Diocese pede às paróquias que promovam o movimento 'LGBT católico' em boletins paroquiais


NA SEMANA EM QUE a Diocese de Assis (SP) concluiu o processo aberto sobre o caso do pe. Vicente Paula Gomes, que no final do ano passado abençoou a união entre dois homens; decretando sua readmissão ao uso de Ordens (saiba mais), uma outra diocese católica pediu às paróquias que promovessem ministérios LGBT em seus boletins semanais...


O pedido foi feito pelo bispo(!) da Diocese de Lexington, Dom John Stowe, OFM (foto), via "Escritório para Paz e Justiça" da Diocese de Lexington, Kentucky, e foi aplaudido no Twitter pelo famigerado padre jesuíta pró-LGBT James Martin.


“Boas notícias de Lexington”, declarou Martin: “Diocese pede às paróquias que promovam o Ministério LGBT Católico em boletins paroquiais semanais!”.


O Bispo de Lexington tem uma longa história de ativismo pró-LGBT dentro da Igreja Católica. Em junho, ele lançou o vídeo intitulado “Mês do Orgulho”, no qual se desculpou pelo ensino da Igreja sobre homossexualidade e confusão de gênero.  


Durante o Mês do Orgulho de 2019, Stowe lançou um cartão de “oração” que celebra o “orgulho” homossexual e inclui a imagem de um crucifixo com as cores do arco-íris saindo dele. Ele entende que é inadmissível que a Igreja não inclua pessoas “pessoas LGBT" em plena "era do Papa Francisco e da Ética Social”.


Stowe é um dos cinco bispos que endossaram o pe. O livro de Martin , “Building a Bridge,” e também foi um palestrante-destaque em uma conferência de 2017 para o grupo herético "New Ways Ministry". O encontro foi intitulado “Justiça e misericórdia se beijarão: os católicos LGBT na era do Papa Francisco”.


Fr. Martin, o principal defensor da normalização da homossexualidade e do "transgenerismo" dentro da Igreja Católica, é um membro honorário do Conselho de Diretores do grupo "Fortunate Families", que é um grupo mais ou menos na mesma linha do "Católicas pelo direito de decidir" daqui do Brasil: pessoas usando o nome da Igreja para pregar pautas contrárias ao que a Igreja ensina.

A pergunta que muitas vezes se faz de modo  injusto e imprudente, neste caso, sem dúvida, cabe. Mais do que isso, é inevitável: Onde está o Papa, que não faz nada? Por que o mesmo Papa que decreta o fechamento de um seminário exemplar por se apegar à piedosa prática de administração da Comunhão na língua, não move um dedo contra esse tipo de afronta à Fé dos católicos?


Imagens deste tipo eram usadas por movimentos gays para atacar a Igreja e ferir a Fé dos católicos. Hoje, são produzidas e divulgadas por movimentos nomeadamente 'católicos', agindo com a anuência dos bispos e, por consequência, do próprio Papa.

É importante finalizar este artigo lembrando que a Igreja não discrimina pessoas com tendências homossexuais. Antes, considera a sexualidade como coisa sagrada: a complementaridade entre homem e mulher foi concebida e criada por Deus e não deve ser tocada. A Igreja pede aos homossexuais que mudem sua conduta e comportamento, e este é o mesmo apelo que dirige também aos heterossexuais e a todos os seus filhos. A sexualidade humana, ferida pelo Pecado original, carrega tendências fortemente destrutivas, gerando frutos que causam grande sofrimento, como o adultério, a promiscuidade, o vício na pornografia, etc. Todos os cristãos, sem exceção, precisam conter sua pulsão sexual e canalizá-la de forma produtiva no amor-caridade, que se expressa seja na castidade, tanto no matrimônio quando na vida celibatária.


O que a Igreja prega aos homossexuais é exatamente o mesmo que ensina a todos os católicos, indiscriminadamente: que o exercício da sexualidade só é possível dentro do matrimônio e aberto à fecundidade, porque este é o projeto de Deus para a humanidade, desde o princípio da Criação.

E, é claro que quem não crê ou não aceita tais princípios, simplesmente não está obrigado a ser católico. Que procure com honestidade o seu caminho e viva suas escolhas com responsabilidade. O que não se pode admitir é que homens dentro da Igreja – estamos falando de bispos! – queiram simplesmente contrariar frontalmente a tudo o que dizem as Sagradas Escrituras, o próprio Jesus Cristo e também seus Apóstolos, e mesmo o Catecismo da Igreja Católica.

__________________________
Lembre-se de nos acompanhar também nas redes sociais:

** Facebook

*** Instagram (@ofielcatolico)

**** Youtube.


_____
LifesiteNews, em:
lifesitenews.com/news/diocese-asks-parishes-to-promote-catholic-lgbt-ministry-in-parish-bulletins
Acesso 3/9/2020

7 comentários:

  1. Que saudade da Santa Inquisição! Quanta blasfêmia naquela imagem dum sodomita escarnecendo Cristo, no slogan ("Justiça e Misericórdia se beijam"), no uso da Santa Diocese para promover a sodomia, o autor dessa parafernália ser um Bispo (que é a imagem de Cristo), na absolvição e na reintegração dum padre que abençoou um par sodomita (demonstrando que a Igreja é errada e a sodomia é a certa), desculpando o santo ensino da Igreja (QUE É A PRÓPRIA PALAVRA DE DEUS)... QUANTA BLASFÊMIA!! Rezemos por São Pio X neste dia dele!

    ResponderExcluir
  2. Não sei de qual igreja católica se referiu lá em cima...eu particularmente penso que não é a igreja católica verdadeira que tem que aceitar os homossexuais é o contrário são os homossexuais que tem que aceitar a sã doutrina de CRISTO. e, lógico automaticamente estará enxertado na igreja.

    ResponderExcluir
  3. Não sei se esse cara merece as honras de ser padre.

    ResponderExcluir
  4. Não sei de qual igreja católica se referiu lá em cima...eu particularmente penso que não é a igreja católica verdadeira que tem que aceitar os homossexuais é o contrário são os homossexuais que tem que aceitar a sã doutrina de CRISTO. E deixar de ser homossexuais . Ou seja não ter vida homossexual ativs. e, lógico automaticamente estará enxertado igreja.

    ResponderExcluir
  5. Henrique Rodrigues3 de setembro de 2020 21:40

    Boa noite, prezada equipe do Fiel Católico

    Há alguns dias, eu lhes enviei um e-mail com este meu nome (Henrique Rodrigues) a partir do outlook. Não sei se a mensagem chegou a vocês, mas eu gostaria, por favor, que a visse, por gentileza.
    O assunto do e-mail era: "Gostaria de uma santa ajuda por dúvida de fé".
    Por favor, assim que lhes for possível, vejam-na.
    Desculpe-me por usar esse espaço dos comentários para isso, mas é só porque eu não tenho certeza de que minha mensagem tenha chegado a vocês.
    Atenciosamente,
    Henrique Rodrigues.

    ResponderExcluir
  6. As mudanças fazem parte da história da humanidade, inclusive na história da fé, Jesus Cristo repreendeu aqueles que defendiam o divórcio com base numa autorização de Moisés, disse: No princípio não era assim, isso é resultado da dureza dos corações dos homens. Outras muitas coisas mudaram, seja pelo fim ou caducidade de algumas práticas e crenças, seja pela criação de novas práticas e crenças. A observância do sábado, carnes impuras, sacrifícios animais, uso do véu, dizimos, o culto dos santos, a castidade obrigatória do clero, o dar a outra face etc etc etc... Creio que isso é inevitável, um exemplo atual, são as festas de reinado, que estão em decadência e foram abandonadas em várias comunidades. Contudo, há de se ter bom senso e principalmente fé para analisar o que pode mudar, o que se deve mudar e o que não se deve mudar, por meio de um único critério: Compatibilidade com a fé! Caso contrário há uma ruptura e se cria outra Igreja. Os homossexuais no passado eram punidos, hoje são tolerados, creio eu com base na mensagem de amor de Deus a todas as criaturas. Jesus disse: há aqueles que nascem eunucos, uns são feitos eunucos e outros se fazem eunucos pelo reino, creio que essa é a proposta da Igreja aos homossexuais, se façam eunucos para o próprio bem em busca do reino, visto que a relação homossexual é pecado, logo incompatível com o ensinamento da Igreja.
    O ativismo homossexual para mim não é nenhuma surpresa, a Igreja tem muitos sacerdotes homossexuais e me parece que o critério de vocação não foi e nem está sendo levado muito em conta, foi superado pela necessidade de novos sacerdotes, porém como vemos quantidade não é sinônimo de qualidade. E muitos desses sacerdotes hoje ou amanhã se tornarão os futuros bispos, cardeais, eleitores do sumo pontífice e inclusive podem chegar ao papado, logo a tendência é aumentar ainda mais a pressão em favor da liberação homossexual, que debaixo dos panos sabemos que corre solta, em meio ao clero que se envolve com homens de suas paroquias. Precisamos de uma mudança de rumo urgente!

    A paz de Cristo!

    ResponderExcluir
  7. deve estar falando a igreja caótica apóstata ....
    a IGREJA QUE PERTENÇO AMA TODO PECADOR MAS CONDENA COM VEEMÊNCIA TODO PECADO NAO PODE SER A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. POIS O CATECISMO E A PALAVRA DE DEUS SAO UNÂNIMES EM DENUNCIAR TODA PRATICA ILÍCITA.
    QUE DEUS NOS DE A FORTALEZA DOS MÁRTIRES...

    ResponderExcluir

** Inscreva-se para o Curso Livre de Teologia da Frat. Laical São Próspero e receba livros digitais de altíssima qualidade todos os meses, além de áudio-aulas exclusivas e canal para tirar suas dúvidas, tudo por R$29,00/mês. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Paginação numerada



Subir