Fato: as maiores inteligências e os mais brilhantes cientistas do mundo creem em Deus

Publicado na revista O FIEL CATÓLICO #20



AOS QUE CREEM, sempre pareceu evidente que o ateísmo embrutece. Todavia, os renegadores da Realidade que é Deus nunca esconderam a sua grande satisfação em se ufanar, proclamando aos quatro ventos que as pessoas mais cultas são ateias ou que aqueles que acreditam em Deus são ignorantes ou supersticiosos. Na imaginação deles, a ciência humana provaria, de um modo ou de outro, que não há Deus.

Trata-se de uma espécie de lenda urbana, um boato tão persistente quanto absurdo, que encontramos mesmo nos lábios dos ateus mais cultos e supostamente respeitosos. Desde o ano 2014, entretanto, está disponível o catálogo de pessoas com o mais alto coeficiente de inteligência já verificado em todo o mundo. E basta olhar os dez primeiros colocados para constatar que a verdade é o exato oposto do que imaginam os ateus tidos como muito inteligentes e racionais. Foi publicada pelo científico Examiner a lista das dez pessoas com maior Q.I. do planeta, e nela encontramos gente das mais diversas procedências, graus de estudo formal e idade. O único ponto que todas têm em comum é que todas acreditam em Deus e, ainda que não necessariamente professem a mesma religião, a maioria é de confissão cristã[1].

Resumindo, é fato científico empiricamente comprovado que as inteligências mais brilhantes não recusam a existência de uma Inteligência criadora e provedora, como fazem os ateus militantes.

Andrew Magdy Kamal – mora em Michigan, EUA. É o detentor do maior QI já registrado até hoje: obteve uma impressionante pontuação de 231.734(!), no teste realizado em 2013. Ele é um eleitor conservador e foi, ainda antes dos seus 17 anos de idade, o fundador do Grupo 'Messianic Orthodox' de cristãos coptas. Kamal espera usar seus talentos e inteligência para divulgar o Evangelho.

Abdessellam Jelloul – é o segundo QI mais alto em termos absolutos, obteve o altíssimo grau 198. O teste a que ele foi submetido não é o tradicional, mas um exame bem mais abrangente, denominado Advanced, que não se atém ao raciocínio lógico mas incluiu as 13 dimensões da inteligência humana (analítica, espacial, lógica, de memória, musical, linguística, filosófica, moral, espiritual, interpessoal, intra-pessoal, corporal e naturalista). Ao contrário dos testes tradicionais, o de QI Avançado inclui medidas que outras análises não podem avaliar. O Sr. Jelloul, questionado sobre suas crenças, graciosamente respondeu: “Eu acredito em Deus, Arquiteto Supremo do Universo”.

Christopher Michael Langan – tem um QI verificado de pelo menos 195 (pontuação variável entre 195 e 210). Após habilitar-se com nota máxima em todas as disciplinas para a Universidade Estadual de Montana, abandonou a instituição ao simplesmente concluir que seus professores não estavam qualificados para ensinar-lhe mais nada. Langan indicou em seus escritos que crê em Deus. Para a obra do célebre pesquisador norte-americano William Dembski, “Uncommon Dissent”, ele declarou: “(...)Uma vez que os relatos bíblicos da gênese de nosso mundo e espécies são verdadeiras, apesar de metafóricas, nossa tarefa é decifrar corretamente a metáfora à luz das evidências científicas que também nos são dadas por Deus”.

* * *

A polêmica entre fé e ciência ou entre fé e razão revela-se totalmente superficial. Fé e a razão devem caminhar juntas, complementando-se; de fato, uma só tem a ganhar com a outra. É isto, também, que o engenheiro mexicano Jesús Hernández quis provar com seu estudo[2]. Sua pesquisa foi rigorosamente produzida sobre destacados cientistas, a partir do século IX. Seu estudo está centrado nas ciências exatas (física, química, astronomia, matemática), não incluindo os grandes humanistas (história, filosofia, letras, psicologia), ainda que sejam igualmente cientistas.

