6/8/20 | Vaticano nega a validade do Batismo com fórmula sacramental modificada: quem foi invalidamente batizado precisa receber o verdadeiro Batismo da Igreja


O VATICANO NEGOU a validade da fórmula usada em algumas celebrações do Sacramento do Batismo administradas com as palavras: "Em nome do pai e da mãe, do padrinho e da madrinha, dos avós, familiares, amigos, em nome da comunidade te batizamos em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo".

Do mesmo modo, afirmou que o sacerdote "não tem a autoridade de dispor à vontade da fórmula sacramental".

Em uma resposta da Congregação para a Doutrina da Fé, de 24 de junho de 2020, foi estabelecido que o Batismo conferido com essa fórmula não é válido e que as pessoas pelas quais o Batismo foi celebrado com essa fórmula devem ser corretamente batizadas, de modo absoluto.

Segundo o numeral 1240 do Catecismo da Igreja Católica, a única fórmula válida no Sacramento do Batismo na Igreja Latina é a que é acompanhada pelas palavras “Eu te batizo em Mome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”, depois de pronunciar o nome do catecúmeno.

Essa fórmula, como está incluída no mesmo ponto do catecismo, varia ligeiramente nas liturgias orientais.

A resposta da Congregação para a Doutrina da Fé é acompanhada de uma nota doutrinária explicando que "a Igreja, com efeito, quando celebra um Sacramento, age como Corpo que opera inseparavelmente da sua Cabeça, enquanto é o Cristo-Cabeça que age no Corpo eclesial por ele gerado no mistério da Páscoa".

Na Sacrosanctum Concilium também está estabelecido que “ninguém, mesmo sendo sacerdote, acrescenta, remove ou muda nada por sua própria iniciativa na Liturgia”. Por isso, afirma-se na nota doutrinária: 

Modificar por própria iniciativa a forma celebrativa de um Sacramento não constitui um simples abuso litúrgico, como transgressão de uma norma positiva, mas um vulnus (uma ofensa) infligido, ao mesmo tempo, à comunhão eclesial e à possibilidade de reconhecimento da ação de Cristo, que nos casos mais graves torna inválido o próprio Sacramento, já que a natureza da ação ministerial exige transmitir com fidelidade aquilo que se recebeu.

E reforça que "no caso específico do Sacramento do Batismo, o ministro não só não tem autoridade de dispor à vontade da fórmula sacramental”, “mas não pode sequer declarar que age em nome dos pais, dos padrinhos, dos familiares ou dos amigos, e nem mesmo em nome da assembleia reunida para a celebração, porque o ministro age enquanto sinal-presença da ação de Cristo, que se realiza no gesto ritual da Igreja”.

Sobre a pretensão de destacar a importância da comunidade, modificando a fórmula do batismo, a nota indica que "na celebração dos Sacramentos, com efeito, o sujeito é a Igreja-Corpo de Cristo juntamente com sua Cabeça, que se manifesta na concreta assembleia reunida”.

Mas, ao mesmo tempo, recorda-se que a assembleia "age ministerialmente – não colegialmente – porque nenhum grupo pode fazer de si mesmo Igreja, mas se torna Igreja em virtude de um chamado, que não pode surgir do interno da própria assembleia".

O ministro é, portanto, sinal-presença d’Aquele que reúne e, ao mesmo tempo, é lugar de comunhão de cada assembleia litúrgica com a Igreja inteira. Em outras palavras, o ministro é um sinal exterior da subtração do Sacramento ao nosso arbítrio e da sua pertença à Igreja universal.

A nota doutrinal termina enfatizando que 

Alterar a fórmula sacramental significa, ainda, não compreender a natureza mesma do ministério eclesial, que é sempre serviço a Deus e ao seu povo e não o exercício de um poder que chega à manipulação daquilo que foi confiado à Igreja com um ato que pertence à Tradição.

__________________________
Lembre-se de nos acompanhar também nas redes sociais:
** Facebook

*** Instagram (@ofielcatolico)

**** Youtube.


____
Fonte:
ACI Digital, em:
https://www.acidigital.com/noticias/vaticano-nega-validade-do-batismo-com-formula-sacramental-modificada-14046
Acesso 6/87/2020

Nenhum comentário:

Postar um comentário

** Inscreva-se para o Curso Livre de Teologia da Frat. Laical São Próspero e receba livros digitais de altíssima qualidade todos os meses, além de áudio-aulas exclusivas e canal para tirar suas dúvidas, tudo por R$29,00/mês. Ajude-nos a continuar trabalhando pelo esclarecimento da fé cristã e católica!


AVISO aos comentaristas:
Este não é um espaço de "debates" e nem para disputas inter-religiosas que têm como motivação e resultado a insuflação das vaidades. Ao contrário, conscientes das nossas limitações, buscamos com humildade oferecer respostas católicas àqueles sinceramente interessados em aprender. Para tanto, somos associação leiga assistida por santos sacerdotes e composta por professores doutores, mestres e pesquisadores. Aos interessados em batalhas de egos, advertimos: não percam precioso tempo (que pode ser investido nos estudos, na oração e na prática da caridade) redigindo provocações e desafios infantis, pois não serão publicados.

Paginação numerada



Subir