Nossa Senhora da Conceição Aparecida – antes de 'dia das crianças', 12 de outubro é dia de Nossa Senhora


NOSSA SENHORA da Conceição Aparecida é o título completo que a Igreja dedicou a esta especial devoção brasileira à Santíssima Vigem Maria. “Nossa Senhora Aparecida” é a diletíssima Padroeira do Brasil.


Por que 'Aparecida'?

No Arquivo da Cúria Metropolitana de Aparecida, como também no Arquivo Romano da Companhia de Jesus, constam os registros históricos da origem da imagem de Nossa Senhora cunhada "Aparecida". A história foi registrada pelo Pe. José Alves Vilela no ano 1743, e confirmada pelo Pe. João de Morais e Aguiar em 1757.

Em meados de 1717, por ocasião da passagem de D. Pedro de Almeida e Portugal, Conde de Assumar e governador da Capitania de São Paulo e Minas de Ouro, pela povoação de Guaratinguetá a caminho de Vila Rica (atual Ouro Preto, MG). Os pescadores Domingos Garcia, Felipe Pedroso e João Alves foram convocados a providenciar um bom pescado para recepcionar o Conde, e partiram a lançar suas redes no rio Paraíba do Sul.

No dia 12 de outubro. lá foram eles. Tentaram muitas vezes, sem conseguir nenhum peixe sequer. Já sem esperança, João Alves lançou uma vez mais sua rede às águas e, ao recolhê-la, percebeu algo insólito: junto à rede viera uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, sem a cabeça. Guardaram-na e tornaram a lançar as redes, numa nova tentativa de apanhar peixes, mas o que ocorreu a seguir foi ainda mais extraordinário: a rede retornou com a cabeça da imagem! Envolveram então o achado num lenço e o guardaram, junto com a outra parte da peça sacra. Logo depois disso, a pesca se tornou abundante: os humildes pescadores retornaram com o barco abarrotado de peixes.

Foi esse o início de tudo. Durante os quinze anos seguintes, a imagem permaneceu na residência de Filipe Pedroso, onde pessoas da vizinhança se reuniam para rezar. A devoção foi crescendo entre o povo da região, e muitas graças eram alcançadas pelos que rezavam diante da imagem. A fama da intercessão de Nossa Senhora através da devoção à imagem aparecida das águas foi se espalhando pelas redondezas e ganhando outros municípios.

Em diversas ocasiões, as pessoas que à noite faziam fila diante dela para rezar testemunharam que as luzes se apagavam e depois reacendiam, sem intervenção humana. A curiosidade e a devoção popular cresceram, e proporcionalmente aumentou o fluxo dos visitantes, tanto que a família construiu para a imagem um oratório no Porto de Itaguaçu.

Aquele oratório também logo se tornou pequeno, e por volta de 1734 o vigário de Guaratinguetá construiu uma capela no alto do Morro dos Coqueiros, com a ajuda do filho do pescador Filipe Pedroso. Essa capela foi aberta à visitação no ano 1745. Em 20 de abril de 1822, em viagem pelo Vale do Paraíba, o príncipe regente do Brasil, Dom Pedro I, fez questão de visitar a capela e a imagem de Nossa Senhora aparecida das águas.

Em 1834 foi iniciada a construção de uma igreja maior, que pudesse acomodar os fiéis que não paravam de aumentar: esta foi solenemente inaugurada e benzida em dezembro do ano 1888. Essa igreja é a atual "Basílica Velha" de Aparecida.


Origem do manto e da coroa

Em 8 de dezembro de 1868, a Princesa Isabel visitou a Basílica, e ali fez uma promessa a Nossa Senhora: aos 6 de novembro de 1888, ela retornou e ofertou à imagem, em reconhecimento pela graça alcançada, uma coroa de ouro cravejada de diamantes e rubis, e um manto azul anil ricamente adornado.

Aos 8 de setembro de 1904, a imagem foi coroada com a riquíssima coroa e ornamentada com o manto bordado em ouro e pedrarias, símbolos de realeza e patronato. A celebração solene foi dirigida por Dom José Camargo Barros, com a presença do Núncio Apostólico, diversos bispos, o então Presidente da República Rodrigues Alves e muito povo. Depois da coroação, o Papa concedeu ao Santuário de Aparecida mais dois outros favores: Ofício e Missa própria de Nossa Senhora Aparecida, e indulgências para os romeiros que vêm em peregrinação ao Santuário.


Fotografia rara mostra como era originalmente a imagem Aparecida (antes do atentado de 1978)
A mesma imagem após a restauração, bastante modificada

Em 1928, a vila que se formara ao redor da igreja, já bastante desenvolvida, tornou-se o Município de Aparecida, nome dado em homenagem à imagem aparecida das águas, responsável direta pela criação da cidade, que é popularmente chamada "Aparecida do Norte", em razão da construção da Estrada de Ferro do Norte – depois Estrada de Ferro Central do Brasil – na segunda metade do século XIX. 

Nossa Senhora Aparecida foi proclamada Rainha e Padroeira do Brasil aos 16 de julho de 1930, por decreto do Papa Pio XI. Pela Lei nº 6.802 (30/6/1980), foi decretado feriado o dia 12 de outubro, dedicado à devoção à Santíssima Virgem Maria, Mãe de Jesus, sob a invocação de Nossa Senhora da Santa Conceição Aparecida. Também através desta lei, a República Federativa do Brasil reconhece oficialmente Nossa Senhora Aparecida como Padroeira do Brasil.

No ano 1967, ao completarem-se os 250 anos da devoção, o Papa Paulo VI ofereceu ao Santuário a “Rosa de Ouro”1. O Papa Bento XVI repetiu este mesmo gesto oferecendo outra Rosa em 2007, em sua viagem apostólica ao Brasil, reconhecendo o valor desta santa e piedosa devoção.


Sobre a imagem

A imagem aparecida das águas do Paraíba em 1717 é feita de terracota, tem cor de canela e mede 40 cm de altura. Consta que era ligeiramente mais clara antes da restauração. É de estilo seiscentista. Especialistas acham que originalmente era colorida, como eram as imagens da época, mas devido à permanência no fundo do rio a pintura tenha se perdido, o que, ao invés de descaracterizá-la, acabou por lhe acentuar a beleza. Segundo pesquisas, a argila utilizada na confecção da imagem é da região de Santana do Parnaíba, na Grande São Paulo.

No ano de 1978, a imagem sofreu um terrível atentado, tendo sido quebrada e esfacelada em quase duzentas partes. Foi este o motivo da total restauração, feita no Museu de Arte de São Paulo (MASP) pelas mãos da artista plástica Maria Helena Chartuni, que, segundo depoimento da própria, neste processo experimentou um processo de profunda restauração de sua própria fé, que ela não sabe explicar: “Eu sou uma pessoa antes e outra depois do restauro. Já disse várias vezes e repito: restaurei sua pequena imagem de terracota. Em retribuição, ela restaurou minha vida” (saiba mais).


Alguns dos primeiros milagres

Velas – Por volta de 1733, estando a noite serena e sem brisa alguma, repentinamente as duas velas que iluminavam a Santa se apagaram. Houve espanto entre os devotos, e Silvana da Rocha quis reacendê-las, mas não pôde, pois, antes que se aproximasse, elas reacenderam “sozinhas”. Este é o primeiro milagre conhecido envolvendo a imagem de Nossa Senhora Aparecida.2

Quebrando grilhões – No ano 1850 o escravo Zacarias, acorrentado, passando pela igreja da imagem aparecida pediu ao feitor permissão para rezar. Autorizado, rezou fervorosamente diante da imagem. Durante a oração, as correntes soltaram-se de seus pulsos, libertando-o.2

A menina cega de nascença de Jaboticabal – Por ser muito devotos de Nossa Senhora Aparecida, os membros da família Vaz de Jaboticabal - Sp, rezavam e falavam muito sobre os acontecimentos referente à Nossa Senhora Aparecida. O casal desta família tinha uma menina que era cega de nascença e que sempre ouvia atentamente ao que falavam. A menina tinha uma vontade muito grande de ir até a Igreja. Naqueles tempos, onde tudo ainda era sertão, ficava muito difícil de se chegar até lá. Mas com muita dificuldade, fé e perseverança,mãe e filha da família Vaz de Jaboticabal - SP, chegaram às escadarias da Igreja, quando surpreendentemente a menina cega de nascença exclamou: "Mãe, como é linda esta Igreja!". Daquele momento em diante a menina que era cega de nascença passa a enxergar normalmente.2

No correr dos anos, muitíssimos milagres e graças ocorreram e continuam ocorrendo ainda hoje por meio da devoção à Nossa Senhora sob o título "Aparecida", como facilmente verifica aquele que visita a sala dos milagres na Basílica Nova de Aparecida.

Santíssima Virgem Maria, Nossa Senhora da Conceição Aparecida, roga a Deus por nós e ajuda-nos a lembrar que este 12 de outubro não é apenas um dia para presentearmos as nossas crianças, mas também e principalmente para te amar e honrar de modo especial!


Uma nota final – um aviso aos fiéis católicos e pesquisadores

Clique sobre a imagem
para ampliar
O livro “Aparecida, a biografia da Santa que perdeu a cabeça, ficou negra, foi roubada, cobiçada pelos políticos e conquistou o Brasil”, do jornalista Rodrigo Alvarez, lançado em 2014 (ed. Globo) e que foi amplamente divulgado e promovido em ambientes católicos, apesar de conter em boa quantidade informações interessantes e bem fundamentadas sobre os três séculos de história da padroeira do Brasil, traz um erro fundamental e gravíssimo.

À página 81 do referido livro, no capítulo 10 ('Maria da Conceição'), o autor afirma que o dogma da Imaculada Conceição da Virgem Maria quer dizer que Nossa Senhora foi concebida de modo milagroso, assim como seu Filho, nosso Senhor Jesus Cristo. Reproduzimos o trecho abaixo:

...um dogma que o Vaticano só reconheceria em definitivo mais de duzentos anos depois: a Imaculada Conceição de Maria, a suposição de que a mãe de Jesus teria sido concebida por um desejo divino, sem que sua mãe tivesse relações sexuais com seu pai.

Sim, um completo e tremendo absurdo teológico. Uma informação completamente falsa e, mais do que isso, para a doutrina católica, herética. Se o jornalista não tem conhecimento teológico a respeito do dogma, deveria silenciar ou, no mínimo, procurar informar-se corretamente. O dogma da Imaculada Conceição significa, como já vimos aqui, que:

A Santíssima Virgem Maria, no primeiro instante de sua conceição, foi, por singular Graça e Privilégio de Deus Onipotente, em previsão dos Méritos de Cristo Jesus, Salvador do gênero humano, preservada imune de toda mancha de culpa original. (...) [Pois] era preciso que a Mãe do Senhor, o Tabernáculo da Nova e Eterna Aliança, fosse imaculada, assim como era intocável e feita do ouro mais puro a Arca da Antiga Aliança (veja o texto integral).

Já entramos em contato com o autor do livro e com a editora Globo, advertindo quanto ao erro que está sendo amplamente divulgado sobre a nossa doutrina e pedindo providências, como uma nota pública elucidativa (errata). Dois anos se passaram e não obtivemos qualquer resposta. Estamos agora encaminhando carta aos Revmos. Cardeais Arcebispos de São Paulo (sede do nosso apostolado) e Rio de Janeiro (cidade do autor do livro e da referida editora) cobrando alguma atitude. Seria de grande utilidade para a defesa da genuína Doutrina da Igreja Católica Apostólica Romana que nossos leitores – e tantos católicos quanto possível – fizessem o mesmo.

______________
1. A Rosa de Ouro papal é um ornamento precioso, feito de ouro puro, matizada ligeiramente com vermelho, criada por hábeis ourives, que são abençoadas todos os anos pelos Papas no quarto domingo da quaresma, chamado Domingo Lætare, e, depois, oferecidas como símbolo permanente de reverência, estima e afeição paterna a monarcas, personalidades ilustres, igrejas notáveis, governos e cidades que tenham demonstrado seu espírito de lealdade para com a Santa Sé. Como o próprio nome indica, ela representa uma rosa, um buquê de rosas ou uma pequena roseira de ouro maciço. A flor dourada brilhando reflete a majestade de Cristo, com uma simbologia muito apropriada porque os profetas o chamaram "a Flor do campo e o Lírio dos vales". Sua fragrância, de acordo com Leão XIII, "mostra o odor doce do Cristo que deve ser difundido extensamente por seus seguidores fiéis (Acta, vol. VI, 104), enquanto que os espinhos e o matiz vermelho relembram a sua paixão". (Wikipedia revisado)


2. Artigo "Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil", do portal Culturabrasil.Org, disponível em
http://www.culturabrasil.org/aparecida.htm
Acesso 08/10/014


______________

Fontes e bibliografia:


• SILVA, Iara Rosa. Devocionário a Nossa Senhora Aparecida. São Paulo: Canção Nova, 2006;


• BÖING, Mafalda Pereira. Nossa Senhora Aparecida - A Padroeira do Brasil. São Paulo: Loyola, 2007.

ofielcatolico.com.br

18 comentários:

  1. Nossa Senhora Aparecida Rogai por nos...

    ResponderExcluir
  2. Henrique meu querido filho, como faço pra recuperar a vontade de rezar?? Tenho sempre preguiça, quando penso em rezar penso num monte de coisa, quer o sempre fazer outras coisas em vez de rezar. Fico desanimada porque não tenho vontade, tenho desanimo, depressão... Me ajude, não sei que faço Antônia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente eu não sou a melhor pessoa para aconselhar alguém, Antônia, mas posso falar, pela minha experiência de vida, que a melhor maneira de ter vontade de rezar é... Rezando.

      Não há fórmula mágica. Um antigo ditado diz que "a fome vem conforme se come". Isso se aplica a quase tudo nesta vida: aquele que come muito, mais do que precisa, sente fome a toda hora, enquanto o que quase não come parece nunca ter fome; aquele que pratica regularmente alguma atividade física, quando fica muito tempo parado sente falta do exercício, já os sedentários nunca querem saber de mexer o corpo; os que trabalham arduamente não suportam o ócio, enquanto que aqueles que se acostumam com a inatividade sentem preguiça quando precisam trabalhar... E por aí vamos. É assim que somos.

      O ser humano é condicionado pelos seus hábitos, e no caso da oração não é diferente. Quando nos acostumamos a uma rotina de oração, este hábito tão santo e salutar, – e mais do que isso, necessário, – torna-se parte de nós, e então deixa de ser um esforço, um sacrifício, tornando-se um prazeroso costume.

      Muitos acham que Deus vai lhes agraciar com uma espécie de dom sobrenatural para a oração, sem nenhum esforço de sua parte, só porque desejam rezar. Isso pode até acontecer, sim, mas só depois de nos esforçarmos, demonstrando o quanto queremos viver uma vida de oração, moldando constantemente a nossa natureza na prática diária.

      Outro ponto importante é que há um claro obstáculo adicional a ser superado na vida de oração: são os demônios, que não nos querem unidos a Deus e trabalham incessantemente pela perdição de nossas almas. Então, é preciso um esforço a mais de nossa parte, uma entrega à fé, uma disciplina que precisamos nos impor.

      Porque, sem dúvida nenhuma, naquele momento que reservamos para rezar, aparecerão em nossas mentes inúmeras distrações, sugestões, impedimentos imaginários, tentações, o desânimo, a preguiça, etc, etc.

      Assim, é preciso um esforço inicial do orante, numa fase que pode se prolongar mais ou menos, conforme a disposição da pessoa. Essas dificuldades, porém, vão se enfraquecendo com a persistência, até que a oração se torna um hábito, e aí sim se obtém a graça da comunicação frequente com Deus.

      Então, resumindo, use o método "SPH": só por hoje eu vou rezar, mesmo que sinta preguiça, mesmo que seja um grande sacrifício ter de parar com os meus afazeres e me colocar de joelhos diante de Deus. – E vou agora, já! – Dissipo de minha mente todas as desculpas, expulso em Nome do Cristo toda a má-vontade, não dou atenção ao Tentador e simplesmente faço: vou rezar.

      Reserve um determinado horário e um determinado tempo, mesmo que sejam apenas dois ou três minutos pela manhã e à noite. Escolha um lugar calmo, um cantinho na sua casa ou, se possível, dê uma escapadinha até a igreja mais próxima, e se coloque diante do Sacrário (não há oração como a que se faz diante do Sacrário).

      O importante é começar. Em Portugal, é costume dizer assim:

      "Reza o Terço todos os dias. Se isso é demasiado para ti, reza uma Dezena. Se ainda for demasiado, reza uma Avé-Maria. Se é ainda tão demasiado e difícil, diz apenas: Dá-nos a Paz Senhor! Se mesmo isto for demasiado, é porque não queres nem desejas a Paz." – Obviamente está se falando, aqui, da Paz de Cristo, que pressupõe a nossa Comunhão com Deus Uno e Trino.

      Por fim, não desanime se por acaso falhar. Nunca pense: "Ontem eu me deixei vencer pelo desânimo, pela tristeza ou pela preguiça, e não rezei... Sou indigna, não mereço a Graça de Deus, então hoje também não rezo...". Este é o maior erro! Se ontem você não rezou, não se culpe demasiadamente! Assuma a falha sem exagerar no sentimento de culpa; diga-a ao Senhor, confie em sua Misericórdia infinita e faça diferente hoje. Um tropeço não justifica outro. Então, desligue este computador e vá já, agora, falar com Deus!

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  3. NOSSA SENHORA APARECIDA, ajudai do Brasil afastar a peste mortal do infernal comunismo, pior que o vírus do Ebola que mata apenas o corpo!
    Deveu-se isso também a muitos sacerdotes silentes ou coniventes com os marxistas, como a TL e sua amiga os esquerdistas da CNBB; relativizaram-se, agora tornaram-se asseclas de Satã; incluem-se muitas seitas protestantes como a IURD-Edir Macedo, da base de apoio ao governo dos comunistas do PT!
    Aos primeiros, bem que se poderia lhes evocar, pois os segundos já estão naturalmente atolados no relativismo: … são cães mudos que não podem ladrar, que vêem coisas vãs, que dormem… …E esses cães tão sem-vergonha não podem saciar-se, os mesmos pastores que não têm nenhuma inteligência; todos declinaram para o seu caminho, cada um para sua avareza, desde o mais alto até o mais baixo. Is 56 9-11.
    Os chantagistas comunistas entendem como ninguém de como serem ardilosos e agem como Maomé e seus corta-cabeça com os quais se identificam: destroem os adversários!
    Apesar disso, na cara de pau, Dilma pede votos aos cristãos que tanto detesta e apoia os seus aliados muçulmanos degolarem os cristãos e seu governo PT extremamente corrupto, defensor do aborto feito com nosso dinheiro, pedofilia, traficantes das FARC, PCC, MST, pró drogas e aliado da bandidagem; aliás, Dilma foi muito votada nos presídios, por causa da BOLSA-BANDIDO, incentivando assaltos para serem presos e ganharem para ficarem na cadeia e a sociedade que exploda, com os “dimenor” até 18 anos deitando e rolando!
    E Aécio continuará em crescente ascensão!
    NINGUÉM AGUENTA NEM VER SUAS CARETAS, LULA-DILMA E ALIADOS DO PT!

    ResponderExcluir
  4. Mãezinha querida

    Por amor que a Senhora tem a cada um de nós, proteja e guarde principalmente as crianças e os adolescentes que estão em fase de formação da cultura de morte desse governo perverso e ateu.
    O Brasil é Teu mãezinha! Não permita que comunismo algum assole o Teu país. Volta o coração dos brasileiros pro Teu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, pra Tua Igreja Católica de sempre. Esse milagre somente a Senhora poderá fazer.

    ResponderExcluir
  5. Estou pasma com essa informação errada do livro. Realmente esse livro foi muito divulgado, vi no programa da Ana Marai Braga e queria comprá-lo. É um problema muito sério, proque as pessoas das outras religiões veendo isso vão pensar uma coisa completamente errada da nossa Igreja, não é mesmo?

    Silvana CS

    ResponderExcluir
  6. bem aventurada me proclamarão todas as gerações!!!

    ResponderExcluir
  7. A Igreja Católica usa as palavras "adoração" "veneração", "reverência", "honra" como sinônimos de um culto que é QUALITATIVAMENTE DIFERENTE do significado primário e normal que estas palavras têm em português.
    E isto fica bem evidente na prática. A reverência ou a honra de que são alvo os santos, as imagens e as relíquias católicas é bem diferente da honra e reverência que se deve a qualquer pessoa viva ou objeto.
    Ninguém para honrar e respeitar uma pessoa santa ainda viva, lhe oferece incenso ou acende velas, ou constrói imagens artísticas suas, e as leva em procissão, marca uma festa anual em sua homenagem, invoca os seus méritos nas suas orações, etc etc.
    Porquê? Porque o que a Igreja Católica entende por veneração, honra e reverência tributada aos santos, às imagens e relíquias é um culto religioso. Não é a afetividade, a honra ou reverência similar à que se tem ou deve a qualquer objeto de valor afetivo ou pessoa viva.
    Na Igreja católica existe uma distinção de cultos (latria, hiperdúlia, dúlia), criada no II Concílio de Niceia.
    E para não evidenciar claramente a falta de justificação e artificialidade destas distinções, usa estas palavras para criar uma certa ambiguidade que obscurece esta distinção bizantina de cultos que pratica.
    Eu não disse que o católico acredita que Deus se comprometeu a operar milagres por intermédio de uma relíquia, mas que a atitude de esperar milagres através das relíquias só tem sentido se Deus se tivesse comprometido a fazê-lo. Precisamente porque não o fez, não tem sentido esperar que Deus opere milagres através das relíquias em particular.
    O que é indevido é a intenção e a prática de conservar relíquias para prestar-lhes culto. De modo que não importa muito a atitude que se tem com elas.
    No Antigo Testamento a reverência com a devida vénia tributada à Arca da Aliança, a um Rei ou a um Profeta, certamente não tinha intenção de prestar um culto religioso a esses elementos. Era uma reverência qualitativamente diferente do que entende por reverência (culto de dúlia) a Igreja Católica, como boa e proveitosa a prestar aos santos, imagens e relíquias.
    A paz de Cristo
    Natan.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Natan, eu penso que se tratando de pessoas que nos servem de exemplo no seguimento a JESUS CRISTO, o ato de darmos aos Anjos, os Santos e a Virgem Maria, a honra, o respeito e a reverência que são devidos, de fato se revestem de elementos religiosos, por se tratarem de pessoas que estão envolvidas no círculo religioso, portanto é evidente, que a honra, o respeito e a reverência que damos a eles se difere, por exemplo, a honra, o respeito e a reverência que damos a personalidade do circulo civil como Tira Dentes, Duque de Caixas, Dom Pedro I, e outras personalidades que fizeram a história de nossa pátria. O fato de ascender velas, incensar as imagens sagradas, dirigir as preces pedindo a intercessão de Maria, doas Anjos e dos Santos, de levar imagens sagradas em procissão, são formas de prestar esta honra, este respeito e reverência que temos por eles, isto, jamais constitui idolatria, pois se personalidade cívicas podem ser homenageados com datas comemorativas, feriados, dando a nome de ruas e cidades destas personalidade cívicas, porque as pessoas que deram o testemunho a JESUS CRISTO, não pode, dentro da Igreja?. Os fatos de: ascender velas, incensar as imagens sagradas; dirigir preces para pedir intercessão, ir em procissões, tudo tem uma explicação:
      - Ascender velas: sinal de nossa fé, e na fé daqueles Santos e Santos que testemunharam a JESUS CRISTO, e o próprio JESUS CRISTO Luz do mundo.
      - Incensar imagens Sagradas: se incensam também: as Sagradas Escrituras; o ministro da Eucaristia; o altar; a assembleia reunida, ou seja, tudo que é sagrado, é incensado, porque tudo que é abençoado, o qual é santificado pela palavra e oração (I Timóteo 4,5).
      - Dirigir as preces para pedir intercessão: os que estão em DEUS, estão unidos a nós em JESUS CRISTO, formando a Comunhão dos Santos, e nesta Comunhão ocorre a intercessão dos que estão nos céus fazem por nós, em nome de JESUS.
      - Procissões: uma forma de homenagem pública aqueles heróis da fé e que nos servem de modelo no seguimento a JESUS CRISTO, se no âmbito mundano, ocorrem desfiles em carro aberto de esportistas que venceram algum campeonato, e de algum político que venceu alguma eleição, porque não podemos homenagear nossos heróis na fé?.

      Sidnei.

      Excluir
    2. Caro Natan,

      Para vocês que não acreditam na Tradição da Santa Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, basta dois versículos para derrubar seu argumento:

      "Deus realizava milagres extraordinários pelas mãos de Paulo, a tal ponto que pegavam em lenços e aventais usados por Paulo para os colocar sobre os doentes, e estes eram libertados das suas doenças e os espíritos maus eram afastados."
      - Atos dos Apóstolos 19, 11-12

      Paz e Bem!

      Excluir
    3. Natan, você diz que a Igreja Católica trata os santos de forma diferente dos entes queridos ainda vivos, e portanto, não presta somente respeito e veneração a eles. Agora eu lhe pergunto: Todas as formas de respeito e honra devem ser iguais para serem classificadas como respeitosas e honrosas?
      Por acaso você homenagearia um amigo seu SEMPRE da mesma forma como homenagearia a sua mãe? Claro que não! Ainda assim, está homenageando e respeitando os dois.
      Nós acendemos velas e oramos para os santos pelo simples fato de que eles já estão com Deus no Céu. Não são pessoas com as quais eu poderia falar no telefone, daí as orações. E, diferentemente dos santos que ainda estão na terra, os do Céu não estão mais entre nós e temos certeza que estão salvos, pois já combateram o bom combate.
      Assim, as formas de nos comunicarmos e homenagearmos eles são diferentes das dos vivos, mas o sentimento de respeito como irmãos e irmãs que serviram a Deus é o mesmo.
      Sobre as estátuas, procissões e milagres, creio que os comentários de Sidnei e Patrick já esclareceram a questão.
      Por fim, se você não entende a fé católica ou os SEUS argumentos sobre a dulia (sem acento) são artificiais, não venha querer culpar a Igreja pela sua ignorância. A paz de NSJC!

      Excluir
    4. Olá Henrique. Lembro de ter feito um comentário em resposta a Natan sobre o tratamento dos santos por nós católicos, hoje mais cedo. Poderia publicá-lo por favor? A paz de NSJC!

      Excluir
    5. Não me recordo de ter visto esse comentário, e não há nenhum outro aguardando aprovação.

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
    6. Ok. De qualquer forma, era só um complemento aos comentários de Patrick e Sidnei e não creio ser necessário refazê-lo. A paz de NSJC!

      Excluir
  8. o que dizer do salmos 115 então e muitos mais versiculos da bíblia que diz maldito são os que fazem e adoram ídolos. Deuteronômio 27 v15

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto católicos, nada a dizer, a não ser "amém". As imagens que usamos no culto não são "ídolos", e nós não as "adoramos". Adoração, para nós, somente a Deus. Entenda melhor este assunto lendo nossos artigos nos endereços abaixo:

      http://www.ofielcatolico.com.br/2010/01/imagem-na-igreja-e-idolatria.html

      http://www.ofielcatolico.com.br/2010/01/imagens-na-igreja-outra-vez.html

      http://www.ofielcatolico.com.br/2005/09/sola-scriptura-e-as-imagens-no-culto.html

      A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

      Apostolado Fiel Católico

      Excluir
  9. COMO A CIÊNCIA TENTA EXPLICAR OS MILAGRES?

    ResponderExcluir
  10. Com a Graça de Deus, ele me pôs bem próximo a está linda cidade de Aparecida, pertinho de nossa mãe. É uma benção sem igual.

    ResponderExcluir

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$7,00. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail