'Igreja Católica é golpista', diz o ditador comunista da Nicarágua

Bandeiras vermelhas e os adversários são 'golpistas'. Qualquer semelhança com o 'messias' da esquerda brasileira...

DEPOIS DE LONGAS semanas de conflitos com a população que protesta nas ruas contra o seu governo –, durante os quais centenas de pessoas já foram mortas –, o ditador socialista da Nicarágua, Daniel Ortega, atacou a Igreja Católica, dizendo que todos aqueles que protestam contra ele “precisam ser exorcizados”.

“Somos obrigados a pedir aos bispos que se retifiquem e não alimentem essas seitas satânicas, golpistas, assassinas”, insistiu Ortega, em um discurso na última quinta (19/7/2018) logo após listar o nome dos 22 policiais nacionais mortos durante os protestos. Contudo, ele ignorou os 280 civis mortos, inclusive pessoas assassinadas dentro de igrejas sitiadas, e a família de um pastor protestante.

Silvio Báez, bispo auxiliar da capital Manágua, rebateu, afirmando em publicação no Twitter: “A Igreja não sofre por ser caluniada, agredida e perseguida. Sofre por quem foi assassinado, pelas famílias que choraram, pelos detidos injustamente e pelos que fogem da repressão”.

Todo ditador comunista gosta de falar em democracia e usar o rótulo "democrático" para se legitimar, mas a verdade é que onde há presos políticos não há democracia. Como é característico dos governos totalitaristas, o mandatário nicaraguense acusou os manifestantes que foram as ruas pedir novas eleições de serem pagos (qualquer semelhança com o que chegaram a dizer alguns durante os maiores protestos da história do Brasil, contra o PT) e denunciou “agências norte-americanas” (claro) por financiarem a oposição.

A Associação Nicaraguense de Direitos Humanos (Anpdh) referiu-se à intimidação contra as mães dos manifestantes detidos nas prisões de El Chipote, Manágua, que se tornaram locais de tortura, de acordo com a oposição. Enquanto isso, as manifestações contra Ortega continuaram no sábado e domingo em diversos municípios. A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) denunciou "assassinatos, execuções extrajudiciais, maus-tratos, tortura e detenções arbitrárias perpetradas contra a maioria da população jovem do país", acusações que o governo nicaraguense rejeita.

Os protestos contra Ortega e sua esposa, vice-presidente, Rosario Murillo, começaram em 18 de abril por causa do fracasso das reformas da segurança social, e tornaram-se um pedido de renúncia do Presidente, depois de onze anos no poder, com acusações de abusos e corrupção.

Presentes no ato público que comemorava os 39 anos da Revolução Sandinista os chanceleres da Venezuela, Jorge Arreaza, e o de Cuba, Bruno Rodríguez, acusaram também os EUA de serem os responsáveis pelos protestos. Por que será que não ficamos surpresos?

Arreaza chegou a oferecer ajuda armada: “Saiba, presidente Ortega, que, se o povo bolivariano, os revolucionários da Venezuela, tivéssemos de vir à Nicarágua defender a soberania e a independência, a ofertar nosso sangue pela Nicarágua, iríamos à montanha de Nova Segovia como [o líder guerrilheiro Augusto] Sandino”.

Ortega está no poder há 11 anos, liderando o partido Frente Sandinista de Libertação Nacional, de inspiração marxista. Após as constantes violações de direitos humanos em seu país, ele vinha perdendo apoio de antigos aliados internacionais. Durante o Foro de São Paulo, encontro que reúne partidos de esquerda latino-americanos, no início desta semana em Cuba, o nosso "Partido dos 'Trabalhadores'" (PT), declarou que continua apoiando Ortega.

Do mesmo modo como faz com a Venezuela, o PT, assim como o PC do B e outros aliados, são favoráveis às ações dos ditadores comunistas ao redor do mundo, e classifica os protestos contra Ortega de “contra-ofensiva neoliberal”. Nenhuma novidade: o agora presidiário Lula sempre favoreceu abertamente tais ditaduras, sem provocar com isso nenhum grande escândalo em nossa grande mídia (saiba mais).

** Assine a revista O FIEL CATÓLICO e tenha acesso a muito mais!

_____
Com 'Vatican News', 'O Observador', 'Gospel Prime' e 'Terça Livre'
www.ofielcatolico.com.br

2 comentários:

  1. Na Venezuela, os bispo condenam o regime comunista de Hugo Chaves que está matando a população de fome.
    Na Nicarágua, os bispos estão fazendo exorcismo contra o regime, também comunista, daquele país.
    O Comunismo tem a mão do demônio e, onde se instala, é inevitável seu embate com a Igreja!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E no Brasil, os Bispos brigam para que o pais se torne uma Venezuela,uma Nicarágua e tenha um ditador comunista no pode...

      Excluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$9,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail