Do problema da morte – podcast

Por Igor Andrade


** Assine a revista O FIEL CATÓLICO e tenha acesso a muito mais!
www.ofielcatolico.com.br

Um comentário:

  1. Interessante e bela reflexão! E aproveitando o tema, há um trecho da Escritura que eu acho sublinhável:

    "Não temas a sentença da morte; lembra-te dos que te precederam, e de todos que virão depois de ti: é a sentença pronunciada pelo Senhor sobre todo ser vivo. Que te sobrevirá por vontade do Altíssimo? Dez anos, cem anos, mil anos... Na habitação dos mortos não se tomam em consideração os anos de vida." (Eclesiástico)

    Outro trecho muito proveitoso para refletirmos sobre a Misericórdia de Deus, cuja balança é Justíssima, está em Ezequiel 33,10-20, que narra sobre o arrependimento e a reconciliação, contanto que se renuncie ao pecado, já não pecando, para que não aconteça coisa pior (Jo 5,14).

    Sobre o Carpe Diem, que muitos confundem com hedonismo, fala literalmente sobre colher o dia. Fernando Pessoa escreveu: "Colhe o dia, porque és ele."

    Sobre o padre Manuel Bernardes, que disse que a vida religosa é o caminho mais seguro, e de fato o é, mas não para os prevaricadores e hipócritas, pois já dizia São João Crisóstomo: ''Os corredores do inferno estão pavimentados com crânios de bispos''. Hoje as ordens religiosas estão contaminadas. Mas queira Deus que novos santos se levantem!

    Paz e Bem!

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$9,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail