Adoração somente a Deus: há exageros no culto católico a Maria?


RECEBEMOS DE UM LEITOR anônimo, há alguns dias, um questionamento que nos pareceu sincero em sua angústia, pois não é pecado o desejo sincero de compreender as coisas santas, mas sim a pertinácia em duvidar e desafiar, conscientemente, a doutrina salvífica da Igreja. Não se trata de novidade, mas de questão recorrente (outro motivo que a faz merecer satisfação). Segue abaixo a pergunta, seguida de nossa resposta:

Boa tarde. Não quero discutir, quero aprender, pq se ninguém me ensinar não saberei. Estou numa fase de procurar Deus (...) quero entender o que Deus quer de mim.

A minha pergunta é o seguinte. os evangélicos acusam os católicos de adorar Maria, os católicos dizem que não, eu já li várias explicações mas eu fico numa dúvida porque qual é a diferença entre adorar e venerar? Eu não vejo diferença, por exemplo o saltério da virgem Maria é todos os louvores dos salmos feitos pra Deus, só que em vez de rezar pra Deus reza pra Maria, não é isso? Entao, qual a diferença? O católico ajoelha na frente da estátua de Maria, pede pra ela, diz pra ela todos os louvores que na Bíblia diz que pertence somente a Deus e que Deus não divide a sua glória com ninguém - Is 42:8.

Como é que fica? Não quero briga, só quero entender. Vc pode amar Maria mas não pode adorar, só que na prática é a mesma coisa o que os católicos fazem, ou eu estou errado, por favor mostre onde.

[Pedimos encarecidamente aos nossos consulentes que se identifiquem]

Antes de tudo, reproduzo, logo abaixo, o que diz o Catecismo da Igreja Católica a respeito de idolatria, superstição e da adoração exclusiva a Deus. Parece-me que será este um bom começo:

«Não terás outros deuses perante Mim»
O primeiro Mandamento proíbe honrar outros deuses, além do único Senhor que Se revelou ao seu povo: e proíbe a superstição e a irreligião. A superstição representa, de certo modo, um excesso perverso de religião; a irreligião é um vício oposto por defeito à virtude da religião.

A SUPERSTIÇÃO
A superstição é um desvio do sentimento religioso e das práticas que ele impõe. Também pode afetar o culto que prestamos ao verdadeiro Deus: por exemplo, quando atribuímos uma importância de algum modo mágica a certas práticas, aliás legítimas ou necessárias. Atribuir só à materialidade das orações ou aos sinais sacramentais a respectiva eficácia, independentemente das disposições interiores que exigem, é cair na superstição (39).

A IDOLATRIA
O primeiro mandamento condena o politeísmo. Exige do homem que não acredite em outros deuses além de Deus, que não venere outras divindades além da única. A Sagrada Escritura está constantemente a lembrar esta rejeição dos «ídolos, ouro e prata, obra das mãos do homem, que «têm boca e não falam, têm olhos e não vêem...». Estes ídolos vãos tornam vão o homem: «sejam como eles os que os fazem e quantos põem neles a sua confiança» (Sl 115, 4-5.8) (40). Deus, pelo contrário, é o «Deus vivo» (Js 3, 10) (41), que faz viver e intervém na história.

A idolatria não diz respeito apenas aos falsos cultos do paganismo. Continua a ser uma tentação constante para a fé. Ela consiste em divinizar o que não é Deus. Há idolatria desde o momento em que o homem honra e reverencia uma criatura em lugar de Deus (...).


Sua mensagem contém não uma, mas diversas perguntas importantes, anônimo; traz todavia uma questão essencial oculta por trás das palavras ditas, à qual faremos questão de responder. Respondamos objetivamente, primeiro, às perguntas diretas:

1. A devoção mariana é intrínseca ao culto cristão desde sempre. Leia a postagem a seguir para compreender bem este fato: "Pergunta e resposta: Origem da devoção à Santíssima Virgem Maria".

A Santíssima Virgem é, com razão, venerada pelos cristãos com culto especial, de um modo ou de outro, desde que existiu Igreja, e não haveria como ser diferente. Tanto é assim que a Igreja distingue três tipos de culto: o de latria (do grego latreuo), que significa adoração; o de dulia (do grego douleuo), que quer dizer honra, veneração; o de hiperdulia (do grego hyper), que significa acima, mais alto, maior.

• O culto latria (adoração) é prestado única e exclusivamente a Deus. Só Deus pode ser adorado e só Cristo –, Deus feito homem –, é nosso Salvador. O próprio Cristo disse, reafirmando o Mandamento divino imutável, de forma categórica: “Adorarás o Senhor teu Deus e somente a Ele servirás” (Mt 4, 10).

• O culto de dulia é de honra e de veneração, semelhante ao respeito e reverência que, também por Mandamento divino, temos de prestar a nossos pais terrenos. É este o culto que prestamos aos santos e anjos do Céu.

• O culto chamado hiperdulia (hyperdouleuo), prestado exclusivamente à Virgem Maria, é também um culto de honra e de veneração, idêntico ao que prestamos aos santos e santos anjos, porém tem um caráter especial, destacado, mais elevado, pela dignidade incomparável da santíssima Virgem, de quem o Senhor tomou sua carne. Sobre ela, já falamos muito por aqui, e não há como abrir parênteses dentro desta resposta para explicar porque é tão importante. Sugiro uma pesquisa acessando este link.


2. Prostrar-se (ajoelhar) diante de uma imagem é um gesto de adoração? Sobre este assunto específico já tratamos também por aqui. Peço que leia o artigo "Prostrar-se ou ajoelhar-se é adorar?".


3. “Deus não divide sua glória? Aqui está o que poderíamos chamar de falácia protestante clássica. Aos santos, sim, Deus dá da sua glória, e tal fato está soberbamente comprovado pelas sagradas Escrituras, alguns exemplos abaixo:

Dei-lhes a glória que me destes a Mim (diz o Cristo).
(Jo 17,22)

O Senhor Deus é nosso Sol e nosso Escudo, o SENHOR dá a graça e a glória. Ele não recusa seus bens àqueles que caminham na inocência.
(Salmo 83,12/84,11)

Deus predeterminou antes de existir o tempo, para a nossa glória.
(1Cor 2,7)

Os que chamou, também os justificou, e os que justificou, também os glorificou
(Rm 8,30)

Vi outro Anjo descendo do céu, tinha um grande poder e a Terra ficou iluminada com a sua glória.
(Ap 18,1)

Glória, honra e paz para todo aquele que pratica o bem.
(Rm 2,10)

É preciso que nos mantenhamos constantemente atentos, porque há verdadeiros embustes perpetrados por falsificadores da Bíblia Sagrada. Tanto assim, que, há pouco tempo (8/015), os próprios luteranos reconheceram seu erro teológico no que se refere ao uso das imagens sacras. Afinal, alguém além da Igreja Católica fez circular na Imprensa um pedido público de desculpas – desta vez destinada exatamente aos católicos (leia matéria exclusiva – em inglês). Curioso, esta retratação praticamente não foi noticiada, diferente do "banzé" que se fez quando João Paulo II se manifestou com relação aos pecados dos filhos da Igreja em 1999.

Quando lemos a Bíblia é preciso extremo cuidado para não cair na tentação de pinçar, do conjunto da Obra, algumas breves passagens que pareçam indicar alguma coisa. O Livro Sagrado precisa ser lido como um conjunto coeso e harmônico, cujas partes convergem a uma mesma grande verdade sem jamais se contradizer. Sim, Deus divide a sua Glória –, divide, sim senhor –, e com soberba generosidade.


4. Sendo assim, há diferença entre o culto prestado a Deus e aquele prestado à Maria santíssima? Claro e evidente que sim. É necessário dizer que o culto de hiperdulia, que pode ser corretamente traduzido por "grande veneração", não se equipara absolutamente ao culto de adoração. Se houver dúvida sobre isto, basta observar a essência do principal e maior ato de adoração da Igreja Católica: a santa Missa.

O Centro e Auge da Missa não é Maria, e sim Jesus Cristo. Já a Procissão de entrada é realizada com a Cruz de Cristo à frente (e não alguma imagem de Maria). Depois, temos o Ato Penitencial, que é o momento em que a assembleia reunida suplica perdão a Deus-Trindade (e não a Maria). A seguir, no Glória, não é Maria a ser glorificada, mas o mesmo Deus Criador e Salvador. A Liturgia da Palavra também não é a récita do saltério ou de algum louvor mariano, e sim as leituras do Velho e do Novo Testamento, culminando com o Evangelho de Nosso Senhor, precedido de um Salmo de louvor ou ação de graças a Deus (não a Maria). Durante a santa Missa, como parte do rito, é obrigatória a oração do Pai-Nosso, porque ensinada pelo Cristo, mas não se reza a Ave-Maria (a não ser, facultativamente, após a benção final). Antes da Comunhão, reza-se o Cordeiro de Deus, e então vem a Consagração do Pão do Céu, a própria Eucaristia, que para a nossa fé é "o Centro da vida da Igreja" (CIC1343): este, que é o momento máximo da Missa e da vida de piedade e devoção do cristão, é um momento de adoração ao Senhor, e somente a Ele. Por fim, na benção apostólica que conclui os ritos, roga o sacerdote: "O Senhor esteja convosco!" (O Senhor, e não Maria) e a seguir: "Abençoe-vos o Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo", com a seguinte conclusão: "Ide em paz e que o Senhor sempre vos acompanhe!".

* * *

Bastante claro, para qualquer pessoa de boa vontade. Nada disso, entretanto, exclui Maria. Ela, como Rainha do Céu e Mãe da Igreja está sempre presente, inclusive no momento da renovação do Sacrifício do Calvário, sempre de modo especial. Ninguém acompanhou Nosso Senhor como ela, nenhum dos apóstolos, absolutamente ninguém, desde a concepção até a morte pavorosa. Por isso mesmo, muitos católicos pedem a ela que os acompanhe o tempo todo, durante toda a Celebração. Mas esse carinho filial para com a Mãe de Deus não muda o fato de que toda a Celebração da santa Missa é feita "em Cristo, por Cristo e com Cristo", dirigida a Deus Pai, em Comunhão com o Espírito Santo. Sim, podemos rogar pela presença de Maria a todo instante, mas o católico que não concentra todas as suas atenções em Nosso Senhor Jesus Cristo durante o sublime momento da Comunhão está perdido; precisa de ajuda urgente!

É mais do que evidente que não é a Maria que adoramos e nem é a ela que suplicamos pela salvação das nossas almas. Cremos que ela intercede, mas sabemos  que é sempre Cristo Quem concede. Não é o corpo dela que oferecemos a Deus e nem é a ela que pedimos perdão. Também não é do corpo de Maria que somos membros, mas do de Cristo, o nosso (como gostam de dizer os protestantes) "único e suficiente Salvador".

Citamos a Missa porque, como já foi dito e é patente, trata-se do culto cristão católico por excelência. Todavia, indo além, veremos que todos os atos realizados, de modo geral, no culto católico, possuem apenas um único fundamento: adorar e bendizer o Nome santo de Deus. Maria, por vontade do mesmo Deus, tem uma participação ativa importantíssima em todo o culto divino. Cremos que os santos do Céu rezam conosco, e também os anjos de Deus. Assim, Maria está presente, como poderosa intercessora, e cremos que sua presença é um auxílio excelente.

Ainda assim, mesmo nas solenidades de exaltação da Virgem santíssima, todas as orações, ainda que em reverência e homenagem a ela, são, no fundo, sempre dirigidas a Deus. O papa Francisco, em sua visita ao Brasil, rezou assim diante da imagem de Nossa Senhora Aparecida: "Mãe Aparecida, assim como vós, um dia, também eu me sinto hoje diante do vosso e meu Deus, que nos propõe para a vida uma missão...". Por maior que seja a santidade de Maria, e por mais agraciada, assim como nós ela serve a Deus. Quando Nossa Senhora das Graças apareceu a Sta. Catarina Laboré, diante do Altar da capela à Rue du Bac, a santa viu a Mãe de Cristo, toda gloriosa, humildemente ajoelhar-se diante do Santíssimo, assim como nós fazemos (e ainda que tantos de nós, miseráveis pecadores, não o façamos!). Num Mistério de proporções incompreensíveis, o Cristo, seu Filho, que um dia lhe foi submisso, é ao mesmo tempo seu Pai e Senhor.


Cristocentrismo

Aqui entramos, por fim, naquela questão mais importante e oculta que citamos bem no começo deste artigo. Se há um mérito indiscutível do tão polêmico concílio Vaticano II, foi o claro resgate do perpétuo cristocentrismo da fé da Igreja. Houve tempos em que o povo de Deus se perdeu em mil devocionismos ou devocionalismos. O devocionismo é um fruto da ignorância, que por sua vez é o resultado de uma catequese deficiente e que, como funesta consequência final, pode levar à perdição da alma (Os 4,6).

O devocionismo, de fato, atrapalha o verdadeiro relacionamento do fiel católico com Cristo, pois acaba por lhe tomar todo o seu tempo de oração, desviando o foco de suas atenções. Preciso deixar aqui o meu próprio testemunho, de ter conhecido mais de uma pessoa que simplesmente dizia "não conseguir" falar diretamente a Jesus Cristo, mas somente a Maria(!), simplesmente por hábito, por um costume enraizado desde a infância. Bem, há algo errado aí, e muito errado. Parece ter-se recriado a ideia (pagã, na realidade) de que Deus esteja muito alto, distante, completamente inacessível, sendo muito santo, logo muito severo, temível e irascível, e assim, se não for por meio dos santos, humanos como nós, não é possível nenhum contato. Mas, ora, foi exatamente por isso que Deus se fez homem, sofreu todas as piores dores e se entregou em Sacrifício pelo nosso bem! Por amor, e um amor incomparável! Para ter intimidade conosco! É exatamente aí que está a grande novidade, a maravilhosa Boa Nova, o inédito do cristianismo!

Este Deus-homem plenamente amoroso é nosso doce Bom Pastor, manso e humilde de Coração, e é o mesmo que diz: "Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada" (Jo 14,23). É o mesmo Deus que nos disse: "Haverá mãe que possa esquecer o seu bebê, que ainda mama, e não ter compaixão do filho que gerou? Contudo, ainda que ela se esquecesse, Eu jamais me esquecerei de ti!" (Is 49,15). Deus quer intimidade conosco! Cristo bate à porta, ansioso para cear conosco! E nós, negligenciaremos tal Amor? Dispensaremos a intimidade com Ele?


Uma coisa, uma coisa; outra coisa, outra coisa

Chegamos assim à conclusão de todas as considerações expostas até aqui. Na doutrina cristã e católica autêntica, Jesus Cristo é e sempre foi o Centro, o Alfa e o Ômega de todas as devoções, de todo o amor e de toda a fé, ainda que os santos de Deus, especialmente a santíssima Virgem Maria – Refúgio dos pecadores, Porta do Céu, Tabernáculo da Nova e Eterna Aliança – sejam excelentes auxílios para cada um de nós. O fato de a Igreja ter, desde sempre, cultuado com especial veneração Maria Santíssima, além de ter honrado, inspirado-se e pedido a cooperação dos Santos e Mártires de Deus, não significa, de modo algum, trair o cristocentrismo do culto exclusivo a Deus, por um motivo muito simples: toda devoção aos santos tem por objetivo o louvor e a adoração de Deus, em primeiro lugar, e de nos aproximar d'Ele. Eis a chave, a solução de todo dilema que parece entravar a devoção a Nossa Senhora.

Assim, quando você pergunta: "Qual a diferença" entre "hipervenerar" e adorar, se dizemos que adoramos somente a Deus, mas rezamos os louvores dos Salmos, que foram compostos como hinos de exclusiva adoração a Deus, em homenagem a Maria? Esta seria –, sem dúvida e sem nenhum traço de hipocrisia eu o reconheço –, uma pergunta difícil, talvez mesmo um problema sem solução e a prova definitiva da "idolatria" dos católicos, se não fosse este "pequeno detalhe": toda a devoção mariana (assim como quaisquer outras devoções) se apoia e se dirige, no fim e ao cabo, a Deus, que a quis honrar. Aí está a diferença. Todo e qualquer louvor que eu oferecer a Mãe de Deus (lembrando que foi Deus mesmo Quem a chamou assim, pela boca de Isabel) será, por trás de cada palavra, louvor a Deus, que a cumulou de tanta e tão incomparável Graça.

Gostaria de uma resposta do consulente, para saber se consegue entender isto, e se o entende profundamente. Por enquanto, muito obrigado pela oportunidade de entrar em águas tão profundas e –, humildemente espero eu, ancorado na Sã Doutrina da Igreja de Cristo –, ter ajudado a aclarar um tema difícil.

** Leia a segunda parte deste estudo
ofielcatolico.com.br

36 comentários:

  1. Estou no processo de estudo das doutrinas da Igreja Católica também e o artigo ajudou bastante, já fui protestante e vi várias incoerências na sua teologia, não vejo lógica no sola scriptura.

    A minha questão com relação a devoção é por conta dos fieis da Igreja, não seria um linha muito tênue entre a adoração e veneração? Não sei se na igreja católica os padres orientam sobre isso, mas fico pensando nos fieis mais simples, as vezes vejo na tv alguns falarem que tal santo o curou, por exemplo, sendo que o santo faz uma intercessão mas em si próprio não tem poder de curar.

    Outra questão que gostaria que Henrique ou algum católico aqui possa me responder é sobre a veneração a nossa senhora aparecida, me parece que alguns católicos acham que aquela imagem em si tem algum "poder" digamos assim. Como funciona isso? Eu não consigo entender ainda essa história, fizeram uma capela para a imagem e ali começaram uma devoção a ela. Será que os fieis sabiam separar a imagem encontrada no rio da veneração a verdadeira Maria mãe de Deus?

    Ressaltando que eu já entendo a questão das imagens, não acho que seja idolatria. Minha dúvida é com relação a venerar uma imagem em particular como a da nossa senhora de aparecida. Se alguém puder me ajudar fico agradecido. Estou na busca pela verdade e esse site tem me ajudado muito. Dou os parabéns ao Henrique pelo belo trabalho que tem feito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entendo o que você diz anônimo pois estou com esse mesmo problema, mas por enquanto o melhor é compreender que a ICAR nunca disse em momento algum que santo faz milagres ou que devemos adorá-los. Primeiramente devemos entender individualmente isso e depois ajudar os outros para que eles compreendam também.
      Tenha um bom dia!

      Excluir
  2. Amigo.Também já fui ,por um pequeno periodo, protestante.Mas percebi ,como vc disse, que a Sola Scriptura deixa muitas lacunas. Comecei a procurar conhecimento e descobri muitas respostas concretas na Igreja Católica. Respostas que antes como um católico frio nunca procurei.
    Resumindo, encontrei além desse expetacular apostolado,que me concebeu num verdadeiro católico, o site Ultimas Misericórdias.
    Lá vc encontrará as histórias das aparições Marianas ,Nossa Senhora das Graças , Lurdes,La Salete,Fátima, Guagalupe,etc.
    São realmente impressionantes e ajudará vc a entender o desejo de Deus em exaltar Maria.
    Quanto as pessoas que agradecem aos Santos ou a Nossa Senhora Aparecida como se esses lhes tivessem concedido a graça e não Deus, também me perturbava. Mas percebi que tudo é uma questão de conhecimento. As paróquias, pelo menos as que eu frequento, tem se esforçado em esclarecer aos fieis o entendimento de que a graça vem de Deus e que o santo é apenas o intercessor.Não podemos nos guiar pelos outros e sim termos a certeza de que buscamos o conhecimento correto para entendermos tudo corretamente e assim incentivar e esclarecer aos nossos irmãos católicos que o conhecimento está ao alcance de todos.Hoje estou muito feliz por ser um católico vivo.Que adora a Deus Pai Filho e Espírito Santo, e ama imensamente nossa mãe Maria e se inspira na vida e no martírio dos Santos,que nos mostra com seus exemplos de vida ,que a santidade é possível a todos.
    Fica em paz anonimo.E desde já um abraço de seu irmão que te ama em Cristo Jesus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também penso assim, mas a questão de intercessão não fecha quando lemos 1Timóteo 2:

      1 Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens;

      2 pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranqüila e pacífica, com toda a piedade e dignidade.

      3 Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador,

      4 que deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade.

      5 Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus,

      6 o qual se entregou a si mesmo como resgate por todos. Esse foi o testemunho dado em seu próprio tempo.

      7 Para isso fui designado pregador e apóstolo mestre da verdadeira fé aos gentios. Digo-lhes a verdade, não minto.

      Se alguém puder, explique um pouco mais sobre está passagem de Timóteo

      Sinceramente, existe muito sincretismo religioso, principalmente nos nossos parentes antigos, até acho, que isso foi criado numa tentativa de facilitar a propagação da religião cristã, mas não é isso que as Sagradas Escrituras nos ensina. Tenho lido bastantes posts e comentários aqui, o que vai nos auxiliando a compreender ainda mais o caminho a seguir!

      Excluir
    2. Esta passagem não está colocando JESUS como sendo nosso único intercessor, porque intercessores em CRISTO todos nós somos, todos devemos orar uns pelos outros, tanto que São Paulo começa esta passagem justamente para que oremos por todas as pessoas, veja:

      "1 Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens;

      2 pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranqüila e pacífica, com toda a piedade e dignidade.

      3 Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador,

      4 que deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade."

      O fato nesta passagem, São Paulo colocar JESUS como nosso único mediador entre DEUS e os homens, é devido de ELE ser nosso único Salvador, que é a única fonte de reconciliação entre DEUS e os homem, através de sua entrega por nós na cruz, e isto fica bem claro nas passagens seguinte:
      "5 Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus,

      6 o qual se entregou a si mesmo como resgate por todos. Esse foi o testemunho dado em seu próprio tempo."

      A carta aos Hebreus é mais contundente ainda sobre isto:


      Por isso ele é mediador do novo testamento. Pela sua morte expiou os pecados cometidos no decorrer do primeiro testamento, para que os eleitos recebam a herança eterna que lhes foi prometida. (Hebreus 9, 15)




      enfim, de Jesus, o mediador da Nova Aliança, e do sangue da aspersão, que fala com mais eloqüência que o sangue de Abel. (Hebreus 12, 24)

      Sidnei


      Excluir
  3. Como explicou o ex pastor protestante, Scott Hans, em seu livro intitulado no Brasil como Todos os Caminhos Levam a Roma:
    "Os protestantes definem a adoração em termos de cantos, louvores e pregações. Assim quando os católicos cantam a Maria, lhe dirigem súplicas através da oração e pregam sobre ela, os protestantes interpretam que está sendo adorada. Mas os católicos definem a adoração como o sacrifício do sangue e do corpo de Jesus, e nao nunca ofereceriam um sacrifício de Maria ou a Maria sobre o altar. "

    Esse livro e outros dele são maravilhosos e recomendadíssimos.
    E por fim recomendo também que ouça Adorote Devote de S. Tomás de Aquino.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Please irmã Anne, como posso ter acesso ao Adorote Devote de São Tomás de Aquino?

      Excluir
    2. Anne,

      Já li esse livro, mas não me recordava dessa explicação. Muito interessante mesmo!

      Excluir
    3. Alcidio Tsenane,

      No ano 1264 o Papa Urbano IV promulgou a bula “Transiturus” com a qual instaurou para toda a Cristandade a Festa de Corpus Christi, numa época em que os cátaros – hereges que negavam o Sacramento da Eucaristia – ameaçavam a Igreja tão seriamente quanto hoje o fazem os adeptos da "teologia" da libertação. O Papa pediu, então, a Santo Tomás de Aquino ('só' ele) que compusesse o ofício de Corpus Christi.

      Uma das orações compostas pelo Doutor Angélico foi este belíssimo “Adoro Te Devote”. Eu não conheço hino mais belo e que me mova mais do que este, quanto entoado à hora da preciosa Comunhão. Letra e tradução abaixo :

      1.Adoro te devote, latens Deitas,
      Quae sub his figúris vere látitas
      Tíbi se cor méum tótum súbjicit
      Quia te contémplans tótum déficit.

      2.Vísus, táctus, gústus in te fállitur,
      Sed audítu sólo tuto creditur
      Credo quídquid díxit Dei Fílius
      Nil hoc verbo veritátis vérius.

      3.In crúce latébat sola Deitas,
      At hic látet simul et humánitas
      Ambo tamen crédens atque cónfitens,
      Péto quod petívit látro paénitens.

      4.Plagas, sicut Thomas, non intúeor
      Déus tamen méum te confíteor
      Fac me tíbi semper magis crédere,
      In te spem habére, te dilígere.

      5.O memoriále mórtis Dómini,
      Pánis vívus vítam praéstans hómini,
      Praésta méae ménti de te vívere,
      Et te ílli semper dulce sápere.

      6.Pie pellicáne Jésu Domine,
      Me immundum munda túo sánguine,
      Cújus una stílla sálvum fácere
      Tótum múndum quit ab ómni scélere.

      7.Jesu, quem velátum nunc aspício,
      Oro fiat illud quod tam sítio
      Ut te reveláta cérnens fácie,
      Vísu sim beátus túae glóriae. Amem.


      1.Eu vos adoro devotamente, ó Divindade escondida,
      Que verdadeiramente oculta-se sob estas aparências,
      A Vós, meu coração submete-se todo por inteiro,
      Porque, vos contemplando, tudo desfalece.

      2.A vista, o tato, o gosto falham com relação a Vós
      Mas, somente em vos ouvir em tudo creio.
      Creio em tudo aquilo que disse o Filho de Deus,
      Nada mais verdadeiro que esta Palavra de Verdade.

      3.Na cruz, estava oculta somente a vossa Divindade,
      Mas aqui, oculta-se também a vossa Humanidade.
      Eu, contudo, crendo e professando ambas,
      Peço aquilo que pediu o ladrão arrependido.

      4.Não vejo, como Tomé, as vossas chagas
      Entretanto, vos confesso meu Senhor e meu Deus
      Faça que eu sempre creia mais em Vós,
      Em vós esperar e vos amar.

      5.Ó memorial da morte do Senhor,
      Pão vivo que dá vida aos homens,
      Faça que minha alma viva de Vós,
      E que à ela seja sempre doce este saber.

      6.Senhor Jesus, bondoso pelicano,
      Lava-me, eu que sou imundo, em teu sangue
      Pois que uma única gota faz salvar
      Todo o mundo e apagar todo pecado.

      7.Ó Jesus, que velado agora vejo
      Peço que se realize aquilo que tanto desejo
      Que eu veja claramente vossa face revelada
      Que eu seja feliz contemplando a vossa glória. Amem

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    4. Como Henrique disse, esse hino é belíssimo.
      E muito interessante, nao sabia que S. Tomas de Aquino havia composto por essa ocasiao.

      Alcidio você pode encontrar esse hino no Youtube, é só pesquisar " Adorote Devote" que já aparece alguns.

      Excluir
  4. Muito bom dia.
    Concordo com o primeiro comentário do Anónimo. Penso ser dificil definir a tal linha de separação entre devoção e adoração!
    Permitam-me dar o meu testemunho. Cresci Catolico, porem nos meus 20 anos converti-me à fé Evangelica. Após isso e durante 5 anos aprendi muito acerca da Fé Cristã. Neste tempo aprendi fundamentos básicos que até então nunca me tinha apercebido e aprendido como deve ser quando era Catolico. Apesar disso acabei por me afastar da Igreja Evangelica e já lá vão vários anos, mas sempre senti desejo e vontade de estar bem com Deus.
    Por causa desse desejo, faz uns meses que tenho ido à Missa semanalmente retornando aos poucos à Fé e ensinamentos Catolicos.

    Tenho de concordar que um dos pontos fortes a nivel de divisão entre Catolicos e Evangelicos é o culto a Maria e aos Santos. E para mim continua a ser um ponto de incerteza!

    Em primeiro lugar, penso que os Evangelicos criticam o culto Mariano pois parece que Maria é colocada acima de Jesus. Se me permitir, recordo-me quando eu era criança (antes de fazer a 1ª Comunhão com 9 anos) e de entrar na Igreja Catolica e ver mais pessoas a rezarem a uma imagem de Maria do que a uma de Jesus. Nesta idade ao ver isto e na minha inocência houve alturas em que achei que Maria tinha mais importância que Jesus tambem por causa do terço, ou seja, porque se rezáva em maior quantidade o Avé Maria que o Pai Nosso, Maria seria mais importante (falo na minha inocência daquela idade).

    O vosso artigo está muito bem escrito e explicado mas mesmo assim na minha opinião penso que é complicado para o comum Cristão leigo fazer a separação "mental" de adoração e veneração mencionada nos 3 tipos de cultos descritos. Sempre achei que a fé deveria ser simples e a mensagem de Jesus é simples! Alias Pedro (o primeiro Papa) era um pescador, alguem muito simples. Mas quando vejo que existem 3 tipos de cultos (latria, dulia e hiperdulia) e que num temos de ter adoração a Deus, noutro veneração e noutro algo diferente, fico baralhado (sem querer ofender, pois pretendo aprender).

    Pois, se Cristo é o centro (como acima escreve) porque então devemos ou podemos venerar Maria e os Santos? Não poderemos estar a incorrer "nos mil devocionismos" tal como tambem Paulo escreveu em suas cartas: "Eu sou de Paulo, eu sou de Cefas, eu sou de Cristo". Pelos vistos no inicio da Igreja ja havia este tipo de divisão! E se a Missa é centrada em Deus, Jesus e Espirito Santo porque devemos procurar "algo" mais fora do padrão da Missa a nível de devoção?

    Acredito que podemos aprender com Maria e os Santos, pois sao exemplos de fé concretos e vidas reais com uma entrega a Deus a 100%. E, que na Igreja podem haver reuniões focados a estudar e a meditar na vida e feitos de Maria e dos Santos, mas daí a haver cultos de devoção que podem incorrer em "idolatria" (como escreve no texto em como já houve no passado) parece ser grave.

    Agradecido por poder deixar a minha opinião. Tenho apreciado muito ler os vossos artigos. Muito obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que é adoração?

      E por que só os católicos são acusados de idolatria?
      E a idolatria ao dinheiro que é feita em muitos cultos protestantes. Teve culto até que o pastor entrou com seu carro no meio da igreja para os fiéis passarem a mão.
      E as súplicas que são dirigidas aos pastores, os lencinhos molhados de suor que são distribuídos? Os óleos, os sabonetinhos, a "arca da aliança" sendo tocada com devoção?
      Isso é fácil separar como sendo uma adoração ou não, não é verdade?!

      Ai alguns dirão: "ah mas eu não vou a igreja, eu mesmo leio a minha bíblia e faço minhas orações em casa". Tá certo. Isso não seria adoração do seu ego? " eu sou auto suficiente, eu interpreto a bíblia do meu jeito, eu não preciso confessar meu pecados ao sacerdote, não preciso de eucaristia, nem nada".
      Pra mim isso sim é uma linha muito tênue.

      Mas, idólatras somos nós católicos, não é mesmo?

      Deve-se ter em mente que a Igreja Catolica possui 2 mil anos. Não é porque muitos católicos já há algum tempo não tenham uma boa catequese e nem procuram estudar a doutrina, que sempre foi assim. Nada melhor do que estudar a Patrística, procurem saber como eram os primeiros cristãos dos primeiros séculos e verão se eles pensavam iguais aos católicos ou iguais aos protestantes.

      Só para concluir, fico feliz em vocês buscarem conhecer e entender. Isso já é motivo de alegria.

      Que Deus abençoe a todos que buscam a Verdade.

      Excluir
    2. “Penso ser dificil definir a tal linha de separação entre devoção e adoração!”
      Não há nada de difícil nisto tudo, somente para os que não querem aprender mesmo, pois adoração somente devida a DEUS, reconhecendo que somente ELE é nosso criador e redentor, enquanto os Santos reconhecemos como nossos irmãos na fé são exemplos a serem seguidos na fé em JESUS CRISTO. Será que é difícil compreender isto?.

      “Em primeiro lugar, penso que os Evangelicos criticam o culto Mariano pois parece que Maria é colocada acima de Jesus. Se me permitir, recordo-me quando eu era criança (antes de fazer a 1ª Comunhão com 9 anos) e de entrar na Igreja Catolica e ver mais pessoas a rezarem a uma imagem de Maria do que a uma de Jesus.”
      Claro, iam diante da imagem de Maria para pedir a intercessão dela, aonde esta errado isto?, e se as pessoas vão pedir a intercessão de Maria, quer diante de uma imagem dela ou não, é fato que ela intercederá por nós a alguém muito superior a ela, que é seu filho JESUS CRISTO, ou a DEUS PAI em nome de seu filho JESUS.

      “Nesta idade ao ver isto e na minha inocência houve alturas em que achei que Maria tinha mais importância que Jesus tambem por causa do terço, ou seja, porque se rezáva em maior quantidade o Avé Maria que o Pai Nosso, Maria seria mais importante (falo na minha inocência daquela idade).”
      Há esta falsa impressão que no rosário se reza mais a Maria do que a JESUS a DEUS PAI, mas vejam, o rosário começa com o credo apostólico, meditas os mistérios que envolveram CRISTO e Maria, no final de cada dezenas da Ave Maria, se recita o Gloria ao PAI, o FILHO e ao ESPÍRITO SANTO, e dentro de cada Ave Maria o SENHOR é citado 4 vezes, 3 explicitamente e uma implicitamente, vejamos: “Ave Maria cheia de graça o SENHOR é convosco, bendita sois voz entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre JESUS. Santa Maria mãe de DEUS, rogai (aqui DEUS PAI, NOSSO SENHOR JESUS CRITOS, entra implicitamente, pois se pedimos para que Maria rogue por nós, ela somente rogará a alguém infinitamente superior a ela, que só pode ser DEUS PAI e JESUS CRISTO), por nós pecadores agora e na hora de nossa morte Amém!”
      Como na inocência da idade e pela pouca instrução que havia, se acreditava que Maria era superior a JESUS, hoje não há mais desculpas, hoje se sabe muito bem o lugar que Maria ocupa que é acima de nós mas abaixo de DEUS, e assim deve ser ensinado as crianças, já que se hoje sabemos mais como no passado, seria irresponsável de nossa parte vir com desculpas que se na minha infância pensava assim, hoje as criança devem pensar do mesmo jeito, pensarão, se não tiver um adulto que se souber as coisas como são, não ensinarem direito, e a culpa de alguém não aprender as coisas como são e levarem tais conceitos errôneos da fase infantil para a fase adulta, será totalmente de quem deveria ter ensinado as coisas da fé como são e não fez, este o grau de culpa será maior do que aquele que vive na ignorância.

      Continua

      Excluir
    3. “O vosso artigo está muito bem escrito e explicado mas mesmo assim na minha opinião penso que é complicado para o comum Cristão leigo fazer a separação "mental" de adoração e veneração mencionada nos 3 tipos de cultos descritos.”
      Dessa maneira parece taxar todo mundo de ignorante, como se ninguém pudesse separar água do vinho, faca com vaca e o preto do branco. Tudo é questão de ensinar, eu sei que há pessoas que são um pouco lentas em compreender algumas coisas, mas a maioria compreende, e até pessoas simples e iletradas quando querem aprender e compreender alguma coisa, captam na hora as diferenças existente entre uma coisa e outra, tudo é questão de querer e poder, agora, querer generalizar tudo, como se todos fosse estúpidos, idiotas e ignorantes a ponto de não poderem fazer a distinção entre adorar e venerar aí está generalizando a todos como tais.

      “Sempre achei que a fé deveria ser simples e a mensagem de Jesus é simples! Alias Pedro (o primeiro Papa) era um pescador, alguem muito simples. Mas quando vejo que existem 3 tipos de cultos (latria, dulia e hiperdulia) e que num temos de ter adoração a Deus, noutro veneração e noutro algo diferente, fico baralhado (sem querer ofender, pois pretendo aprender).”
      Então desembaralhe e aprenda, pessoas mais simplórias que nós, que viveram na enxada e nunca sentaram diante de um computador aprenderam, porque nós que temos estudos, que temos acesso a inúmeras tecnologias não aprenderemos?.
      “Pois, se Cristo é o centro (como acima escreve) porque então devemos ou podemos venerar Maria e os Santos?”
      Porque é um dever dos cristãos honrarmos uns aos outros e honrar aqueles que devemos dar a honra que é devida a cada um, isto não é eu que digo mas São Paulo quem disse: “Pagai a cada um o que lhe compete: o imposto, a quem deveis o imposto; o tributo, a quem deveis o tributo; o temor e o respeito, a quem deveis o temor e o respeito.”, veja como era o respeito, a honra que se davam as pessoas santas e ilustres nas Sagradas Escrituras a ponto de se curvarem até o chão em sinal de respeito e reverência a tais pessoas, e a Maria e ao Santos não devemos tributar coisa alguma?, justo eles que são os heróis da fé, que nos servem de exemplo no seguimente na fé em JESUS CRISTO, vamos os depresar como caes sarnentos, só porque existem os ignroantes que não sabem fazer distinção ente adorar e venerar ou hajam que tudo isto é a mesma coisa, como são os evangélicos que hajam que honrar Maria já é um ato de idolatria, sendo assinm os primeiros que idolatraram Maria foram o Anjo Gabriel que a saudou como: “Cheia de graça o SENHOR é contigo” e Santa Izabel que a saudou dizendo: “Bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre”.
      “Não poderemos estar a incorrer "nos mil devocionismos" tal como tambem Paulo escreveu em suas cartas: "Eu sou de Paulo, eu sou de Cefas, eu sou de Cristo". Pelos vistos no inicio da Igreja ja havia este tipo de divisão!”
      A divisão que havia na Igreja de Corinto não tinha nada haver com devocionismos. As devoções aos Santos são alimentos espirituais que os fieis estão livres de exercer, não obrigados, mas se exercerem estarão obrigados também a se aprofundarem nos ensinamentos da fé da Igreja, pois ficar somente nos devocionismos está errado, não adianta nada seguir inúmeras devoções, e não ter conhecimentos da fé católica, ou ignorá-las completamente, nisto as devoções não terão valor algum. Porém tirando os exageros das devoções, a veneração a Maria e aos Santos não é para fazer partidários preferenciais de um ou de outro santo, mas tal veneração deverá ser para unirmos mais ainda em torno da pessoa de JESUS, pois os Santos como exemplos a serem seguido na fé em JESUS CRISTO, devem venerados recebendo a devida honra por serem testemunhas do amor a CRISTO e aos irmãos, e portanto fonte de união entre todos os cristãos, pois todos eles tiveram um objetivo comum, mesmo tendo vidas completamente diferentes, mas todos tiveram, um só SENHOR, uma só fé e um só batismo.

      Continua

      Excluir
    4. “E se a Missa é centrada em Deus, Jesus e Espirito Santo porque devemos procurar "algo" mais fora do padrão da Missa a nível de devoção?”
      Qual seria então nossa atitude diante de nossos irmãos na fé, que nos servem de exemplos na fé e nos seguimento a JESUS CRISTO?, o de desprezo?, o da irrelevância?, de ignora-los totalmente. Se neste mundo fazemos estatuas, há feriados em sinal de homenagens a heróis da pátria, e fazemos culto até a bandeira nacional, porque não aos heróis da fé. Então para quem não é religioso, pode se fazer homenagens e demonstração de honra e respeito público, póstumos, que não incorrerá em idolatria, mas se for uma pessoas religiosa, aí não, pois pode ser que esteja incorrendo idolatria, não há um contracenso nisto não?.
      “Acredito que podemos aprender com Maria e os Santos, pois sao exemplos de fé concretos e vidas reais com uma entrega a Deus a 100%. E, que na Igreja podem haver reuniões focados a estudar e a meditar na vida e feitos de Maria e dos Santos, mas daí a haver cultos de devoção que podem incorrer em "idolatria" (como escreve no texto em como já houve no passado) parece ser grave.”
      Grave é o fato que há subsídios aos montes que deixam claro as diferenças existente entre uma coisa e outra e a pessoa teima em querer viver achando que tudo é a mesma coisa, aí não tem ninguém que de jeito nisto. E o que houve no passado de errado?, a Igreja alguma vez ensinou que devemos adorar a Maria aos Anjos e aos Santos?, tem algum documento da Igreja que escreve explicita ou implicitamente isto?. Se houve algum erro, foi daqueles que deveriam ensinar ao povo e não ensinaram, as pessoas que quando tinham aqueles que ensinavam, acabaram ignorando a estes, e aqueles que para colocar mais lenha na fogueira, diziam que tudo estava errado, que tudo era idolatria, aí somente DEUS, para julgar a todos estes e dar a cada um segundo a proporção da gravidade em que cada um se afundou. Resta saber em que estado se encontramos, daqueles que sabem, e não ensinam, que não esclarecem a ninguém sobre tudo, aqueles que nada sabem e vivem na ignorância (exemplo: padres, catequistas, católicos mais esclarecidos, que ficam calados quando escutam um católico dizer algo contrário da doutrina da Igreja, em que deveriam esclarecer que tal conceito está errado e ficam calados como se fossem uma múmias, que não vê, não falam e nem escutam), daqueles que nada sabem, mas que há aqueles que ensinam, mas desprezamos a todos pois preferimos viver na ignorância do que se aprofundar em algum conhecimento (exemplo de ex católicos que diziam se católicos praticante, mas eram apensas católicos devocionistas que vivam em suas devoções mas não queriam nem saber em conhecer a fundo a doutrina católica quando que subsídios não faltavam para este fim), ou daqueles que hajam que não há diferença alguma entre adoração e veneração, alhos com bugalhos e fazem o maior barulho dizendo que tudo é idolatria (exemplo os evangélicos iconoclastas que adoram atacar a Igreja Católica o tempo inteiro, e se pudessem, destruiriam todas as imagens do mundo desde o CRISTO REDENTOR no Rio de Janeiro a estátua da Liberdade em Nova Iorque)

      Sidnei

      Excluir
    5. Caro Anne e Sidnei,
      Obrigado a ambos pelas vossas respostas e pelo vosso tempo.

      Cara Anne. Dou-lhe toda a razão! A idolatria tambem é em relação ao dinheiro e sim, isso tambem se aplica ao meio Evangelico que pratica isto!
      Eu não acusei os Catolicos de serem idolatras. O proprio texto original dizia o seguinte "Houve tempos em que o povo de Deus se perdeu em mil devocionismos ou devocionalismos". Entenda que eu tambem neste momento estou a recomeçar a minha caminhada como Catolico. Contudo como tenho um passado de doutrina evangelica ainda me encontro num processo de organizar a ideias internamente e a tomar consciência daquilo que é a verdadeira Fé. Isto é um processo. Neste momento estou a acabar de ler o Catecismo mas ainda não li nada sobre os primeiros Cristãos.

      Caro Sidnei. Obrigado pela resposta longa e explicativa. Contudo para ser honesto (e não me leve a mal) continuo a não perceber ou a aceitar a devoção a Maria e aos Santos.
      Se me permitir vou dar um exemplo, no meu país existe uma devoção muito grande a Fátima. No 13 de Maio há um ajuntamente de pessoas que não tem fim. Se calhar na sua maioria são pessoas que raramente vão à Missa, mas quando é este dia vai tudo lá. Neste casos parece que a devoção toma um papel mais importante do que ida semanal à Missa onde se faz a adoração a Deus. E há mais vozes mesmo no mundo Católico (estou a falar de Padres) que não são favoraveis à veneração de Fátima.
      Claro, que para mim o não perceber e aceitar ainda a devoção a Maria e aos Santos se deve a uma "herança" que trago da igreja evangelica. Para tal tenho lido bastante este site no sentido de entender. E vejo que há muitas pessoas que têm a mesma duvida que eu. Um dia irei encontrar a resposta mas fico desde já agradecido pela sua resposta.

      Com amizade.

      Excluir
    6. Rui sou devoto de Nossa Senhora de Fátima, e não tenho problema algum com isto, pois entre as devoções marianas preferidas a de Nossa Senhora de Fátima esta entre as mais queridas por mim.

      Que bom que há pessoas que vão a Fátima e pelo menos alguma vez participam da Santa Missa, veja como a mãe chama seus filhos para se assentarem a mesa eucarística a fim de receberem JESUS no pão da Palavra e no pão da eucaristia. Enquanto você haja estranho este devocionismo todo em torno de Maria, eu ao contrário acredito que tal oportunidade, se houver padres bem dispostos, será a chance de fazerem todos conhecerem JESUS CRISTO e a doutrina da Igreja. É claro que isto dependerá da boa vontade dos padres e de todos os envolvidos na catequese no santuário de Fátima, bem como a boa vontade da população em acolher a sã doutrina, pois como coloquei acima, se não houver pessoas bem dispostas em acolher a sã doutrina, por se acharem auto suficientes com seus devocionismo, tal devoção não servirá para nada.

      Com relação as devoções, você não querer aceitar a devoção a Nossa Senhora de Fátima, crer nas aparições aos três pastorinhos em 13/05/1917, isto você está livre em aceitar ou não, a Igreja Católica não obriga a ninguém aceitar qualquer devoção mariana que provenha de alguma aparição como foi em Fátima, Lourdes, Guadalupe, e por aí afora, isto cai dentro do livre exercício da fé de cada um, pois tais aparições não são doutrinas dogmáticas em que o católico está obrigado a crer, porém, a veneração a Maria esta o católico esta obrigado a ter com Maria, haja vista que ela sendo a mãe de CRISTO, a mãe de DEUS, é dever de todo católico honra-la e te-la como mãe pois foi o próprio JESUS que a nos deu como mãe no alto da cruz, na pessoa do Apóstolo São João, o qual representava a cada um de nós dizendo que ela era nossa mãe e nós seus filhos.

      Sidnei

      Excluir
    7. Rui não me referia especificamente a você, apesar da resposta ter sido para você, mas me referia aos protestantes em geral. Para eles as devoções dos católicos são idolatrias porém no meio deles há diversas situações como expliquei que é considerado "normal". Por exemplo, eu mesma já vi uma senhora dita evangélica guardar dentro de sua bolsa um lencinho pego numa certa igreja aqui dizendo que iria curá-la.

      E como também havia dito no meu outro comentário, a maior idolatria hoje em dia é ao dinheiro. E isso no meio protestante tem ao monte, mas eles vão implicar com nossas devoções, devoções feita pela única Igreja que Jesus Cristo deixou aqui na terra.

      Quanto a Fátima, acredito que o número de pessoas se dar por em Fátima ter ocorrido uma das mais importantes aparições de Nossa Senhora, é normal que haja peregrinos de todos as partes de Portugal e do mundo, e entre eles muitos turistas e curiosos. Eu mesma se Deus quiser um dia irei visitar esse lugar tão especial.

      Deus abençoe.

      Excluir
    8. Anne meu apelido, Thacianne meu nome.

      Excluir
  5. Aqui Alcídio de Moçambique. Muitos Parabéns para este apostolado. Há dois anos que ando aqui. Já imprimi dezenas de temas que transformaram minha fé, minha relação com Desus e com a Igreja. Muito obrigado. Em Moçambique existe poucos esclarecimentos sobre temos polêmicos como sobre Maria e Imagens. Não sei se o povo simples consegue entender o verdadeiro culto devido a Maria. Parece que pode em alguns casos haver exageros por causa da ignorância e falta de quem ensine o povo. De facto, imagem é apenas uma representação que nos ajuda na imaginação e concentração.Não é a imagem em sim porque ela não pensa,não fala, não pensa, não ajuda em nada senão nós nos rientarmos por ela. Não devemos exagerar.

    ResponderExcluir
  6. Alguém saberia me dizer o que os protestantes entendem que é 'adoração'?

    ResponderExcluir
  7. Olá Henrique. Creio que este tema mereça mais explanação em razão das duvidas levantadas nos comentários. Acho que seria adequado falar um pouco mais de um ponto determinante para a compreensao da distinção entre adoração (latria) e veneração (dulia): a questão do sacrifício. Também desejo deixar meu dois centavos para tentar ajudar os irmaos compreenderem a questao da dulia e latria, dentro das minhas limitacoes, claro.

    Em primeiro lugar é preciso dizer que venerar e adorar, ainda que aparecam nos dicionarios de Lingua Portuguesa como sinonimos, de fato nao o sao. Não é, como o colega nos comentários afirmou, uma questão de se inventar termos para se complicar as coisas (em oposição a uma simplicidade do evangelho), mas sim de definir cada coisa em sua especificidade. Dulia e Latria sao termos diferentes que definem posturas e acoes diferentes.

    É natural que nós tenhamos hoje dificuldade em compreender o conceito de dulia, visto que a sociedade ocidental moderna, e aqui destaco o nosso Brasil, é uma sociedade profundamente IRREVERENTE, ou seja, não presta reverencia a nada.

    Com certeza para os homens da antiguidade este conceito era mais facilmente compreendido, visto que a reverencia era ordenadora de suas vidas. Prestava-se reverencia aos seus ancioes, seus superiores, seus reis, seus sacerdotes e etc.

    Pois bem, dulia, veneração, nada mais é que reverência, deferencia, dar tratamento respeitoso. A "bênça" que somos ensinados criancas a pedir a nossos pais, ou comos se ensinava que não se sentava a mesa antes do nosso pai, o melhor quarto reservado para os nossos avos quando vinham nos visitar. Ou ainda quando em um tribunal todos são obrigados a levantar quando entra o magistrado que irá presidir o julgamento, e a silenciar frente ao comando de ordem deste. Ou todo o protocolo e cerimonia para receber e tratar presidentes e diplomatas. Todos esses são exemplos simples de dulia.

    Mas para ficar mais claro, cito o que é creio provavelmente um dos ultimos redutos do mundo moderno onde se observa claramente o que é dulia: a vida militar. O militar deve sempre prestar continencia ao passar por um superior, e caso seja o seu comandante geral, deve parar, e em posicao de sentido prestar continencia ate que o seu comandante passe por ele, para entao continuar seu caminho. Ao ser entoado o hino nacional o militar deve adotar a posicao de sentido e voltar-se para a direção onde esta a origem do som, o mesmo no hasteamento da bandeira nacional. No cuidado com a bandeira e simbolos nacionais tambem se explicita claramente o que é dulia: a bandeira nunca pode tocar o chao e alem disso, quando já deterioada não se pode simplesmente joga-la fora ou faze-la de peca de roupa ou pano de chao, ela deve ser queimada em uma cerimonia especifica que acontece 1 vez ao ano. E ainda temos os hinos e cancoes, estes entoam louvores a patria e ao povo brasileiro. Nos hinos tambem se ve a mesma deferencia que ha em relacao a bandeira, nao podem ser modificados nem editados de nenhuma maneira. Pois bem, a vida militar é uma vida de dulia. Seriam os militares idolatras? Seríamos nós idolatras ao seguir o protocolo devido à autoridas e dignitarios como presidentes, diplomatas e juizes? Estariamos adorando nossos pais e mais velhos ao lhes ceder a melhor quarto, a melhor cadeira, ao lhes pedir a bênção, ao nao lhes responder mal ao lhes aguardar para as refeições? Esses são todos tratamentos de reverencia,de deferencia, de dulia.

    No caso da hiper dulia, é essencialmente para assinalar que é devido à Nossa Senhora um tratamento ainda mais respeitoso e de maior deferencia do que é destinado ao santos.

    Quanto à latria a questao se centra no sacrifício e no que consiste adorar. E quanto a este tema eu gostaria que o nosso querido Henrique Sebastião dedicasse um artigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns Gustavo, diante de tudo que você colocou, s´´o não entenderá a diferença entre veneração e adoração quem não quiser, pois tal distinção, como os exemplos que você colocou, ilustram bem as diferenças existentes entre um coisa e outra.

      Sidnei.

      Excluir
  8. Anne, alguém já respondeu a tua pergunta, acima ao citar a obra do Doutor Scott, ex-pastor convertido ao catolicismo. Veja os quatros primeiros comentários.

    ResponderExcluir
  9. Como é fácil separar veneração de adoração, não vejo onde tem tanta dificuldade. Por acaso vc amar sua mãe, suponhando que ela já tenha falecido, é idolatra-lá ou colica-lá acima de Deus? Ou é melhir jogar as lembranças dela no lixo pra não correr o risco de idolatria. Temos que ter em mente que todos os Santos Maria , profetas, anjos,todos. Todos eles fazem parte do plano de salvação de Deus. Se eles foram exaltados foi porque o proprio Deus quis. Se não gente não precisaria nem Jesus encarnar.Deus resolveria tudo em cinco minutos , como no filme O Todo Poderoso. Vamos pensar um pouco né gente. Fiquem em paz.

    ResponderExcluir
  10. O problema é que as vezs o ensinamento da igreja católica é diferente do que a gente ve na igreja , os fiéis e até o que os padres ensinam., Sobre esse assunto Uma coisa que eu fico meio assim é quando a pessoa diz que é "católico mariano". Meu Deus não foi Jesus que salvou? Maria não é serva de Jesus também? então que histórai de "mariano"? Fui eu que perguntou essa que vc respondeu, muito obrigado, meu nome é Artur.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O título aqui já disse tudo. pode venera r Maria mas existe muito exagero pelo que eu vejo. com todo o respeito.

      Artur

      Excluir
    2. Artur, abra a mente para o que é evidente. Será que para ti é difícil perceber que, quando alguém diz,''sou católico mariano" está a dizer que é católico que venera Maria? A pessoa fala assim para que percebam que ele/a aceita e venera Maria, não que Maria esteja acima de Jesus Cristo? Por favor, tenhamos boas intenções! É caso para dizer assim como um dia disse NSJC "quem tem ouvidos, que ouça".

      Excluir
  11. Bom dia Pessoal!

    Li a matéria e vi alguns comentários... Percebo que existem muitas dúvidas relacionado ao tema. Gostaria apenas de dar algumas dicas para as pessoas que estão com dúvida... Comece pesquisando sobre as Aparições de Nossa Senhora, estude o Tratado da Verdadeira Devoção de São Luís Maria Grignion de Montfort, tem um vídeo de Padre Paulo Ricardo que ele fala que achava um exagero a Consagração a Nossa Senhora, que as pessoas fazendo isso tirava Deus do Centro (Isso ele já era Padre quando pensava assim), depois ele explica como ele mudou esse pensamento e como a Vida dele se transformou. Outra coisa gente, muitas Devoções vieram através das Aparições de Nossa Senhora, Deus sabendo que as pessoas iriam tirar Ele do Centro, ia permitir que acontecesse e essas Aparições? Todas as vezes que houve uma Aparição, Nossa Senhora pedia as pessoas que Orassem para REPARAR O CORAÇÃO FERIDO DO FILHO DELA (JESUS, NOSSO SALVADOR). Alguém fez um comentário dizendo que Nosso Senhor Jesus Cristo é simples, que São Pedro era simples. E Nossa Senhora, e a simplicidade dela, se vê sobre as Aparições, ela na maioria das vezes apareceu para pessoas simples, que não tinham estudos, que não sabiam ler... Acho que é por isso que a maioria das pessoas que são Devotas de Nossa Senhora, são pessoas humildes, que não sabem ser, escrever, extremamente pobres. E o fato de muitas pessoas dizerem que o Santo ou Nossa Senhora que fez o milagre, muitas vezes é que essas pessoas são as que não sabem ler e escrever, e muito menos sabem o que é a Palavra Devoção. Pois as pessoas que eu conheço que tem instrução, falam que pela INTERCESSÃO DE NOSSA SENHORA, DEUS FEZ O MILAGRE. Mas voltando nas pessoas mais simples, vejo que a Fé deles é sem tamanho. Não conhecem muita coisa mais Confiam em Deus. (Não estou dizendo que não temos Fé, mais que a simplicidade e a humildade dessas pessoas, faz com que a Fé deles sejam realmente verdadeiras). MAS VOLTANDO A SUGESTÃO QUE EU DEI, ESTUDEM AS APARIÇÕES, LEIA O TRATADO E VEJA O VÍDEO DO PADRE PAULO RICARDO E TAMBÉM TEM O LIVRO DO SCOTT HAHN (EX PASTOR PROTESTANTE), ESSE LIVRO FALA SÓ DE NOSSA SENHORA E A PARTICIPAÇÃO DELA NA HISTÓRIA CRISTÃ - DE GÊNESIS A APOCALIPSE.

    Mariele

    ResponderExcluir
  12. Diferença simples: culto de adoração tem OFERECIMENTO DE SACRIFÍCIO (desde o Antigo Testamento). Culto de veneração, não tem.

    O católico só oferece sacrifício a Deus. É isto que significa a Eucaristia.

    ResponderExcluir
  13. Carissímos da O Fiel Católico,

    Boa Tarde. Venho cumprindo com o compromisso e necessidade diária da prática do terço, quando peço a intercessão da Virgem Mãe Santíssima pela minha família, pela minha santificação, pela santificação e reconhecimento dos nossos irmãos protestantes.
    Gostaria que me indicassem artigo para leitura ou me retornassem resposta confirmando se com esta prática diária não estou de maneira alguma idolatrando a Mãe de Deus.

    ResponderExcluir
  14. DENILSON,

    Aqui no site mesmo tem várias respostas. Vou te adiantar algo simples:

    O que é o terço? São várias orações à Deus e à Nossa Senhora.

    É certo orar a Deus? Claro.

    É certo orar a Nossa Senhora? Bom, você pede oração de outras pessoas? Todo mundo (e todos os protestantes) pedem orações a outras pessoas. Se um pastor da esquina pode orar por vc (isso se chama intercessão), por que a Mãe de Deus não pode fazer o mesmo?

    Então, fica tranquilo. A lógica de rezar para Nossa Senhora é a mesma de pedir oração aos amigos.

    ResponderExcluir
  15. DENILSON,

    Se vc quer um livro que trata de Nossa Senhora duma maneira bem completa e fácil de entender, leia o livro "SALVE, SANTA RAINHA", do Scott Hahn.

    Lá ele explica tudo usando a Bíblia e a cultura dos judeus. O Scott Hahn era presbiteriano, phd em Bíblia, e tornou-se católico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João, muito obrigado pelo retorno na primeira mensagem e por esta indicação de livro do Scott Hann (dele já comprei e li o Banquete do Cordeiro).
      Fiz o questionamento quanto à prática do terço diário para obter o retorno de algum irmão católico que também tenha a mesma prática e maior conhecimento a respeito.

      Excluir
  16. Leia no site Ultimas Misericórdias sobre todas as aparições Marianas. Com a leitura desses relatos vc poderá sanar todas as suas dúvidas.

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$9,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail