo Isidoro não passava de um pobre lavrador, mas tomava o cuidado de nunca faltar à Santa Missa pela manhã. DEUS, então, para demonstrar-lhe quanto prezava esta devoção, mandava aos Anjos lavrar o campo de Isidoro enquanto ele estava na Igreja.

Não é de esperar que DEUS faça para vós milagres tão sensíveis, mas de muitas maneiras irá Ele recompensar-vos por vossa piedade. Podeis conjeturá-lo pelo que sucedeu a um pobre operário. Era um vinhateiro que mantinha sua família com o suor de seu rosto, e que tinha o hábito de assistir, cada dia, à Santa Missa, antes de ir para o trabalho. Dirigindo-se uma manhã bem cedo ao local onde se tratava trabalho, esperava que algum patrão viesse contratá-lo para aquele dia. Ouviu, porém, o repicar do sino, e, conforme o costume, foi à igreja rezar.

Terminada aquela Santa Missa, foi celebrada outra, e ele, levado por sua devoção, deteve-se para assisti-la. De volta, enfim, ao lugar costumado, encontrou-o deserto, pois todos os trabalhadores tinham sido já contratados e haviam partido para o trabalho nos campos. O pobre homem encaminhava-se muito triste para casa, quando encontrou um cidadão muito rico, o qual, notando-lhe o ar preocupado, perguntou-lhe o motivo daquele pesar.
 – "Que se há de fazer? Hoje de manhã, para não perder a Santa Missa, perdi minha diária", respondeu. – “Não se aflija, replicou o rico, vá a igreja, assista a outra Missa em minha intenção, e logo à tarde lhe pagarei sua diária". O operário obedeceu e assistiu a todas as Santas Missas celebradas naquele dia.

À tarde, foi receber seu salário, idêntico ao que se costuma pagar na região. Voltava ele muito satisfeito, quando lhe veio ao encontro um desconhecido (era o próprio JESUS), que lhe perguntou qual o salário recebido por um dia tão bem empregado. Ao ser informado da quantia, exclamou: “Tão pouco, por trabalho de tão grande mérito?! Volta a esse rico e dize-lhe que se não aumentar tua recompensa, seus negócios irão muito mal.” O homem, com toda simplicidade, deu o recado ao rico, e este lhe deu mais cinco moedas, despedindo-o em paz. O vinhateiro deu-se por muito satisfeito com o aumento, mas JESUS não se contentou. Ao saber que o aumento fora somente de cinco moedinhas, disse: “Não basta, volta a esse rico e adverte-o de que se não lhe der melhor retribuição, pode esperar terrível desgraça.” Foi-se novamente o trabalhador, e um tanto embaraçado fez sua comunicação em meias palavras. O rico ouvi-o, e, tocado interiormente por DEUS, deu-lhe uma boa quantia para comprar uma roupa nova.

Admirais, sem dúvida, a atenção da Divina Providência socorrendo esse pobre vinhateiro, em retribuição à sua terna piedade de assistir diariamente à Santa Missa, e tendes razão. Mais admirável ainda foi, porém, a graça que a soberana Misericórdia concedeu ao rico. Com efeito, na noite seguinte JESUS apareceu-lhe em sonho, e lhe revelou que, em consideração ás Santas Missas assistidas por aquele pobre trabalhador, poupava-o de uma morte súbita que naquela mesma noite devia precipitá-lo no Inferno. A esta revelação espantosa, o rico despertou, arrependeu-se de sua vida pecaminosa, e tornou-se devotíssimo da Santa Missa. Daí em diante, passou a assistir ao Santo Sacrifício todas as manhãs. Mais ainda, começou a encomendar diariamente muitas Santas Missas em diversas igrejas, e, enfim, depois de uma vida virtuosa, findou seu dia em feliz morte.

Por aí vedes como é liberal a bondade de DEUS para aqueles que se mostram devotos da Santa Missa. Portanto, à Santa Missa, meus queridos amigos, à Santa Missa! E ficai certíssimos de que nesta maravilhosa devoção encontrareis o que há de melhor para todos.

** Ler o capítulo seguinte

___

Fonte:
MAURÍCIO, Leonardo de Porto. As Excelências da Santa Missa, conforme a ed. romana de 1737 dedicada a S.S. o Papa Clemente XII, pp. 75-78.
www.ofielcatolico.com.br

Um comentário:

  1. Olá, não consigo mandar um email a vocês, entao quero perguntar tres coisas por meio dessa mensagem, se possivel respondam como tema de post para nao só eu, mas muito mais pessoas terem acesso... primeiramente, gostaria de saber na hora da comunhão, dps que ja peguei a óstia e estou com ela na boca, o que devo fazer? rezar, pedir perdão, ou algo do tipo? a tempos busco a resposta mas nunca a econtro..
    Segundo, é pecado (ou errado, coisas do genero) ouvir musicas seculares? se sim, por quê?
    e por ultimo, gostaria de saber, quem, por que e, quando a igreja evangélica foi criada.
    sinto que aqui terei respostas mais completas, desde já agradeço, abraços

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail