Série Reações ao Motu Proprio Traditionis Custodes – Dom Athanasius Schneider se pronuncia

2 comentários:

  1. Um texto publicado no periódico Wiener Deutsche Zeitung, de 15 de março de 1901, no qual se reproduz o conteúdo de um folheto que no dia anterior havia sido objeto de um debate na Câmara dos Deputados da Áustria: “Precisamos procurar por todos os meios enfraquecer a influência da Igreja Católica, que sempre foi nossa maior inimiga, e com essa finalidade precisamos semear, nos corações de seus fiéis, idéias liberais e dúvidas e provocar discórdias e rixas religiosas”.

    ResponderExcluir
  2. SERIA SUMARIAMENTE EXCOMUNGADO E AMALDIÇOADO QUEM DISCORDASSE DA BULA DE S PIO "QUO PRIMUM TEMPORE"!
    O santo Pontífice S Pio V anatematizou e também amaldiçoou qualquer um que se indispusesse ou se empenhasse em modificar a Bula “QUO PRIMUM TEMPORE”, isto é, querendo afirmar e, ao mesmo tempo, admoestar que a doutrina que havia compendiado e sintetizado nesse documento unificado da doutrina católica, a qual provinha intacta desde os remotos tempos apostólicos, abrangia totalmente, tanto para todos os modelos de clérigos e leigos, exarada por S Pio V em 1470!
    Dessa forma, deveria continuar inalterável e intocável por todo o sempre, justamente porque foi um apanhado geral, resumido e sintetizado no paradigma acima, configurando a um autêntico cânon, portanto, a ser seguido sob risco sob severíssimas penalidades das sanções acima mencionadas a quem, audazmente, tentasse modificá-los e/ou adulterarem seu sacrossanto conteúdo!
    Aliás, as vozes estão se levantando contra o papa Francisco de todos os lados – como D Viganò e D Schneider e veremos se suportará a pressão que se avoluma contra ele, inclusive dos leigos em grau ascendente – e será demasiado oportuno que mais novos bispos se pronunciem abertamente contra esse suposto abuso de autoridade de ingerência nesse documento que foi fielmente seguido e, pelo que tudo indicaria, poderia incorrer nas penalidade enunciadas, que jamais até ao Vaticano II foram objeto de adulteração por parte da Cúpula da Igreja, desde qualquer um dos Sumos Pontífices, acontecendo esse fato inusitado senão após o conflituoso V II, logo pelo papa Francisco que seria apreciador de ditadores de esquerdas-NOM – todos nós conhecemos esses fatos – como os sanguinários Maduro, Ortega, Evo Morales, Lula-Dilma, Fidel Castro, Xi Li Ping etc., esclarecidos déspotas e inimigos da fé católica e jamais, de forma alguma foram jamais por ele censurados!
    Por esse fato, pelo que indicaria a atual situação, estaria sujeito à nulidade e não aceitação do decreto Traditionis Custodes, pois nenhum dos papas anteriores, como S João Paulo II e Bento XVI desarmonizaram-se contra S Pio V e Missa Tridentina – apenas seria o primeiro, o papa Francisco, suprimindo a liturgia da S Missa Tridentina nela mantida pela Bula acima – para ser celebrada para sempre!
    *14 – Assim, portanto, que a ninguém absolutamente seja permitido infringir ou, por temerária audácia, se opor à presente disposição de nossa permissão, estatuto, ordenação, mandato, preceito, concessão, indulto, declaração, vontade, decreto e proibição.
    * Apenas o nº 14 da “Bula Quo Primum Tempore”
    MONTFORT Associação Cultural
    http://www.montfort.org.br/bra/documentos/decretos/quoprimum/
    Online, 27/07/2021 às 09:39:11h

    ResponderExcluir

** Inscreva-se para o Curso Livre de Teologia da Frat. Laical São Próspero e receba livros digitais de altíssima qualidade todos os meses, além de áudio-aulas exclusivas e canal para tirar suas dúvidas, tudo por R$29,00/mês. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Subir