Hernández também fez questão de não incluir na lista os cientistas considerados crentes, mas dos quais não se encontrou constância na fé. Portanto, a lista real de gênios da ciência que creem em Deus é bem mais extensa.

Por incrível que possa parecer, estatisticamente os grandes cientistas ateus são minoria. Além dos grandes gênios das ciências crentes em Deus como Newton, Galileu, Kepler, Pasteur, Boyle, Lavoisier, Leibnitz e tantos outros, temos expoentes atuais como Francis S. Collins, diretor do Projeto Genoma, um ex-ateu que se converteu cristão justamente conforme aprofundava seus conhecimentos da Genética.

O resultado da lista de Hernández1 é o seguinte: entre os 208 mais destacados expoentes da ciência na História recente, temos 91 católicos; 96 cristãos de outras confissões; 13 muçulmanos e 8 judeus, sendo 42 ingleses, 35 espanhóis, 28 norte-americanos, 21 alemães, 16 italianos, 14 franceses, 8 escoceses, 4 austríacos, 3 persas, 3 mexicanos, 3 poloneses, 3 dinamarqueses, 3 suíços, 3 irlandeses, 2 portugueses, 2 argentinos, 2 paquistaneses, 2 húngaros, 1 japonês, 1 hindu, 1 sueco, 2 croatas, 1 sérvio, 1 venezuelano, 1 belga, 1 ucraniano, 1 turco, 1 boliviano, 1 canadense, 1 holandês e 1 sul-africano. 

Todos eles receberam reconhecimentos das mais prestigiadas academias científicas (Prêmio Nobel, Templeton, Copley e outros).

O autor da pesquisa teve a ideia de elaborar sua lista a partir do seu convívio, durante a infância, com o seu seu avô, Eugenio Roldán Parrodi, um físico, químico e católico convicto.

Anos depois, universitário, uma conhecida ateia, perguntou-me como eu, estudante de engenharia mecânica, uma pessoa racional, de pensamento técnico e científico, podia ‘conciliar isso’ com a fé católica, da qual me confessava diante dela como fiel seguidor. ‘Como você pode estudar temas de mecânica, química, matemática, e ao mesmo tempo acreditar na aparição de Nossa Senhora de Guadalupe?’, dizia-me ela. E minha resposta foi muito simples: ‘As ciências precisamente me aproximaram de Deus. Quanto à Nossa Senhora de Guadalupe, estudando-a à luz das ciências de história, teologia e física, encontrei provas da sua aparição e mensagem’.

Será a ciência um obstáculo para a fé em Deus? Não. A pesquisa histórica honesta demonstra e comprova que um cientista pode ser tão brilhante em um laboratório como devoto na Igreja.
1. A lista completa pode ser vista em: http://luxdomini.net/_ap/contenido1/cientificos_index.htm
2. ORDOVÁS, Javier. 208 famosos cientistas modernos que acreditaram em Deus, Aleteia, disp. em: 
https://pt.aleteia.org/2014/06/02/208-famosos-cientistas-modernos-que-acreditaram-em-deus
Com informações do portal Super Brain.Org.
www.ofielcatolico.com.br

Um comentário:

  1. O resultado da lista de Hernández1 é o seguinte: entre os 208 mais destacados expoentes da ciência na História recente, temos 91 católicos; 96 cristãos de outras confissões; 13 muçulmanos e 8 judeus, sendo 42 ingleses, 35 espanhóis, 28 norte-americanos, 21 alemães, 16 italianos, 14 franceses, 8 escoceses, 4 austríacos, 3 persas, 3 mexicanos, 3 poloneses, 3 dinamarqueses, 3 suíços, 3 irlandeses, 2 portugueses, 2 argentinos, 2 paquistaneses, 2 húngaros, 1 japonês, 1 hindu, 1 sueco, 2 croatas, 1 sérvio, 1 venezuelano, 1 belga, 1 ucraniano, 1 turco, 1 boliviano, 1 canadense, 1 holandês e 1 sul-africano. E 0 brasileiro.

    Ou seja, a nação mais católica do mundo, não tem nenhum nesta lista, que decepção.

    Sidnei

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$9,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail