Tihamer Toth, uma biografia

Biografia exclusiva por Henrique Sebastião
para a obra 'O Brilho da Mocidade' (Molokai, 2018)


Vê, caro jovem, também entre os homens há os com estômagos e corações de pardais. Quem são? Aqueles que têm um coração vazio, uma alma estéril e deserta, apesar de seus tesouros e riquezas; aqueles alheios aos valores infinitos da alma; aqueles que desfalecem de fome e sede enquanto se afogam na torrente dos gozos materiais. Eles desfalecem e definham porque se desviaram do Sol. (Tihamer Toth) [1]

TIHAMER TOTH NASCEU em Szolnok, Budapeste, capital da Hungria, aos 5 de maio do ano 1889. Filho do advogado Mátyás Toth e de sua esposa, Anna Prisztella, desde cedo manifestava grande interesse nas coisas de Deus e um especial talento para as letras.

Após a conclusão dos estudos fundamental e secundário, atendendo ao chamado divino, que sentia despertar com intensidade cada vez maior em sua alma, decidiu prosseguir com os seus estudos na formação em Teologia, o que se deu parte em Budapeste, depois em Paris, França, e Viena, na Áustria. Formou-se no Seminário Menor de Eger, norte da Hungria. Obteve seu doutorado e foi ordenado presbítero no ano 1911.

Toth foi vigário e, logo de início, destacou-se como um exemplar catequista; era um sacerdote apaixonado pelas coisas de Deus, dedicado ao serviço sagrado, zeloso para com a liturgia e na pregação da Sã Doutrina. Era, em suma, um santo homem, que atraía pelos modos e palavras, e que tinha como interesse – primeiro e maior – a salvação das almas.

Durante a Primeira Guerra Mundial, Toth atuou nas frentes sérvia e russa como capelão do exército austro-húngaro. Foi nesse período que, ao tomar contato com a profunda miséria moral em que já se encontrava a juventude no seu tempo, assumiu como propósito de vida atrair os jovens para uma vida mais digna, com propósito, em Cristo. Por motivos de saúde, acabou por deixar esse cargo no ano 1915.

Em 1916, apresentou um programa de rádio de grande audiência na Hungria. Em 1924, lecionou Pedagogia na Universidade de Pazmany. Depois foi o coordenador do Seminário de Budapeste, para o qual veio a ser nomeado reitor no ano 1931.

Aos 30 de maio de 1938, foi sagrado Bispo-coadjutor de Veszprém, pelo Papa Pio XI. Pouco depois, após o falecimento do bispo Nándor Rotta, Toth sucedeu-o, na mesma diocese, aos 3 de março de 1939.

Tihamer Toth foi um autor católico de grande destaque. Fez uso excelente dos dons especiais que recebeu –, como o de falar a linguagem dos jovens, exortando-os a uma vida digna e honrada, uma vida de fé e coragem perante o mundo com todos os seus desafios. Foi uma fonte de inspiração para milhões, tanto por suas pregações quanto pelo seu exemplo de vida, especialmente na produção de numerosas obras de orientação cristã, obras eternas e profundamente pedagógicas, dedicadas especialmente à juventude, ainda que não se restrinjam exclusivamente a uma faixa etária.

Seus livros abordam, com grande propriedade e com um estilo que torna a sua leitura profundamente agradável, temas de essencial importância, como a convivência social, a vocação profissional, os esportes, estudos, amizade, leituras, etc. Sua marca registrada é a sua maneira leve de abordar assuntos sérios e um característico bom humor, mesmo quando tratando de coisas sagradas.

Muitos desses livros alcançaram grande êxito, tendo sido traduzidos em diversos idiomas e publicados em muitos países ao redor do mundo. Traduzidos para o idioma português, entre outros, destacam-se os seguintes títulos:

• O jovem de caráter;
• A boa educação;
• O significado do Natal;
• O adolescente por volta da idade ingrata: aviso aos pais e educadores;
• O caminho da vitória;
• A Igreja Católica;
• Creio em Deus;
• O Redentor;
• Pureza e formosura;
• A vida Eterna;
• Os Dez Mandamentos;
• Quem é Cristo?;
• Religião e juventude;
• A casta adolescência.

Depois de muito ajudar às famílias do seu tempo, partiu o bispo amigo dos jovens às moradas eternas, para os braços de Nosso Senhor, aos 5 de maio de 1939, vítima da encefalite, após uma cirurgia mal sucedida. No ano de 1943, iniciou-se seu processo de beatificação.


* * *

Trabalhando incansavelmente, Tihamer Toth lutava para ganhar almas para Cristo, como aquelas que via quando estava no seminário e depois, nas salas de aulas da universidade. Certamente logrou grande êxito, e a juventude confusa dos nossos tempos tem também muito a ganhar com a sua leitura. Todavia suas obras podem e devem ser aproveitadas por jovens de todos os tempos, pois tratam de valores e princípios eternos e estão fundadas na Fé que é eterna. Ele procurou lidar com os anseios mais profundos do ser humano; por essa razão, podemos afirmar que seus escritos são sumamente indicados para pais, pedagogos e para todas as pessoas desejosas de, a qualquer época da vida, crescer no amor a Deus.

** Assine a revista O FIEL CATÓLICO e tenha acesso a muito mais!

_______________
1. Religião e juventude, 2ªed. Taubaté: SCJ. 1951, pp.19-22.
______
Referência:
OLEÁR, Robert. Tihamér Tóth, Małżeństwo chrześcijańskie. Varsóvia: Te Deum, 2001.
www.ofielcatolico.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

** Assine a revista O Fiel Católico digital e receba nossas novas edições mensais em seu e-mail por uma colaboração mensal de apenas R$9,50. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Receba O Fiel Católico em seu e-mail